Preço de NAPRIX D em Cambridge/SP: R$ 53,65

NAPRIX D

LIBBS

Atualizado em 09/12/2014

NAPRIX D

Composições e Apresentações de Naprix D

USO ADULTO

Cada comprimido de Naprix D 5 / 25,0 contém:Ramipril .................... 5 mg
Hidroclorotiazida .................... 25 mg
Excipientes: lactose1, amido, celulose microcristalina, óxido de ferro, carmelose sódica, dióxido de silício,
estearato de magnésio e polividona ............... q.s.p .................... 1 comprimido.
Cartucho contendo 2 blisters com 15 comprimidos sulcados cada.
Cada comprimido de Naprix D 5 / 12,5 contém:
Ramipril .................... 5 mg
Hidroclorotiazida .................... 12,5 mg
Excipientes: lactose1, amido, celulose microcristalina, óxido de ferro, carmelose sódica, dióxido de silício,
estearato de magnésio e polividona .................q.s.p .................... 1 comprimido.
Cartucho contendo 2 blisters com 15 comprimidos sulcados cada.

Informações ao Paciente de Naprix D

NAPRIX D é composto por ramipril e hidroclorotiazida. É um hipotensor inibidor da ECA associado à
hidroclorotiazida, um diurético2 que deve reduzir a pressão arterial3 aumentada.
Este medicamento deve ser conservado à temperatura ambiente, entre 15 e 30°C, protegido da luz e
umidade.
O prazo de validade é de 24 meses após a data de fabricação impressa no cartucho e embalagem interna.
Não utilize o produto após o prazo de validade, sob o risco de não produzir os efeitos esperados.
Informe seu médico a ocorrência de gravidez4 na vigência do tratamento ou após o seu término . Informar
ao médico se está amamentando.
Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento
NAPRIX D (ramipril / hidroclorotiazida) deve ser administrado conforme as instruções de seu médico. Os
comprimidos devem ser tomados sem mastigar, com auxilio de um pouco de líquido antes, durante ou
após as refeições.
Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
Informe seu médico o aparecimento de reações tais como: tontura5, cefaléia6, ânsia de vômito7 ou outras
reações desagradáveis.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.
A ingestão de bebidas alcoólicas durante o tratamento pode reduzir o nível de atenção prejudicando
tarefas como operar máquinas e dirigir veículos.
Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início, ou durante o
tratamento.
Não deve ser utilizado durante a gravidez4 e a lactação8.
NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO
PARA SUA SAÚDE9.

Informações Técnicas de Naprix D

O ramipril é bem absorvido (50 a 60%) no trato gastrintestinal e é metabolizado pelo fígado10 pararamiprilato que é a sua forma ativa. O ramiprilato é um produto inibidor da enzima11 de conversão da
angiotensina (ECA).
O ramipril tem meia-vida de 5,1 horas e o ramiprilato tem meia-vida de 13 a 17 horas. Sua ação se inicia
cerca de 1 hora após a administração. Sua eliminação se dá 40% por via biliar e 60% por via renal12.
A hidroclorotiazida é um anti-hipertensivo que reduz a pressão, reduzindo o volume do plasma13 e do
fluido extra celular e também apresenta uma ação direta nos vasos sangüíneos14, reduzindo a resistência
periférica.
A hidroclorotiazida tem meia-vida de 15 horas e é eliminada quase que totalmente por via renal12.
A associação do ramipril com a hidroclorotiazida pode ser mais eficaz do que a ação isolada de cada um
dos componentes, mesmo em maiores doses, reduzindo assim o potencial de efeitos colaterais15.

Indicações de Naprix D

Hipertensão arterial16.

Contra-Indicações de Naprix D

NAPRIX D (ramipril / hidroclorotiazida) não deve ser utilizado em casos de: hipersensibilidade à qualquercomponente da fórmula, pacientes com angioedema17 hereditário ou idiopático18, pacientes com histórico de
angioedema17, pacientes com doenças autoimunes19 como lúpus20 eritematoso21 e escleroderma, depressão da medula22
óssea, insuficiência23 cérebro24-vascular25, insuficiência23 coronária, diabetes mellitus26, hipercalemia27, estenose28 da
artéria renal29, transplante renal12, insuficiência renal30, insuficiência hepática31 severa, gravidez4 e lactação8.

