Bula do paciente Bula do profissional

A Saúde Da Mulher
(Bula do profissional de saúde)

EMS S/A

Atualizado em 27/08/2019

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

A Saúde1 da Mulher®
Plumeria lancifolia + salicilato de sódio + Passiflora alata + Citrus aurantium L.
Solução oral

tintura de casca de Plumeria lancifolia, Apocynaceae (Agoniada)
salicilato de sódio
extrato de partes aéreas de Passiflora alata, Passifloraceae (Maracujá-doce, Flor-da-paixão)
extrato fluido de casca de Citrus aurantium L., Rutaceae (Laranja amarga)

APRESENTAÇÃO

Solução oral
Embalagem com frasco de 150 mL

USO ORAL
USO ADULTO

COMPOSIÇÃO

Cada 15 mL de A Saúde1 da Mulher® contém:

tintura de Plumeria lancifolia(1) 0,625 mL
salicilato de sódio 400 mg
extrato fluido de Passiflora alata(2) 0,300 mL
extrato fluido de casca de laranja amarga Citrus aurantium L(3) 0,013 mL
veículo q.s.p. 15 mL

Veículo: metilparabeno, propilparabeno, caramelo cor, álcool etílico, água purificada.

(1) Densidade de 0,9351 g/mL. Portanto, cada 584,003 mg equivalem a 0,625 mL;
(2) Densidade de 0,9400 g/mL. Portanto, cada 282,00 mg equivalem a 0,300 mL; Baseado na potência de 100%.
(3) Densidade de 0,9050 g/mL. Portanto, cada 11,764 mg equivalem a 0,013 mL;

INFORMAÇÕES TÉCNICAS AOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE1

INDICAÇÕES

A Saúde1 da Mulher® é indicado como regulador menstrual, nas cólicas2 menstruais, perturbações da menopausa3 e manifestações agudas ou crônicas das dismenorreias, nas irregularidades do fluxo menstrual.

CARACTERÍSTICAS FARMACOLÓGICAS

Plumeria lancifolia Muell.

Também conhecida como Himatanthus lancifolius (Muell. Arg.) Woodson, pertence a família das Apocynaceae, uma planta nativa das regiões de Minas Gerais, Espirito Santo, Rio Grande do Sul, Goiás e abundantemente na Amazônia, mais conhecida como agoniada, têm sido indicada na medicina tradicional para o tratamento de diversas enfermidades.

Passiflora alata Dryander.

Várias espécies de maracujá, silvestres ou cultivadas, são tradicionalmente conhecidas no âmbito da medicina popular em quase todos os países ocidentais. Algumas espécies estão incluídas nas Farmacopéias ou aceitas oficialmente para uso medicamentoso como a Passiflora alata Dryander no Brasil e Passiflora incarnata L. na América do Norte e França(1). Tradicionalmente é utilizado como sedativo, calmante, antiespasmódico e tônico dos nervos(2).

  1. LORENZI, H. Plantas medicinais no Brasil: nativas e exóticas cultivadas. Brasil, 2002:p.371-2;
  2. MICROMEDEX, 2008.

Citrus aurantium L.

É conhecida também como laranja amarga e pertence a família das Rutaceae(1). Nativa do sudoeste asiático é cultivada em pomares domésticos em todo o Brasil. Internamente é empregada contra indigestão flatulenta, diarréia4, tosses intermitentes5 e cólicas2 de bebês6. Ao chá das folhas se atribui propriedade antiespasmódica(2).
Possui em sua composição química óleos essenciais e flavonóides como a hesperidina. A hesperidina apresenta atividade depressora sobre o sistema nervoso central7 e miorelaxante(3).

  1. LORENZI, H. Plantas medicinais no Brasil: nativas e exóticas cultivadas. Brasil, 2002:p.417-8;
  2. ALONSO, J. Tratado de Fitomedicina. Argentina, 1998:p.743-5;
  3. PDR for herbal medicines, 2ª ed, EUA, 2000: p. 86-7.

CONTRAINDICAÇÕES

A Saúde1 da Mulher® é contraindicado na presença de doença renal8 e em casos de hipersensibilidade a algum componente da fórmula.

ADVERTÊNCIAS E PRECAUÇÕES

Não é aconselhado o uso de A Saúde1 da Mulher® durante a gravidez9.

Categoria de Risco C: Não foram realizados estudos em animais e nem em mulheres grávidas.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião dentista.

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS

A Saúde1 da Mulher® pode potencializar os efeitos de medicamentos sedativos e anticoagulantes10, não devendo ser administrado concomitantemente à medicamentos destas classes.

CUIDADOS DE ARMAZENAMENTO DO MEDICAMENTO

Cuidados de conservação

Manter à temperatura ambiente (15ºC a 30ºC). Proteger da luz e manter em lugar seco. O prazo de validade do produto é de 24 meses a partir da data da fabricação.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas e organolépticas:

Solução límpida, na cor marrom, com sabor amargo, isenta de impurezas.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

POSOLOGIA E MODO DE USAR

Deve-se tomar A Saúde1 da Mulher® por via oral, sempre diluído em meio copo d’ água. Nas irregularidades do fluxo menstrual (iniciando o tratamento 15 dias após o término da menstruação11) e nas perturbações na menopausa3, tomar 1 copo-medida duas vezes ao dia (a cada 12 horas) durante 7 dias. Nos casos de cólicas2 menstruais, tomar durante menstruação11 1 copo-medida três vezes ao dia (a cada 8 horas). Nos casos de inflamações12 e hemorragias13 uterinas tomar 1 copo-medida 4 vezes ao dia (a cada 6 horas) até o alívio dos sintomas14.

REAÇÕES ADVERSAS

A Saúde1 da Mulher® pode, ocasionalmente, causar algumas reações adversas, tais como: queda da pressão sanguínea, aumento do número de evacuações, diarreia4, sonolência e náuseas15.

Em casos de eventos adversos, notifique ao Sistema de Notificações em Vigilância Sanitária – NOTIVISA, ou à Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.

SUPERDOSE

Em caso de ingestão de grande quantidade deste medicamento, deve-se procurar auxílio no centro de saúde1 mais próximo.

Em caso de intoxicação ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


Siga corretamente o modo de usar, não desaparecendo os sintomas14 procure orientação médica.
 

Reg. MS: nº 1.0235.1059
Farm. Resp.: Dr. Ronoel Caza de Rio CRF-SP nº. 19.710

EMS S/A
Rod. Jornalista Francisco Aguirre Proença, km 08 – Bairro Chácara Assay
Hortolândia – SP / CEP: 13186-901
CNPJ: 57.507.378/0003-65
INDÚSTRIA BRASILEIRA


SAC: 0800 191914

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Cólicas: Dor aguda, produzida pela dilatação ou contração de uma víscera oca (intestino, vesícula biliar, ureter, etc.). Pode ser de início súbito, com exacerbações e períodos de melhora parcial ou total, nos quais o paciente pode estar sentindo-se bem ou apresentar dor leve.
3 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
4 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
5 Intermitentes: Nos quais ou em que ocorrem interrupções; que cessa e recomeça por intervalos; intervalado, descontínuo. Em medicina, diz-se de episódios de febre alta que se alternam com intervalos de temperatura normal ou cujas pulsações têm intervalos desiguais entre si.
6 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
7 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
8 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
9 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
10 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
11 Menstruação: Sangramento cíclico através da vagina, que é produzido após um ciclo ovulatório normal e que corresponde à perda da camada mais superficial do endométrio uterino.
12 Inflamações: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc. Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
13 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
14 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
15 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .

Tem alguma dúvida sobre A Saúde Da Mulher?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.