Preço de Zinnat (Pó para suspensão oral) em Fairfield/SP: R$ 141,11

Bula do paciente Bula do profissional

Zinnat (Pó para suspensão oral)
(Bula do profissional de saúde)

GLAXOSMITHKLINE BRASIL LTDA

Atualizado em 27/08/2019

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Zinnat®
axetilcefuroxima
Pó para Suspensão Oral

APRESENTAÇÕES

Pó para Suspensão Oral
Frascos de 50 ml e 70 ml, acompanhado de copo dosador e seringa1 dosadora ou em embalagens contendo sachês de 250 mg, com 14 ou 20 unidades.

USO ORAL
USO ADULTO E PEDIÁTRICO (ACIMA DE 3 MESES)

COMPOSIÇÃO

Cada dose do frasco de 5 mL contém:

cefuroxima (equivalente a 300 mg de axetilcefuroxima) 250 mg
excipientes q.s.p. 5 mL

Cada dose do sachê contém:

cefuroxima (equivalente a 300 mg de axetilcefuroxima) 250 mg
excipientes q.s.p. 1 sachê

Excipientes: ácido esteárico, sacarose, aroma de tutti frutti, polividona K30, aspartamo, goma xantana e acessulfamo potássico.

INFORMAÇÕES TÉCNICAS AOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE2

INDICAÇÕES

A cefuroxima é indicada no tratamento de pacientes com infecções3 causadas por cepas4 sensíveis dos microrganismos relacionados às seguintes condições:

Amigdalite e faringite5: causadas por S. pyogenes (estreptococos β-hemolíticos do grupo A). A cefuroxima geralmente é eficaz na erradicação do estreptococo da orofaringe6; entretanto, não se recomenda sua indicação para a profilaxia da febre reumática7 subsequente, uma vez que ainda não se dispõe de dados sobre o assunto.

Otite média8: causada por S. pneumoniae, H. influenzae (cepas4 sensíveis à ampicilina), S. pyogenes (estreptococos β-hemolíticos do grupo A) e M. catarrhalis (cepas4 sensíveis à ampicilina).

Infecções3 do trato respiratório inferior (pneumonia9 e bronquite): causadas por S. pneumoniae (cepas4 sensíveis à ampicilina) e H. parainfluenzae (cepas4 sensíveis à ampicilina).

Infecções3 do trato urinário10: causadas por E. coli e K. pneumoniae (na ausência de complicações urológicas). Infecções3 da pele11: causadas por S. aureus e S. pyogenes (estreptococos β-hemolíticos do grupo A).

Sinusite12: causada por S. pneumoniae, H. influenzae e anaeróbios sensíveis à cefuroxima.

A susceptibilidade13 ao Zinnat® pode variar de acordo com a localidade e temporalmente. Dados locais devem ser consultados quando disponíveis (ver Propriedades Farmacodinâmicas).

RESULTADOS DE EFICÁCIA

A axetilcefuroxima apresenta um amplo espectro de ação antimicrobiana com um perfil farmacocinético que permite uma conveniente posologia de duas tomadas ao dia. A droga é bem tolerada tanto por pacientes adultos ou pediátricos, apresentando um índice de eventos adversos comparável ao de outras cefalosporinas.(Scott LJ, Ormrod D, Goa KL. Cefuroxime axetil: an update review of its use in the management of bacterial infections. Drugs. 2001;61(10):1455-500)

Em estudo controlado, a axetilcefuroxima atingiu concentrações plasmáticas que permaneceram acima da MIC90 (2,0 µg/ml) para Streptococcus pneumoniae, Haemophilus influenzae e Moraxella catarrhalis por pelo menos 5h (42%) nos intervalos de 12 horas entre as doses. (Thoroddsen E et al. Concentration of cefuroxime in middle ear effusion of children with acute otitis media. Pediatr Infect Dis J. 1997, Oct;16(10):959-62)

Em um estudo envolvendo 369 pacientes com diagnóstico14 de infecções3 do trato respiratório alto (tonsilite, faringite5, sinusite12 e otite média8) foi obtida a melhora do quadro infeccioso em 89% dos pacientes que fizeram uso de axetilcefuroxima, acompanhado por ausência de sintomas15 respiratórios ao término do tratamento. (Griffjths GK, VandenBurg MJ, Kelsey M. Efficacy and tolerability of cefuroxime axetil in patients with upper respiratory tract infection. Curr Med Res Opin 1987; 10(8):555-61)

A axetilcefuroxima, administrada por 7 a 10 dias, ou como tratamento de curta duração (2 a 3 dias) ou uma dose única, também foi eficaz no tratamento de adultos com infecções3 do trato urinário10. (Perry CM, Brogden RN. Cefuroxime axetil. A review of its antibacterial activity, pharmacokinetic properties and therapeutic efficacy. Drugs. 1996;52(1):125-58.)

Após o tratamento de 10 dias com cefuroxima 250 a 500mg duas vezes ao dia, foi obtida cura clínica ou melhora em> 90% dos pacientes com infecções3 na pele11 ou tecidos moles. (Perry CM, Brogden RN. Cefuroxime axetil. A review of its antibacterial activity, pharmacokinetic properties and therapeutic efficacy. Drugs. 1996;52(1):125-58.)

