IMUNOGLOBULIN

BLAUSIEGEL

Atualizado em 08/12/2014

IMUNOGLOBULIN®
Imunoglobulina1 Humana


 - Forma farmacêutica e apresentações:

Pó liófilo. Frasco-ampola com 0,5 g e diluente de 10 ml; 1,0 g e diluente de 20 ml; 2,5 g e diluente 50 ml ou 5,0 g e diluente de 100ml de Imunoglobulina1 G tratada com PEG.
 
USO ADULTO E PEDIÁTRICO

 -  Composição:

 Cada frasco-ampola de 0,5 g contém:
 Imunoglobulina1 G, tratada com PEG    500 mg
Excipintes não ativos: albumina2 humana sérica, glicose3, cloreto de sódio    q.s.p.
 Diluente:
 Água Para injetáveis    10ml
 
Cada frasco-ampola de 1,0 g contém:
Imunoglobulina1 G, tratada com PEG                        1000 mg
 Excipientes não ativos: albumina2 humana sérica, glicose3, cloreto de sódio    q.s.p.
 Diluente:
 Água Para injetáveis    20ml
 
Cada frasco-ampola de 2,5 g contém:
 Imunoglobulina1 G, tratada com PEG    2500 mg
Excipientes não ativos: albumina2 humana sérica, glicose3, cloreto de sódio    q.s.p.
 Diluente:
 Água Para injetáveis    50ml
 

 Cada frasco-ampola de 5,0 g contém:
 Imunoglobulina1 G, tratada com PEG        5000 mg
 Excipientes não ativos: albumina2 humana sérica, glicose3, cloreto de sódio    q.s.p.
 Diluente:
 Água Para injetáveis    100ml

 

 informações ao Paciente de Imunoglobulin

Devido ao fato deste produto ser de uso restrito a hospital e ser manipulado apenas por pessoal treinado, o item INFORMAÇÕES AO PACIENTE não consta na bula, uma vez que estão serão fornecidas pelo médico assistente conforme necessário.

 informação Técnica de Imunoglobulin

 -  Características:

A Imunoglobulin® Imunoglobulina1 Humana é usada para promover a imunização4 passiva aumentando a concentração de anticorpos5 e o potencial da reação antígeno6-anticorpo7.
O mecanismo pelo qual a imunoglobulina1 aumenta o número de plaquetas8 no tratamento da púrpura9 trombocitopênica idiopática10 não foi totalmente elucidado. A sugestão é que a imunoglobulina1 pode saturar os receptores Fc (fragmentos11 cristalizáveis) em células12 do sistema reticuloendotelial, diminuindo a fagocitose13 em mediadores de Fc de células12 de anticorpos5 encapsulados. Este bloqueio do receptor de Fc pode ocorrer na medula óssea14, no baço15 e em outras partes do sistema reticuloendotelial e pode acontecer através da competição por receptores  de Fc mediante o aumento das concentrações séricas de IgG ou através de complexos circulantes imunes. Alteração do receptor de Fc por IgG ou supressão da produção de anticorpos5 anti-plaquetas8 também podem estar envolvidos.

 indicações de Imunoglobulin

:
·     Estados de imunodeficiência16:
Imunoglobulin® Imunoglobulina1 Humana é utilizada para promover a imunização4 passiva em pacientes com agamaglobulinemia congênita17, hipogamaglobulinemia e imunodeficiência16 combinada. Também pode provocar efeitos benéficos em pacientes sintomáticos e assintomáticos infectados por HIV18, após transplante de medula óssea14 e com leucemia19 linfocítica crônica.
·     Desordens imunológicas e inflamatórias:
Imunoglobulin® Imunoglobulina1 Humana é utilizada no controle de desordens imunológicas e inflamatórias específicas, incluindo púrpura9 trombocitopênica idiopática10 (PTI) e Síndrome20 de Kawasaki.
·     Outros usos:
Imunoglobulin® Imunoglobulina1 Humana pode ser usada em terapia combinada21 com antibióticos apropriados para prevenir ou modificar agudas infecções22 bacterianas e virais.

