DIPROSONE Creme, Pomada e Loção

Mantecorp

Atualizado em 08/12/2014

          DIPROSONE*
DIPROPIONATO DE BETAMETASONA
(Equivalente a 0,5mg/g de Betametasona)
Creme, Pomada e Loção

         

Formas Farmacêuticas/Apresentações de Diprosone Creme, Pomada e Loção

Uso ADULTO e PEDIÁTRICO
Cada grama1 de DIPROSONE* Creme contém 0,64 mg do dipropionato de betametazona, equivalente a 0,5 mg de betametasona, formulado em base cremosa, hipoalergênica e otimizada com propilenoglicol.
Excipientes: serão listados qualitativamente
DIPROSONE* Creme  é apresentado em bisnagas com 20, 30 ou 45 gramas.

Cada grama1 de DIPROSONE* Pomada contém 0,64 mg de dipropionato de betametasona, equivalente a 0,5 mg de betametasona, formulado em base oleosa, hipoalergênica e otimizada com propilenoglicol.
Excipientes: serão listados qualitativamente.
DIPROSONE* Pomada  é apresentado em bisnagas com 20, 30 ou 45 gramas.

Cada mililitro de DIPROSONE* Loção contém 0,64 mg de dipropionato de betametasona, equivalente a 0,5 mg (0,05 %) de betametasona em veículo isento de lipídios e otimizado com propilenoglicol.
Excipientes: serão listados qualitativamente.
DIPROSONE* Loção é apresentado em frascos com 30 ml ou 60 ml.

Somente para uso dermatológico

Informação ao Paciente de Diprosone Creme, Pomada e Loção

          DIPROSONE* Creme, Pomada ou Loção proporciona alívio das manifestações inflamatórias e pruginosas tópicas das dermatoses sensíveis aos corticosteróides, inclusive psoríase2. O início de ação do medicamento é imediato.

DIPROSONE* Creme deve ser armazenado em temperatura entre 2º e 25ºC e
DIPROSONE* Pomada e Solução deve ser armazenado em temperatura entre 2º e 30ºC.

O prazo de validade de DIPROSONE* Creme é de 24 meses e o de DIPROSONE* Pomada e Solução é de 36 meses e encontram-se gravados na embalagem externa do produto; em caso de vencimento, inutilize o produto

Informe seu médico a ocorrência de gravidez3 na vigência do tratamento ou após o seu término. Informar ao médico se está amamentando.

Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

          Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico. Caso ocorra irritação ou sensibilização com o uso de DIPROSONE* Creme, Pomada ou Loção, o tratamento deverá ser descontinuado.

Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis como ardência, prurido4, irritação, ressecamento, acne5, estrias, despigmentação, dermatite6 de contato e surgimento de pêlos.

          TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

DIPROSONE* Creme, Pomada ou Loção é contra-indicado para pacientes7 com alergia8 a qualquer um dos componentes de sua fórmula.

DIPROSONE* Creme, Pomada ou Loção não é recomendado para uso oftálmico. Quando aplicado no couro cabeludo ou rosto, deve-se evitar que entre em contato com os olhos9.

Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início ou durante o tratamento.

          NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA A SAÚDE10.

Informação Técnica/Características de Diprosone Creme, Pomada e Loção

DIPROSONE* Creme ou Pomada fornece em cada grama1 0,64 mg de dipropionato de betametasona (equivalente a 0,5 mg - 0,05% de betametasona), em base cremosa suave, branca, hidratante, hipoalergênica e otimizada com propilenoglicol.

DIPROSONE* é  um corticosteróide sintético fluorado.

DIPROSONE* Pomada é formulado à base de petrolato e óleo mineral.

DIPROSONE* Loção fornece, em cada mililitro de solução, 0,64 mg de dipropionato de betametasona, em forma de loção alcoólica.

A base otimizada com componente propilenoglicol aumenta a penetração e acentua a eficácia local do dipropionato de betametasona.

Indicações de Diprosone Creme, Pomada e Loção

DIPROSONE*  Creme, Pomada ou Loção é indicado para o alívio de manifestações inflamatórias e pruriginosas11 tópicas das dermatoses sensíveis aos corticosteróides, inclusive psoríase2.

