Preço de Farmanguinhos Praziquantel em Houston/SP: R$ 0,00

Farmanguinhos Praziquantel

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ

Atualizado em 25/09/2019

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Farmanguinhos Praziquantel
praziquantel
Comprimidos 600 mg

APRESENTAÇÃO

Comprimido simples
Embalagem contendo 50 strips com 10 comprimidos cada

USO ORAL
USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE 4 ANOS DE IDADE

COMPOSIÇÃO

Cada comprimido de 600 mg contém:

Praziquantel 600 mg
excipientes q.s.p. 1 comprimido

Excipientes: celulose microcristalina, estearato de magnésio, amidoglicolato de sódio, povidona, lauril sulfato de sódio, água e álcool etílico.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Farmanguinhos praziquantel é um anti-helmíntico1 de amplo espectro; vermicida destinado ao tratamento da esquistossomose2 causada por todas as espécies patogênicas para o homem: Schistosoma mansoni, S. haematobium, S. japonicum, S. intercalatum S. mekongi. Tem sido usado em tratamentos individuais e em massa. É eficaz contra todos os estágios da infecção3 pelo Schistosoma.

Farmanguinhos praziquantel é usado para tratamento de clonorquíase e opistorquíase e outras infecções4 por trematódeos.

Farmanguinhos praziquantel é considerado o medicamento de escolha no tratamento de infecções4 por cestódeos, incluindo infecções4 causadas por Diphyllobothrium latum, Dipylidium caninum, Taenia saginata e T. solium (verme conhecido popularmente como “solitária”), além de infecção3 por Hymenolepis nana. É eficaz nas fases adultas e de larvas de todos estes cestódeos, incluindo a cisticercose, infecção3 por Cysticercus cellulosae e estágio larval ou tissular5 da T. solium.

Farmanguinhos praziquantel também é utilizado no tratamento da neurocisticercose6, infecção3 do sistema nervoso central7 causada pela larva da T. solium.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Farmanguinhos praziquantel é um medicamento antiparasitário que paralisa e mata determinados vermes, eliminando-os do organismo. Farmanguinhos praziquantel penetra o parasita8 e age rapidamente causando paralisia9 espástica do parasita8. Esta ação do praziquantel é também exercida sobre os ovos e larvas enquistadas dos vermes. Farmanguinhos praziquantel destrói os parasitas no músculo e tecido10 cerebral.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Você não deve tomar nas seguintes situações:

  • Hipersensibilidade (alergia11) ao praziquantel ou a qualquer outro componente da fórmula;
  • Em associação com rifampicina e cetoconazol;
  • Portador de cisticercose ocular (risco de lesões12 oftálmicas irreversíveis);
  • Portador de insuficiência hepática13 e ou renal14 grave;
  • Gestantes durante o primeiro trimestre de gravidez15;
  • Mulheres que estejam amamentando não devem fazê-lo no dia do tratamento, assim como nos três dias subsequentes, pois parte do medicamento sai no leite materno.

Este medicamento é contraindicado para menores de 4 anos de idade.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Advertências

Ao verificar quaisquer sinais16 ou sintomas17 que possam indicar presença de angioedema18, por exemplo: inchaço19 da face20, pálpebras21, lábios, língua22, laringe23 e extremidades, assim como dificuldade para engolir ou respirar, ou rouquidão, você deve interromper o uso deste medicamento e informar imediatamente ao seu médico.