 

 contra-Indicações de Imunoglobulin

:

Imunoglobulin® Imunoglobulina1 Humana é contra-indicada para indivíduos que possuem reações anafiláticas23 ou graves reações sistêmicas para a imunoglobulina1 ou outros componentes da formulação.
A adrenalina24 deve estar disponível para o tratamento imediato caso ocorra uma reação anafilática25. Imunoglobulin® Imunoglobulina1 Humana é contra-indicada para indivíduos com deficiência seletiva de IgA, uma vez que estes indivíduos podem ter anticorpos5 séricos contra IgA (ou desenvolver anticorpos5 através da administração de Imunoglobulin® Imunoglobulina1 Humana) e anafilaxia26 pode resultar da administração de Imunoglobulin® Imunoglobulina1 Humana ou de outros produtos componentes sangüíneos que contêm IgA.

 precauções e Advertências de Imunoglobulin

:
Dever ser injetado cuidadosamente para os seguintes pacientes:
·     Pacientes com anemia hemolítica27 e pacientes com hematinemia (Há a possibilidade de ocorrer infecção28 por parvovírus B-19. Se ocorrer a infecção28, uma resposta sistêmica incluindo febre29 e anemia30 pode ocorrer nesses pacientes)
·    Pacientes imunocomprometidos e imunossuprimidos (Há a possibilidade de ocorrer infecção28 por parvovírus B-19. Se ocorrer a infecção28, pode ocorrer anemia30 permanente nesses pacientes)
·    Precauções Gerais:
Imunoglobulin® Imunoglobulina1 Humana, preparada a partir de plasma31 humano, é pasteurizada em "bulk" para reduzir o risco de infecções22 virais, porém, infecções22 causadas por vírus32 não conhecidos (Parvovírus B-19, etc) não pode ser garantida. Por um longo período após a infusão, o paciente deve ser monitorado continuamente.
·     Infusão durante a gravidez33:
Não é conhecido, mas a Imunoglobulin® Imunoglobulina1 Humana pode causar severas lesões34 incluindo aborto, hidropsia35 fetal e morte fetal quando administradas em grávidas. A Imunoglobulin® Imunoglobulina1 Humana deve ser administrada em mulheres grávidas somente se for realmente necessário.

 

 interações Medicamentosas de Imunoglobulin

:

Interações medicamentosas e outras formas de interações
Vacinas constituídas por vírus32 vivos atenuados:

A administração de Imunoglobulin® Imunoglobulina1 Humana pode dificultar a eficácia das vacinas constituídas por vírus32 vivos atenuados, tais como as vacinas contra sarampo36, a rubéola37, a caxumba38 e a varicela39. Após a administração de Imunoglobulin® Imunoglobulina1 Humana, esperar no mínimo 6 semanas (preferencialmente 3 meses) antes de administrar este tipo de vacinas.
Se o paciente recebeu vacinas constituídas por vírus32 vivos atenuados (sarampo36, rubéola37, caxumba38, varicela39) nas duas semanas que antecederam a administração, pode ser necessário um controle dos anticorpos5 de proteção pós-vacina40 no caso de se decidir se os pacientes serão revacinados ou não.
Interferência com os testes sorológicos:
Após a administração de Imunoglobulin® Imunoglobulina1 Humana, o aumento transitório da concentração de diversos anticorpos5 transferidos pode ser responsável por sorologia positiva temporária.
Uma vez que este medicamento contém anticorpos5 anti-eritrocitários41, a sua administração pode ser seguida de forma transitória pela positivação do teste de Coombs (teste efetuado para detectar a presença destes anticorpos5).
Segurança em relação a infecção28:
Quando produtos preparados a partir de sangue42 ou plasma31 humano são administrados, a transmissão de agentes infecciosos conhecidos ou desconhecidos não pode ser totalmente excluída. Para reduzir o risco de transmissão de infecção28, a seleção dos doadores e os testes
de unidades de sangue42 e "pools" plasmáticos, utilizando geralmente métodos aprovados são garantidos na formulação.
Cada  unidade plasmática e o "pool" plasmático utilizados para o produto têm sido testados e são negativos para HBsAg, anti-HIV18-1 e anti-HIV18-2 e anti-HCV. O processo de fabricação inclui métodos para a eliminação e inativação de vírus32, tais como precipitação com etanol, tratamento com pepsina/pH 4 e inativação viral química com reagente S/D (TNBP/Tween 80). O tratamento S/D é normalmente utilizado para eliminar o risco de transmissão com vírus32 que possuem invólucros, como o HIV18 e os vírus32 da hepatite43 B e C.
O risco de transmissão por vírus32 não envolvidos não pode ser totalmente excluído através de tratamentos que são realizados no processo de fabricação. Contudo, tais vírus32 (por exemplo, hepatite43 A) não parecem ter causado infecções22 através da administração de preparações de gamaglobulina44 endovenosa.

-  Reações adversas:

 Certos efeitos indesejáveis podem estar associados à taxa de administração. A taxa  recomendada deve ser rigorosamente aplicada e os pacientes devem ser observados ao longo de toda a perfusão, a fim de detectar sinais45 de intolerância.