DIPROSONE* Loção é especialmente apropriado às áreas pilosas, incluindo o couro cabeludo.

Contra-Indicações de Diprosone Creme, Pomada e Loção

DIPROSONE* é contra-indicado em pacientes com histórico de reações de sensibilidade ao dipropionato de betametasona, a outros corticóides ou a qualquer componente do produto.

Precauções e Advertências de Diprosone Creme, Pomada e Loção

Caso ocorra irritação ou sensibilização com o uso de DIPROSONE, o tratamento deverá ser interrompido e sucedido de medicação adequada.

Na presença de infecção12, um agente antibacteriano ou antifúngico deverá ser administrado. Caso não ocorra resposta favorável imediata, o corticosteróide deve ser descontinuado até  que o controle adequado da infecção12 seja obtido.  Qualquer dos efeitos colaterais13 relatados com o uso sistêmico14 de corticosteróide, incluindo supressão supra-renal15, também pode ocorrer com o uso tópico16 de corticosteróide, especialmente em lactentes17 e crianças.

DIPROSONE* tem demonstrado ser supressor18 do eixo hipotálamo19-hipófise20 adrenal com aplicação repetidas de 7 g/dia.
A absorção sistêmica dos corticosteróides tópicos eleva-se quando extensas áreas são tratadas ou quando se emprega a técnica oclusiva. Conseqüentemente, pacientes recebendo altas doses de coticosteróides tópicos potentes, aplicados em áreas extensas, devem ser avaliados periodicamente para evidenciar supressão do eixo hipotálamo19-hipófise20-adrenal. Caso ocorra supressão do eixo hipotálamo19-hipófise20-adrenal deve-se reduzir a freqüência de aplicação, suspender o uso do corticosteróide ou ainda substituí-lo por um coticosteróide menos potente.

A recuperação da função do eixo hipotálamo19-hipófise20-adrenal é geralmente imediata e completa com a descontinuação da medicação. Raramente, sinais21 e sintomas22 podem ocorrer devido à suspensão dos corticosteróides, requerendo-se corticoterapia sistêmica suplementar.
DIPROSONE* não é recomendado para uso oftálmico.


Uso Durante a Gravidez3 e a Lactação23

A segurança do uso de corticosteróides tópicos durante a gravidez3 não foi estabelecida. Portanto fármacos pertencentes a esta categoria devem ser utilizados em pacientes nessa situação unicamente se os benefícios potenciais justificarem o risco potencial para o feto24. Assim, DIPROSONE* não deve ser usado em grandes quantidades ou por período prolongado de tempo, em gestantes.

Por não se saber se a administração tópica de corticosteróides pode resultar em absorção sistêmica suficiente para produzir quantidades detectáveis dessas substâncias no leite materno, em casos de amamentação25 simultânea, deve-se optar entre a descontinuidade do fármaco26 ou a descontinuidade da amamentação25.

Uso Pediátrico

Pacientes pediátricos podem demonstrar maior susceptibilidade27 que pacientes adultos à supressão do eixo hipotálamo19-hipófise20-adrenal induzida por corticosteróides tópicos, bem como aos efeitos característicos dos corticosteróides exógenos. Isto se deve ao aumento relativo na área de absorção, considerando-se a razão entre a superfície corporal e o peso corpóreo.

Supressão do eixo hipotálamo19-hipófise20-adrenal, Síndrome de Cushing28, retardo no crescimento linear, ganho de peso prolongado e hipertensão29 intracraniana têm sido relatados em crianças recebendo corticosteróides tópicos. Manifestações de supressão adrenal em crianças incluem: baixos níveis de cortisol no plasma30 e ausência de resposta à estimulação por hormônio31 adrenocorticotrófico (ACTH). Manifestações de hipertensão29 intracraniana incluem: fontanela32 inchada, dores de cabeça33 e papiledema bilateral.

Reações Adversas de Diprosone Creme, Pomada e Loção

A maioria das reações adversas relatadas são transitórias, de intensidade leve a moderada, como aderência, ressecamento, prurido4 e irritação. Raramente reações adversas como formigamento, irritação, tensão ou rachadura da pele34, calor, descamação35 laminar e perilesional, exantema36 folicular, atrofia37  da pele34, eritema38 e telangiectasia39.

