Preço de Cewin (Liberação prolongada 500 mg) em Woodbridge/SP: R$ 0,00

Cewin (Liberação prolongada 500 mg)

SANOFI-AVENTIS FARMACÊUTICA LTDA

Atualizado em 27/12/2019

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Cewin®
ácido ascórbico
Comprimido de liberação prolongada 500 mg

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO

Comprimidos de liberação prolongada
Embalagem com 30 comprimidos

USO ORAL
ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE 10 ANOS

COMPOSIÇÃO

Cada comprimido de liberação prolongada contém:

ácido ascórbico 500 mg
excipiente q.s.p. 1 comprimido

Excipientes: hipromelose, dióxido de silício, óleo de rícino hidrogenado e estearato de magnésio.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUÊ ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Este medicamento é destinado ao tratamento de todos os estados em que há deficiência ou aumento das necessidades de vitamina1 C no organismo. Está também indicado como auxiliar do sistema imunológico2 (sistema de defesa contra infecções3) e ainda nas fases de crescimento.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Cewin é um medicamento que possui em sua fórmula uma substância denominada ácido ascórbico ou vitamina1 C. Cewin combate a deficiência desta vitamina1 no organismo e está indicado em todos os estados em que há necessidade de vitamina1 C no organismo. A vitamina1 C é usada ainda como auxiliar nas funções do sistema imunológico2 (sistema de defesa contra infecções3) e nas fases de crescimento.

Tempo médio de início de ação: Estudos indicam que as preparações de liberação lenta de ácido ascórbico produzem níveis de pico mais baixos do que as formas farmacêuticas regulares, mas com níveis ligeiramente superiores às 12 horas e pico às 8 horas após a administração.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Cewin não deve ser utilizado por pacientes com reconhecida hipersensibilidade (alergia4) ao ácido ascórbico ou a qualquer outro componente do produto e em pacientes com cálculo5 nos rins6 acompanhada por oxalúria (presença de oxalatos ou ácido oxálico - substâncias que formam os cálculos renais - na urina7).

Este medicamento é contraindicado para uso em pacientes com insuficiência renal8 severa (redução grave da função dos rins6).

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

ADVERTÊNCIAS E PRECAUÇÕES

Nos diabéticos as doses de vitamina1 C podem interferir nos testes de avaliação da glicose9 na urina7 sem alterar a glicose9 no sangue10 e nestes casos o uso de Cewin deve ser interrompido pelo menos 7 dias antes do exame.

A vitamina1 C pode aumentar a excreção de ferro com o uso de desferoxamina. O uso da vitamina1 C pode alterar ainda o resultado de alguns outros exames de laboratório (sangue10 oculto nas fezes, desidrogenase lática11, transaminases e bilirrubina12).

O ácido ascórbico deve ser descontinuado antes do exame de sangue10 oculto nas fezes. Aconselha-se precaução se você possui:

  • Metabolismo13 de ferro prejudicado (por exemplo, hemossiderose14 (depósitos anormais de hemoglobina15 (proteína que contém ferro presente nos glóbulos vermelhos)), hemocromatose16 (acúmulo de ferro nos tecidos)).
  • Hiperoxalúria (síndrome17 na qual é depositado oxalato de cálcio no trato urinário18 e rins6) e história de cálculos renais de oxalato (hiperoxalúria ocorre com altas doses de ácido ascórbico)

Gravidez19 e amamentação20

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica.

Cewin passa a barreira placentária. Quando doses de Cewin, acima da faixa terapêutica21, foram utilizadas durante a gravidez19, sintomas22 paradoxais de avitaminose (carência de vitaminas) foram observados em alguns recém-nascidos.

Ácido ascórbico é excretado no leite materno.

Populações especiais

Em pacientes com insuficiência renal8, Cewin deve ser utilizado somente com orientação e supervisão médica.

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS

Em pacientes em uso de indivavir (substância para tratamento a AIDS) e doses elevadas de vitamina1 C, reduziu-se significativamente a concentração sérica (no sangue10) de indinavir.

O uso de mais de 500mg de CEWIN com deferoxamina pode causar comprometimento da função cardíaca.

