Preço de PEPRAZOL em São Paulo/SP: R$ 94,70

PEPRAZOL

LIBBS

Atualizado em 09/12/2014

PEPRAZOL
Antiulceroso

Nome Genérico de Peprazol

Omeprazol

Composição de Peprazol

Cápsulas com microgrânulos gastro-resistentes de omeprazol de 10 mg, 20 mg e 40 mg.

Informações Técnicas de Peprazol

Reduz a secreção ácido gástrica, através da inibição da H+K+ATPase (bomba de prótons), enzima1 localizada na célula2 parietal do estômago3. Ocorre diminuição da acidez pela redução da secreção ácida basal, da secreção estimulada pela pentagastrina.

Indicações de Peprazol

Doença do refluxo esofágico, esofagite de refluxo4. Úlceras5 benignas gástricas e duodenais, incluindo as causadas por tratamento com AINES. Na terapia anti H.pylori, nas doenças ulcerosas pépticas e para alívio dos sintomas6 dispépticos. Síndrome7 Zollinger-Elison. Profilaxia da aspiração ácida durante anestesia8 geral.

Contra-Indicações de Peprazol

Hipersensibilidade ao omeprazol. Durante a gestação e na amamentação9.

Precauções de Peprazol

Deve ser administrado com supervisão adequada a indivíduos portadores de disfunção renal10 ou hepática11. Antes do início do tratamento com PEPRAZOL, a possibilidade de câncer12 gástrico deve ser cuidadosamente avaliada e afastada. Gravidez13 (categoria C) e lactação14: uso cuidadoso, avaliar risco/benefício.

Reações Adversas de Peprazol

Reações adversas raras, de intensidade leve, desaparecendo com a continuação do tratamento ou após a suspensão do medicamento: cefaléia15, astenia16, diarréia17, gastroenterite18, dor muscular, constipação19, flatulência, vertigens20 e erupção21 cutânea22.

Interações Medicamentosas de Peprazol

Em menor proporção que os antagonistas H2 , o PEPRAZOL pode inibir o metabolismo23 das drogas que dependem do citocromo P-450. Nesses casos, quando houver necessidade da administração concomitante desse tipo de medicamento, recomenda-se a adequação das doses. Diazepam, fenitoína e warfarina (medicamentos metabolizados por oxidação hepática11) podem ter sua eliminação retardada pelo omeprazol; podem ser necessárias redução das dosagens com teofilina. Não se verificou interação com propanolol, lidocaina, quinidina. Não se conhece a influência dos antiácidos24 tópicos sobre a absorção do omeprazol: se necessário, usá-los no mínimo 2 horas após a administração do omeprazol.

Posologia de Peprazol

Na doença do refluxo esofágico: 20-40 mg/1 vez ao dia, por 4 semanas,  manter por mais 4-8 semanas até cicatrização completa. Úlcera duodenal25: cicatrização   20 mg/1 vez ao dia, por 4 semanas. Nos casos mais graves, 40 mg/1 vez ao dia. Prevenção de recidiva26: 10 mg/1 vez ao dia, aumentando para 20 mg/ 1 vez ao dia se os sintomas6 retornarem. Terapia tripla para erradicação da H.pylori: opção I   14 dias de PEPRAZOL 20 mg 2 vezes ao dia; 14 dias de Amoxicilina 1 g, 2 vezes ao dia; 3 dias de Azitromicina 500 mg 1 vez ao dia. Opção II   14 dias de PEPRAZOL 40 mg, 1 vez ao dia; 7 dias de Metronidazol 250 mg 4 vezes ao dia; 3 dias de Azitromicina 500 mg 1 vez ao dia. Terapia quádrupla para a erradicação da H.pylori: 14 dias de PEPRAZOL 20 mg  pela manhã; 14 dias de Amoxicilina 500 mg 3 vezes ao dia; 14 dias de Subcitrato de Bismuto Coloidal 120 mg 3 vezes ao dia (dose dupla antes de dormir); 6 dias de Azitromicina 500 mg  pela manhã.   Úlcera gástrica27: 20 mg ou 40 mg, 1 vez ao dia, por 8 semanas, dependendo da gravidade do caso. Sindrome7 Zöllinger-Ellison: 60mg/1 vez ao dia, ou ajustar a dose de manutenção entre 20-120 mg, diários. Nas doses acima de 80 mg/dia, dividir em duas tomadas diárias. Aspiração ácida: 40 mg na noite anterior antes da cirurgia e mais 40 mg 2-6 horas antes da cirurgia.

