BulasMed - Referências completas de medicamentos

bulas.med.br
Buscar bulas Índice de tópicos
BulasMed
Selecione a bula

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR? Reações comuns: cefaleia (dor de cabeça), dor abdominal, dispepsia (indigestão), diarreia, náusea (enjoo) e vômitos. Reações incomuns: anemia, hipersensibilidade imediata (alergia), tontura, vertigem (sensação de rotação), sonolência, aumento da pressão arterial, rubor facial (vermelhidão da face), hemorragia gastrintestinal oculta ou macroscópica (sangramento do aparelho digestivo, podendo ser fatal), gastrite (azia, dor e queimação do estômago), estomatite (inflamação da boca e gengiva), constipação (prisão de ventre), flatulência (gases), eructação (arrotos), exames da função hepática e renal anormais (por exemplo, aumento da transaminase ou bilirrubina.
 - 07/03/2007
QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR? Reações comuns: cefaleia (dor de cabeça), dor abdominal, dispepsia (indigestão), diarreia, náusea (enjoo) e vômitos. Reações incomuns: anemia, hipersensibilidade imediata (alergia), tontura, vertigem (sensação de rotação), sonolência, aumento da pressão arterial, rubor facial (vermelhidão da face), hemorragia gastrintestinal oculta ou macroscópica (sangramento do aparelho digestivo, podendo ser fatal), gastrite (azia, dor e queimação do estômago), estomatite (inflamação da boca e gengiva), constipação (prisão de ventre), flatulência (gases), eructação (arrotos), exames da função hepática e renal anormais (por exemplo, aumento da transaminase ou bilirrubina.
 - 02/10/2019
Reações adversas com frequências desconhecidas com amitriptilina: Aumento de peso, cardiomiopatia congestiva, agranulocitose, trombocitopenia, discinesia facial buco-maxilo-lingual associada a movimentos atetóticos grosseiros, parestesia, impotência, hepatite, alteração da função hepática, falência hepática, reação de hipersensibilidade, cãibra, disfunção ejaculatória, eosinofilia pulmonar, tolerância ao fármaco, arritmia, taquicardia sinusal, anormalidades no ECG eletrocardiograma, xerostomia, confusão, distúrbio de concentração, cefaleia, sonolência, visão borrada, distúrbio de acomodação, oftalmoplegia, aumento da pressão intraocular, comportamento agressivo (crianças e adultos), delírio (níveis alto de amitriptilina), fratura óssea, fratura óssea não vertebral, fratura de quadril, redução da memória, mioclonia, distúrbios da fala bloqueio e abstinência (sintomas de retirada náuseas, cefaleia, mal-estar, apneia do sono).
 - 06/09/2019
Deste modo o FRUTOVITAM, infusão intravenosa, proporciona adequada suplementação vitamínica ajudando a promover um retorno às condições metabólicas normais, graças à sua formulação multivitamínica e balanceada. QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO? Hipersensibilidade a qualquer dos componentes da fórmula ou à hipervitaminose preexistente. A Vitamina E, Vitamina B6, Vitamina C, nicotinamida, Vitamina B2 e o pantenol são considerados CATEGORIA C de risco na gravidez.
 - 21/08/2019
Reação rara (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento): confusão mental reversível, agitação, agressividade, depressão, alucinações (especialmente em estado grave), ginecomastia (crescimento de mamas em homens), xerostomia (boca seca), trombocitopenia (diminuição das plaquetas no sangue), agranulocitose (diminuição dos glóbulos brancos do sangue), pancitopenia (diminuição das células do sangue), encefalopatia hepática (em pacientes com insuficiência hepática grave preexistente), hepatite com ou sem icterícia, insuficiência hepática, artralgia (dor nas articulações), fraqueza muscular, mialgia (dor muscular), fotossensibilidade (sensibilidade à luz), eritema multiforme (manchas vermelhas planas ou elevadas, bolhas, ulcerações que podem acontecer em todo o corpo), síndrome de Stevens-Johnson (forma grave de reação alérgica caracterizada por bolhas em mucosas e grandes áreas do corpo), necrólise epidérmica tóxica (grandes extensões da pele ficam vermelhas e morrem), alopecia (queda de cabelo), reações de hipersensibilidade (angioedema, febre, broncoespasmo, nefrite intersticial, choque anafilático), aumento da transpiração, edema periférico, turvação da visão, alteração do paladar, hiponatremia (diminuição da concentração de sódio no sangue).
 - 06/09/2019
Ao mesmo tempo, diminui as necessidades de sangue e de consumo de oxigênio do coração. QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO? Você não pode tomar Concor nas seguintes situações: hipersensibilidade (alergia) ao bisoprolol ou a qualquer outro componente da fórmula; asma grave; problemas graves da circulação sanguínea nos membros (tal como Síndrome de Raynaud), que pode fazer com que os dedos das mãos e dos pés fiquem dormentes, pálidos ou azuis.
 - 07/03/2007
Reações adversas com frequências desconhecidas com amitriptilina: Aumento de peso, cardiomiopatia congestiva, agranulocitose, trombocitopenia, discinesia facial buco-maxilo-lingual associada a movimentos atetóticos grosseiros, parestesia, impotência, hepatite, alteração da função hepática, falência hepática, reação de hipersensibilidade, cãibra, disfunção ejaculatória, eosinofilia pulmonar, tolerância ao fármaco, arritmia, taquicardia sinusal, anormalidades no ECG eletrocardiograma, xerostomia, confusão, distúrbio de concentração, cefaleia, sonolência, visão borrada, distúrbio de acomodação, oftalmoplegia, aumento da pressão intraocular, comportamento agressivo (crianças e adultos), delírio (níveis altos de amitriptilina), fratura óssea, fratura óssea não vertebral, fratura de quadril, redução da memória, mioclonia, distúrbios da fala bloqueio e abstinência (sintomas de retirada náuseas, cefaleia, mal-estar, apneia do sono).
 - 06/09/2019
A ação de Lípitor se dá pela inibição de produção de colesterol pelo fígado, e aumento da absorção e destruição de frações prejudiciais (LDL) do colesterol. QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO? Lípitor é contraindicado a pacientes que apresentam hipersensibilidade a qualquer componente da fórmula; doença hepática (do fígado) ativa ou elevações persistentes inesperadas das transaminases séricas (enzimas do fígado), excedendo em 3 vezes o limite superior da normalidade.
 - 07/03/2007
Se você tiver alguma dúvida sobre como Anafranil funciona ou porque este medicamento foi receitado para você, pergunte ao seu médico. QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO? Informe ao seu médico se você: for alérgico (tiver hipersensibilidade) a clomipramina, a qualquer outro antidepressivo tricíclico ou a qualquer outro componente de Anafranil descrito no início desta bula.
 - 07/03/2007
Reações incomuns (ocorrem entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento): infecções por vírus, fungos e bactérias em outros grupos de pacientes (que não receberam transplante) ; anemia ; hipersensibilidade ; inflamação do pâncreas, particularmente em pacientes que receberam transplante de rim e apresentam doença inflamatória intestinal .
 - 12/08/2019
O bulas.med.br faz parte da plataforma HiDoctor
Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).
Mostrar: 10
<< - « Anteriores - 244 - 245 - 246 - 247 - 248 - 249 - Próximos » - >>
2461 a 2470 (Total: 6793)

