LIQUEMINE subcutâneo

ROCHE

Atualizado em 09/12/2014


Heparina sódica

      PREPARADO DE HEPARINA PARA ADMINISTRAçãO SUBCUTâNEA1

Identificação do Produto de Liquemine Subcutâneo2

Nome genérico

Heparina sódica

Forma Farmacêutica e Apresentação de Liquemine Subcutâneo2

Solução injetável - caixas com 25 ampolas de 0,25 ml em solução aquosa.

USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Composição de Liquemine Subcutâneo2

Cada ampola de 0,25 ml contém 5000 U.I. de heparina sódica para administração subcutânea1.

Informação Técnica de Liquemine Subcutâneo2

Propriedades e Efeitos de Liquemine Subcutâneo2

A heparina é constituída por uma mistura de ésteres polissulfúricos de um mucopolissacarídeo3. Seu efeito anticoagulante4 é exercido por intermédio da antitrombina III que, como co-fator,
neutraliza vários fatores ativados da coagulação5 (colicreína XIIa, XIa, IXa, Xa e trombina6). A
heparina promove o aumento, além disso, da hidrólise dos triglicerídeos dos quilomícrons e das
VLDL através da liberação e estabilização de lipases-lipoprotéicas presentes nos tecidos.

Farmacocinética de Liquemine Subcutâneo2

Liquemine® é absorvido após injeção intramuscular7 ou subcutânea1, porém não após
administração oral. A ligação às proteínas8 é elevada. As proteínas8 muito básicas (protamina)
neutralizam sua ação. A concentração eficaz se eleva a 0,6 ± 0,3 UI/ml de plasma9 na terapêutica10
e a 0,05 - 0,2 UI/ ml de plasma9 na profilaxia. Uma vez que a heparina atua no sangue11, a
distribuição nos tecidos é praticamente destituída de importância clínica.

O Liquemine® não atravessa a barreira placentária nem passa para o leite materno. Por esta
razão, é considerado o anticoagulante4 de eleição durante a gravidez12 e lactação13. O endotélio14
vascular15 e o sistema reticuloendotelial captam e provavelmente promovem a degradação do
Liquemine®. Os metabólitos16 são inativos e eliminados por via renal17. A meia-vida biológica
depende da dose administrada e situa-se em uma hora com 100 UI/kg e 2,5 horas com 400
UI/kg.

Indicações de Liquemine Subcutâneo2

Profilaxia das tromboses18 artério-venosas e da embolia19 pulmonar.

Posologia de Liquemine Subcutâneo2

Profilaxia pela heparina em doses baixas

A profilaxia pela heparina em doses baixas deve ser instituída antes da cirurgia, o que não vem a
elevar sensivelmente o risco de hemorragia20 durante ou após o ato cirúrgico. Duas horas antes da
intervenção cirúrgica, administrar por via subcutânea1 uma ampola de Liquemine® (5.000 UI). Em
seguida repetir a administração desta dose a intervalos de 8 a 12 horas durante 7 a 10 dias. Não
são necessários controles de laboratório durante o tratamento profilático. O Liquemine® SC deve
ser injetado no tecido subcutâneo21 da região abdominal subdiafragmática por meio de agulha tão
fina quanto possível. Para esse fim convém levantar uma prega cutânea22 e enfiar a agulha
horizontalmente com precaução. Terminada a injeção23 retirar a agulha sempre na posição
horizontal.

Contra-Indicações de Liquemine Subcutâneo2

O Liquemine® está contra-indicado na diátese hemorrágica24, nas hemorragias25 cerebrais, nas coagulopatias graves, na insuficiência hepática26 e renal17 grave, na hipertensão27 grave,
em pacientes com úlceras28, em presença de tumores malignos com permeabilidade29 capilar30
elevada do aparelho digestivo31, na trombocitopenia32, na endocardite33 bacteriana subaguda34,
a pacientes que sofreram intervenções cirúrgicas oculares, do cérebro35, ou da medula36
espinhal (alto risco de hemorragias25 tardias), aborto iminente e hipersensibilidade
reconhecida à heparina.