Informe ao seu médico se você está fazendo uso de algum outro medicamento

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados de conservação

Cewin comprimido de liberação prolongada deve ser mantido em sua embalagem original, em temperatura ambiente (entre 15 e 30ºC).

A VITAMINA1 C, QUANDO EXPOSTA AO AR E À UMIDADE, PODE TER SUA COLORAÇÃO ALTERADA. PRESERVE A INTEGRIDADE DA EMBALAGEM.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características do medicamento

Comprimido redondo, de cor branca a levemente creme, com C gravado em uma das faces.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Você deve tomar os comprimidos de liberação prolongada por via oral, com quantidade suficiente de água para permitir a correta deglutição23. Os comprimidos não deverão ser mastigados.

Administrar um comprimido ao dia, preferentemente pela manhã. Deglutir24 com água sem mastigar. Não manter o comprimido na boca25.

Cewin Vitamina1 C 500 mg/comprimido

Crianças acima de 10 anos e Adultos

Posologia diária recomendada

IDR*

% IDR

500 mg

45 mg

1111,1%

*Ingestão Diária Recomendada

Não há estudos dos efeitos de Cewin administrado por vias não recomendadas. Portanto, por segurança e para garantir a eficácia deste medicamento, a administração deve ser somente por via oral.

Siga corretamente o modo de usar. Em caso de dúvidas sobre este medicamento, procure orientação do farmacêutico. Não desaparecendo os sintomas22, procure orientação de seu médico.

Cewin comprimido de liberação prolongada não deve ser partido ou mastigado.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Caso esqueça-se de administrar uma dose, administre-a assim que possível. No entanto, se estiver próximo do horário da dose seguinte, espere por este horário, respeitando sempre o intervalo determinado pela posologia. Nunca devem ser administradas duas doses ao mesmo tempo.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

As reações podem ser classificadas em: 

Categoria Frequência
Muito comum ≥ 10%
Comum ≥ 1% e < 10%
Incomum ≥ 0,1% e < 1%
Raro ≥ 0,01% e < 0,1%
Muito raro < 0,01%
Desconhecida Não pode ser estimada pelos dados disponíveis

Com administração de altas doses por tempo prolongado, existe a rara possibilidade de ocorrer escorbuto26 de rebote (interrupção inesperada do tratamento com altas doses de vitamina1 C, que pode ocasionar sintomas22 como irritabilidade, cansaço, depressão, dor durante os movimentos, perda de apetite e a incapacidade de ganhar peso), distúrbios digestivos, eritema27 (manchas avermelhadas na pele28), cefaleia29 (dor de cabeça30), aumento da diurese31 (aumento das vezes que urina7) e litíase32 oxálica ou úrica (formação de cálculos no sistema urinário33). A composição destes cálculos e os sintomas22 que provocam variam de acordo com sua localização no sistema urinário33 (rins6, ureteres34, bexiga35) em pacientes com insuficiência renal8 (nos rins6) e naqueles predispostos à calculose (tendência ou facilidade de formar cálculo5 ou “pedra”).

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também a empresa através do seu serviço de atendimento.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Embora a vitamina1 C não seja tóxica e possua boa tolerabilidade no organismo, no caso de ingestão acidental ou intencional de elevadas doses (3 g ou mais) podem acarretar náuseas36, vômitos37 e diarréia38. Caso estas reações ocorram e haja suspeita de superdose, na terapêutica21 deverá ser avaliado o tempo de ingestão e as possíveis condutas são: hidratação, lavagem gástrica39, uso de carvão ativado e monitorização.

Anemia hemolítica40 (diminuição do número de glóbulos vermelhos do sangue10 em decorrência da destruição prematura dos mesmos), cálculos renais (pedra nos rins6) de oxalato e insuficiência renal8 podem aparecer muito raramente em caso de superdose.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Em caso de intoxicação ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


Siga corretamente o modo de usar, não desaparecendo os sintomas22, procure orientação médica.
 