Superdose de Peprazol

Não existem informações disponíveis sobre os efeitos de superdosagem. Em caso de superdosagem severa, deve-se proceder ao acompanhamento sintomática28 do paciente em ambiente especializado.

Apresentacões de Peprazol

Frasco com 14 cápsulas de 10 mg; frasco com 7 e 28 cápsulas de 20 mg e frasco com 7 cápsulas de 40 mg.  


Venda Sob Prescrição Médica

Ver informações do laboratório

PEPRAZOL - Laboratório

LIBBS
Rua Raul Pompéia, 1103
São Paulo/SP - CEP: 05025-011
Tel: (11 3)676-0655
Fax: (11 )864-6150
Email: libbs@libbs.com.br
Site: http://www.libbs.com.br/
08000-135044

Ver outros medicamentos do laboratório "LIBBS"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
2 Célula: Unidade funcional básica de todo tecido, capaz de se duplicar (porém algumas células muito especializadas, como os neurônios, não conseguem se duplicar), trocar substâncias com o meio externo à célula, etc. Possui subestruturas (organelas) distintas como núcleo, parede celular, membrana celular, mitocôndrias, etc. que são as responsáveis pela sobrevivência da mesma.
3 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
4 Esofagite de refluxo: É uma inflamação na mucosa do esôfago (camada que reveste o esôfago) causada pelo refluxo (retorno) do conteúdo gástrico ao esôfago. Se não tratada pode causar danos, desde o estreitamento (estenose) do esôfago - o que irá causar dificuldades na deglutição dos alimentos - até o câncer. Portadores de hérnia do hiato (projeção do estômago para o tórax), obesos, sedentários, fumantes, etilistas, pessoas tensas ou ansiosas têm maior predisposição à esofagite de refluxo.
5 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
6 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
7 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
8 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
9 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
10 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
11 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
12 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
13 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
14 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
15 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
16 Astenia: Sensação de fraqueza, sem perda real da capacidade muscular.
17 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
18 Gastroenterite: Inflamação do estômago e intestino delgado caracterizada por náuseas, vômitos, diarréia e dores abdominais. É produzida pela ingestão de vírus, bactérias ou suas toxinas, ou agressão da mucosa intestinal por diversos mecanismos.
19 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
20 Vertigens: O termo vem do latim “vertere” e quer dizer rodar. A definição clássica de vertigem é alucinação do movimento. O indivíduo vê os objetos do ambiente rodarem ao seu redor ou seu corpo rodar em relação ao ambiente.
21 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
22 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
23 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
24 Antiácidos: É uma substância que neutraliza o excesso de ácido, contrariando o seu efeito. É uma base que aumenta os valores de pH de uma solução ácida.
25 Úlcera duodenal: Lesão na mucosa do duodeno – parte inicial do intestino delgado.
26 Recidiva: 1. Em medicina, é o reaparecimento de uma doença ou de um sintoma, após período de cura mais ou menos longo; recorrência. 2. Em direito penal, significa recaída na mesma falta, no mesmo crime; reincidência.
27 Úlcera gástrica: Lesão na mucosa do estômago. Pode ser provocada por excesso de ácido clorídrico produzido pelo próprio estômago ou por medicamentos como antiinflamatórios ou aspirina. É uma doença infecciosa, causada pela bactéria Helicobacter pylori em quase 100 % dos casos.
28 Sintomática: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.

Tem alguma dúvida sobre PEPRAZOL?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.