Precauções de Liquemine Subcutâneo2

Especiais precauções devem ser tomadas quando da administração de Liquemine® em
mulheres grávidas que apresentem algum sinal37 ou queixa de hepatopatia (com
hipersensibilidade à heparina) ou após intervenções da próstata38, fígado39 e vias biliares40.

A menstruação41 normal não constitui contra-indicação.

Tem sido relatado que pacientes sob heparinização, podem desenvolver novas formações
trombóticas42 em associação com trombocitopenia32, resultante de uma agregação
plaquetária irreversível induzida pela heparina, a chamada "síndrome43 do trombo44
branco". Este processo pode levar a complicações tromboembólicas severas. Desta
forma, a administração de heparina deverá ser imediatamente descontinuada se o
paciente desenvolver novo quadro de trombose45 associado com trombocitopenia32. Se a
continuação da heparinoterapia for essencial, a administração de uma diferente fonte de
heparina poderá ser iniciada após a comprovação da negatividade "in vitro" do teste de
agregação plaquetária. A contagem plaquetária, entretanto, deverá ser monitorada.

Efeitos Adversos de Liquemine Subcutâneo2

A tolerância geral e local ao Liquemine® é, em geral, boa. Ocasionalmente, podem
ocorrer hemorragias25 durante o tratamento com heparina, por exemplo, hematúria46,
hematomas47 subcutâneos nos pontos de injeção23. De acordo com a extensão, podem
ocorrer, às vezes, lesões48. Por este motivo, antes de cada injeção23 de Liquemine® é
preciso pesquisar cuidadosamente o eventual aparecimento de sangramentos na região
de cirurgia, ao nível das lojas renais e no local de aplicação, bem como a presença de
hematomas47 nos pontos de pressão (nádegas49, costas50). Para evitar hemorragias25, não
convém administrar, sempre que possível, injeções i.m. durante o tratamento
anticoagulante4.

Em compensação não há objeções a outras medicações por injeção subcutânea51 e ainda
menos por via intravenosa. Sangramentos insignificantes, em especial pequenos
hematomas47, não constituem motivo obrigatório de interrupção do tratamento pela
heparina. Conforme o caso, pode-se admitir a redução da dose. Diante de hemorragias25
de importância média, recomenda-se cessar a administração da heparina e esperar que o
efeito se esgote. Em casos excepcionais, suspende-se o tratamento e neutraliza-se o
efeito da heparina ainda circulante pela administração do cloridrato de protamina
(Protamina 1000 "Roche").

Em casos muito raros observaram-se reações de hipersensibilidade (eritema52, asma53
brônquica, febre54 medicamentosa, colapso55, espasmos56 vasculares57) devidos provavelmente
à natureza macromolecular da heparina. Quando se suspeita de hipersensibilidade ao
medicamento, pode-se administrar uma pequena quantidade antes de injetar a primeira
dose.

A alopécia58 que pode surgir depois do tratamento pela heparina é espontaneamente
reversível.

Algumas vezes observou-se uma ligeira diminuição passageira do número de plaquetas59,
que carece de importância para a hemostasia60. Em raras ocasiões produziu-se
trombocitopenias importantes ao fim de uma a três semanas de tratamento com
tendência paradoxa a tromboses18 arteriais. Neste caso, o tratamento com heparina deve
ser imediatamente interrompido. Com a suspensão do tratamento o número de plaquetas59
retorna à normalidade. Em casos raros, trombocitopenia32 clinicamente significante
associada com trombose45 (a chamada "síndrome43 do trombo44 branco"), com complicações
tromboembólicas sérias podem ocorrer 1-3 semanas após o início do tratamento (Veja
"Precauções"). Se eventualmente ocorrer tal complicação, a heparina deverá ser
interrompida imediatamente. A terapia trombolítica deve ser considerada.

Após tratamento de vários meses com heparina observaram-se casos isolados de
osteoporose61.

Controle do tratamento pela heparina

Em princípio não há necessidade de controles de laboratório durante a profilaxia e o
tratamento pela heparina. Entretanto, se for necessário utilizar Liquemine® apesar de
uma das contra-indicações mencionadas, é prudente controlar-lhes os efeitos pela
medida do tempo de trombina6 (também chamado tempo de antitrombina) ou por um teste
global (tempo de recalcificação, por exemplo). A determinação do tempo de
tromboplastina62 (o tempo de protrombina63) não convém ao controle do tratamento pela
heparina.

