Preço de Daivobet Gel em Fairfield/SP: R$ 105,63

Daivobet Gel

LEO PHARMA LTDA

Atualizado em 30/10/2019

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Daivobet® Gel
hidrato de calcipotriol + dipropionato de betametasona
Gel 50 mcg/g + 0,5 mg/g

APRESENTAÇÕES

Gel
Embalagem com um frasco com 30 g ou 60 g

USO TÓPICO1
USO ADULTO

COMPOSIÇÃO

Cada 1 g de Daivobet® Gel contém:

calcipotriol (equivalente a 52,2 mcg de hidrato de calcipotriol) 50 mcg
betametasona (equivalente a 0,643 mg de dipropionato de betametasona) 0,5 mg
excipiente q.s.p. 1 g

Excipientes: petrolato líquido, éter estearílico PPG-15, óleo de rícino hidrogenado, butilidroxitolueno (E321), racealfatocoferol.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Daivobet® gel é indicado para o tratamento tópico1 da psoríase2 do couro cabeludo e para o tratamento tópico1 da psoríase2 vulgar leve a moderada no corpo.

A psoríase2 é causada pela produção muito rápida das células3 da pele4, causando vermelhidão, escamação e espessamento da pele4.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Daivobet® gel contém calcipotriol, um derivado da vitamina5 D que ajuda a normalizar o ritmo de produção das células3 da pele4, e a betametasona, um esteroide potente que atua na redução da inflamação6.

Com base nos estudos clínicos, a maioria dos pacientes apresenta resultados evidentes depois de duas semanas, mesmo que a psoríase2 ainda esteja presente.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Não utilize Daivobet® gel se:

  • for alérgico ou sensível ao calcipotriol, à betametasona ou qualquer um dos outros componentes da fórmula;
  • tiver conhecimento de que tem problemas com os níveis de cálcio no sangue7 (pergunte ao médico);
  • tiver outros tipos de psoríase2: eritrodérmica, exfoliativa e pustulosa (pergunte ao médico).

Além disso, como Daivobet® gel contém um corticóide potente, NÃO o utilize na pele4 afetada por:

  • infecções8 causadas por vírus9 (como herpes ou varicela10);
  • infecções8 causadas por fungos (como pé de atleta ou micose11);
  • infecções8 causadas por bactérias;
  • infecções8 causadas por parasitas (como sarna12);
  • tuberculose13;
  • dermatite14 perioral (irritação avermelhada ao redor da boca15).
  • pele4 fina, fragilidade das veias16 da pele4, estrias;
  • ictiose (pele4 seca com escamas semelhantes às de peixe);
  • acne17 (espinhas);
  • rosácea (vermelhidão ou rubor intenso da pele4 do rosto);
  • úlceras18 ou feridas.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Antes de usar este medicamento, informe ao médico ou farmacêutico se:

  • está utilizando outros medicamentos que contenham corticoides, pois, podem ocorrer reações adversas;
  • está utilizando este medicamento por um longo tempo e planeja parar com o tratamento (pois, existe o risco de sua psoríase2 piorar ou reaparecer quando o tratamento é interrompido abruptamente);
  • for diabético, já que o seu nível de glicose19 (açúcar20 no sangue7) pode ser afetado pelocorticoide;
  • sua pele4 for infectada, pois, pode ser necessário parar com o tratamento;
  • tiver um tipo de psoríase2 chamada gutata;

Precauções especiais

Evite usar Daivobet® gel em mais de 30% do seu corpo ou mais de 15 g por dia.

Evite usar sob touca de banho, bandagens ou curativos oclusivos, pois, isto aumenta a absorção do esteroide.

Evite usar em áreas extensas de pele4 afetada ou em dobras (virilhas, axilas, debaixo das mamas21), pois, isto aumenta absorção do esteroide.

Evite usar no rosto ou nos genitais (órgãos sexuais), pois, estas áreas são muito sensíveis a esteroides. Evite a exposição excessiva ao sol, ou qualquer outra forma de tra amento com luz.

Daivobet® gel não é recomendado para uso em crianças ou adolescentes com menos de 18 anos.