Precauções

Quando a teníase ou a himenolepíase estiverem associadas à neurocisticercose6, podem surgir reações inflamatórias locais, que requeiram administração de altas doses de corticoides. Nestes casos, é aconselhável hospitalização para assistência médica. Casos de cisticercose subcutânea24 ou muscular, não associados a neurocisticercose6, poderão a critério médico, ser tratados fora do hospital. O uso de Farmanguinhos praziquantel requer cautela em presença de insuficiência hepática13 descompensada ou esquistossomose2 hepatoesplênica. Caso seja portador de uma dessas condições, o tratamento com Farmanguinhos praziquantel deve ser realizado em hospital. Pacientes com batimentos cardíacos irregulares ou com insuficiência cardíaca25 sob tratamento com digitálicos, como digoxina e digitoxina, devem ter acompanhamento médico durante o uso de Farmanguinhos praziquantel. O tratamento com Farmanguinhos praziquantel não é recomendado ao portador de insuficiência hepática13 e ou renal14 grave, exigindo especial acompanhamento médico nesses casos.

Gravidez15 e lactação26

Estudos adequados referentes ao uso do praziquantel em mulheres grávidas não estão disponíveis até o momento, portanto como não pode-se comprovar adequadamente a segurança durante a gravidez15, Farmanguinhos praziquantel só deve ser prescrito a gestantes em casos de extrema necessidade. Estudos em animais até agora não revelaram riscos para o feto27. Se estiver grávida ou planejando engravidar, informe seu médico. Ele decidirá se poderá tomar Farmanguinhos praziquantel durante a gravidez15, principalmente durante o primeiro trimestre.

Como o praziquantel passa para o leite materno, seu uso durante a amamentação28 somente deve acontecer sob recomendação médica.

Durante a fase de amamentação28, se a mãe for medicada, ela só deve amamentar a criança 03 (três) dias após a utilização da medicação e é necessário ter acompanhamento médico referente ao monitoramento do desenvolvimento do bebê.

Portanto, informe ao seu médico se estiver grávida, amamentando ou iniciar amamentação28 durante o uso deste medicamento.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Informe imediatamente ao seu médico em caso de suspeita de gravidez15.

Direção de veículos e operação de máquinas

É recomendável evitar atividades que exijam atenção, como dirigir e operar máquinas, durante o tratamento e até um dia após o término do tratamento, pois o Farmanguinhos praziquantel pode prejudicar a coordenação motora. Essa recomendação também vale para trabalhar sem um apoio firme.

Interações com alimentos, bebidas e outros medicamentos

Farmanguinhos praziquantel pode ser tomado junto com alimentos. Entretanto, se for tomado junto com suco de grapefruit (toranja), a quantidade de praziquantel no sangue29 pode ser aumentada. Bebidas alcoólicas não devem ser consumidas junto com Farmanguinhos praziquantel nem no dia seguinte ao uso do medicamento. A quantidade de Farmanguinhos praziquantel no sangue29 pode ser diminuída se for tomado junto com determinados medicamentos que estimulam o funcionamento do fígado30 (como carbamazepina, fenitoína, dexametasona e cloroquina).

O uso conjunto com rifampicina é contraindicado. A quantidade de praziquantel no sangue29 pode ser aumentada se Farmanguinhos praziquantel for tomado junto com medicamentos que inibem o funcionamento do fígado30, como cimetidina ou cetoconazol. Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início, ou durante o tratamento, pois existem medicamentos que aumentam a quantidade de Farmanguinhos praziquantel no sangue29 e outros que diminuem. O seu médico irá determinar, se você irá usar Farmanguinhos praziquantel com outro medicamento, ou não.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para sua saúde31.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados de conservação

Farmanguinhos praziquantel deve ser conservado em temperatura ambiente (15 a 30ºC), protegido da luz e umidade.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Aspecto físico

Farmanguinhos praziquantel está disponível na forma de comprimido circular, plano, liso e na cor branca.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

O comprimido deve ser ingerido durante as refeições, com um pouco de água. Como tem gosto amargo, você deve ingerir imediatamente, sem mastigar para evitar vômitos32. Orienta-se repouso por, pelo menos, 03 (três) horas após a ingestão do medicamento, para prevenir náuseas33 e tonturas34 (sintomas17 passageiros).

