Preço de Cimzia em Woodbridge/SP: R$ 2690,71

Cimzia

UCB BIOPHARMA LTDA.

Atualizado em 16/01/2020

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Cimzia
certolizumabe pegol
Injetável 200 mL/mg

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO:

Solução injetável de 1 mL
Embalagens com 2 seringas preenchidas + 2 lenços umedecidos em álcool

VIA SUBCUTÂNEA1
USO ADULTO ACIMA DE 18 ANOS

COMPOSIÇÃO

Cada seringa2 de vidro preenchida de Cimzia contémL

certolizumabe pegol 200 mg/mL
veículo q.s.p. 1 mL

Excipientes: acetato de sódio, cloreto de sódio e água para injetáveis.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Cimzia é um medicamento que pertence a uma classe de medicamentos denominada antagonistas do fator de necrose3 tumoral (TNF). Este medicamento é destinado ao tratamento das seguintes doenças:

Doença de Crohn4

Cimzia é destinado para a redução dos sinais5 e sintomas6 da doença de Crohn4, uma doença inflamatória que pode afetar qualquer parte do tubo digestivo, desde a boca7 até o ânus8. É destinado também para a manutenção do tratamento nos pacientes adultos com doença ativa de moderada a grave que não tiveram resposta adequada ao tratamento convencional.

Artrite Reumatoide9

Cimzia, em associação com metotrexato (MTX), é indicado para: o tratamento da artrite reumatoide9 ([AR] uma doença inflamatória que geralmente afeta as juntas [articulações10]) ativa, moderada a grave, em doentes adultos, quando a resposta a fármacos modificadores da evolução da doença reumática (DMARD), incluindo o MTX, foi inadequada. Cimzia pode ser utilizado em monoterapia no caso de intolerância ao MTX ou quando o tratamento continuado com MTX é inadequado; no tratamento da AR grave, ativa e progressiva em adultos que não tenham sido tratados previamente com MTX ou outros DMARD.

Foi demonstrado que Cimzia reduz a taxa de progressão das lesões11 nas articulações10, medida através de radiografia e leva também a uma melhoria da função física, quando administrado em associação com MTX.

Artrite12 Psoriásica

Cimzia em combinação com metotrexato é indicado para o tratamento com artrite12 psoriásica ativa em adultos quando a resposta anterior com terapia com DMARDs tenha sido inadequada.

Cimzia pode ser administrado como monoterapia em casos de intolerância ao metotrexato, ou quando o tratamento contínuo com metotrexato for inadequado.

Espondiloartrite axial

Cimzia é indicado para o tratamento de pacientes adultos com espondiloartrite axial ativa grave, compreendendo:

Espondilite anquilosante (EA):

Adultos com espondilite anquilosante ativa grave que tiveram resposta inadequada, ou são intolerantes, à fármacos antiinflamatórios não esteroides (AINES).

Espondiloartrite axial sem evidência radiográfica de EA:

Adultos com espondiloartrite axial ativa grave sem evidência radiográfica de EA, porém, com sinais5 evidentes de inflamação13 detectados por proteína C-reativa (PCR14) elevada e/ou ressonância magnética15 (RM), que tiveram resposta inadequada, ou são intolerantes, à AINES.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Cimzia contém a substância ativa certolizumabe pegol, um fragmento16 de anticorpo17 humano. Anticorpos18 são proteínas19 que reconhecem e se ligam a outras proteínas19 especificamente. Cimzia liga-se a uma proteína específica chamada fator de necrose3 tumoral alfa (TNF alfa). Desse modo, esse TNF alfa é bloqueado pelo Cimzia e isso diminui a inflamação13. Os medicamentos que se ligam ao TNF alfa são também chamados de antagonistas TNF.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Você não deve usar Cimzia:

  • Se tiver alergia20 ao certolizumabe pegol ou a qualquer outro componente da fórmula;
  • Se estiver com tuberculose21 (infecção22 que afeta principalmente os pulmões23), com infecções24 graves como sepse25 (infecção22 geral grave), abscessos26 (acúmulo localizado de pus27 em um tecido28) e infecções24 oportunistas (infecções24 que acontecem quando o organismo está debilitado).
  • Se você tiver insuficiência cardíaca29 moderada a grave (classe III/IV NYHA).

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Antes de iniciar o tratamento com Cimzia informe seu médico:

  • Se você está com infecções24 ativas, incluindo infecção22 crônica ou localizada. Se você tem histórico de infecção22 recente ou oportunista, ou outra condição que aumente o risco de infecção22. Cimzia pode deixá- lo mais susceptível às infecções24 ou piorar qualquer infecção22 que você possa ter. Informe também ao seu médico se após iniciar o tratamento com Cimzia, você tiver infecção22 ou apresentar qualquer sinal30 de infecção22 incluindo febre31, gripe32, sintomas6 semelhantes aos da gripe32, ou se tiver cortes ou feridas no seu corpo;
  • Antes, durante e depois do tratamento com Cimzia, seu médico deve monitorá-lo com atenção para se detectarem sinais5 ou sintomas6 de infeções incluindo tuberculose21. Considerando que a eliminação de Cimzia pode demorar até 5 meses, o monitoramento deve ser feito de modo contínuo durante este período.
  • Se você já teve ou tem tuberculose21, se você esteve em contato próximo com alguém com tuberculose21 ou se você viajou ou pretende viajar para locais onde existem surtos de tuberculose21. Seu médico deve solicitar um teste para detectar se você tem ou não tuberculose21 antes do início do tratamento. Informe também ao seu médico se sintomas6 de tuberculose21 (tosse persistente, perda de peso, apatia33 e febre31 leve) aparecerem durante ou após o tratamento com Cimzia. Em raras ocasiões pode-se desenvolver tuberculose21 durante o tratamento, mesmo que você tenha recebido tratamento preventivo34 para a tuberculose21;
  • Se você tem ou teve hepatite35 B. O uso de Cimzia pode aumentar o risco de reativação do vírus36 da hepatite35 B (HBV) nos pacientes que são portadores deste vírus36. Seu médico deve solicitar exames para a detecção de HBV antes de iniciar o tratamento com Cimzia. Se você é portador do vírus36 da hepatite35 B, seu médico deve monitorá-lo cuidadosamente durante o tratamento com Cimzia. Informe seu médico se você tem qualquer um dos sintomas6: mal estar, falta de apetite, cansaço (fadiga37), febre31, pele38 avermelhada ou dor nas articulações10;
  • Se você tem ou teve qualquer tipo de câncer39 (ex. linfomas, leucemia40). Houve casos de câncer39 incomuns em pacientes pediátricos e adolescentes que foram tratados com agentes antagonistas TNF. Linfoma41 de células42 T hepatoesplênico, um tipo raro e grave de linfoma41, tem sido relatado em pacientes tratados com antagonistas do TNF. Para os pacientes que utilizam medicamentos antagonistas TNF, incluindo Cimzia, a chance de desenvolver linfoma41 ou qualquer outro tipo de câncer39 pode aumentar. Pacientes com artrite reumatoide9, especialmente AR grave podem ter maior chance de desenvolver um tipo de câncer39 chamado linfoma41. Melanoma43 e carcinoma44 de célula45 de Merkel (tipos de câncer39 de pele38) foram reportados em pacientes tratados com antagonistas TNF, incluindo Cimzia. Recomenda-se exame periódico da pele38 para todos os pacientes, particularmente para aqueles com fatores de risco para câncer39 de pele38.
  • Se você tem insuficiência cardíaca congestiva46;
  • Se você tem Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC). Pacientes com DPOC ou fumantes excessivos podem ter um aumento do risco de desenvolver câncer39 com o tratamento com Cimzia;
  • Se alguma das seguintes reações aparecerem durante o tratamento, informe imediatamente o seu médico: inchaço47, falta de ar (desconforto para respirar), queda da pressão, erupção48 na pele38, doença do soro49 (reação tardia de hipersensibilidade do sistema de defesa do organismo) e urticária50 (coceira na pele38 com vermelhidão). Algumas dessas reações podem ocorrer após a primeira administração de Cimzia;
  • Se você já teve alguma reação alérgica51 ao látex;
  • Se você tem doença desmielinizante52 (perda da bainha de mielina53, membrana que reveste os neurônios54), incluindo esclerose múltipla55 ou se você apresenta desordens neurológicas, incluindo convulsões, inflamação13 no nervo do crânio56, neuropatia periférica57 (perda da sensibilidade) e mielite58 transversa;
  • Se você teve ou tem alterações no sangue59. Em alguns pacientes o corpo pode não produzir as células sanguíneas60 que ajudam seu organismo a combater infecções24 ou ajudam a parar sangramentos. Informe também se você apresentar febre31 persistente, manchas roxas pelo corpo, sangramento e palidez;
  • Se você faz uso de medicamentos biológicos antirreumáticos modificadores do curso da doença (ex. anakinra, etanercepte e infliximabe);
  • Você não deve utilizar Cimzia se você está utilizando um dos seguintes medicamentos: anakinra, abatacepte, rituximabe, natalizumabe, infliximabe, adalizumabe, etanercepte e golimumabe.
  • Se durante o tratamento você tiver síndrome61 semelhante ao lúpus62 (ex. vermelhidão na pele38 resistente, febre31, dor nas articulações10 e cansaço), uma resposta imune contra os próprios tecidos do organismo que pode afetar várias partes do corpo;
  • Se você foi ou pretende ser vacinado contra qualquer tipo de doença. Você não deve receber qualquer vacina63 de microorganismo vivo ou atenuado durante o tratamento com Cimzia.

Seu médico deve ter cautela na interpretação de resultados anormais em testes de coagulação64, pois Cimzia pode causar resultados erroneamente elevados.

Informe ao seu médico se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde65.

Gravidez66 e Lactação67

Não existem estudos adequados e bem controlados de Cimzia em mulheres grávidas para informar sobre os riscos relacionados ao medicamento. Cimzia deve ser utilizado durante a gravidez66 somente se claramente necessário.

Mulheres com potencial para engravidar devem adotar métodos de contracepção68 adequados para evitar uma gravidez66 e continuar a sua utilização durante pelo menos 5 meses após a última administração de Cimzia.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica.

Informe o seu médico se você está amamentando.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados de conservação

Você deve conservar Cimzia sob refrigeração (temperatura entre 2ºC e 8ºC). Cimzia não deve ser congelado e deve ser protegido da luz. Você deve manter a seringa2 dentro da embalagem até o momento do uso.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas e organolépticas do produto

Cimzia é um líquido límpido, incolor a amarelado, livre de partículas visíveis.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso Cimzia esteja no prazo de validade e você observar alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Posologia

Dose de indução:  A dose de indução recomendada de Cimzia para pacientes69 adultos é de 400 mg (administrada como duas injeções de 200 mg cada por via subcutânea1) inicialmente (semana 0) e nas semanas 2 e 4.

Na artrite reumatoide9 e artrite12 psoriásica, o metrotexato deve ser administrado continuamente durante o tratamento com Cimzia quando apropriado.

Doença de Crohn4Após a dose de indução, para pacientes69 que obtiveram resposta clínica, a dose de manutenção recomendada de Cimzia em pacientes adultos com doença de Crohn4 é de 400 mg a cada quatro semanas.

Artrite Reumatoide9: Após a dose de indução, a dose de manutenção recomendada de Cimzia para pacientes69 adultos com artrite reumatoide9 é de 200 mg a cada duas semanas. Quando a resposta clínica é confirmada, pode ser considerada uma dose de manutenção alternativa de 400 mg cada 4 semanas. O MTX deve ser administrado continuamente durante o tratamento com Cimzia quando apropriado.

Artrite12 Psoriásica: Após a dose de indução, a dose de manutenção recomendada de Cimzia para pacientes69 adultos com artrite12 psoriásica é de 200 mg a cada duas semanas ou 400 mg a cada quatro semanas.

Espondiloartrite Axial: Após a dose de indução, a dose de manutenção recomendada de Cimzia para pacientes69 adultos com espondiloartrite axial é de 200 mg a cada duas semanas ou 400 mg a cada quatro semanas.