Gravidez22 e Lactação23

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Não use Daivobet® gel se estiver grávida ou amamentando, a menos que tenha recebido essa orientação do médico. Se seu médico permitiu a amamentação24, tome cuidado para não aplicar Daivobet® gel na área das mamas21.

Efeitos na habilidade de dirigir e usar máquinas

Daivobet® gel não tem influência na capacidade de dirigir e operar máquinas.

Interações medicamentosas

Não são conhecidas interações deste medicamento com exames laboratoriais e não laboratoriais, nem com alimentos.

Até o momento não há informações de que Daivobet® gel possa causar doping. Não use Daivobet® gel com outros medicamentos aplicados na mesma área da pele4.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento. Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde25.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados de conservação

Armazenar em temperatura ambiente (entre 15 e 30ºC). Não refrigerar. O frasco deve ser mantido dentro da embalagem, para proteger o produto da luz.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original. Após aberto, válido por 3 meses.

Características físicas e organolépticas do produto

Daivobet® gel é um gel quase límpido, incolor a ligeiramente esbranquiçado.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Sempre use Daivobet® gel exatamente da forma prescrita pelo seu médico. Em caso de dúvida, consulte seu médico ou o farmacêutico.

Instruções gerais de uso

Use Daivobet® gel somente nas áreas com psoríase2. Não use em outras áreas do corpo sem psoríase2.

  1. Agite o frasco antes de usar.
  2. Remova a tampa.
  3. Aplique o gel na ponta de um dedo limpo ou diretamente na área afetada pela psoríase2.
  4. Aplique Daivobet® gel na área afetada com as pontas dos dedos, e esfregue suavemente até que a área afetada pela psoríase2 esteja coberta por uma fina camada de gel.
    Não enfaixe, cubra ou envolva a área tratada.
  5. Lave bem as mãos26 imediatamente após usar Daivobet® gel, para evitar que acidentalmente o gel se espalhe para outras partes do corpo (especialmente o rosto, a boca15 e os olhos27).

Não se preocupe se um pouco do gel entrar em contato com a pele4 normal próximo à área afetada pela pso íase, mas limpe-a caso se espalhe muito.

Para um melhor resultado, recomenda-se não tomar banho imediatamente após a aplicação do gel.

Após a aplicação do gel, evite o contato com tecidos ou roupas que mancham facilmente com gordura28 (como seda).

Uso no couro cabeludo

Antes de aplicar Daivobet® gel no couro cabeludo, penteie o cabelo29 primeiro para remover qualquer escamação solta. Incline um pouco a cabeça30 para trás, para evitar que o produto escorra para o rosto.

Geralmente a aplicação de 1 a 4 g por dia é suficiente para o tratamento do couro cabeludo (4 g correspondem a uma colher de chá).

Não é necessário lavar o cabelo29 antes da aplicação de Daivobet® gel.

  1. Pode ser útil repartir o cabelo29 antes de usar Daivobet® gel
  2. Aplique Daivobet® gel nas áreas do couro cabeludo afetadas pela psoríase2
  3. Esfregue Daiv bet® gel suavemente com a ponta dos dedos
    Para um melhor resultado, recomenda-se não lavar o cabelo29 imediatamente após a aplicação do gel. Deixe Daivobet® gel no couro cabeludo durante a noite ou o durante o dia.
    Quando for lavar o cabelo29, as seguintes instruções podem ajudar:
  4. Aplicar um xampu suave no cabelo29 seco, especialmente nas áreas onde o gel foi aplicado
  5. Deixar o xampu no couro cabeludo por 1 a 2 minutos antes de enxaguar
  6. Lavar o cabelo29 como de costume

Duração do tratamento

Utilize o gel uma vez ao dia. Pode ser mais conveniente usá-lo à noite.

Normalmente, o período inicial de tratamento é de 4 semanas. Após este período, se for necessário continuar ou reiniciar o tratamento, deve-se fazê-lo após avaliação médica e sob supervisão médica regular.

Não utilize mais de 15 g em um dia.

