BulasMed - Referências completas de medicamentos

bulas.med.br
Buscar bulas Índice de tópicos
BulasMed  -  Detalhamento das bulas
A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O - P - Q - R - S - T - U - V - W - X - Y - Z - 0-9 - *

Em seguida à administração oral, a diacereína é prontamente desacetilada a reína, considerada o metabólito ativo. O pico plasmático após uma única dose de 50 mg, ocorre em 2,5 horas e a C max é cerca de 3 mg/L. Quando ARTRODAR® é ingerido com as...   [Mais...]
O perfil farmacocinético de SINAXIAL ® foi pesquisado com os gangliosídeos isolados da mistura SINAXIAL ®, radio-marcados (excetuando-se GD 1b ) e testados em camundongos, ratos, cobaias e cães. Após a administração, os níveis dos picos sangüíneos alcançados foram:...   [Mais...]
Toxicidade aguda: - O ramipril: como o ramipril apresenta DL50 maior que 10.000 mg/kg de peso corpóreo em camundongos e ratos e acima de 1.000 mg/kg de peso corpóreo em cães de raça beagle, considera-se que a administração oral de ramipril seja isenta de toxicidade aguda. - A hidroclorotiazida: em...   [Mais...]
A administração oral diária de Cefalexina a ratos, em doses de 250 ou 500 mg/kg, antes e durante a gravidez, ou a ratos e camundongos durante somente o período de organogênese, não teve efeito adverso na fertilidade, viabilidade fetal, peso fetal ou tamanho da ninhada. A Cefalexina não mostrou...   [Mais...]
A toxicidade do pamidronato dissódico é caracterizada por efeito direto (citotóxico) em órgãos com alto suprimento de sangue, particularmente os rins após exposição endovenosa. O composto não é mutagênico e não parece ter potencial carcinogênico.    [Mais...]
Toxicidade crônica: em estudos de toxicidade crônica e subcrônica conduzidos em ratos, camundongos e cães, observou-se declínio da glicose sérica, assim como desgranulação das células beta do pâncreas; estes efeitos demonstraram ser, a princípio, reversíveis e...   [Mais...]
A fenilbutazona não demonstrou potencial mutagênico em vários sistemas de teste " in vivo " e " in vitro " .Em estudos de toxicidade crônica em ratos e camundongos, houve evidência de um leve potencial carcinogênico para a fenilbutazona, indicado por um pequeno aumento na incidência de neoplasmas no...   [Mais...]
O diclofenaco não influencia a fertilidade das matrizes (ratos) nem o desenvolvimento pré, peri e pós-natal da prole. Não foram detectados efeitos teratogênicos em camundongos, ratos e coelhos. Não foram demonstrados efeitos mutagênicos em vários experimentos in vitro e in vivo , e nenhum...   [Mais...]
Carcinogênese, Mutagênese, Prejuízo da Fertilidade: A sildenafila não foi carcinogênica quando administrada a ratos por 24 meses, com uma dose que resultou em uma exposição sistêmica total ao fármaco (AUCs), para a sildenafila livre e seu principal metabólito, de 29 e 42 vezes...   [Mais...]
Estudos animais de até 13 semanas de duração têm sido conduzidos com a combinação dos fármacos de GALVUS MET COMBI-PACK . Não foi identifi cada nenhuma nova toxicidade relacionada à associação. Os dados seguintes são achados de estudos realizados com a...   [Mais...]
Toxicidade Crônica Em estudos de toxicidade crônica e subcrônica conduzidos em ratos, camundongos e cães, observou-se declínio da glicose sérica, assim como desgranulação das células beta do pâncreas; estes efeitos demonstraram ser, a princípio, reversíveis e...   [Mais...]
Toxicidade aguda Os valores da dose letal média (DL 50) obtidos em camundongos e ratos após administração oral de levofloxacino foram de 1500-2000 mg/kg. A administração de 500 mg/Kg, por via oral em macacos induziram poucos efeitos além de vômito. Toxicidade em doses repetidas Foram...   [Mais...]