Medicação concomitante

Cimzia pode ser utilizado de preferência concomitantemente com fármacos antirreumáticos não biológicos modificadores do curso da doença (DMARDs) ou como monoterapia. Em estudos clínicos registrados de artrite reumatoide9, pacientes em tratamento com Cimzia também receberam metotrexato (MTX) concomitante com a dose recomendada de Cimzia de 200 mg a cada duas semanas. Em estudos clínicos de artrite12 psoriásica e espondiloartrite axial, corticóides orais, DMARDs (metotrexato, leflunomida, sulfassalazina, hidroxicloroquina (estudos clínicos de espondiloartrite axial apenas) e AINEs foram permitidos como terapia concomitante.

Se você sofre de artrite reumatoide9, artrite12 psoriásica ou espondiloartrite axial e seu médico permitiu que você realizasse a auto-injeção70, você deve retornar ao seu médico antes da sétima dose para que o seu médico determine se Cimzia está funcionando para você ou se outro tratamento deve ser considerado.

População especial

Pediátrica (menores de 18 anos): A segurança e a eficácia em pacientes pediátricos não foram estabelecidas.

Idosos: Não é necessário ajuste de dose. A análise farmacocinética da população não mostrou efeito da idade. Deve-se ter cautela no tratamento de pacientes idosos devido a maior incidência71 de infecções24 na população idosa em geral.

Insuficiência Renal72 e Hepática73Cimzia não foi estudado nessa população de pacientes. Existem dados insuficientes para fornecer recomendação de dose.

Modo de usar

Para que você ou outra pessoa possa aplicar a injeção70 de Cimzia, vocês devem ter sido orientados anteriormente por um médico ou profissional da saúde65 quanto a técnica apropriada e sua habilidade para aplicar este medicamento e garantir uma administração correta.

Cimzia deve ser descartado caso apresente partículas visíveis ou alterações de coloração.

Cimzia deve ser administrado por via subcutânea1, ou seja, debaixo da pele38.

Seu médico deve informar a quantidade de Cimzia a ser aplicada e com que frequência você deverá aplicá-lo, com base nas suas condições a serem tratadas. Não utilize ou aplique uma quantidade maior do que a prescrita pelo seu médico.

Dependendo da quantidade de Cimzia prescrita pelo seu médico, você poderá precisar de mais de uma injeção70 por vez. Se o médico prescrever 400 mg de Cimzia, você precisará aplicar 2 injeções, isto é, será necessário utilizar 2 seringas de Cimzia.

Cimzia deve ser injetado por via subcutânea1 no abdômen ou nas coxas74. Se sua prescrição for de mais de 1 injeção70, cada injeção70 deve ser aplicada em locais diferentes, no seu abdômen ou coxa75.

Certifique-se que a solução da seringa2 preenchida é límpida, incolor a amarelada, e livre de partículas visíveis. Não utilize Cimzia se a solução estiver turva ou se estiver com partículas grandes e coloridas.

Procure manter as consultas de acompanhamento com o seu médico em dia.

Instruções de Uso

Após treinamento adequado, a injeção70 pode ser administrada por você ou por qualquer outra pessoa, como por exemplo, algum membro da sua família ou amigo. As instruções a seguir explicam como aplicar a injeção70 de Cimzia. Leia e siga as instruções atentamente e passo a passo. Você será orientado pelo seu médico ou por um profissional da saúde65 quanto à técnica de auto-aplicação. Não tente realizar a auto-aplicação até que você tenha certeza que entendeu como deve preparar e administrar a injeção70.

Não se deve misturar outros medicamentos na seringa2 de Cimzia.

1. Preparação

  • Lave suas mãos76 delicadamente.
  • Retire da embalagem de Cimzia os seguintes itens e coloque-os sobre uma superfície limpa
    - a seringa2 preenchida
    - o lenço umedecido em álcool.
  • Verifique a data de validade descrita na seringa2 e na embalagem. Não utilize Cimzia após a data de validade que está impressa na seringa2 e na embalagem. A data de validade refere-se ao último dia do mês informado.
  • Aguarde por 30 minutos até que a seringa2 preenchida atinja temperatura ambiente. Não tente aquecer a seringa2 de qualquer outro modo.

2. Escolhendo e preparando o local de injeção70

  • Escolha um local em sua barriga ou coxas74.
  • Cada nova injeção70 deve ser administrada em um local diferente do local da última injeção70.
  • Não injete a seringa2 em áreas que a pele38 esteja avermelhada, machucada ou endurecida.
  • Limpe o local de injeção70 com o lenço umedecido em álcool, usando movimentos circulares de dentro para fora.
  • Não toque na área limpa antes da injeção70.

3. Injeção70

  • Não agite a seringa2.
  • Remova a capa da agulha, tomando cuidado para não encostar seus dedos na agulha ou deixar a agulha em contato com qualquer superfície. Não force a agulha.
  • Verifique se o medicamento na seringa2 é claro a amarelado e livre de partículas. Uma bolha77 de ar poderá ser vista, isto é normal. Não é necessário remover bolhas de ar antes da injeção70, a injeção70 de solução com bolhas de ar, por via subcutânea1, é inofensiva.
  • Delicadamente, pressione o local limpo de injeção70 e segure com firmeza.
  • Com a outra mão78, segure a seringa2 em um ângulo de 45º em relação a pele38.
  • Com um movimento rápido e curto, introduza a agulha por completo na pele38.
  • Pressione o êmbolo79 para injetar a solução. São necessários aproximadamente 10 segundos para esvaziar a seringa2.
  • Quando a seringa2 estiver vazia, retire cuidadosamente a agulha da pele38 no mesmo ângulo em que ela foi introduzida.
  • Libere a pele38 que foi pressionada com a primeira mão78.
  • Utilize um pedaço de gaze para fazer pressão no local de injeção70 por alguns segundos. Não esfregue o local de injeção70. Você pode cobrir o local de injeção70 com um curativo pequeno ou bandagem, se necessário.

4. Descartando o material utilizado

  • Não se deve reutilizar a seringa2 ou reencapar a agulha.
  • Imediatamente após a injeção70, descarte a seringa2 em um recipiente adequado conforme orientação do seu médico, enfermeira ou farmacêutico.
  • Mantenha este recipiente fora do alcance das crianças.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Não se esqueça de administrar qualquer dose de Cimzia. Se você esquecer de administrar Cimzia, injete a dose esquecida assim que se lembrar e injete a próxima dose como estabelecido no esquema de dose programado pelo seu médico.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE CAUSAR?

