Cloreto de Magnésio IFAL

IFAL INDUSTRIA E COMERCIO DE PRODUTOS FARMAC LTDA

Atualizado em 25/09/2019

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Cloreto de Magnésio IFAL
cloreto de magnésio 
Pó para solução oral

APRESENTAÇÃO

Pó para solução oral
Sache com 33,0g de pó

USO ORAL
USO ADULTO

COMPOSIÇÃO:

Cada sachê contém:

cloreto de magnésio (MgCl26H2O) (equivalente a 3,95g de magnésio) 33,0 g

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Este medicamento é indicado para prevenção e tratamento da deficiência de magnésio.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Este medicamento atua na reposição de magnésio.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Este medicamento é contraindicado para pacientes1 que apresentarem hipersensibilidade aos componentes da

formulação, distúrbios gastrintestinais agudos, diarréia2 crônica, doenças cardíacas, insuficiência renal3, úlcera gástrica4, gestantes, lactantes5 e crianças.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião dentista.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMETO?

ADVERTÊNCIAS E PRECAUÇÕES

A administração do medicamento deve ser cuidadosa em pacientes com falência renal6 e desordens metabólicas como anorexia nervosa7, podem desenvolver toxicidade8 ao magnésio. Este medicamento deverá ser administrado sob orientação médica.

Gravidez9 e amamentação10

Informe seu médico a ocorrência de gravidez9 na vigência do tratamento ou após o seu término. Desconhecem-se efeitos adversos pelo uso do produto na gravidez9 ou lactação11.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião dentista.

Informar ao seu médico se estiver amamentando.

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS

A administração conjunta do produto com outros medicamentos só deverá ser realizada após consulta do médico ou cirurgião dentista. Este medicamento interage com bloqueadores dos canais de cálcio, tetraciclinas, bifosfonatos e sais de alumínio. Recomenda-se ao paciente tomar o medicamento junto com alimentos, para minimizar efeitos gastrointestinais.

Informe ao seu médico ou cirurgião dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados de conservação

Conservar o produto em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C). Proteger da luz e umidade.

Após o preparo da solução, guardar a mesma em um recipiente de vidro, sob refrigeração, procurando utilizá-la num prazo não superior a 14 dias.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Para sua segurança, mantenha o medicamento na embalagem original.

Características físicas e organolépticas

Este produto apresenta-se como cristais prismáticos incolores, transparentes, ou massas translúcidas, brancas, inodoro e de sabor amargo.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso você observe alguma mudança no aspecto do medicamento que ainda esteja no prazo de validade, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DE CRIANÇAS.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

USO ORAL

Dissolver o conteúdo de uma embalagem de 33,0 g de cloreto de magnésio em 1 litro de água filtrada ou fervida.

Guardar a solução em um recipiente de vidro, sob refrigeração, procurando utilizá-la num prazo não superior à 14 dias.

Adultos: tomar 75 mL (5 colheres das de sopa) 1 vez ao dia, que corresponde a 296mg de magnésio.

Teor de magnésio em 75mL

%IDR

296 mg

114%

Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico ou cirurgião dentista.

Siga corretamente o modo de usar. Em casos de dúvidas sobre este medicamento, procure orientação do farmacêutico. Não desaparecendo os sintomas12, procure orientação de seu médico ou cirurgião dentista.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Caso esqueça de administrar uma dose, administre-a assim que possível. No entanto, se estiver próximo do horário da dose seguinte, espere por este horário, respeitando sempre o intervalo determinado pela posologia. Nunca devem ser administradas duas doses ao mesmo tempo.

Siga sempre a orientação do seu médico, respeitando os horários, as doses e a duração do tratamento.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Em alguns casos, o produto pode provocar tonturas13, náuseas14, vômitos15, irritação gástrica, sede, cólicas16 intestinais, diarréia2, vermelhidão da pele17, reações alérgicas como urticária18, dificuldade de respirar, inchaço19 de face20, lábios e/ou língua21, bradicardia22 (diminuição na frequência cardíaca) ou taquicardia23 (aumento na frequência cardíaca), desmaios, calor, formigamento, gases e dor estomacal.

Informe ao seu médico, cirurgião dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também a empresa através do seu Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC).

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Em caso de superdosagem, procurar orientação médica imediatamente. A superdosagem pode provocar calor, sensação de queimação na face20, náuseas14, vômitos15, bloqueio cardíaco24, parada cardíaca, hipotensão25 (pressão arterial26 baixa), bradicardia22 (diminuição na frequência cardíaca), vasodilatação (dilatação dos vasos sanguíneos27), vermelhidão, distúrbios da coagulação28 com aumento do tempo de sangramento, hiporreflexia (diminuição dos reflexos), fraqueza muscular, depressão do sistema nervoso central29, sonolência, confusão, diplopia30 (visão31 dupla), fala arrastada, desmaio, coma32 e depressão respiratória.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Em caso de intoxicação ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações sobre como proceder.

DIZERES LEGAIS


Siga corretamente o modo de usar, não desaparecendo os sintomas12 procure orientação médica.
 

Reg. M.S.: 1.3531.0028.001-9
Farm. Resp.: Mariana Suso Salgado - CRF RS 1-0-10338

IFAL - IND. COM. PROD. FARMACÊUTICOS LTDA
Av. José Loureiro da Silva, 1211 - Camaquã - RS
CNPJ 00.376.959/0001-26
INDÚSTRIA BRASILEIRA


SAC (51) 3671.5040

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
2 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
3 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
4 Úlcera gástrica: Lesão na mucosa do estômago. Pode ser provocada por excesso de ácido clorídrico produzido pelo próprio estômago ou por medicamentos como antiinflamatórios ou aspirina. É uma doença infecciosa, causada pela bactéria Helicobacter pylori em quase 100 % dos casos.
5 Lactantes: Que produzem leite; que aleitam.
6 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
7 Anorexia nervosa: Distúrbio alimentar caracterizado por uma alteração da imagem corporal associado à anorexia.
8 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
9 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
10 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
11 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
12 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
13 Tonturas: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
14 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
15 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
16 Cólicas: Dor aguda, produzida pela dilatação ou contração de uma víscera oca (intestino, vesícula biliar, ureter, etc.). Pode ser de início súbito, com exacerbações e períodos de melhora parcial ou total, nos quais o paciente pode estar sentindo-se bem ou apresentar dor leve.
17 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
18 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
19 Inchaço: Inchação, edema.
20 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
21 Língua:
22 Bradicardia: Diminuição da freqüência cardíaca a menos de 60 batimentos por minuto. Pode estar associada a distúrbios da condução cardíaca, ao efeito de alguns medicamentos ou a causas fisiológicas (bradicardia do desportista).
23 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
24 Bloqueio cardíaco: Transtorno da condução do impulso elétrico no tecido cardíaco especializado, manifestado por uma diminuição variável da freqüência dos batimentos cardíacos.
25 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
26 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
27 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
28 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
29 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
30 Diplopia: Visão dupla.
31 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
32 Coma: 1. Alteração do estado normal de consciência caracterizado pela falta de abertura ocular e diminuição ou ausência de resposta a estímulos externos. Pode ser reversível ou evoluir para a morte. 2. Presente do subjuntivo ou imperativo do verbo “comer.“

Tem alguma dúvida sobre Cloreto de Magnésio IFAL?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.