CASTANHA DA ÍNDIA HERBARIUM

HERBARIUM LABORATÓRIO BOTÂNICO LTDA.

Atualizado em 03/06/2015

CASTANHA DA ÍNDIA HERBARIUM

Aesculus hippocastanum L., Hippocastanaceae.

Leia com atenção antes de usar o produto.

FITOTERÁPICO

Forma Farmacêutica da Castanha da índia Herbarium

Comprimido.

- VIA DE ADMINISTRAÇÃO

Oral.

Apresentação da Castanha da índia Herbarium

Embalagem com 3 blísters contendo 15 comprimidoscada.

USO ADULTO

- COMPOSIÇÃO:

Cada comprimido contém:
Extrato seco de Aesculus hippocastanum L., Hippocastanaceae
(Castanha da índia) .................... 100mg
Excipientes (Celulose microcristalina, opadry II HP, talco,
dióxido de titânio, estearato de magnésio, dióxido de
silício e óxido de ferro amarelo) ....q.s.p. 1 comprimido

Concentração dos Princípios Ativos da Castanha da índia Herbarium

O extrato está padronizado em 20% de glicosídeos
triterpênicos calculados como escina.
Cada comprimido contém 20mg de glicosídeos triterpênicos
calculados como escina.

Nomenclatura Botânica Oficial da Castanha da índia Herbarium

Aesculus hippocastanum L., Hippocastanaceae.

Parte Utilizada da Planta da Castanha da índia Herbarium


Sementes.

- INFORMAÇÕES AO PACIENTE

Como este medicamento funciona?
CASTANHA DA ÍNDIA HERBARIUM reduz a permeabilidade1
dos vasos sangüíneos2, aumentando com isso, sua
resistência.
Para que este medicamento é indicado?
Quadros de fragilidade capilar3 e insuficiência4 venosa,
ou seja, quadros de má circulação5 sangüínea, incluindo
varizes6 nas pernas e pés e hemorróidas7.
Quando não devo usar este medicamento?
Pacientes com desordens no fígado8 e rins9 e/ou lesões10
na mucosa11 digestiva.
Pacientes alérgicos a plantas da família Hippocastanaceae.
Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres
grávidas sem orientação médica ou do cirurgiãodentista.
Este medicamento é contra-indicado na faixa etária
inferior a 10 anos.

Em caso de hipersensibilidade ao produto, recomendase
descontinuar o uso e consultar o médico.
Informe ao médico ou cirurgião-dentista o aparecimento
de reações indesejáveis.

A castanha da índia pode interferir no tratamento com
coagulantes ou anticoagulantes12.
Não administrar com outras drogas conhecidas por serem
tóxicas aos rins9, como por exemplo, a gentamicina.
Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você
está fazendo uso de algum outro medicamento.
Como devo usar este medicamento?
CASTANHA DA ÍNDIA HERBARIUM é apresentado em
comprimidos de cor bege, que possuem odor característico
e praticamente não apresentam sabor.
Ingerir 1(um) comprimido, 3 (três) vezes ao dia.
Os comprimidos devem ser ingeridos inteiros e com
uma quantidade suficiente de água para que possam
ser deglutidos.
Este medicamento não pode ser partido ou mastigado.
Siga corretamente o modo de usar. Não desaparecendo
os sintomas13, procure orientação médica ou de seu
cirurgião-dentista.
Não use o medicamento com o prazo de validade vencido.
Antes de usar, observe o aspecto do medicamento.
Quais os males que este medicamento pode causar?
Raramente pode ocorrer coceira, náusea14, vômito15 e
irritação gástrica.
O que fazer se alguém usar uma grande quantidade
deste medicamento de uma só vez?

Doses acima das recomendadas podem provocar
vômito15, diarréia16, sede intensa, vermelhidão da face17,
desordens da visão18 e alterações da consciência.
Foram relatados dois casos de toxicidade19 nos rins9, provavelmente
após a ingestão de altas doses de escina.
É recomendado o esvaziamento gástrico e intestinal,
e a administração de carvão ativado, podendo ser
necessárias outras medidas, como administração de
atropina, diazepam e reposição eletrolítica.
Em caso de superdosagem, recomenda-se suspender o
uso e procurar orientação médica.
Onde e como devo guardar este medicamento?
Manter em temperatura ambiente (15 a 30ºC). Proteger
da luz, do calor e da umidade.
Nestas condições, o medicamento se manterá próprio
para o consumo, respeitando o prazo de validade
indicado na embalagem.
Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance
das crianças.

- INFORMAÇÕES TÉCNICAS AOS PROFISSIONAIS
DE SAÚDE20

Características Farmacológicas da Castanha da índia Herbarium

CASTANHA DA ÍNDIA HERBARIUM é constituído pelo extratoseco de castanha da índia (Aesculus hippocastanum) padronizado
em glicosídeos triterpênicos calculados como escina.
Estes compostos químicos são os principais constituintes
fitoquímicos, no que diz respeito à ação farmacológica.
O extrato de castanha da índia atua reduzindo a atividade
das enzimas lisossomais, freqüentemente aumentada em
quadros de insuficiência4 venosa crônica. Esse processo
leva a uma menor decomposição do glicocálix das células21
endoteliais, reduzindo a permeabilidade1 capilar3 e,
portanto, a filtração de água, eletrólitos22 e proteínas23 de
baixo peso molecular para o interstício24.

- Indicações

Fragilidade capilar3 e insuficiência4 venosa.