Podem ocorrer as seguintes reações adversas:

Reação comum (ocorreram entre 1% e 10% dos pacientes que utilizaram este medicamento): Infecção22 causada por bactérias (incluindo tuberculose21 [pulmonar, extrapulmonar e disseminada] e abscessos26); Infecções24 causadas por vírus36 (incluindo herpes, ferida em várias partes do corpo); Infecção22 pelo vírus36 papilomavirus (que pode afetar a pele38, mucosa80 genital feminina e masculina); Gripe32; Alterações nas células sanguíneas60 chamadas eosinófilos81 e leucócitos82 (incluindo linfopenia [diminuição dos linfócitos] e neutropenia83 [diminuição dos neutrófilos84]); Dor de cabeça85 (incluindo enxaqueca86); Anormalidade nos sentidos; Náusea87 (enjoo); Vômito88; Hepatite35 (inflamação13 do fígado89, incluindo aumento das enzimas do fígado89); Rash90 (erupção48 na pele38 com aspecto avermelhado); Febre31; Dor em qualquer local; Astenia91 (cansaço); Prurido92 (coceira em qualquer local do corpo); Reação no local de injeção70.

Reação incomum (ocorreram entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizaram este medicamento): Infecções24 causadas por fungos (incluindo oportunistas); Sepse25 (incluindo falência múltipla dos órgãos); Tumor93 em órgão sólido; Tumor93 no estômago94 e/ou intestino (trato gastrintestinal); Tumor93 benigno (não nocivo) e cistos (incluindo papiloma de pele38); Anemia95 (redução de hemoglobina96, proteína que confere a cor, transporta oxigênio e ferro do sangue59); Trombocitopenia97 (redução do número de plaquetas98, um fragmento16 celular responsável pela coagulação64 no sangue59); Leucocitose99 (aumento do número de leucócito, uma célula45 de defesa no sangue59); Linfoadenopatia100 (aumento do tamanho dos gânglios linfáticos101); Trombocitose102 (aumento do número de plaquetas98); Vasculites (inflamação13 dos vasos sanguíneos103); Lupus62 eritematoso104 (doença no tecido28 imune/conectivo, os sintomas6 são dores nas articulações10, pele38 avermelhada, sensibilidade à luz e febre31); Condições alérgicas, incluindo reação alérgica51 ao medicamento; Psoríase105 (doença da pele38 que causa descamação106 e vermelhidão) e condições relacionadas; Auto- anticorpos18 positivos (presença de um tipo de proteína produzida pelo sistema imune107 que atua contra uma ou mais proteínas19 do próprio indivíduo que a produziu); Desequilíbrio eletrolítico (alteração do nível de diferentes sais do sangue59); Dislipidemia (alteração dos níveis de gordura108 no sangue59); Alterações do apetite; Mudança de peso; Ansiedade; Alterações do humor; Neuropatia periférica57; Tonturas109; Tremor; Alterações visuais (incluindo diminuição da visão110); Inflamação13 de olhos111 e pálpebras112; Alterações lacrimais; Zumbido; Vertigem113; Alterações isquêmicas da artéria114 coronariana (incluindo infarto do miocárdio115 e dor no peito116 [angina117 pectoris]); Arritmias118 (alterações do ritmo do coração119, incluindo fibrilação atrial); Palpitação120; Hemorragia121 ou sangramento em qualquer local; Hipercoagulação (aumento da coagulação64 do sangue59, incluindo embolismo122 pulmonar [bloqueio da artéria114 do pulmão123] e tromboflebite124 [inflamação13 dos vasos]); Desmaio; Queda da pressão arterial125; Elevação da pressão arterial125; Edema126 (inchaço47, incluindo das extremidades [periférico] e do rosto [facial]); Equimose127 (aparecimento de manchas roxas na pele38, incluindo hematoma128 e petéqueas); Efusão129 pleural (acúmulo de líquido no pulmão123) e sintomas6 relacionados; Asma130 e sintomas6 relacionados; Falta de ar (dispneia131); Congestão e inflamação13 do trato respiratório; Tosse; Sinais5 e sintomas6 da doença de Crohn4 (incluindo estenose132 [estreitamento intestinal]); Ulceração133 e perfuração do estômago94 e/ou intestino; Inflamação13 do estômago94 e/ou intestino em qualquer parte; Dispepsia134 (dificuldade de digestão135); Estomatite136 (inflamação13 na cavidade bucal); Distensão abdominal; Boca7 e garganta137 secas; Hepatopatia (doenças do fígado89, incluindo cirrose138); Colestasia (diminuição do fluxo da bile139); Aumento da bilirrubina140 no sangue59; Queda de cabelo141; Irritações na pele38 (dermatites e eczema142); Alterações no suor (glândula143 sudorípara); Sensibilidade a luz; Alterações de unhas144 e cutículas145; Acne146; Ressecamento da pele38; Artrite12 (inflamação13 das articulações10); Aumento da creatinina147 fosfoquinase no sangue59; Alterações musculares; Comprometimento renal148; Sangue59 na urina149; Nefrolitiase (cálculos renais); Sintomas6 na bexiga150 e uretra151; Alterações na urina149 (uroanálise anormal); Alterações do ciclo menstrual (período mensal) e sangramento uterino (incluindo ausência da menstruação152); Alterações mamárias; Fistula153 em qualquer local; Calafrios154; Sintomas6 de gripe32; Percepção de temperatura alterada; Suor noturno; Rubor (vermelhidão da pele38 em qualquer parte do corpo); Aumento da fosfatase alcalina155 no sangue59; prolongamento do tempo de coagulação64; Lesões11 de pele38; Cicatrização deficiente.