Precauções de Naprix D

Deve-se ter cautela quando dirigir ou operar equipamentos que requeiram atenção, face32 a possibilidade
de ocorrer vertigem33, especialmente após a dose inicial do medicamento.
Deve-se ter cuidado com exercícios intensos, principalmente no verão, devido ao risco de desidratação34.
Os seguintes grupos de pacientes devem ser controlados com atenção especial face32 a possibilidade de
uma diminuição excessiva de pressão sangüínea35: pacientes com insuficiência cardíaca36 severa, pacientes
com hipertensão37 maligna, pacientes desidratados, pacientes com estenose28 importante da artéria renal29,
pacientes tratados previamente com diuréticos38, pacientes com estenose28 de artérias coronárias39 ou cerebrais.
Caso ocorram edemas40 nos lábios, pálpebras41 ou língua42 deve-se informar imediatamente o médico e
suspender a administração do medicamento.
Deve-se monitorar a pressão sangüínea35 do paciente principalmente após a dose inicial ou após ajuste na
dosagem.
Em pacientes com função renal12 alterada ou com problemas vasculares43 renais deve-se monitorar a função
renal12 e o potássio sérico.
Não foram feitos estudos adequados e bem controlados na população pediátrica.

Interações Medicamentosas de Naprix D

As seguintes interações com outros medicamentos ou alimentos devem ser considerados quando do usoconcomitante com NAPRIX D (ramipril / hidroclorotiazida):
Álcool ou diuréticos38 podem potencializar o efeito hipotensivo.
Antiinflamatórios não esteroidais, especialmente indometacina, podem reduzir o efeito anti-hipertensivo.
Ciclosporina, medicações contendo potássio, substitutos do sal que contenham potássio podem levar a
hipercalemia27.
Depressores da medula óssea44 podem levar a neutropenia45 grave ou a agranulocitose46.
Estrogênios podem aumentar a pressão sangüínea35 .
O lítio tem seu nível aumentado quando utilizado juntamente com inibidores da ECA. A monitorização
freqüentemente de seu nível é recomendada.
Os simpaticomiméticos reduzem o efeito anti-hipertensivo do ramipril.

Reações Adversas de Naprix D

Algumas reações adversas foram observadas com a terapia com ramipril e com hidroclorotiazida. Caso
ocorra algumas das seguintes reações comunique seu médico.
Hipotensão47 (fadiga48, tontura5, fraqueza) pode ocorrer particularmente no início do tratamento ou em
pacientes com depleção49 de líquidos ou sódio.
Também ocorrem taquicardia50, náuseas51, sudorese52, cefaléia6 e sonolência como conseqüência de uma
redução excessiva da pressão.
Pacientes com estenose28 de vasos sangüíneos14, com hipertensão37 maligna, com insuficiência cardíaca36 severa,
desidratados ou que tiveram tratamento prévio com diuréticos38 são mais propensos à redução indesejável
da pressão sangüínea35 com probabilidade de evoluir para choque53 circulatório. Nestes casos o tratamento
poderá ser reiniciado após a correção da hidratação e o restabelecimento da pressão.
Raramente pode ocorrer o angioedema17 das extremidades, face32, lábios, língua42, glote54 e laringe55. Neste
caso o tratamento deve ser imediatamente interrompido e o médico deve ser comunicado.
Ocorrem raramente hipercalemia27 e dor torácica. Existem relatos de neutropenia45 e agranulocitose46,
depressão da medula óssea44, pancitopenia56 e anemia hemolitica57.
Tosse seca pode aparecer geralmente na primeira semana da terapia de forma intermitente58 ou eventual e
desaparece poucos dias após a suspensão do tratamento.
Podem ocorrer também diarréia59, náuseas51 e disgeusia.
Também foram relatadas reações como: desequilíbrio eletrolítico, hipocalemia60, pancreatite61, insuficiência23
hepática62, febre63 e diminuição da libido64. Se forem observadas reações adversas o médico deve ser informado
imediatamente.

Posologia de Naprix D

Para ambas apresentações recomenda-se o tratamento com 1/2 comprimido por dia. Caso necessáriopode-se ajustar a dose a intervalos de 2 semanas, até, no máximo, 2 comprimidos ao dia.
Os pacientes que estiverem tomando outros diuréticos38 deverão descontinua-los 2 ou 3 dias antes de
iniciar o tratamento com NAPRIX D (ramipril / hidroclorotiazida). Caso seja possível o médico prescreverá
um esquema com a redução gradual do diurético2.
Pacientes com insuficiência renal30 deverão iniciar com 1/2 de comprimido ao dia e se necessário, aumentar
até, no máximo, 1 comprimido ao dia.
NAPRIX D (ramipril / hidroclorotiazida) deve ser administrado com o suficiente de água antes, durante
ou após às refeições.