Outras reações adversas locais relatadas com o uso de corticosteróide tópicos incluem: prurido4, foliculites, hipertricose40, erupções acneiformes, hipopigmentação, dermatite6 perioral, dermatite6 alérgica de contato, maceração da pele34, infecções41 secundárias, estrias e miliária.

Posologia de Diprosone Creme, Pomada e Loção

Aplicar  DIPROSONE* Creme ou Pomada em quantidade suficiente para encobrir toda a área afetada, uma ou duas vezes ao dia (de manhã e à noite).Aplicar algumas gotas de DIPROSONE* Loção na área afetada, espalhando-a cuidadosamente. Geralmente são feitas duas aplicações diárias (de manhã e à noite). Em certos pacientes pode ser feita uma terapia de manutenção, com aplicações únicas diárias.

Conforme ocorre com todas as preparações corticosteróides tópicas altamente ativas, o tratamento deverá  ser suspenso tão logo a afecção42 dermatológica for controlada. A duração do tratamento pode variar de uns poucos dias a um período mais extenso, de acordo com a resposta clínica, não devendo exceder quatro semanas sem que seja feita uma reavaliação do paciente.

Superdosagem de Diprosone Creme, Pomada e Loção

O uso prolongado de corticosteróides tópicos pode suprimir a função hipotálamo19-hipófise20-adrenal, resultando em insuficiência43 supra-renal15 secundária. Neste caso, é indicado o tratamento sintomático44 adequado. Os sintomas22 de hipercorticismo agudo45 são virtualmente reversíveis. Tratar o desequilíbrio eletrolítico, se necessário. Em casos de toxicidade46 crônica, recomenda-se a retirada gradativa do corticosteróide.

DIPROSONE Creme, Pomada e Loção - Laboratório

Mantecorp
Caixa Postal: 18388 - CEP: 04699-970 - São Paulo - SP
Tel: 08000-117788
Email: atendimento@mantecorp.com
Site: http://www.mantecorp.com