Reação rara (ocorreram entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizaram este medicamento): Tumores no sistema linfático156 e sanguíneo; Melanoma43 (tumores de pele38); Câncer39 de pele38 não melanoma43; Lesões11 pré-cancerígenas (incluindo leucoplaquia oral, nevo157 melanocítico); Pancitopenia158 (diminuição das células sanguíneas60); Esplenomegalia159 (aumento do volume do baço160); Eritrocitose (aumento do número de células42 vermelhas do sangue59); Forma anormal das células42 brancas; Edema angioneurótico161 (inchaço47 dos lábios, face162 e garganta137); Sarcoidose163 (alteração imune que causa rash90, dor nas articulações10 e febre31); Doença do soro49; Paniculite (formação de nódulos dolorosos, incluindo eritema nodoso164); Alterações da tireoide165; Alteração da glicose166 do sangue59; Hipoalbuminemia167 (diminuição de uma proteína chamada albumina168 do sangue59); Hipoproteinemia (diminuição das proteínas19 do sangue59); Hemosiderose (deposição do pigmento hemossiderina nos tecidos do corpo); Tentativa de suicídio; Delírio169; Comprometimento mental; Agressão; Alterações de desmielinização (incluindo inflamação13 do nervo do crânio56); Convulsão170; Doença semelhante ao Parkinson (alterações extra-piramidais); Neuralgia171 do trigêmeo (dor associada ao nervo da face162 chamado trigêmeo); Deficiência da coordenação ou equilíbrio; Disfonia172 (alteração na voz); Face162 congelada; Alterações do sono; Perda da audição; Cardiomiopatia (doença do músculo cardíaco173, incluindo falência cardíaca [quando o coração119 não bombeia sangue59 suficiente para o corpo]); Pericardite174 (inflamação13 do pericárdio175); Bloqueio de condução (bloqueio do estimulo elétrico do coração119); Choque176; Acidente vascular cerebral177 (AVC); Arterioesclerose178 (formação de trombos179 nas artérias180); Fenômeno de Raynaud181 (alterações nos vasos sanguíneos103 que causa descoloração dos dedos das mãos76 e pés e ocasionalmente outras extremidades); Livedo reticular182 (linhas avermelhadas na pele38); Telangiectasia183 (dilatação anormal dos vasos sanguíneos103); Doença pulmonar intersticial184; Pneumonite185 (inflamação13 dos pulmões23); Úlcera186 nasal; Obstrução intestinal; Ascite187 (acúmulo de líquido na cavidade abdominal188); Odinofagia189 (dor ao engolir); Fissura190 anal; Aumento da motilidade intestinal; Colelitíase191 (cálculos biliares); Dermatose192 neutrofílica febril aguda (Doença dermatológica caracterizada por febre31, dor muscular, dor nas articulações10); Esfoliação e descamação106 da pele38; Condições bolhosas; Ulcera186 de pele38; Rosácea (erupções vermelhas na pele38); Pitiríase Rósea (erupções cutâneas193 ovaladas de cor avermelhada); Estria; Descoloração da pele38; Alterações na textura capilar194; Síndrome de Stevens-Johnson195 (condição de pele38 grave cujos primeiros sintomas6 incluem mal-estar, febre31, dor de cabeça85 e erupção48 cutânea196); Eritema Multiforme197 (erupção48 inflamatória da pele38); Tendinoses (inflamação13 dos tendões198); Nefropatia199 (doença renal148, incluindo inflamação13 dos néfrons200); Aborto espontâneo; Azoospermia201 (ausência de espermatozóides202 no ejaculado); Balanite (infecção22 ou inflamação13 na glande do pênis203); Corrimento Vaginal; Disfunção sexual; Aumento do ácido úrico do sangue59.

Atenção: este produto é um medicamento novo e, embora as pesquisas tenham indicado eficácia e segurança aceitáveis, mesmo que indicado e utilizado corretamente, podem ocorrer eventos adversos imprevisíveis ou desconhecidos. Nesse caso, informe seu médico.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA GRANDE QUANTIDADE DESTE MEDICAMENTO DE UMA SÓ VEZ?

Caso alguém use uma grande quantidade deste medicamento deve procurar imediatamente um hospital para que os efeitos adversos ou os efeitos do medicamento possam ser monitorados e um tratamento para os sintomas6 possa ser imediatamente instituído.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
 

MS 1.2361.0087.001-4
Responsável Técnico: Tânia Regina S. Bacci CRF-SP: 23.642

Fabricado por:
Vetter Pharma-Fertigung GmbH & Co. KG – Eisenbahnstrasse – Langenargen - Alemanha

Embalado por:
UCB Pharma S.A – Chemin du Foriest – Braine-l’ Alleud – Bélgica

Importado e registrado por:
UCB Biopharma Ltda
Avenida Brigadeiro Faria Lima, 4300 – 2º andar – Itaim Bibi
CEP: 04538-132 - São Paulo/SP
C.N.P.J.: 64.711.500/0001-14