Todas as áreas afetadas devem ser tratadas com Daivobet® gel.

Caso utilize Daivobet® gel juntamente com Daivobet® pomada (ou qualquer o tro produto contendo calcipotriol) para o tratamento de sua psoríase2, a quantidade total de calcipotriol não deve exceder 15 g ao dia e a área tratada não deve exceder 30% da superfície corporal.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Caso se esqueça de usar Daivobet® gel, não se preocupe. Use-o assim que se lembrar e continue o tratamento como antes. Não use o dobro da dose para compensar a dose esquecida.

Em caso de dúvidas, procure orienta ão do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUS R?

Reações adversas graves

Avise imediatamente seu medico, caso apresente qualquer uma das reações abaixo. Pode ser necessário interromper o tratamento

As seguintes reações adversas graves foram relatadas para Daivobet® gel:

  • Incomuns (podem afetar até 1 em 100 pessoas): Piora da psoríase2. Avise imediatamente seu médico se a sua psoríase2 piorar

Algumas reações graves são causadas pela betametasona, um dos ingredientes de Daivobet® gel Informe seu médico assim que possível, caso apresente alguma destas reações adversas. Estas reações são mais prováveis de ocorrer após o uso prolongado, uso sob as dobras da pele4 (como virilhas, axilas ou debaixo das mamas21), uso sob oclusão, ou quando aplicado em grandes áreas da pele4:

  • Suas glândulas31 suprarrenais podem parar de funcionar adequadamente (os sinais32 são: cansaço, de ressão e ansiedade).
  • Catarata33 (os sinais32 são: visão34 turva, dificuldade de visão34 noturna e sensibilidade à luz)
  • Aumento da pressão nos olhos27 (os sinais32 são: dor nos olhos27, vermelhidão, redução da visão34 ou visão34 turva)
  • Infecções8 (seu sistema imune35, que combate as infecções8, pode estar suprimido ou enfraquecido)
  • Psoríase2 pustular (uma área vermelha com pústulas36 amareladas normalmente nas mãos26 ou pés). Se você notar isto, interrompa o uso de Daivobet® gel e avise seu médico assim que possível.
  • Impacto no controle metabólico do diabetes mellitus37 (se você tem diabetes38, podem ocorrer alterações no nível de glicose19 (açúcar20) de seu sangue7)

Reações adversas graves relacionadas ao calcipotriol

  • Reações alérgicas com inchaço39 (edema40) profundo do rosto ou outras partes do corpo tais como mãos26 ou pés. Pode ocorrer inchaço39 da boca15 ou da garganta41 e dificuldade de respirar. Se tiver uma reação alérgica42 pare de usar Daivobet® gel, avise imediatamente seu médico ou procure um pronto-socorro.
  • O tratamento com este gel pode causar aumento do nível de cálcio no sangue7 ou urina43 (normalmente quando se usa muito gel). Os sintomas44 do aumento do nível de cálcio no sangue7 são secreção excesiva de urina43, prisão de ventre, fraqueza muscular, confusão e coma45. Esta situação pode ser grave, avise imediatamente seu médico. Os níveis voltam ao normal quando o tratamento é suspenso.

Reações adversas menos graves

As seguintes reações adversas menos graves foram relatadas para Daivobet® gel:

Reações comuns (podem afetar até 1 em 10 pessoas)

  • Coceira

Incomuns (podem afetar até 1 em 100 pessoas)

  • Irritação nos olhos27
  • Sensação de queimadura na pele4
  • Dor ou irritação da pele4
  • Inflamação6 ou inchaço39 da raiz do cabelo29 (foliculite)
  • Rash46 com inflamação6 da pele4 (dermatite14)
  • Vermelhidão da pele4 devido à dilatação de pequenos vasos sanguíneos47 (eritema48)
  • Acne17 (espinhas)
  • Pele4 seca
  • Rash46 (erupção49 da pele4)
  • Rash46 pustular (erupção49 da pele4 com pus50)
  • Infecção51 da pele4

Raras (podem afetar até 1 em 1.000 pessoas)

  • Reações alérgicas
  • Estrias
  • Esfoliação da pele4
  • Efeito rebote: uma piora de sintomas44/psoríase2 após o término do tratamento

Reações menos graves causadas pelo uso da betametasona. Avise seu médico se observar alguma destas reações.