Neurocisticercose6: 50 mg/kg ao dia, divididos em 03 (três) doses diárias, durante 15 (quinze) dias, podendo ser necessário repetir o tratamento após 03 (três) meses. O tratamento deve ser realizado somente com o paciente hospitalizado e acompanhado por médicos.

Cisticercose: 50 mg/kg ao dia, dividido em 03 (três) doses diárias, durante 14 (quatorze) dias.

Infecções4 intestinais por Taenia saginata e Taenia solium: (5 a 10) mg/kg, por via oral, em dose única.

Infecção3 por Hymenolepis nana: (15 a 25) mg/kg, por via oral, em dose única. Diphyllobothrium latum e Dipylidium caninum: 25 mg/kg, como dose única. Esquistossomose2: 50 mg/kg para adultos e 60 mg/kg para crianças acima de 04 (quatro) anos de idade. Via oral, dose única. Alguns especialistas recomendam 40 mg/kg, por via oral, em dose única, ou 20 mg/kg, por via oral, 03 (três) vezes durante um dia, em intervalos de (4 a 6) horas.

Uso pediátrico

Não se encontram disponíveis dados adicionais que assegurem a segurança de uso do praziquantel em crianças com menos de quatro anos. Assim, nestes casos, o uso de praziquantel só pode ser feito sob controle médico rigoroso.

Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Este medicamento não pode ser partido ou mastigado.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Caso você esqueça de tomar Farmanguinhos praziquantel no horário estabelecido pelo seu médico, tome-o assim que lembrar. Entretanto, se já estiver perto do horário de tomar a próxima dose, despreze a dose esquecida e tome a próxima, continuando normalmente o esquema de doses recomendado pelo seu médico. Neste caso, não tome duas doses ao mesmo tempo ou uma dose extra para compensar doses esquecidas.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE CAUSAR?

Assim como todos os medicamentos, Farmanguinhos praziquantel pode causar algumas reações desagradáveis; no entanto, estas não ocorrem em todas as pessoas. Até o presente não existem relatos de reações tóxicas atribuíveis ao praziquantel. As reações adversas são de pouca intensidade e transitórias, ocorrendo várias horas após a administração.

As reações são informadas a seguir de acordo com a frequência com que podem ocorrer:

Reações comuns (ocorrem entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento): falta de apetite, dor de cabeça35, tonturas34, obnubilação (perturbação da consciência), dor abdominal, náusea36, vômito37, fraqueza, cansaço, mal estar geral, vertigem38, sonolência e sudorese39 aumentada.

Após a morte dos parasitas, causada pelo praziquantel, são liberadas na corrente circulatória substâncias resultantes da decomposição de seus corpos. Por reação a essas substâncias podem ocorrer fenômenos alérgicos, tais como: urticária40, erupções cutâneas41 pruriginosas42, eosinofilia43 e febre44.

Reações incomuns (ocorrem entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento): alterações no sistema nervoso central7 e confusão mental.

Reações raras (ocorrem entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento): aumento das enzimas hepáticas45.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC) pelo telefone 0800 024 1692.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Não são conhecidos casos de intoxicação aguda com praziquantel.

Se alguém utilizar altas doses deste medicamento de uma só vez, deverá ser encaminhado imediatamente ao serviço médico de emergência46 para que realize esvaziamento do estômago47 por lavagem ou indução do vômito37.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


USO SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
VENDA PROIBIDA AO COMÉRCIO
 

M.S. 1.1063.0036
Responsável Técnico: Rodrigo Fonseca da Silva Ramos - CRF-RJ 10015

Registrado por:
Fundação Oswaldo Cruz Av. Brasil, 4365
Rio de Janeiro - RJ
CNPJ: 33.781.055/0001-35

Fabricado por:
Instituto de Tecnologia em Fármacos/Farmanguinhos
Av. Comandante Guaranys, 447
Rio de Janeiro – RJ
Indústria Brasileira