Ver outros medicamentos do laboratório "Mantecorp"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Grama: 1. Designação comum a diversas ervas da família das gramíneas que formam forrações espontâneas ou que são cultivadas para criar gramados em jardins e parques ou como forrageiras, em pastagens; relva. 2. Unidade de medida de massa no sistema c.g.s., equivalente a 0,001 kg . Símbolo: g.
2 Psoríase: Doença imunológica caracterizada por lesões avermelhadas com descamação aumentada da pele dos cotovelos, joelhos, couro cabeludo e costas juntamente com alterações das unhas (unhas em dedal). Evolui através do tempo com melhoras e pioras, podendo afetar também diferentes articulações.
3 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
4 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
5 Acne: Doença de predisposição genética cujas manifestações dependem da presença dos hormônios sexuais. As lesões começam a surgir na puberdade, atingindo a maioria dos jovens de ambos os sexos. Os cravos e espinhas ocorrem devido ao aumento da secreção sebácea associada ao estreitamento e obstrução da abertura do folículo pilosebáceo, dando origem aos comedões abertos (cravos pretos) e fechados (cravos brancos). Estas condições favorecem a proliferação de microorganismos que provocam a inflamação característica das espinhas, sendo o Propionibacterium acnes o agente infeccioso mais comumente envolvido.
6 Dermatite: Inflamação das camadas superficiais da pele, que pode apresentar-se de formas variadas (dermatite seborreica, dermatite de contato...) e é produzida pela agressão direta de microorganismos, substância tóxica ou por uma resposta imunológica inadequada (alergias, doenças auto-imunes).
7 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
8 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
9 Olhos:
10 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
11 Pruriginosas: Relativas a ou próprias de prurido, que coçam, que causam coceira ou comichão. Em medicina, é o que produz prurido; prurientes, prurígenas.
12 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
13 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
14 Sistêmico: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
15 Supra-renal:
16 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.
17 Lactentes: Que ou aqueles que mamam, bebês. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
18 Supressor: 1. Que ou o que suprime. 2. Em genética, é o gene que torna o fenótipo idêntico àquele determinado pelo alelo não mutante (diz-se de mutação).
19 Hipotálamo: Parte ventral do diencéfalo extendendo-se da região do quiasma óptico à borda caudal dos corpos mamilares, formando as paredes lateral e inferior do terceiro ventrículo.
20 Hipófise:
21 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
22 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
23 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
24 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
25 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
26 Fármaco: Qualquer produto ou preparado farmacêutico; medicamento.
27 Susceptibilidade: 1. Ato, característica ou condição do que é suscetível. 2. Capacidade de receber as impressões que põem em exercício as ações orgânicas; sensibilidade. 3. Disposição ou tendência para se ofender e se ressentir com (algo, geralmente sem importância); delicadeza, melindre. 4. Em física, é o coeficiente de proporcionalidade entre o campo magnético aplicado a um material e a sua magnetização.
28 Síndrome de Cushing: A síndrome de Cushing, hipercortisolismo ou hiperadrenocortisolismo, é um conjunto de sinais e sintomas que indicam excesso de cortisona (hormônio) no sangue. Esse hormônio é liberado pela glândula adrenal (também conhecida como suprarrenal) em resposta à liberação de ACTH pela hipófise no cérebro. Níveis elevados de cortisol (ou cortisona) também podem ocorrer devido à administração de certos medicamentos, como hormônios glicocorticoides. A síndrome de Cushing e a doença de Cushing são muito parecidas, já que o que a causa de ambas é o elevado nível de cortisol no sangue. O que difere é a origem dessa elevação. A doença de Cushing diz respeito, exclusivamente, a um tumor na hipófise que passa a secretar grande quantidade de ACTH e, consequentemente, há um aumento na liberação de cortisol pelas adrenais. Já a síndrome de Cushing pode ocorrer, por exemplo, devido a um tumor presente nas glândulas suprarrenais ou pela administração excessiva de corticoides.
29 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
30 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
31 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
32 Fontanela: Na anatomia geral, é um espaço membranoso entre os ossos do crânio que ainda não se encontra ossificado quando do nascimento do bebê; fontículo ou moleira. Na anatomia zoológica, é uma depressão rasa e pálida da cabeça de certos cupins; fenestra.
33 Cabeça:
34 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
35 Descamação: 1. Ato ou efeito de descamar(-se); escamação. 2. Na dermatologia, fala-se da eliminação normal ou patológica da camada córnea da pele ou das mucosas. 3. Formação de cascas ou escamas, devido ao intemperismo, sobre uma rocha; esfoliação térmica.
36 Exantema: Alteração difusa da coloração cutânea, caracterizada por eritema, com elevação das camadas mais superficiais da pele (pápulas), vesículas, etc. Pode ser produzido por uma infecção geralmente viral (rubéola, varicela, sarampo), por alergias a medicamentos, etc.
37 Atrofia: 1. Em biologia, é a falta de desenvolvimento de corpo, órgão, tecido ou membro. 2. Em patologia, é a diminuição de peso e volume de órgão, tecido ou membro por nutrição insuficiente das células ou imobilização. 3. No sentido figurado, é uma debilitação ou perda de alguma faculdade mental ou de um dos sentidos, por exemplo, da memória em idosos.
38 Eritema: Vermelhidão da pele, difusa ou salpicada, que desaparece à pressão.
39 Telangiectasia: Dilatação permanente da parede de um pequeno vaso sanguíneo localizado na derme.
40 Hipertricose: É a transformação de pêlos velus (de textura fina e distribuídos em todo o corpo) em pêlos terminais (mais grossos e escuros). Não é causada por um aumento na produção de androgênios, podendo ser congênita ou adquirida. A hipertricose adquirida pode ser ocasionada por ingestão de medicamentos, algumas doenças metabólicas, como hipotireoidismo e porfirias, ou doenças nutricionais, como anorexia, desnutrição ou síndromes de má absorção.
41 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
42 Afecção: Qualquer alteração patológica do corpo. Em psicologia, estado de morbidez, de anormalidade psíquica.
43 Insuficiência: Incapacidade de um órgão ou sistema para realizar adequadamente suas funções.Manifesta-se de diferentes formas segundo o órgão comprometido. Exemplos: insuficiência renal, hepática, cardíaca, respiratória.
44 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
45 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
46 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.

Tem alguma dúvida sobre DIPROSONE Creme, Pomada e Loção?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.