Outros resultados:

Resultados: 18

Suplementos de ervas também têm sido implicados. Qual é o substrato fisiológico do eritema pigmentar fixo? A erupção fixa por medicamento é uma reação de hipersensibilidade tardia. Na fase inicial, as células T, quando ativadas pelos antígenos do medicamento, liberam interferon-gama, causando danos à camada basal da epiderme, danificando os melanócitos e os queratinócitos (células produtoras de queratina).
Algumas contraindicações são relativas e compreendem impossibilidade de tolerar o decúbito lateral, instabilidade hemodinâmica, presença de muito baixa oxigenação sanguínea ( hipoxemia ), diátese hemorrágica, hipertensão pulmonar , tosse refratária, hipersensibilidade a drogas e mal estado geral. A toracoscopia também não deve ser realizada após um infarto do miocárdio recente ou em face de arritmia cardíaca grave.
Pode ainda fazer uma broncoscopia para visualizar as vias aéreas, coletar amostras dos pulmões para exame de laboratório e pode finalmente fazer uma biópsia pulmonar cirúrgica. Como o médico trata a pneumonite? O primeiro passo em casos de hipersensibilidade (alergia) ou pneumonite química é eliminar a exposição ao alérgeno ou ao produto químico que irrita os pulmões. Esta etapa ajuda em muito a diminuir os sintomas.
Ela pode causar relaxamento e sonolência; euforia; confusão mental; distorção da percepção do tempo e do espaço; aumento da frequência cardíaca; fome intensa; olhos vermelhos; boca seca; insensibilidade ou diminuição da sensibilidade à dor; hipersensibilidade a estímulos sensoriais; delírios e alucinações . Além disso, o uso constante pode ocasionar apatia, alteração do nível de testosterona, alterações na memória , redução na capacidade de aprendizagem, diminuição da resistência a infecções, alterações do pensamento e sentimentos de estranheza.
hipertensão arterial confirmada; problemas de pele prolongados; mudança extrema de apetite; batimentos cardíacos acelerados; tontura; úlcera; impossibilidade de trabalhar; pesadelos; apatia; cansaço excessivo; irritabilidade; angústia; hipersensibilidade emotiva; perda do senso de humor. Veja também sobre " Estresse pós-traumático ", " Insônia ", " Esgotamento mental ou Burnout " e " Cefaleia tensional ". .
Mostrar: 5
1 - 2 - 3 - 4 - Próximos »
1 a 5 (Total: 18)
  • Entrar
  • Cadastrar