CARACTERÍSTICAS FARMACOLÓGICAS

Propriedades farmacodinâmicas

Zinnat® Pó para Suspensão Oral é um antibiótico cefalosporínico sintético desenvolvido para administração oral cujo princípio ativo é a axetilcefuroxima. Possui amplo espectro de ação contra grande número de microrganismos gram-positivos e gram-negativos. Zinnat® Pó para Suspensão Oral permanece estável diante da penicilinase estafilocócica e da β-lactamase. A ação bactericida da cefuroxima resulta da inibição da síntese da parede celular devido à sua ligação a proteínas16-alvo.

A prevalência17 de resistência adquirida depende do tempo e região e para algumas espécies pode ser muito alta. É desejável que se obtenha informações locais de resistência, em especial quando se tratar de infecções3 graves.

Suscetibilidade in vitro de micro-organismos à cefuroxima

Onde a eficácia clínica da cefuroxima foi demonstrada em estudos clínicos há uma indicação com um asterisco (*).

Espécies comumente suscetíveis:

  • Aeróbios gram-positivos: Staphylococcus aureus (sensíveis à meticilina)* e Staphylococcus coagulase negativa (sensíveis à meticilina), Streptococcus pyogenes*, estreptococos β-hemolíticos;
  • Aeróbios gram-negativos: Haemophilus influenzae (inclusive cepas4 resistentes à penicilina)*, Haemophilus parainfluenzae*, Moraxella catarrhalis*, Neisseria gonorrhoeae (inclusive cepas4 produtoras e não produtoras de penicilinase);- Anaeróbios gram- positivos: Peptostreptococcus spp., Propionibacterium spp.
  • Espiroquetas: Borrelia burgdorferi*

Organismos para os quais a resistência adquirida pode ser um problema

  • Aeróbios gram-positivos: Streptococcus pneumoniae*
  • Aeróbios gram-negativos: Citrobacter spp. não incluindo C. freundii, Enterobacter spp., não incluindo E. aerogenes e E. cloacae, Escherichia coli*, Klebsiella spp., incluindo Klebsiella pneumoniae*, Proteus mirabilis, Proteus spp., não incluindo P. penneri e P. vulgaris, Providencia spp.
  • Anaeróbios gram-positivos: Clostridium spp., não incluindo C. difficile
  • Anaeróbios gram-negativos: Bacteroides spp., não incluindo B. fragilis, Fusobacterium spp.

Organismos inerentemente resistentes:

  • Aeróbios gram-positivos: Enterococcus spp., incluindo E. faecalis e E. faecium; Listeria monocytogenes
  • Aeróbios gram-negativos: Acinetobacter spp., Burkholderia cepacia, Campylobacter spp., Citrobacter freundii, Enterobacter aerogenes, Enterobacter cloacae, Morganella morganii, Proteus penneri, Proteus vulgaris, Pseudomonas spp., incluindo Pseudomonas aeruginosa, Serratia spp., Stenotrophomonas maltophilia
  • Anaeróbios gram-positivos: Clostridium difficile
  • Anaeróbios gram-negativos: Bacteroides fragilis
  • Outros: Chlamydia spp., Mycoplasma spp., Legionella spp.

*A eficácia clínica da cefuroxima foi demonstrada em estudos clínicos.

Propriedades farmacocinéticas

A formulação de Zinnat® Pó para Suspensão Oral, que consiste de grânulos em solução aquosa revestidos com cera, realiza a liberação

da droga na parte superior do intestino delgado18, onde o medicamento se desintegra rapidamente no estômago19 [Harding, 1990]. A farmacocinética de Zinnat® Pó para Suspensão Oral foi determinada em voluntários adultos, saudáveis, do sexo masculino através de dois estudos que tinham como objetivo avaliar a biodisponibilidade de Zinnat® Pó para Suspensão Oral em relação a Zinnat® Comprimidos [Donn, 1994]. Em estudo multidose, 24 indivíduos tomaram sete doses de 250mg das duas formulações (suspensão e comprimido) de axetilcefuroxima, em sequência aleatória, após ingestão de alimentos. Os parâmetros da farmacocinética para Zinnat® Pó para Suspensão Oral foram determinados como Cmax 2.21+0.35 mg/mL, Tmax 3.38+1.33 horas, AUC0-¥ 11.29+1.85 mg/mL.h, e T1/2 2.04+0.87 horas. A taxa de absorção de Zinnat® Pó para Suspensão Oral foi reduzida em comparação com Zinnat® Comprimidos, resultando em um pico tardio do nível sérico e alguma redução na biodisponibilidade (<20%).

Para determinar o efeito da alimentação na absorção, 12 voluntários, adultos, do sexo masculino, tomaram dose única de 250 mg de axetilcefuroxima (suspensão ou comprimido), após jejum e após um café da manhã padrão. Assim como já demonstrado para Zinnat® Comprimidos [Sommers, 1984; Finn, 1987], a absorção da cefuroxima é aumentada após ingestão de alimentos [Harding, 1988]. A AUC(0-¥) aumentou de 11.6 para 13.4 mg/mL e a recuperação urinária de 31.9% para 39.1%.

A farmacocinética de Zinnat® Pó para Suspensão Oral foi determinada em 28 pacientes pediátricos com idade entre 3 meses a 12 anos, hospitalizados com infeccção que requeria terapia via antibiótico sistêmico20. Fora administrado dose única de 10, 15 e 20 mg por quilograma de peso corporal, com 120 mL de leite ou fórmula de leite [Powell, 1991]. Verificou-se que a farmacocinética é semelhante a Zinnat® Comprimidos 250 mg, em adultos, resumidos na Tabela 1.