Contra-Indicações da Castanha da índia Herbarium

Pacientes com insuficiência hepática25 e renal26 e/ou lesões10
na mucosa11 digestiva.
Pacientes alérgicos a plantas da família Hippocastanaceae.
Crianças menores do que 10 anos.

Posologia e Modo de Usar da Castanha da índia Herbarium

Ingerir 1(um) comprimido, 3 (três) vezes ao dia.Os comprimidos devem ser ingeridos inteiros e com
uma quantidade suficiente de água para que possam
ser deglutidos.

Cuidados de Conservação Depois de Aberto da Castanha da índia Herbarium

Manter o medicamento na sua embalagem original,
protegendo-o da luz, do calor e da umidade.

Advertências da Castanha da índia Herbarium

Em caso de hipersensibilidade ao produto, recomendasedescontinuar o uso e consultar o médico.
De acordo com a categoria de risco de fármacos destinados
às mulheres grávidas, este fitoterápico apresenta
categoria de risco C. Este medicamento não deve ser
utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica
ou do cirurgião-dentista.

Uso em Idosos, Crianças e Outros Grupos de Risco da Castanha da índia Herbarium

Uso adulto. Pode ser utilizado por crianças acima de 10
anos. Não existem recomendações específicas para o
uso de CASTANHA DA ÍNDIA HERBARIUM em pacientes
idosos e outros grupos de risco.

Interações Medicamentosas da Castanha da índia Herbarium

A castanha da índia pode interferir no tratamento comcoagulantes ou anticoagulantes12, devido à presença dos
constituintes cumarínicos em sua composição.
Castanha da índia não deve ser administrada com
drogas conhecidas por serem nefrotóxicas, como por
exemplo, a gentamicina.

Reações Adversas da Castanha da índia Herbarium

Raramente pode ocorrer prurido27, náusea14, vômito15 e
irritação gástrica.

Superdosagem da Castanha da índia Herbarium

Doses acima das recomendadas podem provocar vômito15,diarréia16, sede intensa, vermelhidão da face17, desordens da
visão18 e alterações da consciência.
Foram relatados dois casos de nefropatia28 tóxica, provavelmente
secundários à ingestão de altas doses de escina.
É recomendado o esvaziamento gástrico e intestinal, e
a administração de carvão ativado, podendo ser necessárias
outras medidas, como administração de atropina,
diazepam e reposição eletrolítica.
Em caso de superdosagem, recomenda-se suspender o
uso e procurar orientação médica.

Armazenagem da Castanha da índia Herbarium

Manter em temperatura ambiente (15 a 30ºC). Proteger
da luz, do calor e da umidade.
Lote, data de fabricação e validade: vide embalagem.

HERBARIUM LABORATÓRIO BOTÂNICO LTDA.
Av. Santos Dumont, 1111 Colombo - PR •  CNPJ 78.950.011/0001-20 •  Indústria Brasileira.
Farmacêutica resp.: Anny M. Trentini CRF PR-4081
MS 1.1860.0020

ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR 0800 723 8383

CASTANHA DA ÍNDIA HERBARIUM - Laboratório

HERBARIUM LABORATÓRIO BOTÂNICO LTDA.
Av. Santos Dumont, 1111
Colombo/PR
Tel: 0800 723 8383
Site: http://www.herbarium.net
CNPJ 78.950.011/0001-20
Indústria Brasileira.

Ver outros medicamentos do laboratório "HERBARIUM LABORATÓRIO BOTÂNICO LTDA."

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Permeabilidade: Qualidade dos corpos que deixam passar através de seus poros outros corpos (fluidos, líquidos, gases, etc.).
2 Vasos sangüíneos: Órgãos em forma de tubos que se ramificam por todo o organismo. Existem três tipos principais de vasos sangüíneos que são as artérias, veias e capilares.
3 Capilar: 1. Na medicina, diz-se de ou tubo endotelial muito fino que liga a circulação arterial à venosa. Qualquer vaso. 2. Na física, diz-se de ou tubo, em geral de vidro, cujo diâmetro interno é diminuto. 3. Relativo a cabelo, fino como fio de cabelo.
4 Insuficiência: Incapacidade de um órgão ou sistema para realizar adequadamente suas funções.Manifesta-se de diferentes formas segundo o órgão comprometido. Exemplos: insuficiência renal, hepática, cardíaca, respiratória.
5 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
6 Varizes: Dilatação anormal de uma veia. Podem ser dolorosas ou causar problemas estéticos quando são superficiais como nas pernas. Podem também ser sede de trombose, devido à estase sangüínea.
7 Hemorróidas: Dilatações anormais das veias superficiais que se encontram na última porção do intestino grosso, reto e região perianal. Pode produzir sangramento junto com a defecação e dor.
8 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
9 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
10 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
11 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
12 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
13 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
14 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
15 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
16 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
17 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
18 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
19 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
20 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
21 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
22 Eletrólitos: Em eletricidade, é um condutor elétrico de natureza líquida ou sólida, no qual cargas são transportadas por meio de íons. Em química, é uma substância que dissolvida em água se torna condutora de corrente elétrica.
23 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
24 Interstício: Interstício, em histologia, refere-se à pequena área ou espaço existente na estrutura de um órgão ou tecido orgânico. Embora possa ser usado como sinônimo de espaço extracelular (fora das células) é mais corretamente utilizado para referir-se ao espaço intercelular (entre as células) de um tecido.
25 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
26 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
27 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
28 Nefropatia: Lesão ou doença do rim.

Tem alguma dúvida sobre CASTANHA DA ÍNDIA HERBARIUM?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.