Ação antagonista64 da "Protamina 1000 Roche"

Quando o Liquemine® subcutâneo2 é utilizado em doses de 5.000 UI 2 a 3 vezes por dia é
desnecessário neutralizar com protamina o efeito da heparina, em vista da curta vida
média dessa substância.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS
CRIANÇAS.

LIQUEMINE subcutâneo - Laboratório

ROCHE
Av. Engenheiro Billings, 1729 - Jaguaré
São Paulo/SP - CEP: 05321-900
Tel: 0800 7720 289
Fax: 0800 7720 292
Site: http://www.roche.com/
Estrada dos Bandeirantes, 2020
CEP: 22710-104
Rio de Janeiro - RJ

Ver outros medicamentos do laboratório "ROCHE"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Subcutânea: Feita ou situada sob a pele; hipodérmica.
2 Subcutâneo: Feito ou situado sob a pele. Hipodérmico.
3 Mucopolissacarídeo: Polissacarídio de alto peso molecular presente no tecido conjuntivo e no plasma, com funções estruturais e anticoagulantes. Também recebe o nome de glicosaminoglicano.
4 Anticoagulante: Substância ou medicamento que evita a coagulação, especialmente do sangue.
5 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
6 Trombina: Enzima presente no plasma. Ela catalisa a conversão do fibrinogênio em fibrina, participando do processo de coagulação sanguínea.
7 Injeção intramuscular: Injetar medicamento em forma líquida no músculo através do uso de uma agulha e seringa.
8 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
9 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
10 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
11 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
12 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
13 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
14 Endotélio: Camada de células que reveste interiormente os vasos sanguíneos e os vasos linfáticos.
15 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
16 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
17 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
18 Tromboses: Formações de trombos no interior de um vaso sanguíneo. Podem ser venosas ou arteriais e produzem diferentes sintomas segundo os territórios afetados. A trombose de uma artéria coronariana pode produzir um infarto do miocárdio.
19 Embolia: Impactação de uma substância sólida (trombo, colesterol, vegetação, inóculo bacteriano), líquida ou gasosa (embolia gasosa) em uma região do circuito arterial com a conseqüente obstrução do fluxo e isquemia.
20 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
21 Tecido Subcutâneo: Tecido conectivo frouxo (localizado sob a DERME), que liga a PELE fracamente aos tecidos subjacentes. Pode conter uma camada (pad) de ADIPÓCITOS, que varia em número e tamanho, conforme a área do corpo e o estado nutricional, respectivamente.
22 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
23 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
24 Hemorrágica: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
25 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
26 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
27 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
28 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
29 Permeabilidade: Qualidade dos corpos que deixam passar através de seus poros outros corpos (fluidos, líquidos, gases, etc.).
30 Capilar: 1. Na medicina, diz-se de ou tubo endotelial muito fino que liga a circulação arterial à venosa. Qualquer vaso. 2. Na física, diz-se de ou tubo, em geral de vidro, cujo diâmetro interno é diminuto. 3. Relativo a cabelo, fino como fio de cabelo.
31 Aparelho digestivo: O aparelho digestivo ou digestório realiza a digestão, processo que transforma os alimentos em substâncias passíveis de serem absorvidas pelo organismo. Os materiais não absorvidos são eliminados por este sistema. Ele é composto pelo tubo digestivo e por glândulas anexas.
32 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
33 Endocardite: Inflamação aguda ou crônica do endocárdio. Ela pode estar preferencialmente localizada nas válvulas cardíacas (endocardite valvular) ou nas paredes cardíacas (endocardite parietal). Pode ter causa infecciosa ou não infecciosa.
34 Subaguda: Levemente aguda ou que apresenta sintomas pouco intensos, mas que só se atenuam muito lentamente (diz-se de afecção ou doença).
35 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
36 Medula: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