  • Afinamento da pele4
  • Aparecimento de veias16 superficiais ou estrias
  • Alterações no crescimento do cabelo29
  • Irritação avermelhada ao redor da boca15 (dermatite14 perioral)
  • Irritação da pele4 com inflamação6 ou edema40 (dermatite14 alérgica de contato)
  • Pequenas bolhas de coloração dourada (mília coloidal)
  • Clareamento da cor da pele4 (despigmentação)
  • Inflamação6 ou inchaço39 da raiz do cabelo29 (foliculite)

Reações adversas menos graves causadas pelo calcipotriol:

  • Pele4 seca
  • Sensibilidade da pela à luz, resultando em erupção49
  • Eczema52.
  • Coceira
  • Irritação da pele4
  • Sensação de queimadura e picada
  • Vermelhidão da pele4 devido à dilatação de pequenos vasos sanguíneos47 (eritema48)
  • Erupção49 da pele4 (Rash46)
  • Rash46 com inflamação6 da pele4 (dermatite14)
  • Piora da psoríase2

Reações adversas relacionadas a excipientes: Daivobet® gel contém butilidroxitolueno (E321) que pode causar reações de irritação local (como dermatite14 de contato) ou irritação dos olhos27 e mucosas53.

Atenção: este produto é um medicamento que possui nova forma farmacêutica no país e, embora as pesquisas tenham indicado eficácia e segurança aceitáveis, mesmo que indicado e utilizado corretamente, podem ocorrer eventos adversos imprevisíveis ou desconhecidos. Nesse caso, informe seu médico.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Entre em contato com seu médico se tiver usado mais do que 15g em um dia. O uso prolongado excessivo de Daivobet® gel pode provocar problemas com o cálcio no seu sangue7, que é normalizado quando o tratamento é suspenso.

Seu médico pode solicitar exames de sangue7 para verificar se o uso de muito gel não provocou algum problema com o cálcio no seu sangue7.

O uso prolongado excessivo de Daivobet® gel também pode levar suas glândulas31 suprarrenais (que se encontram perto dos rins54 e produzem hormônios) a não funcionarem bem.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
 

MS 1.8569.0004
Farm. Resp.: Patricia Racy Dias CRF-SP 31.855

Fabricado por:
LEO Laboratories Limited, Dublin, Irlanda

Registrado por:
LEO Pharma Ltda.
Av. Eng. Luis C. Berrini, 1645, Cj. 71
CEP 04.571-011
São Paulo-SP
CNPJ 11.424.477/0001-10

Importado e comercializado por:
LEO Pharma Ltda.
Av. Portugal, 1100 - Rua 5 A 14 CEP 06696-060 - Itapevi - SP
CNPJ 11.424.477/0002-00