Toxicidade reprodutiva - estudos de toxicidade reprodutiva em camundongos, ratos e coelhos não indicam potencial teratogênico para o tartarato de metoprolol. Altas doses estão associadas com certa toxicidade materna e retardo de crescimento da prole no útero e após o nascimento. Não há...   [Mais...]
No coelho, não foram observados efeitos teratogênicos em doses de até 10 mg/kg. No rato não foram detectados efeitos relacionados ao tratamento em fêmeas prenhes e em neonatos durante o período pré e pós-natal. Os componentes individuais, cloridrato de benazepril e hidroclorotiazida foram...   [Mais...]
Nos estudos de doses repetidas em ratos e cães ( uma vez por dia, sem ativação pelaradiação por até 4 semanas ) registrou-se a ocorrência de hemólise extravascular ligeira e resposta hematopoiética com exposição aproximadamente 70 vezes ( ratos ) e 32 vezes (...   [Mais...]
Os estudos pré-clínicos conduzidos com VOLTAREN EMULGEL não revelaram qualquer efeito toxicológico clinicamente relevante.   [Mais...]
Toxicidade aguda A dose única não-letal intravenosa mais elevada foi de 10 mg/kg de peso corpóreo em camundongos e 0,6 mg/kg em ratos. Toxicidade subcrônica e crônica O ácido zoledrônico foi bem tolerado, quando administrado por via subcutânea, em ratos e, por via intravenosa, em cães,...   [Mais...]
: Os estudos pertinentes à tolerância local em animais mostraram que a administração nasal do estradiol não causa lesões à mucosa. Propriedades farmacodinâmicas: Estrogênio natural para administração nasal. AERODIOL permite a administração do 17b-estradiol,...   [Mais...]
Toxicidade aguda A toxicidade aguda do exemestano é baixa: a DL50 é aproximadamente 3.000 mg/kg em camundongos e superior a 5.000 mg/kg em ratos. Em cães, o composto foi bem tolerado na dose de até 1.000 mg/kg. Toxicidade crônica Nos estudos de toxicidade de doses repetidas em ratos e cães, os...   [Mais...]
O perfil de segurança pré-clínico do ácido acetilsalicílico está bem documentado. Nos testes com animais, os salicilatos causaram dano renal mas não causaram outras lesões orgânicas. O ácido acetilsalicílico foi adequadamente testado quanto à mutagenicidade e...   [Mais...]
Estudos realizados em animais, com a administração oral de Claritromicina , desde uma única dose oral até a administração oral diária por 6 meses consecutivos, não evidenciaram sinais de toxicidade, com doses muito superiores àquelas proporcionalmente terapêuticas em humanos....   [Mais...]
Carcinogênese, Mutagênese e Alterações da Fertilidade Administração intramuscular a longo-prazo de acetato de medroxiprogesterona mostrou produzir tumores mamários em cães da raça beagles. Não há evidência de efeitos carcinogênicos associados com a...   [Mais...]
Carcinogênese, Mutagênese e Alterações da Fertilidade Administração intramuscular a longo-prazo de acetato de medroxiprogesterona mostrou produzir tumores mamários em cães da raça beagles. Não há evidência de efeitos carcinogênicos associados com a...   [Mais...]
A DL50 da epirrubicina foi de 29,3 e 14,2 mg/kg para camundongos e ratos, respectivamente, e cerca de 2,0 mg/kg para cães. Os principais órgãos-alvo após dose única foram o sistema hemolinfopoiético e, especialmente em cães, o trato gastrintestinal. Os efeitos tóxicos após...   [Mais...]
O valerato de estradiol e a noretisterona são substâncias ativas bem estabelecidas e descritas em monografias farmacopéicas (USP e Ph Eur, respectivamente).    [Mais...]