Tabela 1 – Média dos parâmetros farmacocinéticos de Zinnat® Pó para Suspensão Oral em pacientes pediátricos

Dose mg/kg

Cmax (μg/mL)

Tmax (h)

AUC
(μg/mL.h)

T1/2 (h)

Tempo durante o qual a
concentração sérica >1 μg/mL (h)

10 (n=8)

3.3

3.6

12.4

1.9

4.2

15 (n=12)

5.1

2.7

22.5

1.4

5.9

20 (n=8)

7.0

3.1

32.8

1.9

6.6

AUC = area sob a curva de tempo de concentração;
Tmax = Tempo até a máxima concentração plasmática observada;
T1/2 = meia-vida;
Cmax = concentração plasmática máxima observada

Absorção

Após a administração, Zinnat® Pó para Suspensão Oral é absorvido no trato gastrintestinal e rapidamente hidrolisado na mucosa intestinal21 e no sangue22, liberando a cefuroxima na circulação23.

A absorção da cefuroxima aumenta na presença de alimentos.

Após a administração de Zinnat® Comprimidos, o pico plasmático (2,1 mg/L na dose de 125 mg, 4,1 mg/L na dose de 250 mg, 7,0 mg/L na dose de 500 mg e 13,6 mg/L na dose de 1 g) ocorre aproximadamente 2 a 3 horas depois da administração da dose ingerida com alimento.

A taxa de absorção diminui quando se usa a suspensão, em comparação ao comprimido, o que leva a níveis de pico plasmático menores e mais tardios e a uma biodisponibilidade sistêmica reduzida (de 4% a 17% menores).

Distribuição

A ligação às proteínas16 foi por diversas vezes indicada como 33-50%, dependendo da metodologia utilizada.

Metabolismo24

A cefuroxima não é metabolizada.

Eliminação

A meia vida plasmática é de 1 a 1,5 hora.

A cefuroxima é excretada por filtração glomerular e secreção tubular. Os níveis plasmáticos da cefuroxima são reduzidos por diálise25.

Insuficiência renal26

A farmacocinética da cefuroxima foi investigada em pacientes com vários graus de insuficiência renal26. A meia-vida de eliminação da cefuroxima aumenta com a redução da função renal27, que serve como base para a recomendação de ajuste da posologia neste grupo de pacientes (ver Posologia). Em pacientes submetidos à hemodiálise28, pelo menos 60% da quantidade total de cefuroxima presente no organismo ao início da diálise25 será removida durante um período de quatro horas de diálise25. Portanto, uma dose única adicional de cefuroxima deve ser administrada assim que se terminar a hemodiálise28.

CONTRAINDICAÇÕES

Zinnat® Pó para Suspensão Oral é contraindicado para pacientes29 com hipersensibilidade conhecida aos antibióticos do grupo das cefalosporinas ou a qualquer outro componente da fórmula.

ADVERTÊNCIAS E PRECAUÇÕES

Antes de iniciar a terapia com Zinnat® Pó para Suspensão Oral deve-se tomar as precauções necessárias para verificar se o paciente apresenta reações de hipersensibilidade às penicilinas ou a outros beta-lactâmicos.

Como ocorre com outros antibióticos, o uso de Zinnat® Pó para Suspensão Oral pode resultar no crescimento de Candida. O uso prolongado pode também levar ao crescimento de outros microrganismos não sensíveis (como Enterococci e Clostridium difficile) e tornar necessária a interrupção do tratamento.

Há relatos de colite30 pseudomembranosa causada pelo uso de cefalosporinas e de outros antibióticos, cuja gravidade pode variar de leve à fatal. Por essa razão é importante considerar tal diagnóstico14 em pacientes que desenvolveram diarreia31 durante o tratamento com antibióticos. Se ocorrer diarreia31 prolongada ou significativa ou o paciente apresentar cólicas32 abdominais, o tratamento deve ser descontinuado imediatamente e o paciente deve ser posteriormente examinado.

Ao usar Zinnat® Pó para Suspensão Oral no tratamento de pacientes diabéticos, deve-se levar em conta que ele contém açúcar33 e tomar os devidos cuidados.

Zinnat® Pó para Suspensão Oral contém aspartamo, que é fonte de fenilalanina34, portanto deve ser usado com cautela em portadores de fenilcetonúria35.

Efeitos sobre a habilidade de dirigir veículos e operar máquinas

Como este medicamento pode causar vertigem36, os pacientes devem ser avisados para ter cautela ao dirigir veículos ou operar máquinas.

Populações especiais

Não existem dados de estudos clínicos sobre o uso de Zinnat® Pó para Suspensão Oral em crianças menores de 3 meses.

Para crianças de 3 meses a 12 anos de idade, indica-se um esquema posológico especial (ver, na seção Posologia e Modo de Usar, o item Posologia).

Não existem recomendações especiais sobre o uso de Zinnat® Pó para Suspensão Oral em idosos.

Gravidez37 e lactação38

Não há nenhuma evidência experimental dos efeitos embriogênicos e teratogênicos39 atribuídos à axetilcefuroxima, mas, como todas as drogas, esta deve ser administrada com cuidado durante os primeiros meses de gravidez37. A cefuroxima é excretada no leite materno e, consequentemente, deve-se ter cautela ao administrá-la a mulheres que estejam amamentando.