As verdadeiras reações alérgicas a este medicamento são raras. Uma intolerância a imunoglobulina1 pode desenvolver-se em casos muito raros de deficiência de IgA em que o paciente possui anticorpos5 anti-IgA.
 
Muitas reações adversas aparecem relacionadas à taxa de administração e podem ser aliviadas freqüentemente diminuindo a taxa de administração ou por interrupção temporária da infusão. Pode-se utilizar anti-histamínicos.

 efeitos Colaterais46 de Imunoglobulin

:
Foram relatados os seguinte efeitos colaterais46: dor moderada no peito47, no quadril ou nas costas48; náusea49; vômito50; calafrio51; febre29; mal-estar; fadiga52; uma sensação de fraqueza ou leve tontura53; cefaléia54; urticária55; eritema56; tensão do tórax57; dispnéia58.

 posologia de Imunoglobulin

:

·     Estados de imunodeficiência16:
A dose usual para o tratamento de reposição em estados de imunodeficiência16 varia de 200 a 800 mg/kg, ou uma média de 400 mg/kg em intervalos periódicos regulares.
·     Púrpura9 trombocitopênica idiopática10:
A dosagem recomendada é 200 a 400 mg/kg diariamente e a necessidade de doses adicionais pode ser determinada por monitoramento da resposta clínica.
·     Síndrome20 de Kawasaki:
A dosagem recomendada é 400 mg/kg/dia por 4 dias ou 1 a 2 g/kg em dose única, preferencialmente antes do décimo dia da doença.
·     Terapia combinada21 com antibióticos em graves infecções22 bacterianas ou virais:
A dosagem recomendada para adultos é 2500 a 5000 mg/kg  e para crianças é 100 a 150 mg/kg, administrada em dose única.

-  Superdosagem:

A superdosagem pode levar a uma sobrecarga circulatória e hiperviscosidade, especialmente em idosos e pacientes com distúrbios da função renal59.

 pacientes Idosos de Imunoglobulin

:
 
Recomenda-se precaução especial no tratamento de pacientes idosos, dada a sua sensibilidade e maior suscetibilidade a reações indesejáveis.

 prazo de Validade de Imunoglobulin

:

O produto é válido por 24 meses após a data de fabricação (vide cartucho). O prazo de validade está impresso na embalagem externa. Não utilize o produto caso o prazo de validade esteja vencido .

 cuidados de Conservação de Imunoglobulin

:

O produto deve ser armazenado entre 2ºC e 8ºC. Não congelar.

 -  Instruções para reconstituição:

Imunoglobulin® Imunoglobulina1 Humana deve ser administrada por infusão endovenosa. Ela não pode ser administrada por injeção intramuscular60 ou subcutânea61. Imunoglobulin® Imunoglobulina1 Humana deve ser administrada por um equipo de infusão separadamente, e não deve ser misturada com outros medicamentos ou fluidos de infusão endovenosos. Imunoglobulin® Imunoglobulina1 Humana deve ser reconstituída com água para injetáveis para preparar uma solução que contém 50 mg de proteína por ml. Para a reconstituição, o liofilizado62 para injeção63 e o diluente devem ser trazidos à temperatura ambiente.
A solução deve ser administrada após a reconstituição tão logo quanto possível; as infusões devem ser iniciadas em menos de 1 hora após a reconstituição.

Reconstituição
Preparação da solução de imunoglobulina1 50 mg/ml:
 1.    Se necessário, deixar os dois frascos (pó e diluente), em temperatura ambiente.
2.    Retirar a cápsula protetora do frasco de diluente (água para injetáveis) e do frasco do pó liofilizado62. Desinfetar a superfície de cada tampa com a ajuda de um chumaço de algodão ligeiramente embebido de álcool.
3.    Retirar o protetor cilíndrico do produto de transferência e perfurar com a agulha o centro da tampa do frasco do diluente.
4.    Retirar o protetor da outra extremidade da agulha de transferência.
5.    Manter os dois frascos na posição horizontal (a malha de proteção da tampa virada para cima) e introduzir rapidamente a agulha no centro da tampa do frasco de pó. A agulha deve estar sempre imersa no diluente para evitar a interrupção do vácuo.
6.    Colocar imediatamente o conjunto na posição vertical, o frasco de diluente bem acima do frasco de pó, de maneira a permitir a transferência do diluente para o pó.
7.    Durante a transferência, dirigir o jato do diluente sobre a superfície do pó. Todo o diluente deve passar para o frasco de pó.
8.    Retirar o frasco vazio com a agulha de transferência.
9.    Agitar moderadamente mediante um movimento de rotação delicado para evitar a formação de espuma, até a dissolução do pó em pelo menos 30 minutos.