Carcinogênese A gabapentina foi administrada na dieta a camundongos, nas doses de 200, 600 e 2000mg/kg/dia e a ratos, nas doses de 250, 1000 e 2000 mg/kg/dia, durante dois anos. Um aumento estatisticamente significativo na incidência de tumores de células acinares pancreáticas foi observado somente em ratos machos que...   [Mais...]
Carcinogenicidade O potencial carcinogênico foi avaliado em um estudo de 2 anos em ratos e de 6 meses em camundongos transgênicos. Nenhum potencial carcinogênico foi detectado. Alterações inflamatória e proliferativa foram observadas no trato gastrintestinal inferior com doses de 750 ou 1500 mg/kg/dia em...   [Mais...]
Toxicidade agudaNos estudos de toxicidade aguda da octreotida em camundongos foram obtidos valores de DL50 correspondentes a 72 mg/kg através da via intravenosa e de 470 mg/kg pela via subcutânea. O valor crítico de DL50 após injeção intravenosa em ratos foi determinado como sendo 18 mg/kg. O acetato de...   [Mais...]
Toxicidade agudaA tizanidina possui uma toxicidade aguda de baixa ordem. Os sinais de superdosagem foram evidentes após doses únicas > 40 mg/kg em animais e são relacionados à ação farmacológica da droga. Toxicidade crônica e subcrônica Em um estudo de toxicidade em ratos,...   [Mais...]
A fentolamina não apresentou potencial carcinogênico, entretanto estudos prolongados de carcinogenicidade ainda não foram realizados. De acordo com os dados disponíveis, a fentolamina não apresentou um potencial mutagênico. Nos testes com micronúcleos de medula óssea, não foram...   [Mais...]
Diversos estudos de segurança pré-clínica com várias espécies animais não revelaram evidências de toxicidade sistêmica ou de órgãos alvo. Os efeitos pré-clínicos foram observados somente em exposições consideradas suficientemente excessivas à...   [Mais...]
Após 10 minutos da administração, via parenteral, de fosfatidil-L-(U 14 -C)serina em ratos e camundongos, o compostos marcado foi rapidamente distribuído com captação tecidual principalmente hepática. A droga penetra a barreira hemato-encefálica com eficiência e os níveis...   [Mais...]
O ácido hialurônico metaboliza-se eficientemente no organismo animal. Essa substância é rapidamente removida da corrente sangüínea e prontamente degradada no fígado. Essa propriedade está de acordo com a natureza do composto. Em seguida à administração de ácido...   [Mais...]
Carcinogenicidade O succinato de desvenlafaxina monoidratado administrado por sonda oral a camundongos e ratos por 2 anos não aumentou a incidência de tumores em qualquer estudo. Os camundongos receberam desvenlafaxina em doses até 500/300 mg/kg/dia (dose reduzida após 45 semanas de administração). A...   [Mais...]
Seis meses de tratamento de ratos com oxcarbazepina levaram a alterações renais morfológicas relacionadas à dose, incluindo-se lesões epiteliais, dilatação dos túbulos e fibrose glomerular, particularmente nos machos. Os túbulos corticais dilatados continham gotículas e...   [Mais...]
Toxicidade aguda DL50 oral em lebres: 32 drágeas de Venalot®, correspondendo a aproximadamente 3,36 g da mistura (1:6) das substâncias ativas por Kg. Rato: 6 g de mistura (1:6) das substâncias ativas por Kg de peso corpóreo. Em babuínos foram testadas doses unitárias da mistura cumarina +...   [Mais...]
Vide cartucho. VENDA SEM PRESCRIÇÃO MÉDICA KLEY HERTZ S. A. - Indústria e Comércio Rua Comendador Azevedo, 224 - Porto Alegre - RS Farmacêutica responsável: Paula Carniel Antonio CRF-RS 4228 - Reg. MS: 1.0689.0153 CNPJ: 92.695.691.0001-03 - INDÚSTRIA BRASILEIRA    [Mais...]