Categoria B de risco na gravidez37.

Este medicamento não deve ser usado por mulheres grávidas sem orientação médica.

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS

As drogas que reduzem a acidez gástrica40 podem diminuir a biodisponibilidade de Zinnat® Pó para Suspensão Oral em comparação ao estado de jejum e tendem a anular o efeito do aumento da absorção do medicamento quando tomadas após a ingestão de alimentos. Como ocorre com outros antibióticos, Zinnat® Pó para Suspensão Oral pode afetar a flora intestinal, levando à menor reabsorção de estrogênio e à redução da eficácia dos contraceptivos orais combinados.

Como pode ocorrer resultado falso-negativo no teste de ferricianeto, recomenda-se usar os métodos de glicose41 oxidase ou hexoquinase para determinar os níveis de glicose41 no plasma sanguíneo42 dos pacientes que recebem Zinnat® Pó para Suspensão Oral.

A cefuroxima não interfere nos resultados da análise de creatinina43 no soro44 e na urina45 pelo método do picrato alcalino. A administração concomitante de probenecida aumenta a AUC em 50%.

CUIDADOS DE ARMAZENAMENTO DO MEDICAMENTO

Cuidados de armazenamento

Mantenha o medicamento na embalagem original, conservando-o em temperatura ambiente (entre 15 ºC e 30ºC). O produto tem prazo de validade de 24 meses a partir da data de fabricação, impressa na embalagem.

Após a reconstituição, a suspensão deve ser imediatamente refrigerada (entre 2ºC e 8ºC) e permanecer armazenada nessas condições o tempo todo, por até dez dias.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original. Após preparo, manter por dez dias sob refrigeração (entre 2ºC e 8ºC).

Aspecto físico/características organolépticas

Grânulos de livre fluidez, brancos ou quase brancos, que, após reconstituição com água, resultam em uma suspensão que varia do branco ao amarelo-pálido, bastante consistente, com sabor característico de tutti frutti.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

POSOLOGIA E MODO DE USAR

Modo de usar

Zinnat® Pó para Suspensão Oral Sachê destina-se apenas para uso oral

Instruções de reconstituição

  1. Adicione todo o conteúdo do sachê em um copo.
  2. Adicione um pequeno volume de água gelada (pode ser usado suco de frutas ou leite gelados)
  3. Mexa bem e beba tudo imediatamente.

Zinnat® Pó para Suspensão Oral (Frasco) destina-se apenas para uso oral.

Zinnat® Pó para Suspensão Oral é apresentado em um frasco embalado em cartucho contendo copo, colher ou seringa1 dosadora e bula. Agite sempre vigorosamente o frasco antes de usar.

A suspensão oral terá melhor resultado se for ingerida junto com uma refeição. Pode-se também diluir a dose em sucos de frutas ou bebidas lácteas imediatamente antes de administrá-la. Atenção: não misture a dose com líquidos quentes.

Se o paciente esquecer uma dose, deve ingeri-la assim que se lembrar, continuando a tomar as demais doses nos horários estabelecidos.

Para que a absorção seja ideal, o paciente deve tomar o medicamento com a alimentação.

Antes de preparar a suspensão, agite o frasco ainda lacrado para que o pó fique mais solto. Isso facilitará a reconstituição.

Instruções de reconstituição

  1. Agite o frasco ainda lacrado para que o pó fique mais solto. Os grânulos devem estar soltos e fluidos. Remova a tampa pressionando-a para baixo e girando-a para o lado. Se esta estiver danificada ou não estiver presente, o produto deve ser devolvido ao farmacêutico.
  2. Adicione água filtrada e resfriada no copo plástico até a marca indicada (para a suspensão de 70 mL, adicione 25 mL de água e, para a suspensão de 50 mL, adicione 19 mL de água, conforme indicado no copo dosador). Caso a água tenha sido fervida, ela deverá ser resfriada até atingir temperatura ambiente, antes de ser adicionada. Zinnat® Pó para Suspensão Oral não deve ser misturado com liquidos quentes. Após verter a quantidade correta de água no copo dosador, adicione-a ao frasco.
  3. Coloque o adaptador no frasco.
  4. Feche-o com a tampa. A água deverá ser totalmente absorvida pelos grânulos e isso deverá levar cerca de 1 minuto.
  5. Inverta o frasco e balance-o VIGOROSAMENTE (por pelo menos 15 segundos).
  6. Vire o frasco para cima e agite-o VIGOROSAMENTE (por pelo menos 1 minuto) até obter uma suspensão homogênea.
  7. Refrigere imediatamente o produto entre 2ºC e 8ºC. Deixe a suspensão reconstituída em repouso na geladeira por pelo menos 1 hora antes de tirar a primeira dose (mas lembre-se de que, antes de usar o produto, deve-se agitá-lo novamente).

A suspensão reconstituída deve permanecer o tempo todo sob refrigeração (entre 2ºC e 8ºC) e sob essas condições, permanece válida por 10 dias.