37 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
38 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
39 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
40 Vias biliares: Conjunto de condutos orgânicos que conectam o fígado e a vesícula biliar ao duodeno. Sua função é conduzir a bile produzida no fígado, para ser armazenada na vesícula biliar e posteriormente ser liberada no duodeno.
41 Menstruação: Sangramento cíclico através da vagina, que é produzido após um ciclo ovulatório normal e que corresponde à perda da camada mais superficial do endométrio uterino.
42 Trombóticas: Relativo à trombose, ou seja, à formação ou desenvolvimento de um trombo (coágulo).
43 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
44 Trombo: Coágulo aderido à parede interna de uma veia ou artéria. Pode ocasionar a diminuição parcial ou total da luz do mesmo com sintomas de isquemia.
45 Trombose: Formação de trombos no interior de um vaso sanguíneo. Pode ser venosa ou arterial e produz diferentes sintomas segundo os territórios afetados. A trombose de uma artéria coronariana pode produzir um infarto do miocárdio.
46 Hematúria: Eliminação de sangue juntamente com a urina. Sempre é anormal e relaciona-se com infecção do trato urinário, litíase renal, tumores ou doença inflamatória dos rins.
47 Hematomas: Acúmulo de sangue em um órgão ou tecido após uma hemorragia.
48 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
49 Nádegas:
50 Costas:
51 Injeção subcutânea: Injetar fluido no tecido localizado abaixo da pele, o tecido celular subcutâneo, com uma agulha e seringa.
52 Eritema: Vermelhidão da pele, difusa ou salpicada, que desaparece à pressão.
53 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
54 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
55 Colapso: 1. Em patologia, é um estado semelhante ao choque, caracterizado por prostração extrema, grande perda de líquido, acompanhado geralmente de insuficiência cardíaca. 2. Em medicina, é o achatamento conjunto das paredes de uma estrutura. 3. No sentido figurado, é uma diminuição súbita de eficiência, de poder. Derrocada, desmoronamento, ruína. 4. Em botânica, é a perda da turgescência de tecido vegetal.
56 Espasmos: 1. Contrações involuntárias, não ritmadas, de um ou vários músculos, podendo ocorrer isolada ou continuamente, sendo dolorosas ou não. 2. Qualquer contração muscular anormal. 3. Sentido figurado: arrebatamento, exaltação, espanto.
57 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
58 Alopécia: Redução parcial ou total de pêlos ou cabelos em uma determinada área de pele. Ela apresenta várias causas, podendo ter evolução progressiva, resolução espontânea ou ser controlada com tratamento médico. Quando afeta todos os pêlos do corpo, é chamada de alopécia universal.
59 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.
60 Hemostasia: Ação ou efeito de estancar uma hemorragia; mesmo que hemóstase.
61 Osteoporose: Doença óssea caracterizada pela diminuição da formação de matriz óssea que predispõe a pessoa a sofrer fraturas com traumatismos mínimos ou mesmo na ausência deles. É influenciada por hormônios, sendo comum nas mulheres pós-menopausa. A terapia de reposição hormonal, que administra estrógenos a mulheres que não mais o produzem, tem como um dos seus objetivos minimizar esta doença.
62 Tromboplastina: Conhecida como fator tissular ou Fator III, a tromboplastina é uma substância presente nos tecidos e no interior das plaquetas. Ela tem a função de transformar a protrombina em trombina na presença de íons cálcio, atuando de maneira importante no processo de coagulação.
63 Protrombina: Proteína plasmática inativa, é a precursora da trombina e essencial para a coagulação sanguínea.
64 Antagonista: 1. Opositor. 2. Adversário. 3. Em anatomia geral, que ou o que, numa mesma região anatômica ou função fisiológica, trabalha em sentido contrário (diz-se de músculo). 4. Em medicina, que realiza movimento contrário ou oposto a outro (diz-se de músculo). 5. Em farmácia, que ou o que tende a anular a ação de outro agente (diz-se de agente, medicamento etc.). Agem como bloqueadores de receptores. 6. Em odontologia, que se articula em oposição (diz-se de ou qualquer dente em relação ao da maxila oposta).

Tem alguma dúvida sobre LIQUEMINE subcutâneo?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.