SAC 0800 166613

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Subcutânea: Feita ou situada sob a pele; hipodérmica.
2 Seringa: Dispositivo usado para injetar medicações ou outros líquidos nos tecidos do corpo. A seringa de insulina é formada por um tubo plástico com um êmbolo e uma agulha pequena na ponta.
3 Necrose: Conjunto de processos irreversíveis através dos quais se produz a degeneração celular seguida de morte da célula.
4 Doença de Crohn: Doença inflamatória crônica do intestino que acomete geralmente o íleo e o cólon, embora possa afetar qualquer outra parte do intestino. A doença cursa com períodos de remissão sintomática e outros de agravamento. Na maioria dos casos, a doença de Crohn é de intensidade moderada e se torna bem controlada pela medicação, tornando possível uma vida razoavelmente normal para seu portador. A causa da doença de Crohn ainda não é totalmente conhecida. Os sintomas mais comuns são: dor abdominal, diarreia, perda de peso, febre moderada, sensação de distensão abdominal, perda de apetite e de peso.
5 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
6 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
7 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
8 Ânus: Segmento terminal do INTESTINO GROSSO, começando na ampola do RETO e terminando no ânus.
9 Artrite reumatóide: Doença auto-imune de etiologia desconhecida, caracterizada por poliartrite periférica, simétrica, que leva à deformidade e à destruição das articulações por erosão do osso e cartilagem. Afeta mulheres duas vezes mais do que os homens e sua incidência aumenta com a idade. Em geral, acomete grandes e pequenas articulações em associação com manifestações sistêmicas como rigidez matinal, fadiga e perda de peso. Quando envolve outros órgãos, a morbidade e a gravidade da doença são maiores, podendo diminuir a expectativa de vida em cinco a dez anos.
10 Articulações:
11 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
12 Artrite: Inflamação de uma articulação, caracterizada por dor, aumento da temperatura, dificuldade de movimentação, inchaço e vermelhidão da área afetada.
13 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
14 PCR: Reação em cadeia da polimerase (em inglês Polymerase Chain Reaction - PCR) é um método de amplificação de DNA (ácido desoxirribonucleico).
15 Ressonância magnética: Exame que fornece imagens em alta definição dos órgãos internos do corpo através da utilização de um campo magnético.
16 Fragmento: 1. Pedaço de coisa que se quebrou, cortou, rasgou etc. É parte de um todo; fração. 2. No sentido figurado, é o resto de uma obra literária ou artística cuja maior parte se perdeu ou foi destruída. Ou um trecho extraído de uma obra.
17 Anticorpo: Proteína circulante liberada pelos linfócitos em reação à presença no organismo de uma substância estranha (antígeno).
18 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
19 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
20 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
21 Tuberculose: Doença infecciosa crônica produzida pelo bacilo de Koch (Mycobacterium tuberculosis). Produz doença pulmonar, podendo disseminar-se para qualquer outro órgão. Os sintomas de tuberculose pulmonar consistem em febre, tosse, expectoração, hemoptise, acompanhada de perda de peso e queda do estado geral. Em países em desenvolvimento (como o Brasil) aconselha-se a vacinação com uma cepa atenuada desta bactéria (vacina BCG).
22 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
23 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
24 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
25 Sepse: Infecção produzida por um germe capaz de provocar uma resposta inflamatória em todo o organismo. Os sintomas associados a sepse são febre, hipotermia, taquicardia, taquipnéia e elevação na contagem de glóbulos brancos. Pode levar à morte, se não tratada a tempo e corretamente.
26 Abscessos: Acumulação de pus em uma cavidade formada acidentalmente nos tecidos orgânicos, ou mesmo em órgão cavitário, em consequência de inflamação seguida de infecção.
27 Pus: Secreção amarelada, freqüentemente mal cheirosa, produzida como conseqüência de uma infecção bacteriana e formada por leucócitos em processo de degeneração, plasma, bactérias, proteínas, etc.
28 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
29 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
30 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
31 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
32 Gripe: Doença viral adquirida através do contágio interpessoal que se caracteriza por faringite, febre, dores musculares generalizadas, náuseas, etc. Sua duração é de aproximadamente cinco a sete dias e tem uma maior incidência nos meses frios. Em geral desaparece naturalmente sem tratamento, apenas com medidas de controle geral (repouso relativo, ingestão de líquidos, etc.). Os antibióticos não funcionam na gripe e não devem ser utilizados de rotina.
33 Apatia: 1. Em filosofia, para os céticos e os estoicos, é um estado de insensibilidade emocional ou esmaecimento de todos os sentimentos, alcançado mediante o alargamento da compreensão filosófica. 2. Estado de alma não suscetível de comoção ou interesse; insensibilidade, indiferença. 3. Em psicopatologia, é o estado caracterizado por indiferença, ausência de sentimentos, falta de atividade e de interesse. 4. Por extensão de sentido, é a falta de energia (física e moral), falta de ânimo; abatimento, indolência, moleza.
34 Preventivo: 1. Aquilo que previne ou que é executado por medida de segurança; profilático. 2. Na medicina, é qualquer exame ou grupo de exames que têm por objetivo descobrir precocemente lesão suscetível de evolução ameaçadora da vida, como as lesões malignas. 3. Em ginecologia, é o exame ou conjunto de exames que visa surpreender a presença de lesão potencialmente maligna, ou maligna em estágio inicial, especialmente do colo do útero.
35 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
36 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
37 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
38 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
39 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
40 Leucemia: Doença maligna caracterizada pela proliferação anormal de elementos celulares que originam os glóbulos brancos (leucócitos). Como resultado, produz-se a substituição do tecido normal por células cancerosas, com conseqüente diminuição da capacidade imunológica, anemia, distúrbios da função plaquetária, etc.
41 Linfoma: Doença maligna que se caracteriza pela proliferação descontrolada de linfócitos ou seus precursores. A pessoa com linfoma pode apresentar um aumento de tamanho dos gânglios linfáticos, do baço, do fígado e desenvolver febre, perda de peso e debilidade geral.
42 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
43 Melanoma: Neoplasia maligna que deriva dos melanócitos (as células responsáveis pela produção do principal pigmento cutâneo). Mais freqüente em pessoas de pele clara e exposta ao sol.Podem derivar de manchas prévias que mudam de cor ou sangram por traumatismos mínimos, ou instalar-se em pele previamente sã.
44 Carcinoma: Tumor maligno ou câncer, derivado do tecido epitelial.
45 Célula: Unidade funcional básica de todo tecido, capaz de se duplicar (porém algumas células muito especializadas, como os neurônios, não conseguem se duplicar), trocar substâncias com o meio externo à célula, etc. Possui subestruturas (organelas) distintas como núcleo, parede celular, membrana celular, mitocôndrias, etc. que são as responsáveis pela sobrevivência da mesma.