Fabricado por:
Korea Green Cross Corporation
227-3, Gugal-li, Giheung-eup, Youngin-shi, Kyonggi-do
Coréia

Importado e Distribuído por:
Blausiegel Ind. e Com. Ltda.
CNPJ 58.430.828/0001-60
     Rod. Raposo Tavares Km 30,5 nº 2833
 CEP 06705-030 - Cotia-SP
Tel: (11) 4612-2922
Reg. MS. n° 1.1637.0044
Farm. Resp.: Satoro Tabuchi CRF-SP-4.931
SAM - Serviço de Atendimento ao Médico
email sam@blausiegel.net

USO RESTRITO A HOSPITAIS
"VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA"
Nº do Lote, Data de Fabricação e de Validade: vide cartucho.

IMUNOGLOBULIN - Laboratório

BLAUSIEGEL
Rodovia Raposo Tavares km 30,5 No. 2833
Cotia/SP - CEP: 06705-030
Tel: (11) 4612-2922
Site: http://www.blausiegel.net

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Imunoglobulina: Proteína do soro sanguíneo, sintetizada pelos plasmócitos provenientes dos linfócitos B como reação à entrada de uma substância estranha (antígeno) no organismo; anticorpo.
2 Albumina: Proteína encontrada no plasma, com importantes funções, como equilíbrio osmótico, transporte de substâncias, etc.
3 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
4 Imunização: Processo mediante o qual se adquire, de forma natural ou artificial, a capacidade de defender-se perante uma determinada agressão bacteriana, viral ou parasitária. O exemplo mais comum de imunização é a vacinação contra diversas doenças (sarampo, coqueluche, gripe, etc.).
5 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
6 Antígeno: 1. Partícula ou molécula capaz de deflagrar a produção de anticorpo específico. 2. Substância que, introduzida no organismo, provoca a formação de anticorpo.
7 Anticorpo: Proteína circulante liberada pelos linfócitos em reação à presença no organismo de uma substância estranha (antígeno).
8 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.
9 Púrpura: Lesão hemorrágica de cor vinhosa, que não desaparece à pressão, com diâmetro superior a um centímetro.
10 Idiopática: 1. Relativo a idiopatia; que se forma ou se manifesta espontaneamente ou a partir de causas obscuras ou desconhecidas; não associado a outra doença. 2. Peculiar a um indivíduo.
11 Fragmentos: 1. Pedaço de coisa que se quebrou, cortou, rasgou etc. É parte de um todo; fração. 2. No sentido figurado, é o resto de uma obra literária ou artística cuja maior parte se perdeu ou foi destruída. Ou um trecho extraído de uma obra.
12 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
13 Fagocitose: Processo de ingestão e destruição de partículas sólidas, como bactérias ou pedaços de tecido necrosado, por células ameboides chamadas de fagócitos.
14 Medula Óssea: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
15 Baço:
16 Imunodeficiência: Distúrbio do sistema imunológico que se caracteriza por um defeito congênito ou adquirido em um ou vários mecanismos que interferem na defesa normal de um indivíduo perante infecções ou doenças tumorais.
17 Congênita: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
18 HIV: Abreviatura em inglês do vírus da imunodeficiência humana. É o agente causador da AIDS.
19 Leucemia: Doença maligna caracterizada pela proliferação anormal de elementos celulares que originam os glóbulos brancos (leucócitos). Como resultado, produz-se a substituição do tecido normal por células cancerosas, com conseqüente diminuição da capacidade imunológica, anemia, distúrbios da função plaquetária, etc.
20 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
21 Terapia combinada: Uso de medicações diferentes ao mesmo tempo (agentes hipoglicemiantes orais ou um agente hipoglicemiante oral e insulina, por exemplo) para administrar os níveis de glicose sangüínea em pessoas com diabetes tipo 2.
22 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
23 Reações anafiláticas: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
24 Adrenalina: 1. Hormônio secretado pela medula das glândulas suprarrenais. Atua no mecanismo da elevação da pressão sanguínea, é importante na produção de respostas fisiológicas rápidas do organismo aos estímulos externos. Usualmente utilizado como estimulante cardíaco, como vasoconstritor nas hemorragias da pele, para prolongar os efeitos de anestésicos locais e como relaxante muscular na asma brônquica. 2. No sentido informal significa disposição física, emocional e mental na realização de tarefas, projetos, etc. Energia, força, vigor.
25 Reação anafilática: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
26 Anafilaxia: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
27 Anemia hemolítica: Doença hereditária que faz com que os glóbulos vermelhos do sangue se desintegrem no interior dos veios sangüíneos (hemólise intravascular) ou em outro lugar do organismo (hemólise extravascular). Pode ter várias causas e ser congênita ou adquirida. O tratamento depende da causa.
28 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
29 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
30 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