MS 1.1300.1013
Farm. Resp.: Silvia Regina Brollo CRF-SP 9.815

Registrado por:
Sanofi-Aventis Farmacêutica Ltda.
Av. Mj. Sylvio de M. Padilha, 5200 – São Paulo – SP
CNPJ 02.685.377/0001-57

Fabricado por:
Sanofi-Aventis Farmacêutica Ltda.
Rua Conde Domingos Papaiz, 413 – Suzano – SP
CNPJ 02.685.377/0008-23
Indústria Brasileira


SAC 0800 703 0014

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
2 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
3 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
4 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
5 Cálculo: Formação sólida, produto da precipitação de diferentes substâncias dissolvidas nos líquidos corporais, podendo variar em sua composição segundo diferentes condições biológicas. Podem ser produzidos no sistema biliar (cálculos biliares) e nos rins (cálculos renais) e serem formados de colesterol, ácido úrico, oxalato de cálcio, pigmentos biliares, etc.
6 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
7 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
8 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
9 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
10 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
11 Lática: Diz-se de ou ácido usado como acidulante e intermediário químico; láctica.
12 Bilirrubina: Pigmento amarelo que é produto da degradação da hemoglobina. Quando aumenta no sangue, acima de seus valores normais, pode produzir uma coloração amarelada da pele e mucosas, denominada icterícia. Pode estar aumentado no sangue devido a aumento da produção do mesmo (excesso de degradação de hemoglobina) ou por dificuldade de escoamento normal (por exemplo, cálculos biliares, hepatite).
13 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
14 Hemossiderose: Acúmulo de hemossiderina nos tecidos. A hemossiderina é um pigmento ferroso, amarelo-escuro, encontrado em fagócitos e excretado pela urina, especialmente na hemocromatose e na hemossiderose.
15 Hemoglobina: Proteína encarregada de transportar o oxigênio desde os pulmões até os tecidos do corpo. Encontra-se em altas concentrações nos glóbulos vermelhos.
16 Hemocromatose: Distúrbio metabólico caracterizado pela deposição de ferro nos tecidos em virtude de seu excesso no organismo. Os locais em que o ferro mais se deposite são fígado, pâncreas, coração e hipófise.
17 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
18 Trato Urinário:
19 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
20 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
21 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
22 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
23 Deglutição: Passagem dos alimentos desde a boca até o esôfago; ação ou efeito de deglutir; engolir. É um mecanismo em parte voluntário e em parte automático (reflexo) que envolve a musculatura faríngea e o esfíncter esofágico superior.
24 Deglutir: Passar (o bolo alimentar) da boca para o esôfago e, a seguir, para o estômago.
25 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
26 Escorbuto: Doença aguda ou crônica causada pela carência de vitamina C, caracterizada por hemorragias, alteração das gengivas e queda da resistência às infecções.
27 Eritema: Vermelhidão da pele, difusa ou salpicada, que desaparece à pressão.
28 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
29 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
30 Cabeça:
31 Diurese: Diurese é excreção de urina, fenômeno que se dá nos rins. É impróprio usar esse termo na acepção de urina, micção, freqüência miccional ou volume urinário. Um paciente com retenção urinária aguda pode, inicialmente, ter diurese normal.
32 Litíase: Estado caracterizado pela formação de cálculos em diferentes regiões do organismo. A composição destes cálculos e os sintomas que provocam variam de acordo com sua localização no organismo (vesícula biliar, ureter, etc.).
33 Sistema urinário: O sistema urinário é constituído pelos rins, pelos ureteres e pela bexiga. Ele remove os resíduos do sangue, mantêm o equilíbrio de água e eletrólitos, armazena e transporta a urina.
34 Ureteres: Estruturas tubulares que transportam a urina dos rins até a bexiga.
35 Bexiga: Órgão cavitário, situado na cavidade pélvica, no qual é armazenada a urina, que é produzida pelos rins. É uma víscera oca caracterizada por sua distensibilidade. Tem a forma de pêra quando está vazia e a forma de bola quando está cheia.
36 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
37 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
38 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
39 Lavagem gástrica: É a introdução, através de sonda nasogástrica, de líquido na cavidade gástrica, seguida de sua remoção.
40 Anemia hemolítica: Doença hereditária que faz com que os glóbulos vermelhos do sangue se desintegrem no interior dos veios sangüíneos (hemólise intravascular) ou em outro lugar do organismo (hemólise extravascular). Pode ter várias causas e ser congênita ou adquirida. O tratamento depende da causa.

Tem alguma dúvida sobre Cewin (Liberação prolongada 500 mg)?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.