Instruções de uso da seringa1 dosadora

  1. Retire a tampa do frasco.
  2. Coloque a seringa1 no adaptador contido na entrada do frasco.
  3. Segure o frasco invertido e puxe a seringa1 até obter a dose indicada.
  4. Vire o frasco e a seringa1 para que fiquem novamente na posição correta. Enquanto segura a seringa1 (para evitar que o êmbolo46 se mova), retire-a, deixando o adaptador no frasco.
  5. Mantenha o paciente sentado e coloque a ponta da seringa1 em sua boca47, apontando para a parte interna da bochecha48.
  6. Pressione o êmbolo46 da seringa1 lentamente para liberar a dose na boca47 do paciente.
  7. Após administrar a dose, recoloque a tampa no frasco sem remover o adaptador. Desmonte a seringa1, lave-a em água corrente e deixe o êmbolo46 e a seringa1 secarem naturalmente.

Posologia

A terapia usual é de sete dias (mas pode variar de cinco a dez dias).

A posologia de Zinnat® deve ser efetuada de acordo com o seguinte esquema:

Adultos

Tratamento

Suspensão Oral

Sachê

Frequência

Dose habitual recomendada

250 mg (5 mL)

1 sachê de 250mg

2x/dia (de 12 em 12 horas)

Infecções3 do trato urinário10

125 mg (2,5 mL)

--

2x/dia (de 12 em 12 horas)

Amigdalite, faringite5 e sinusite12

250 mg (5 mL)

1 sachê de 250mg

2x/dia (de 12 em 12 horas)

Bronquite

250 mg (5 mL)

1 sachê de 250mg

2x/dia (de 12 em 12 horas)

Pneumonia9

500 mg (10 mL)

2 sachês de 250mg

2x/dia (de 12 em 12 horas)

Pielonefrite49

250 mg (5 mL)

1 sachê de 250mg

2x/dia (de 12 em 12 horas)

Gonorreia50 não complicada

1.000 mg (20 mL)

4 sachês de 250mg

Dose única

Crianças

A dose normal é de 125 mg (2,5 mL) duas vezes ao dia.

Crianças de 3 meses a 12 anos de idade

Peso

Amigdalite, faringite5, sinusite12 e bronquite

Otite51, pneumonia9 e piodermite52

Frequência

 

Suspensão Oral

Suspensão Oral

Sachê

 

5 kg *

1,0 mL (50 mg)

1,5 mL (75 mg)

--

2x/dia (de 12 em 12 horas)

8 kg *

1,5 mL (75 mg)

2,5 mL (125 mg)

--

2x/dia (de 12 em 12 horas)

12 kg

2,5 mL (125 mg)

3,5 mL (175 mg)

--

2x/dia (de 12 em 12 horas)

16 kg ou +

2,5 mL (125 mg)

5,0 mL (250 mg)

1 sachê de 250mg

2x/dia (de 12 em 12 horas)

(**)

250 mg

500 mg

-

* para crianças com peso inferior a 8 kg é recomendado o uso de suspensão oral. (**) Dose máxima diária.

A dose padrão recomendada para crianças no tratamento da maioria das infecções3 é de 125 mg duas vezes ao dia. Para crianças de 2 anos de idade, ou mais, com otite média8 ou outras infecções3 mais graves, a dose recomendada é de 250 mg duas vezes ao dia (máximo recomendado de 500 mg diários).

A tabela acima foi calculada sobre a seguinte base: amigdalite, faringite5 e sinusite12 = 10 mg/kg duas vezes ao dia (máximo de 250 mg por dia); otite51 e pneumonia9 = 15 mg/kg duas vezes ao dia (máximo de 500 mg por dia).

Não existem estudos clínicos sobre dados disponíveis do uso de Zinnat® Pó para Suspensão Oral em crianças menores de 3 meses de idade.

A cefuroxima está também disponível como sal sódico (Zinacef®) para administração parenteral, o que permite que a terapia parenteral com Zinnat® seja seguida de tratamento oral em situações nas quais a mudança de terapia parenteral para oral é clinicamente indicada.

Insuficiência renal26

A cefuroxima é primariamente excretada pelos rins53. Em pacientes com função renal27 significativamente prejudicada recomenda-se que a dose de cefuroxima seja reduzida para compensar sua excreção mais lenta (vide tabela abaixo).

Clearance de creatinina43

Meia-vida (horas)

Dose recomendada

≥ 30 mL/min

1,4 – 2,4

Nenhum ajuste de dose é necessário (dose padrão de 125 mg a 500 mg administradas duas vezes ao dia)

10-29 mL/min

4,6

Dose individual padrão administrada a cada 24 horas

< 10 mL/min

16,8

Dose individual padrão administrada a cada 48 horas

Durante hemodiálise28

2 - 4

Uma dose única padrão adicional deve ser administrada ao final de cada diálise25

REAÇÕES ADVERSAS

As reações adversas à Zinnat® são geralmente leves e passageiras.

As categorias de frequência adotadas para classificar as reações adversas descritas abaixo foram estimadas, já que, no caso da maioria das reações, não existem dados substanciais que permitam calcular sua incidência54. Além disso, a incidência54 das reações adversas à axetilcefuroxima pode variar de acordo com a indicação.

Dados de estudos clínicos extensos foram usados para determinar a frequência das reações adversas, das muito comuns às raras. As

frequências usadas para todos os outros efeitos indesejáveis foram determinadas principalmente por meio de dados pós-comercialização e se referem mais à taxa de relatos do que à frequência real. Dados de estudos controlados com placebo55 não estavam disponíveis. Nos casos em que foram calculadas com base em dados de estudos clínicos, as incidências tiveram como base dados relacionados à droga (avaliados pelo investigador).