31 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
32 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
33 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
34 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
35 Hidropsia: Edema fetal generalizado habitualmente produzido por doença hemolítica. Acumulam-se quantidades anormais de líquido em duas ou mais áreas do corpo de um feto ou de um recém-nascido.
36 Sarampo: Doença infecciosa imunoprevenível, altamente transmissível por via respiratória, causada pelo vírus do sarampo e de imunidade permanente. Geralmente ocorre na infância, mas pode afetar adultos susceptíveis (não imunes). As manifestações clínicas são febre alta, tosse seca persistente, coriza, conjuntivite, aumento dos linfonodos do pescoço e manchas avermelhadas na pele. Em cerca de 30% das pessoas com sarampo podem ocorrer complicações como diarréia, otite, pneumonia e encefalite.
37 Rubéola: Doença infecciosa imunoprevenível de transmissão respiratória. Causada pelo vírus da rubéola. Resulta em manifestações discretas ou é assintomática. Quando ocorrem, as manifestações clínicas mais comuns são febre baixa, aumento dos gânglios do pescoço, manchas avermelhadas na pele, 70% das mulheres apresentam artralgia e artrite. Geralmente tem evolução benigna, é mais comum em crianças e resulta em imunidade permanente. Durante a gravidez, a infecção pelo vírus da rubéola pode resultar em aborto, parto prematuro e mal-formações congênitas.
38 Caxumba: Também conhecida como parotidite. É uma doença infecciosa imunoprevenível de transmissão respiratória. Causada pelo vírus da caxumba, resulta em manifestações discretas ou é assintomática. Quando ocorrem, as manifestações clínicas mais comuns são febre baixa, dor no corpo, perda de apetite, fadiga e dor de cabeça. Cerca de 30 a 40% dos indivíduos infectados apresentam dor e aumento uni ou bilateral das glândulas salivares (mais comumente, das parótidas). Geralmente tem evolução benigna, é mais comum em crianças e resulta em imunidade permanente. Em alguns casos pode complicar causando meningite, encefalite, surdez, orquite, ooferite, miocardite ou pancreatite.
39 Varicela: Doença viral freqüente na infância e caracterizada pela presença de febre e comprometimento do estado geral juntamente com a aparição característica de lesões que têm vários estágios. Primeiro são pequenas manchas avermelhadas, a seguir formam-se pequenas bolhas que finalmente rompem-se deixando uma crosta. É contagiosa, mas normalmente não traz maiores conseqüências à criança. As bolhas e suas crostas, se não sofrerem infecção secundária, não deixam cicatriz.
40 Vacina: Tratamento à base de bactérias, vírus vivos atenuados ou seus produtos celulares, que têm o objetivo de produzir uma imunização ativa no organismo para uma determinada infecção.
41 Eritrocitários: Relativo a eritrócito, ou seja, relativo à célula vermelha do sangue, cuja principal função é o transporte de oxigênio.
42 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
43 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
44 Gamaglobulina: Proteína do plasma sanguíneo que pertence à família das imunoglobulinas.
45 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
46 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
47 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
48 Costas:
49 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
50 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
51 Calafrio: 1. Conjunto de pequenas contrações da pele e dos músculos cutâneos ao longo do corpo, muitas vezes com tremores fortes e palidez, que acompanham uma sensação de frio provocada por baixa temperatura, má condição orgânica ou ainda por medo, horror, nojo, etc. 2. Sensação de frio e tremores fortes, às vezes com bater de dentes, que precedem ou acompanham acessos de febre.
52 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
53 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
54 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
55 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
56 Eritema: Vermelhidão da pele, difusa ou salpicada, que desaparece à pressão.
57 Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original Sinônimos: Peito; Caixa Torácica
58 Dispnéia: Falta de ar ou dificuldade para respirar caracterizada por respiração rápida e curta, geralmente está associada a alguma doença cardíaca ou pulmonar.
59 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
60 Injeção intramuscular: Injetar medicamento em forma líquida no músculo através do uso de uma agulha e seringa.
61 Subcutânea: Feita ou situada sob a pele; hipodérmica.
62 Liofilizado: Submetido à liofilização, que é a desidratação de substâncias realizada em baixas temperaturas, usada especialmente na conservação de alimentos, em medicamentos, etc.
63 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.

Tem alguma dúvida sobre IMUNOGLOBULIN?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.