CLORANFENICOL ARISTON

ARISTON

Atualizado em 08/12/2014

Composição de Cloranfenicol Ariston

cada frasco-ampola contém succinato sódico decloranfenicol equivalente a 1 g de cloranfenicol.

Posologia e Administração de Cloranfenicol Ariston

a administração deve ser feita por via I.V., dividida em 4 doses ou administração a cada 6 horas. Adultos: 50 mg de cloranfenicol por quilo de peso por dia. A dose máxima para adultos é de 4 g/dia. Em infecções1 graves, assim como em meningites2, a dose pode chegar a 100 mg/kg/dia. Crianças: 50 mg (base) por quilo de peso por dia; em prematuros e recém-nascidos com menos de 2 semanas de vida a dose é de 25 mg (base) por quilo de peso por dia. A concentração sérica, tanto para via oral como para a parenteral, deve ser mantida em 10 a 25 microgramas por ml. A injeção3 intravenosa deve ser lenta, nunca em menos de 1 minuto.

Precauções de Cloranfenicol Ariston

o cloranfenicol passa para o leite materno, podendo provocar depressão medular ou síndrome4 cinzenta do recém-nascido. Evitar o uso durante imunizações ativas e em conjunto com fármacos depressores da medula óssea5. O uso de antibióticos pode resultar em proliferação de microorganismos resistentes. Se aparecerem novas infecções1 por bactérias ou fungos durante a terapia, deve-se tomar medidas apropriadas.

Reações Adversas de Cloranfenicol Ariston

podem ocorrer depressão medular (geralmente reversível com a suspensão do fármaco6), anemia7 aplástica (raro), síndrome4 cinzenta do recém-nascido; raramente neurite8 óptica e reações de hipersensibilidade; reações gastrintestinais como diarréia9, náusea10, vômito11, glossite12 e estomatite13 são pouco freqüentes e sem gravidade e outros sintomas14 neurológicos raros (neurite8 periférica, cefaléia15, depressão, oftalmoplegia e confusão mental).

Contra-Indicações de Cloranfenicol Ariston

é contra-indicado em pacientes alérgicos ao cloranfenicol ou derivados, em portadores de depressão medular, nas discrasias sangüíneas16 ou insuficiência hepática17. Em recém-nascidos e prematuros a concentração sérica deve ser monitorizada. Não deve ser usado na gravidez18, principalmente nas últimas semanas, pelo risco de síndrome4 cinzenta no recém-nascido. Pacientes utilizando medicamentos antineoplásicos ou radioterapia19 devem evitar o uso de cloranfenicol, devido ao risco de depressão medular.

Indicações de Cloranfenicol Ariston

infecções1 causadas por germes sensíveis ao cloranfenicol. O cloranfenicol deve ser reservado para infecções1 graves nas quais outros antibióticos menos tóxicos são ineficazes ou contra-indicados. O cloranfenicol não é indicado para o uso profilático em infecções1.

Apresentação de Cloranfenicol Ariston

Caixas com 1 ou 50 frascos-ampola + diluente.


CLORANFENICOL ARISTON - Laboratório

ARISTON
Rua Adherbal Stresser, 84
São Paulo/SP - CEP: 05566-000
Tel: (011 )810-1079
Fax: (011 )810-2894
Site: http://www.ariston.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "ARISTON"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
2 Meningites: Inflamação das meninges, aguda ou crônica, quase sempre de origem infecciosa, com ou sem reação purulenta do líquido cefalorraquidiano. As meninges são três membranas superpostas (dura-máter, aracnoide e pia-máter) que envolvem o encéfalo e a medula espinhal.
3 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
4 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
5 Medula Óssea: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
6 Fármaco: Qualquer produto ou preparado farmacêutico; medicamento.
7 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
8 Neurite: Inflamação de um nervo. Pode manifestar-se por neuralgia, déficit sensitivo, formigamentos e/ou diminuição da força muscular, dependendo das características do nervo afetado (sensitivo ou motor). Esta inflamação pode ter causas infecciosas, traumáticas ou metabólicas.
9 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
10 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
11 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
12 Glossite: Inflamação da mucosa que reveste a língua, produzida por infecção viral, radiação, carências nutricionais, etc.
13 Estomatite: Inflamação da mucosa oral produzida por infecção viral, bacteriana, micótica ou por doença auto-imune. É caracterizada por dor, ardor e vermelhidão da mucosa, podendo depositar-se sobre a mesma uma membrana brancacenta (leucoplasia), ou ser acompanhada de bolhas e vesículas.
14 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
15 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
16 Discrasias sangüíneas: Qualquer alteração envolvendo os elementos celulares do sangue, glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas.
17 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
18 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
19 Radioterapia: Método que utiliza diversos tipos de radiação ionizante para tratamento de doenças oncológicas.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre CLORANFENICOL ARISTON?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.