Preço de Uroctrin em Woodbridge/SP: R$ 33,83

Uroctrin

LEGRAND PHARMA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA LTDA

Atualizado em 27/12/2019

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Uroctrin®
cloridrato de fenazopiridina + sulfametoxazol + trimetoprima

APRESENTAÇÕES

Comprimidos revestidos: embalagem contendo 20 comprimidos revestidos.

USO ORAL
USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE 12 ANOS

COMPOSIÇÃO

Cada comprimido revestido contém:

cloridrato de fenazopiridina 50 mg
sulfametoxazol 400 mg
trimetoprima 80 mg
excipientes* q.s.p 1 com. rev.

* laurilsulfato de sódio, croscarmelose sódica, celulose microcristalina, estearato de magnésio, dióxido de titânio, álcool polivinílico + dióxido de titânio + macrogol + talco, corante alumínio laca amarelo tartrazina 5, corante alumínio laca amarelo crepúsculo 6.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUÊ ESTE MEDICAMENTO E INDICADO?

Uroctrin® encontra indicações nos processos infecciosos como: pielonefrite1, pielite, pielocistite, cistite2 aguda ou crônica, utetrite, inclusive a blenorrágica.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Uroctrin® em função da associação dos componentes de sua fórmula, possui ação antibacteriana contra uma vasta gama de microorganismos gram-positivos e gram-negativos e ainda uma ação analgésica promovida pelo cloridrato de fenazopiridina.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

O produto é contraindicado para todos os pacientes com hipersensibilidade aos componentes da fórmula.

“Este produto contém o corante amarelo de TARTRAZINA, que pode causar reações de natureza alérgica, entre as quais asma3 brônquica, especialmente em pessoas alérgicas ao ácido acetilsalicílico.”

Informe seu médico a ocorrência de gravidez4 na vigência do tratamento ou após seu término.
Informar ao médico se está amamentando.
Este medicamento é contraindicado para menores de 12 anos.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Sulfametoxazol / trimetropima
A) não deve ser usada para tratar o grupo A beta-hemolítico infecções5 por estreptococos
B) pacientes com deficiência de folato possível, alergias graves, asma3 ou glicose6-6-fosfato desidrogenase
C) pacientes idosos, doentes com SIDA; aumento do risco de efeitos secundários graves

Apesar de avisos de utilizar este medicamento:
Verifique se o seu médico sabe se você tem uma doença renal7, doença hepática8, deficiência de G6PD, porfiria9, ou problemas da tiróide. Informe o seu médico se você tem asma3 ou alergias graves, especialmente se você é alérgico a qualquer medicamento. É importante para o seu médico para saber se você tem HIV10 ou AIDS, pois este medicamento pode funcionar de forma diferente.
Muito raramente, este medicamento tem causado efeitos colaterais11 graves. Se você começar a ter uma erupção12 na pele13, ou se você acha que está tendo uma reação grave, pare de tomar este medicamento e chame o médico imediatamente. Os sintomas14 de uma reacção grave incluem dor de garganta15, febre16, dores musculares, tosse e dificuldade para respirar. Outros sintomas14 são uma erupção12 na pele13, ou a cor da sua pele13 transformando muito pálido ou amarelo, ou com manchas roxas.
Este medicamento pode tornar a pele13 mais sensível à luz solar. Use um protetor solar quando estiver ao ar livre. Evite lâmpadas solares e solários.
O seu médico pode precisar verificar o seu sangue17 ou urina18 em visitas regulares enquanto você estiver usando este medicamento. Certifique-se de manter todas as nomeações.
Certifique-se de qualquer médico ou dentista que trata você sabe que você está usando o medicamento. Este medicamento pode afectar os resultados de alguns exames médicos.

Fenazopiridina
A) Cloridrato de fenazopiridina
1) glicose6-6-fosfato desidrogenase
2) Hepatite19

Apesar de avisos de utilizar este medicamento:
Consulte o seu médico antes de tomar fenazopiridina se você tiver problemas renais ou de fígado20 ou se estiver grávida ou a amamentar.
Este medicamento pode gerar a urina18 uma cor vermelha ou laranja. Isso é normal.
Este medicamento pode manchar lentes de contato gelatinosas. Você não pode querer usar seus contatos enquanto tomar este medicamento.

"Este produto contém o corante amarelo de TARTRAZINA, que pode causar reações de natureza alérgica, entre as quais asma3 brônquica, especialmente em pessoas alérgicas ao ácido acetilsalicílico."

Interações medicamentosas:
Uroctrin® pode ser administrado após a refeição.
Até o momento não foi descrita incompatibilidade com álcool.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.
Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde21.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Manter à temperatura ambiente (15ºC a 30ºC). Proteger da luz e manter em lugar seco.
Numero de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem. Não use medicamento com o prazo de validade vencido.
Para sua segurança, mantenha o medicamento na embalagem original.