SAC 0800 024 1692

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Anti-helmíntico: Diz-se da substância ou produto que combate vermes.
2 Esquistossomose: Doença produzida no homem por vermes do gênero Schistosoma, especialmente S. mansoni, S. haematobium e S. japonicum. No Brasil, há apenas a espécie Schistossoma mansoni, que causa diarreia, hepatomegalia e esplenomegalia.
3 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
4 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
5 Tissular: Relativo a tecido orgânico.
6 Neurocisticercose: A neurocisticercose é uma infecção do sistema nervoso central (SNC) causada pelo Cysticercus cellulosae , forma larvária da Taenia solium .
7 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
8 Parasita: Organismo uni ou multicelular que vive às custas de outro, denominado hospedeiro. A presença de parasitos em um hospedeiro pode produzir diferentes doenças dependendo do tipo de afecção produzida, do estado geral de saúde do hospedeiro, de mecanismos imunológicos envolvidos, etc. São exemplos de parasitas: a sarna, os piolhos, os áscaris (lombrigas), as tênias (solitárias), etc.
9 Paralisia: Perda total da força muscular que produz incapacidade para realizar movimentos nos setores afetados. Pode ser produzida por doença neurológica, muscular, tóxica, metabólica ou ser uma combinação das mesmas.
10 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
11 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
12 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
13 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
14 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
15 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
16 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
17 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
18 Angioedema: Caracteriza-se por áreas circunscritas de edema indolor e não-pruriginoso decorrente de aumento da permeabilidade vascular. Os locais mais acometidos são a cabeça e o pescoço, incluindo os lábios, assoalho da boca, língua e laringe, mas o edema pode acometer qualquer parte do corpo. Nos casos mais avançados, o angioedema pode causar obstrução das vias aéreas. A complicação mais grave é o inchaço na garganta (edema de glote).
19 Inchaço: Inchação, edema.
20 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
21 Pálpebras:
22 Língua:
23 Laringe: É um órgão fibromuscular, situado entre a traqueia e a base da língua que permite a passagem de ar para a traquéia. Consiste em uma série de cartilagens, como a tiroide, a cricóide e a epiglote e três pares de cartilagens: aritnoide, corniculada e cuneiforme, todas elas revestidas de membrana mucosa que são movidas pelos músculos da laringe. As dobras da membrana mucosa dão origem às pregas vocais.
24 Subcutânea: Feita ou situada sob a pele; hipodérmica.
25 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
26 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
27 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
28 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
29 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
30 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
31 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
32 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
33 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
34 Tonturas: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
35 Cabeça:
36 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
37 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
38 Vertigem: Alucinação de movimento. Pode ser devido à doença do sistema de equilíbrio, reação a drogas, etc.
39 Sudorese: Suor excessivo
40 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
41 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
42 Pruriginosas: Relativas a ou próprias de prurido, que coçam, que causam coceira ou comichão. Em medicina, é o que produz prurido; prurientes, prurígenas.
43 Eosinofilia: Propriedade de se corar facilmente pela eosina. Em patologia, é o aumento anormal de eosinófilos no sangue, característico de alergias e infestações por parasitas. Em patologia, é o acúmulo de eosinófilos em um tecido ou exsudato.
44 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
45 Enzimas hepáticas: São duas categorias principais de enzimas hepáticas. A primeira inclui as enzimas transaminasas alaninoaminotransferase (ALT ou TGP) e a aspartato aminotransferase (AST ou TOG). Estas são enzimas indicadoras do dano às células hepáticas. A segunda categoria inclui certas enzimas hepáticas como a fosfatase alcalina (FA) e a gamaglutamiltranspeptidase (GGT) as quais indicam obstrução do sistema biliar, quer seja no fígado ou nos canais maiores da bile que se encontram fora deste órgão.
46 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
47 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.

Tem alguma dúvida sobre Farmanguinhos Praziquantel?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.