Superdosagem de Naprix D

Em caso de superdosagem pode ser necessário corrigir a hipotensão47 com infusão de solução fisiológica65
e/ou angiotensina II. Monitorar o paciente e, se necessário, adotar medidas gerais de suporte.

Pacientes Idosos de Naprix D

NAPRIX D (ramipril / hidroclorotiazida) poderá ser usado em pacientes acima de 65 anos de idade,
desde que observadas as contra-indicações, precauções, interações medicamentosas e reações adversas
deste medicamento.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
Data de fabricação, lote e validade: VIDE CARTUCHO
Reg. MS N° 1.0033.0094
Farmacêutico Responsável:
Dr. Lupércio Calefe - CRF - SP n° 6933.

NAPRIX D - Laboratório

LIBBS
Rua Raul Pompéia, 1103
São Paulo/SP - CEP: 05025-011
Tel: (11 3)676-0655
Fax: (11 )864-6150
Email: libbs@libbs.com.br
Site: http://www.libbs.com.br/
08000-135044

Ver outros medicamentos do laboratório "LIBBS"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Lactose: Tipo de glicídio que possui ligação glicosídica. É o açúcar encontrado no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose, sendo, portanto, um dissacarídeo.
2 Diurético: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
3 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
4 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
5 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
6 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
7 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
8 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
9 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
10 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
11 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
12 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
13 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
14 Vasos sangüíneos: Órgãos em forma de tubos que se ramificam por todo o organismo. Existem três tipos principais de vasos sangüíneos que são as artérias, veias e capilares.
15 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
16 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
17 Angioedema: Caracteriza-se por áreas circunscritas de edema indolor e não-pruriginoso decorrente de aumento da permeabilidade vascular. Os locais mais acometidos são a cabeça e o pescoço, incluindo os lábios, assoalho da boca, língua e laringe, mas o edema pode acometer qualquer parte do corpo. Nos casos mais avançados, o angioedema pode causar obstrução das vias aéreas. A complicação mais grave é o inchaço na garganta (edema de glote).
18 Idiopático: 1. Relativo a idiopatia; que se forma ou se manifesta espontaneamente ou a partir de causas obscuras ou desconhecidas; não associado a outra doença. 2. Peculiar a um indivíduo.
19 Autoimunes: 1. Relativo à autoimunidade (estado patológico de um organismo atingido por suas próprias defesas imunitárias). 2. Produzido por autoimunidade. 3. Autoalergia.
20 Lúpus: 1. É uma inflamação crônica da pele, caracterizada por ulcerações ou manchas, conforme o tipo específico. 2. Doença autoimune rara, mais frequente nas mulheres, provocada por um desequilíbrio do sistema imunológico. Nesta patologia, a defesa imunológica do indivíduo se vira contra os tecidos do próprio organismo como pele, articulações, fígado, coração, pulmão, rins e cérebro. Essas múltiplas formas de manifestação clínica, às vezes, podem confundir e retardar o diagnóstico. Lúpus exige tratamento cuidadoso por médicos especializados no assunto.
21 Eritematoso: Relativo a ou próprio de eritema. Que apresenta eritema. Eritema é uma vermelhidão da pele, devido à vasodilatação dos capilares cutâneos.
22 Medula: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
23 Insuficiência: Incapacidade de um órgão ou sistema para realizar adequadamente suas funções.Manifesta-se de diferentes formas segundo o órgão comprometido. Exemplos: insuficiência renal, hepática, cardíaca, respiratória.
24 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
25 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
26 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
27 Hipercalemia: É a concentração de potássio sérico maior que 5.5 mmol/L (mEq/L). Uma concentração acima de 6.5 mmol/L (mEq/L) é considerada crítica.
28 Estenose: Estreitamento patológico de um conduto, canal ou orifício.
29 Artéria Renal: Ramo da aorta abdominal que irriga os rins, glândulas adrenais e ureteres.
30 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
31 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
32 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
33 Vertigem: Alucinação de movimento. Pode ser devido à doença do sistema de equilíbrio, reação a drogas, etc.
34 Desidratação: Perda de líquidos do organismo pelo aumento importante da freqüência urinária, sudorese excessiva, diarréia ou vômito.