Vide cartucho. VENDA SEM PRESCRIÇÃO MÉDICA SAC 0800 704 9001 KLEY HERTZ S. A. - Indústria e Comércio Rua Comendador Azevedo, 224 - Porto Alegre - RS Farmacêutica responsável: Paula Carniel Antonio CRF-RS 4228 - Reg. MS: 1.0689.0090 CNPJ: 92.695.691.0001-03 - INDÚSTRIA BRASILEIRA    [Mais...]
Fórmula semi-elementar, em pó, especialmente a preparada para crianças com diarréia grave (aguda ou crônica). A proteína é proveniente de um hidrolisado de proteína do soro de leite. A gordura é obtida de uma mistura lipídica, contendo 50% de triglicérides de cadeia...   [Mais...]
PEDIASURE Pó ou PEDIASURE Líquido pronto para uso fornecem nutrição completa e balanceada para crianças da 1 e 10 anos de idade. Podem ser usados como suporte total de nutrição, ou como suplemento nutricional. A formulação única de DIASURE contendo baixos níveis da...   [Mais...]
Diclofenaco Sódico.    [Mais...]
Diclofenaco Potássico- Diclofenaco - Diclofenaco Resinato.    [Mais...]
Pode ocorrer dependência física e psíquica quando da terapia com benzodiazepínicos. O risco é mais evidente em pacientes em uso prolongado, altas dosagens e particularmente em pacientes predispostos, com história de alcoolismo, abuso de drogas, alterações de personalidade ou outros...   [Mais...]
Pode ocorrer dependência quando da terapia com benzodiazepínicos. O risco é mais evidente em pacientes em uso prolongado, altas dosagens e particularmente em pacientes predispostos, com história de alcoolismo, abuso de drogas, forte personalidade ou outros distúrbios psiquiátricos graves. No sentido de...   [Mais...]
Pode ocorrer dependência quando da terapia com benzodiazepínicos. O risco é mais evidente em pacientes em uso prolongado, altas dosagens e particularmente em pacientes predispostos, com história de alcoolismo, abuso de drogas, forte personalidade ou outros distúrbios psiquiátricos graves.   [Mais...]
Pode ocorrer dependência quando da terapia com benzodiazepínicos. O risco é mais evidente em pacientes em uso prolongado, altas dosagens e particularmente em pacientes predispostos, com história de alcoolismo, abuso de drogas, alterações de personalidade ou outros distúrbios psiquiátricos...   [Mais...]
Pode ocorrer dependência quando da terapia com benzodiazepínicos. O risco é mais evidente em pacientes em uso prolongado, altas dosagens e particularmente em pacientes predispostos, com história de alcoolismo, abuso de drogas, forte personalidade ou outros distúrbios psiquiátricos graves. No sentido de...   [Mais...]
Pode ocorrer dependência quando da terapia com benzodiazepínicos. O risco é mais evidente em pacientes em uso prolongado, altas dosagens e particularmente em pacientes predispostos, com história de alcoolismo, abuso de drogas, forte personalidade ou outros distúrbios psiquiátricos graves. No sentido de...   [Mais...]
amitriptilina pode aumentar a resposta do álcool, os efeitos dos barbitúricos e de outros depressores do SNC.É aconselhável precaução se o paciente receber concomitantemente grande dose de etclorvinol. Foi relatado delírio transitório em pacientes que foram tratados com 1 g de etclorvinol...   [Mais...]
prurido, urticária, fotossensibilidade, síndrome de Lyell’s, síndrome de Stevens-Johnson, dermatites esfoliativas, erupção cutânea maculopapular.   [Mais...]

Itens por pág.: 10, 25, 50, 100
1 - 2 - 3 - 4 - 5 - 6 - 7 - 8 - 9 - >
de 1 a 50 (Total: 405)

Visualizar: Títulos | Resumos
  • Entrar
  • Cadastrar