46 Insuficiência Cardíaca Congestiva: É uma incapacidade do coração para efetuar as suas funções de forma adequada como conseqüência de enfermidades do próprio coração ou de outros órgãos. O músculo cardíaco vai diminuindo sua força para bombear o sangue para todo o organismo.
47 Inchaço: Inchação, edema.
48 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
49 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
50 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
51 Reação alérgica: Sensibilidade a uma substância específica, chamada de alérgeno, com a qual se entra em contato por meio da pele, pulmões, deglutição ou injeções.
52 Desmielinizante: Que remove ou destrói a bainha de mielina de nervo ou trato nervoso.
53 Bainha de mielina: É uma bainha rica em lipídeos revestindo muitos axônios tanto no sistema nervoso central como no sistema nervoso periférico. Ela é um isolante elétrico que permite uma condução mais rápida e mais energeticamente eficiente dos impulsos nervosos. Esta bainha é formada pelas membranas celulares das células da glia (células de Schwann no sistema nervoso periférico e oligodendróglia no sistema nervoso central).
54 Neurônios: Unidades celulares básicas do tecido nervoso. Cada neurônio é formado por corpo, axônio e dendritos. Sua função é receber, conduzir e transmitir impulsos no SISTEMA NERVOSO. Sinônimos: Células Nervosas
55 Esclerose múltipla: Doença degenerativa que afeta o sistema nervoso, produzida pela alteração na camada de mielina. Caracteriza-se por alterações sensitivas e de motilidade que evoluem através do tempo produzindo dano neurológico progressivo.
56 Crânio: O ESQUELETO da CABEÇA; compreende também os OSSOS FACIAIS e os que recobrem o CÉREBRO. Sinônimos: Calvaria; Calota Craniana
57 Neuropatia periférica: Dano causado aos nervos que afetam os pés, as pernas e as mãos. A neuropatia causa dor, falta de sensibilidade ou formigamentos no local.
58 Mielite: Doença caracterizada pela inflamação infecciosa ou imunológica da medula espinhal, que se caracteriza pelo surgimento de déficits de força ou sensibilidade de diferentes territórios do corpo dependendo da região da medula que está comprometida.
59 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
60 Células Sanguíneas: Células encontradas no líquido corpóreo circulando por toda parte do SISTEMA CARDIOVASCULAR.
61 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
62 Lúpus: 1. É uma inflamação crônica da pele, caracterizada por ulcerações ou manchas, conforme o tipo específico. 2. Doença autoimune rara, mais frequente nas mulheres, provocada por um desequilíbrio do sistema imunológico. Nesta patologia, a defesa imunológica do indivíduo se vira contra os tecidos do próprio organismo como pele, articulações, fígado, coração, pulmão, rins e cérebro. Essas múltiplas formas de manifestação clínica, às vezes, podem confundir e retardar o diagnóstico. Lúpus exige tratamento cuidadoso por médicos especializados no assunto.
63 Vacina: Tratamento à base de bactérias, vírus vivos atenuados ou seus produtos celulares, que têm o objetivo de produzir uma imunização ativa no organismo para uma determinada infecção.
64 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
65 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
66 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
67 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
68 Contracepção: Qualquer processo que evite a fertilização do óvulo ou a implantação do ovo. Os métodos de contracepção podem ser classificados de acordo com o seu objetivo em barreiras mecânicas ou químicas, impeditivas de nidação e contracepção hormonal.
69 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
70 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
71 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
72 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
73 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
74 Coxas: É a região situada abaixo da virilha e acima do joelho, onde está localizado o maior osso do corpo humano, o fêmur.
75 Coxa: É a região situada abaixo da virilha e acima do joelho, onde está localizado o maior osso do corpo humano, o fêmur.
76 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
77 Bolha: 1. Erupção cutânea globosa entre as camadas superficiais da epiderme, cheia de serosidade, líquido claro, pus ou sangue, causada por inflamação, queimadura, atrito, efeito de certas enfermidades, etc. Deve ter mais de 0,5 cm. Quando tem um tamanho menor devem ser chamadas de “vesículas”. 2. Bola ou glóbulo cheio de gás, ar ou vapor que se forma (ou se formou) em alguma substância líquida ou pastosa, especialmente ao ser agitada ou por ebulição ou fermentação. 3. Saliência oca em uma superfície.
78 Mão: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
79 Êmbolo: 1. Cilindro ou disco que se move em vaivém no interior de seringas, bombas, etc. 2. Na engenharia mecânica, é um cilindro metálico deslizante que recebe um movimento de vaivém no interior de um cilindro de motor de combustão interna. 3. Em artes gráficas, é uma haste de ferro com um cilindro, articulada para comprimir e lançar o chumbo ao molde. 4. Em patologia, é um coágulo ou outro tampão trazido pela corrente sanguínea a partir de um vaso distante, que obstrui a circulação ao ser forçado contra um vaso menor. 5. Na anatomia zoológica, nas aranhas, é um prolongamento delgado no ápice do aparelho copulador masculino.
80 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
81 Eosinófilos: Eosinófilos ou granulócitos eosinófilos são células sanguíneas responsáveis pela defesa do organismo contra parasitas e agentes infecciosos. Também participam de processos inflamatórios em doenças alérgicas e asma.
82 Leucócitos: Células sangüíneas brancas. Compreendem tanto os leucócitos granulócitos (BASÓFILOS, EOSINÓFILOS e NEUTRÓFILOS) como os não granulócitos (LINFÓCITOS e MONÓCITOS). Sinônimos: Células Brancas do Sangue; Corpúsculos Sanguíneos Brancos; Corpúsculos Brancos Sanguíneos; Corpúsculos Brancos do Sangue; Células Sanguíneas Brancas
83 Neutropenia: Queda no número de neutrófilos no sangue abaixo de 1000 por milímetro cúbico. Esta é a cifra considerada mínima para manter um sistema imunológico funcionando adequadamente contra os agentes infecciosos mais freqüentes. Quando uma pessoa neutropênica apresenta febre, constitui-se uma situação de “emergência infecciosa”.
84 Neutrófilos: Leucócitos granulares que apresentam um núcleo composto de três a cinco lóbulos conectados por filamenos delgados de cromatina. O citoplasma contém grânulos finos e inconspícuos que coram-se com corantes neutros.
85 Cabeça:
86 Enxaqueca: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
87 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
88 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
89 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
90 Rash: Coloração avermelhada da pele como conseqüência de uma reação alérgica ou infecção.
91 Astenia: Sensação de fraqueza, sem perda real da capacidade muscular.
92 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
93 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
94 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
95 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
96 Hemoglobina: Proteína encarregada de transportar o oxigênio desde os pulmões até os tecidos do corpo. Encontra-se em altas concentrações nos glóbulos vermelhos.