35 Pressão sangüínea: Força exercida pelo sangue arterial por unidade de área da parede arterial. É expressa como uma razão (Exemplo: 120/80, lê-se 120 por 80). O primeiro número é a pressão sistólica ou pressão máxima. E o segundo número é a presão diastólica ou mínima.
36 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
37 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
38 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
39 Artérias coronárias: Veias e artérias do CORAÇÃO.
40 Edemas: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
41 Pálpebras:
42 Língua:
43 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
44 Medula Óssea: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
45 Neutropenia: Queda no número de neutrófilos no sangue abaixo de 1000 por milímetro cúbico. Esta é a cifra considerada mínima para manter um sistema imunológico funcionando adequadamente contra os agentes infecciosos mais freqüentes. Quando uma pessoa neutropênica apresenta febre, constitui-se uma situação de “emergência infecciosa”.
46 Agranulocitose: Doença causada pela falta ou número insuficiente de leucócitos granulócitos (neutrófilos, basófilos e eosinófilos), que se manifesta como ulcerações na garganta e outras mucosas, seguidas por infecções graves.
47 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
48 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
49 Depleção: 1. Em patologia, significa perda de elementos fundamentais do organismo, especialmente água, sangue e eletrólitos (sobretudo sódio e potássio). 2. Em medicina, é o ato ou processo de extração de um fluido (por exxemplo, sangue) 3. Estado ou condição de esgotamento provocado por excessiva perda de sangue. 4. Na eletrônica, em um material semicondutor, medição da densidade de portadores de carga abaixo do seu nível e do nível de dopagem em uma temperatura específica.
50 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
51 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
52 Sudorese: Suor excessivo
53 Choque: 1. Estado de insuficiência circulatória a nível celular, produzido por hemorragias graves, sepse, reações alérgicas graves, etc. Pode ocasionar lesão celular irreversível se a hipóxia persistir por tempo suficiente. 2. Encontro violento, com impacto ou abalo brusco, entre dois corpos. Colisão ou concussão. 3. Perturbação brusca no equilíbrio mental ou emocional. Abalo psíquico devido a uma causa externa.
54 Glote: Aparato vocal da laringe. Consiste das cordas vocais verdadeiras (pregas vocais) e da abertura entre elas (rima da glote).
55 Laringe: É um órgão fibromuscular, situado entre a traqueia e a base da língua que permite a passagem de ar para a traquéia. Consiste em uma série de cartilagens, como a tiroide, a cricóide e a epiglote e três pares de cartilagens: aritnoide, corniculada e cuneiforme, todas elas revestidas de membrana mucosa que são movidas pelos músculos da laringe. As dobras da membrana mucosa dão origem às pregas vocais.
56 Pancitopenia: É a diminuição global de elementos celulares do sangue (glóbulos brancos, vermelhos e plaquetas).
57 Anemia hemolítica: Doença hereditária que faz com que os glóbulos vermelhos do sangue se desintegrem no interior dos veios sangüíneos (hemólise intravascular) ou em outro lugar do organismo (hemólise extravascular). Pode ter várias causas e ser congênita ou adquirida. O tratamento depende da causa.
58 Intermitente: Nos quais ou em que ocorrem interrupções; que cessa e recomeça por intervalos; intervalado, descontínuo. Em medicina, diz-se de episódios de febre alta que se alternam com intervalos de temperatura normal ou cujas pulsações têm intervalos desiguais entre si.
59 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
60 Hipocalemia: Concentração sérica de potássio inferior a 3,5 mEq/l. Pode ocorrer por alterações na distribuição de potássio (desvio do compartimento extracelular para intracelular) ou de reduções efetivas no conteúdo corporal de potássio por uma menor ingesta ou por perda aumentada. Fraqueza muscular e arritimias cardíacas são os sinais e sintomas mais comuns, podendo haver também poliúria, polidipsia e constipação. Pode ainda ser assintomática.
61 Pancreatite: Inflamação do pâncreas. A pancreatite aguda pode ser produzida por cálculos biliares, alcoolismo, drogas, etc. Pode ser uma doença grave e fatal. Os primeiros sintomas consistem em dor abdominal, vômitos e distensão abdominal.
62 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
63 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
64 Libido: Desejo. Procura instintiva do prazer sexual.
65 Fisiológica: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.

Tem alguma dúvida sobre NAPRIX D?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.