A seguinte convenção foi usada para classificação das reações adversas de acordo com a frequência: muito comuns (>1/10); comuns (>1/100 a <1/10); incomuns (>1/1.000 a <1/100); raras (>1/10.000 a <1/1.000); e muito raras (<1/10.000).

Reações comuns (>1/100 e <1/10):

  • crescimento de Cândida
  • eosinofilia56
  • dor de cabeça57, vertigem36
  • distúrbios gastrintestinais, inclusive diarreia31, náusea58 e dor abdominal
  • aumentos transitórios dos níveis das enzimas hepáticas59 (ALT (SGPT), AST (SGOT) e LDH)

Reações incomuns (>1/1.000 e <1/100):

  • trombocitopenia60, leucopenia61 (às vezes acentuada), e teste de Coombs’ positivo. rash62 cutâneo63
  • vômito64

Reações raras (>1/10.000 e <1/1.000):

  • urticária65, prurido
  • colite30 pseudomembranosa (ver Advertências e Precauções)

Reações muito raras (<1/10.000):

  • anemia hemolítica66. febre67 medicamentosa, doença do soro44, anafilaxia68
  • icterícia69 (predominantemente colestática), hepatite70
  • eritema multiforme71, síndrome de Stevens-Johnson72, necrólise epidérmica tóxica73

As cefalosporinas compõem uma classe de fármacos que tendem a ser absorvidos na superfície das membranas dos glóbulos vermelhos e a reagir com os anticorpos74 dirigidos contra a droga, o que gera resultado positivo do teste de Coombs’ (que pode interferir nos testes de compatibilidade sanguínea) e muito raramente causa anemia hemolítica66

Em caso de eventos adversos, notifique o Sistema de Notificações em Vigilância Sanitária – NOTIVISA, disponível em portal.anvisa.gov.br/notivisa, ou a Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.

SUPERDOSE

A superdosagem das cefalosporinas pode causar irritabilidade cerebral, levando a convulsões. Pode-se reduzir os níveis séricos da cefuroxima por hemodiálise28 ou diálise peritoneal75.

Em caso de intoxicação ligue para 0800 722 6001 se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
SÓ PODE SER VENDIDO COM RETENÇÃO DA RECEITA
 

MS: 1.0107.0205
Farm. Resp.: Edinilson da Silva Oliveira CRF-RJ Nº: 18875

Fabricado por:
Glaxo Operations UK Limited.
Harmire Road, Barnard Castle, Durham – DL12 8DT – Inglaterra (Reino Unido).

Registrado e importado por:
GlaxoSmithKline Brasil Ltda.
Estrada dos Bandeirantes, 8464, Rio de Janeiro, RJ
CNPJ: 33.247.743/0001-10