SAC 0800 779 7799

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.
2 Psoríase: Doença imunológica caracterizada por lesões avermelhadas com descamação aumentada da pele dos cotovelos, joelhos, couro cabeludo e costas juntamente com alterações das unhas (unhas em dedal). Evolui através do tempo com melhoras e pioras, podendo afetar também diferentes articulações.
3 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
4 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
5 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
6 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
7 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
8 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
9 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
10 Varicela: Doença viral freqüente na infância e caracterizada pela presença de febre e comprometimento do estado geral juntamente com a aparição característica de lesões que têm vários estágios. Primeiro são pequenas manchas avermelhadas, a seguir formam-se pequenas bolhas que finalmente rompem-se deixando uma crosta. É contagiosa, mas normalmente não traz maiores conseqüências à criança. As bolhas e suas crostas, se não sofrerem infecção secundária, não deixam cicatriz.
11 Micose: Infecção produzida por fungos. Pode ser superficial, quando afeta apenas pele, mucosas e seus anexos, ou profunda, quando acomete órgãos profundos como pulmões, intestinos, etc.
12 Sarna: Doença produzida por um parasita chamado Sarcoptes scabiei. Infesta a superfície da pele produzindo coceira e vesículas branco peroladas juntamente com lesões por coçadura. Localiza-se mais freqüentemente nas pregas interdigitais, inguinais e submamárias. É contagiosa, passando de pessoa para pessoa por contato íntimo, e por isto muito freqüente em aglomerações humanas (asilos, creches, abrigos). Nestes casos toda a população deve ser tratada ao mesmo tempo.
13 Tuberculose: Doença infecciosa crônica produzida pelo bacilo de Koch (Mycobacterium tuberculosis). Produz doença pulmonar, podendo disseminar-se para qualquer outro órgão. Os sintomas de tuberculose pulmonar consistem em febre, tosse, expectoração, hemoptise, acompanhada de perda de peso e queda do estado geral. Em países em desenvolvimento (como o Brasil) aconselha-se a vacinação com uma cepa atenuada desta bactéria (vacina BCG).
14 Dermatite: Inflamação das camadas superficiais da pele, que pode apresentar-se de formas variadas (dermatite seborreica, dermatite de contato...) e é produzida pela agressão direta de microorganismos, substância tóxica ou por uma resposta imunológica inadequada (alergias, doenças auto-imunes).
15 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
16 Veias: Vasos sangüíneos que levam o sangue ao coração.
17 Acne: Doença de predisposição genética cujas manifestações dependem da presença dos hormônios sexuais. As lesões começam a surgir na puberdade, atingindo a maioria dos jovens de ambos os sexos. Os cravos e espinhas ocorrem devido ao aumento da secreção sebácea associada ao estreitamento e obstrução da abertura do folículo pilosebáceo, dando origem aos comedões abertos (cravos pretos) e fechados (cravos brancos). Estas condições favorecem a proliferação de microorganismos que provocam a inflamação característica das espinhas, sendo o Propionibacterium acnes o agente infeccioso mais comumente envolvido.
18 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
19 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
20 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
21 Mamas: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
22 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
23 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
24 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
25 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
26 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
27 Olhos:
28 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
29 Cabelo: Estrutura filamentosa formada por uma haste que se projeta para a superfície da PELE a partir de uma raiz (mais macia que a haste) e se aloja na cavidade de um FOLÍCULO PILOSO. É encontrado em muitas áreas do corpo.
30 Cabeça:
31 Glândulas: Grupo de células que secreta substâncias. As glândulas endócrinas secretam hormônios e as glândulas exócrinas secretam saliva, enzimas e água.
32 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
33 Catarata: Opacificação das lentes dos olhos (opacificação do cristalino).
34 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
35 Sistema imune: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
36 Pústulas: Elevações da pele contendo pus, de até um centímetro de diâmetro.
37 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
38 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
39 Inchaço: Inchação, edema.
40 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
41 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
42 Reação alérgica: Sensibilidade a uma substância específica, chamada de alérgeno, com a qual se entra em contato por meio da pele, pulmões, deglutição ou injeções.
43 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
44 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
45 Coma: 1. Alteração do estado normal de consciência caracterizado pela falta de abertura ocular e diminuição ou ausência de resposta a estímulos externos. Pode ser reversível ou evoluir para a morte. 2. Presente do subjuntivo ou imperativo do verbo “comer.“
46 Rash: Coloração avermelhada da pele como conseqüência de uma reação alérgica ou infecção.
47 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
48 Eritema: Vermelhidão da pele, difusa ou salpicada, que desaparece à pressão.
49 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
50 Pus: Secreção amarelada, freqüentemente mal cheirosa, produzida como conseqüência de uma infecção bacteriana e formada por leucócitos em processo de degeneração, plasma, bactérias, proteínas, etc.
51 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
52 Eczema: Afecção alérgica da pele, ela pode ser aguda ou crônica, caracterizada por uma reação inflamatória com formação de vesículas, desenvolvimento de escamas e prurido.
53 Mucosas: Tipo de membranas, umidificadas por secreções glandulares, que recobrem cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
54 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.

Tem alguma dúvida sobre Daivobet Gel?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.