Comprimido revestido: Comprimido revestido amarelo intenso, circular e biconvexo.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento.
Caso você observe alguma mudança no aspecto do medicamento que ainda esteja no prazo de validade, consulte o médico ou o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.
Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Adultos e crianças acima de 12 anos
4 comprimidos ao dia em 2 tomadas, após as principais refeições, de preferência da manhã e a noite, durante 10 a 14 dias, ou segundo critério médico.
Em casos de infecções5 graves, esta dose pode ser aumentada em 3 comprimidos a cada 12 horas. Esta posologia pode ser modificada de acordo com o critério médico.

Pacientes com insuficiência renal22

Clearance de creatinina23

Esquema posologia recomendado

Acima de 30 ml/min

Posologia padrão

15 - 30 ml/min

Metade da posologia

Menos de 15 ml/min

Não é recomendável o uso de Uroctrin®

Existindo diminuição da função renal7, reduzir a dose ou então prolongar os intervalos entre as tomadas do medicamento, para evitar fenômenos cumulativos. Nesses casos, determinar a concentração plasmática do medicamento. Sempre que Uroctrin® for utilizado por longos períodos, são aconselháveis exames hematológicos regulares, já que existe a possibilidade remota de modificações assintomáticas, indicativas das alterações no ácido fólico que são reversíveis com o tratamento pelo ácido folínico. Tratamentos prolongados requerem acompanhamentos com hemogramas completos.

Uroctrin® comprimido revestido deve ser utilizado por via oral.
Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.
Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis, tais como: náuseas24, vômitos25, reações alérgicas.
Por possuir coloração alaranjada, Uroctrin® pode colorir a urina18.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento.
Informe a empresa sobre o aparecimento de reações indesejáveis e problemas com este medicamento, entrando em contato através do Sistema de Atendimento ao Consumidor (SAC).

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Em caso de ingestão aguda de doses excessivas, intencionalmente ou acidentalmente, podem ocorrer os seguintes sintomas14: náuseas24, vômito26, diarréia27, cefaléia28, vertigens29, tontura30 e distúrbios mentais e visuais. Em superdosagem crônica, podem ocorrer alterações no sangue17. Nesses casos, o médico deve ser procurado o mais rapidamente possível para que o tratamento adequado seja instituído. Na ingestão aguda de grandes quantidades deve-se provocar o vômito26 o mais rapidamente possível para eliminar a quantidade máxima possível do medicamento ingerido.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível.
Em caso de intoxicação ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações sobre como proceder.

DIZERES LEGAIS

 

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
SÓ PODE SER VENDIDO COM RETENÇÃO DA RECEITA

 

Registro MS nº. 1.6773.0212.
Farm.Resp.: Dra. Maria Betânia Pereira CRF - SP nº 37.788

Registrado por:
LEGRAND PHARMA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA LTDA
Rodovia Jornalista Francisco Aguirre Proença, Km 08, Bairro Chácara Assay
CEP 13.186-901 - Hortolândia / SP
CNPJ nº . 05.044.984/0001-26
INDÚSTRIA BRASILEIRA

Fabricado por: EMS S/A
São Bernardo do Campo (SP)

 

SAC 0800 500600


 

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Pielonefrite: Infecção dos rins produzida em geral por bactérias. A forma de aquisição mais comum é por ascensão de bactérias através dos ureteres, como complicação de uma infecção prévia de bexiga. Seus sintomas são febre, dor lombar, calafrios, eliminação de urina turva ou com traços de sangue, etc. Deve ser tratada cuidadosamente com antibióticos pelo risco de lesão permanente dos rins, com perda de função renal.
2 Cistite: Inflamação ou infecção da bexiga. É uma das infecções mais freqüentes em mulheres, e manifesta-se por ardor ao urinar, urina escura ou com traços de sangue, aumento na freqüência miccional, etc.
3 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
4 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
5 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
6 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
7 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
8 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
9 Porfiria: Constituem um grupo de pelo menos oito doenças genéticas distintas, além de formas adquiridas, decorrentes de deficiências enzimáticas específicas na via de biossíntese do heme, que levam à superprodução e acumulação de precursores metabólicos, para cada qual correspondendo um tipo particular de porfiria. Fatores ambientais, tais como: medicamentos, álcool, hormônios, dieta, estresse, exposição solar e outros desempenham um papel importante no desencadeamento e curso destas doenças.
10 HIV: Abreviatura em inglês do vírus da imunodeficiência humana. É o agente causador da AIDS.
11 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
12 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
13 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
14 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
15 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
16 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
17 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
18 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
19 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
20 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
21 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
22 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
23 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
24 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
25 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
26 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
27 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
28 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
29 Vertigens: O termo vem do latim “vertere” e quer dizer rodar. A definição clássica de vertigem é alucinação do movimento. O indivíduo vê os objetos do ambiente rodarem ao seu redor ou seu corpo rodar em relação ao ambiente.
30 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.

Tem alguma dúvida sobre Uroctrin?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.