SAC 0800 701 22 33

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Seringa: Dispositivo usado para injetar medicações ou outros líquidos nos tecidos do corpo. A seringa de insulina é formada por um tubo plástico com um êmbolo e uma agulha pequena na ponta.
2 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
3 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
4 Cepas: Cepa ou estirpe é um termo da biologia e da genética que se refere a um grupo de descendentes com um ancestral comum que compartilham semelhanças morfológicas e/ou fisiológicas.
5 Faringite: Inflamação da mucosa faríngea em geral de causa bacteriana ou viral. Caracteriza-se por dor, dificuldade para engolir e vermelhidão da mucosa, acompanhada de exsudatos ou não.
6 Orofaringe: Parte mediana da faringe, entre a boca e a rinofaringe.
7 Febre reumática: Doença inflamatória produzida como efeito inflamatório anormal secundário a infecções repetidas por uma bactéria chamada estreptococo beta-hemolítico do grupo A. Caracteriza-se por inflamação das articulações, febre, inflamação de uma ou mais de uma estrutura cardíaca, alterações neurológicas, eritema cutâneo. Com o tratamento mais intensivo da faringite estreptocócica, a freqüência desta doença foi consideravelmente reduzida.
8 Otite média: Infecção na orelha média.
9 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
10 Trato Urinário:
11 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
12 Sinusite: Infecção aguda ou crônica dos seios paranasais. Podem complicar o curso normal de um resfriado comum, acompanhando-se de febre e dor retro-ocular.
13 Susceptibilidade: 1. Ato, característica ou condição do que é suscetível. 2. Capacidade de receber as impressões que põem em exercício as ações orgânicas; sensibilidade. 3. Disposição ou tendência para se ofender e se ressentir com (algo, geralmente sem importância); delicadeza, melindre. 4. Em física, é o coeficiente de proporcionalidade entre o campo magnético aplicado a um material e a sua magnetização.
14 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
15 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
16 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
17 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
18 Intestino delgado: O intestino delgado é constituído por três partes: duodeno, jejuno e íleo. A partir do intestino delgado, o bolo alimentar é transformado em um líquido pastoso chamado quimo. Com os movimentos desta porção do intestino e com a ação dos sucos pancreático e intestinal, o quimo é transformado em quilo, que é o produto final da digestão. Depois do alimento estar transformado em quilo, os produtos úteis para o nosso organismo são absorvidos pelas vilosidades intestinais, passando para os vasos sanguíneos.
19 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
20 Sistêmico: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
21 Mucosa Intestinal: Revestimento dos INTESTINOS, consistindo em um EPITÉLIO interior, uma LÂMINA PRÓPRIA média, e uma MUSCULARIS MUCOSAE exterior. No INTESTINO DELGADO, a mucosa é caracterizada por várias dobras e muitas células absortivas (ENTERÓCITOS) com MICROVILOSIDADES.
22 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
23 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
24 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
25 Diálise: Quando os rins estão muito doentes, eles deixam de realizar suas funções, o que pode levar a risco de vida. Nesta situação, é preciso substituir as funções dos rins de alguma maneira, o que pode ser feito realizando-se um transplante renal, ou através da diálise. A diálise é um tipo de tratamento que visa repor as funções dos rins, retirando as substâncias tóxicas e o excesso de água e sais minerais do organismo, estabelecendo assim uma nova situação de equilíbrio. Existem dois tipos de diálise: a hemodiálise e a diálise peritoneal.
26 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
27 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
28 Hemodiálise: Tipo de diálise que vai promover a retirada das substâncias tóxicas, água e sais minerais do organismo através da passagem do sangue por um filtro. A hemodiálise, em geral, é realizada 3 vezes por semana, em sessões com duração média de 3 a 4 horas, com o auxílio de uma máquina, dentro de clínicas especializadas neste tratamento. Para que o sangue passe pela máquina, é necessária a colocação de um catéter ou a confecção de uma fístula, que é um procedimento realizado mais comumente nas veias do braço, para permitir que estas fiquem mais calibrosas e, desta forma, forneçam o fluxo de sangue adequado para ser filtrado.
29 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
30 Colite: Inflamação da porção terminal do cólon (intestino grosso). Pode ser devido a infecções intestinais (a causa mais freqüente), ou a processos inflamatórios diversos (colite ulcerativa, colite isquêmica, colite por radiação, etc.).
31 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
32 Cólicas: Dor aguda, produzida pela dilatação ou contração de uma víscera oca (intestino, vesícula biliar, ureter, etc.). Pode ser de início súbito, com exacerbações e períodos de melhora parcial ou total, nos quais o paciente pode estar sentindo-se bem ou apresentar dor leve.
33 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
34 Fenilalanina: É um aminoácido natural, encontrado nas proteínas vegetais e animais, essencial para a vida humana.
35 Fenilcetonúria: A Fenilcetonúria é uma doença genética caracterizada pelo defeito ou ausência da enzima fenilalanina hidroxilase (PAH). Esta proteína catalisa o processo de conversão da fenilalanina em tirosina. A tirosina está envolvida na síntese da melanina. Esta doença pode ser detectada logo após o nascimento através de triagem neonatal (conhecida como Teste do Pezinho). Nesta doença, alguns alimentos podem intoxicar o cérebro e causar um quadro de retardo mental irreversível. As crianças que nascem com ela têm um problema digestivo no fígado. Há um odor corporal forte e vômitos após as refeições. Seu tratamento consiste em retirar a fenilalanina da alimentação por toda a vida.
36 Vertigem: Alucinação de movimento. Pode ser devido à doença do sistema de equilíbrio, reação a drogas, etc.
37 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
38 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
39 Teratogênicos: Agente teratogênico ou teratógeno é tudo aquilo capaz de produzir dano ao embrião ou feto durante a gravidez. Estes danos podem se refletir como perda da gestação, malformações ou alterações funcionais ou ainda distúrbios neurocomportamentais, como retardo mental.
40 Acidez gástrica: Estado normal do conteúdo do estômago caracterizado por uma elevada quantidade de íons hidrogênio, quantidade esta que pode ser medida através de uma escala logarítmica denominada pH.
41 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
42 Plasma Sanguíneo: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
43 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
44 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
45 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
46 Êmbolo: 1. Cilindro ou disco que se move em vaivém no interior de seringas, bombas, etc. 2. Na engenharia mecânica, é um cilindro metálico deslizante que recebe um movimento de vaivém no interior de um cilindro de motor de combustão interna. 3. Em artes gráficas, é uma haste de ferro com um cilindro, articulada para comprimir e lançar o chumbo ao molde. 4. Em patologia, é um coágulo ou outro tampão trazido pela corrente sanguínea a partir de um vaso distante, que obstrui a circulação ao ser forçado contra um vaso menor. 5. Na anatomia zoológica, nas aranhas, é um prolongamento delgado no ápice do aparelho copulador masculino.
47 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
48 Bochecha:
49 Pielonefrite: Infecção dos rins produzida em geral por bactérias. A forma de aquisição mais comum é por ascensão de bactérias através dos ureteres, como complicação de uma infecção prévia de bexiga. Seus sintomas são febre, dor lombar, calafrios, eliminação de urina turva ou com traços de sangue, etc. Deve ser tratada cuidadosamente com antibióticos pelo risco de lesão permanente dos rins, com perda de função renal.
50 Gonorreia: Infecção bacteriana que compromete o trato genital, produzida por uma bactéria chamada Neisseria gonorrhoeae. Produz uma secreção branca amarelada que sai pela uretra juntamente com ardor ao urinar. É uma causa de infertilidade masculina.Em mulheres, a infecção pode não ser aparente. Se passar despercebida, pode se tornar crônica e ascender, atingindo os anexos uterinos (trompas, útero, ovários) e causar Doença Inflamatória Pélvica e mesmo infertilidade feminina.
51 Otite: Toda infecção do ouvido é chamada de otite.
52 Piodermite: Infecção bacteriana da pele caracterizada pela presença de pústulas (vesículas cheias de pus) na superfície da mesma.
53 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
54 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
55 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
56 Eosinofilia: Propriedade de se corar facilmente pela eosina. Em patologia, é o aumento anormal de eosinófilos no sangue, característico de alergias e infestações por parasitas. Em patologia, é o acúmulo de eosinófilos em um tecido ou exsudato.
57 Cabeça:
58 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
59 Enzimas hepáticas: São duas categorias principais de enzimas hepáticas. A primeira inclui as enzimas transaminasas alaninoaminotransferase (ALT ou TGP) e a aspartato aminotransferase (AST ou TOG). Estas são enzimas indicadoras do dano às células hepáticas. A segunda categoria inclui certas enzimas hepáticas como a fosfatase alcalina (FA) e a gamaglutamiltranspeptidase (GGT) as quais indicam obstrução do sistema biliar, quer seja no fígado ou nos canais maiores da bile que se encontram fora deste órgão.
60 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
61 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
62 Rash: Coloração avermelhada da pele como conseqüência de uma reação alérgica ou infecção.
63 Cutâneo: Que diz respeito à pele, à cútis.
64 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
65 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
66 Anemia hemolítica: Doença hereditária que faz com que os glóbulos vermelhos do sangue se desintegrem no interior dos veios sangüíneos (hemólise intravascular) ou em outro lugar do organismo (hemólise extravascular). Pode ter várias causas e ser congênita ou adquirida. O tratamento depende da causa.
67 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
68 Anafilaxia: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
69 Icterícia: Coloração amarelada da pele e mucosas devido a uma acumulação de bilirrubina no organismo. Existem dois tipos de icterícia que têm etiologias e sintomas distintos: icterícia por acumulação de bilirrubina conjugada ou direta e icterícia por acumulação de bilirrubina não conjugada ou indireta.
70 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
71 Eritema multiforme: Condição aguda, auto-limitada, caracterizada pelo início abrupto de pápulas vermelhas fixas simétricas, algumas evoluindo em lesões em forma de “alvo”. A lesão alvo são zonas concêntricas de alterações de coloração com a área central púrpura ou escura e a externa vermelha. Elas irão desenvolver vesícula ou crosta na zona central após vários dias. Vinte porcento de todos os casos ocorrem na infância.O eritema multiforme geralmente é precipitado pelo vírus do herpes simples, Mycoplasma pneumoniae ou histoplasmose.
72 Síndrome de Stevens-Johnson: Forma grave, às vezes fatal, de eritema bolhoso, que acomete a pele e as mucosas oral, genital, anal e ocular. O início é geralmente abrupto, com febre, mal-estar, dores musculares e artralgia. Pode evoluir para um quadro toxêmico com alterações do sistema gastrointestinal, sistema nervoso central, rins e coração (arritmias e pericardite). O prognóstico torna-se grave principalmente em pessoas idosas e quando ocorre infecção secundária. Pode ser desencadeado por: sulfas, analgésicos, barbitúricos, hidantoínas, penicilinas, infecções virais e bacterianas.
73 Necrólise Epidérmica Tóxica: Sinônimo de Síndrome de Lyell. Caracterizada por necrólise da epiderme. Tem como características iniciais sintomas inespecíficos, influenza-símile, tais como febre, dor de garganta, tosse e queimação ocular, considerados manifestações prodrômicas que precedem o acometimento cutâneo-mucoso. Erupção eritematosa surge simetricamente na face e na parte superior do tronco, provocando sintomas de queimação ou dolorimento da pele. Progressivamente envolvem o tórax anterior e o dorso. O ápice do processo é constituído pela característica denudação da epiderme necrótica, a qual é destacada em verdadeiras lamelas ou retalhos, dentro das áreas acometidas pelo eritema de base. O paciente tem o aspecto de grande queimado, com a derme desnuda, sangrante, eritêmato-purpúrica e com contínua eliminação de serosidade, contribuindo para o desequilíbrio hidroeletrolítico e acentuada perda protéica. Graves seqüelas oculares e esofágicas têm sido relatadas.Constitui uma reação adversa a medicamentos rara. As drogas que mais comumente a causam são as sulfas, o fenobarbital, a carbamazepina, a dipirona, piroxicam, fenilbutazona, aminopenicilinas e o alopurinol.
74 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
75 Diálise peritoneal: Ao invés de utilizar um filtro artificial para “limpar“ o sangue, é utilizado o peritônio, que é uma membrana localizada dentro do abdômen e que reveste os órgãos internos. Através da colocação de um catéter flexível no abdômen, é feita a infusão de um líquido semelhante a um soro na cavidade abdominal. Este líquido, que chamamos de banho de diálise, vai entrar em contato com o peritônio, e por ele será feita a retirada das substâncias tóxicas do sangue. Após um período de permanência do banho de diálise na cavidade abdominal, este fica saturado de substâncias tóxicas e é então retirado, sendo feita em seguida a infusão de novo banho de diálise. Esse processo é realizado de uma forma contínua e é conhecido por CAPD, sigla em inglês que significa diálise peritoneal ambulatorial contínua. A diálise peritoneal é uma forma segura de tratamento realizada atualmente por mais de 100.000 pacientes no mundo todo.

Tem alguma dúvida sobre Zinnat (Pó para suspensão oral)?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.