97 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
98 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.
99 Leucocitose: É o aumento no número de glóbulos brancos (leucócitos) no sangue, geralmente maior que 8.000 por mm³. Ocorre em diferentes patologias como em resposta a infecções ou processos inflamatórios. Entretanto, também pode ser o resultado de uma reação normal em certas condições como a gravidez, a menstruação e o exercício muscular.
100 Linfoadenopatia: Também conhecida como linfadenopatia, é qualquer processo patológico que afeta os nódulos linfáticos.
101 Gânglios linfáticos: Estrutura pertencente ao sistema linfático, localizada amplamente em diferentes regiões superficiais e profundas do organismo, cuja função consiste na filtração da linfa, maturação e ativação dos linfócitos, que são elementos importantes da defesa imunológica do organismo.
102 Trombocitose: É o número excessivo de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitopenia. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é superior a 750.000/mm³ (e particularmente acima de 1.000.000/mm³) justifica-se investigação e intervenção médicas. Quanto à origem, pode ser reativa ou primária (provocada por doença mieloproliferativa). Apesar de freqüentemente ser assintomática (particularmente quando se origina como uma reação secundária), pode provocar uma predisposição para a trombose.
103 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
104 Eritematoso: Relativo a ou próprio de eritema. Que apresenta eritema. Eritema é uma vermelhidão da pele, devido à vasodilatação dos capilares cutâneos.
105 Psoríase: Doença imunológica caracterizada por lesões avermelhadas com descamação aumentada da pele dos cotovelos, joelhos, couro cabeludo e costas juntamente com alterações das unhas (unhas em dedal). Evolui através do tempo com melhoras e pioras, podendo afetar também diferentes articulações.
106 Descamação: 1. Ato ou efeito de descamar(-se); escamação. 2. Na dermatologia, fala-se da eliminação normal ou patológica da camada córnea da pele ou das mucosas. 3. Formação de cascas ou escamas, devido ao intemperismo, sobre uma rocha; esfoliação térmica.
107 Sistema imune: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
108 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
109 Tonturas: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
110 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
111 Olhos:
112 Pálpebras:
113 Vertigem: Alucinação de movimento. Pode ser devido à doença do sistema de equilíbrio, reação a drogas, etc.
114 Artéria: Vaso sangüíneo de grande calibre que leva sangue oxigenado do coração a todas as partes do corpo.
115 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
116 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
117 Angina: Inflamação dos elementos linfáticos da garganta (amígdalas, úvula). Também é um termo utilizado para se referir à sensação opressiva que decorre da isquemia (falta de oxigênio) do músculo cardíaco (angina do peito).
118 Arritmias: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
119 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
120 Palpitação: Designa a sensação de consciência do batimento do coração, que habitualmente não se sente. As palpitações são detectadas usualmente após um exercício violento, em situações de tensão ou depois de um grande susto, quando o coração bate com mais força e/ou mais rapidez que o normal.
121 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
122 Embolismo: É o mesmo que embolia, mas é um termo menos usado. Significa obstrução de um vaso, frequentemente uma artéria, pela migração de um corpo estranho (chamado de êmbolo) levado pela corrente sanguínea.
123 Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.
124 Tromboflebite: Processo inflamatório de um segmento de uma veia, geralmente de localização superficial (veia superficial), juntamente com formação de coágulos na zona afetada. Pode surgir posteriormente a uma lesão pequena numa veia (como após uma injeção ou um soro intravenoso) e é particularmente frequente nos toxico-dependentes que se injetam. A tromboflebite pode desenvolver-se como complicação de varizes. Existe uma tumefação e vermelhidão (sinais do processo inflamatório) ao longo do segmento de veia atingido, que é extremamante doloroso à palpação. Ocorrem muitas vezes febre e mal-estar.
125 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
126 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
127 Equimose: Mancha escura ou azulada devido à infiltração difusa de sangue no tecido subcutâneo. A maioria aparece após um traumatismo, mas pode surgir espontaneamente em pessoas que apresentam fragilidade capilar ou alguma coagulopatia. Após um período de tempo variável, a equimose desaparece passando por diferentes gradações: violácea, acastanhada, esverdeada e amarelada.
128 Hematoma: Acúmulo de sangue em um órgão ou tecido após uma hemorragia.
129 Efusão: 1. Saída de algum líquido ou gás; derramamento, espalhamento. 2. No sentido figurado, manifestação expansiva de sentimentos amistosos, de afeto, de alegria. 3. Escoamento de um gás através de uma pequena abertura, causado pela agitação térmica das moléculas do gás. 4. Derramamento de lava relativamente fluida sobre a superfície terrestre.
130 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
131 Dispnéia: Falta de ar ou dificuldade para respirar caracterizada por respiração rápida e curta, geralmente está associada a alguma doença cardíaca ou pulmonar.
132 Estenose: Estreitamento patológico de um conduto, canal ou orifício.
133 Ulceração: 1. Processo patológico de formação de uma úlcera. 2. A úlcera ou um grupo de úlceras.
134 Dispepsia: Dor ou mal-estar localizado no abdome superior. O mal-estar pode caracterizar-se por saciedade precoce, sensação de plenitude, distensão ou náuseas. A dispepsia pode ser intermitente ou contínua, podendo estar relacionada com os alimentos.
135 Digestão: Dá-se este nome a todo o conjunto de processos enzimáticos, motores e de transporte através dos quais os alimentos são degradados a compostos mais simples para permitir sua melhor absorção.
136 Estomatite: Inflamação da mucosa oral produzida por infecção viral, bacteriana, micótica ou por doença auto-imune. É caracterizada por dor, ardor e vermelhidão da mucosa, podendo depositar-se sobre a mesma uma membrana brancacenta (leucoplasia), ou ser acompanhada de bolhas e vesículas.
137 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
138 Cirrose: Substituição do tecido normal de um órgão (freqüentemente do fígado) por um tecido cicatricial fibroso. Deve-se a uma agressão persistente, infecciosa, tóxica ou metabólica, que produz perda progressiva das células funcionalmente ativas. Leva progressivamente à perda funcional do órgão.
139 Bile: Agente emulsificador produzido no FÍGADO e secretado para dentro do DUODENO. Sua composição é formada por s ÁCIDOS E SAIS BILIARES, COLESTEROL e ELETRÓLITOS. A bile auxilia a DIGESTÃO das gorduras no duodeno.
140 Bilirrubina: Pigmento amarelo que é produto da degradação da hemoglobina. Quando aumenta no sangue, acima de seus valores normais, pode produzir uma coloração amarelada da pele e mucosas, denominada icterícia. Pode estar aumentado no sangue devido a aumento da produção do mesmo (excesso de degradação de hemoglobina) ou por dificuldade de escoamento normal (por exemplo, cálculos biliares, hepatite).
141 Cabelo: Estrutura filamentosa formada por uma haste que se projeta para a superfície da PELE a partir de uma raiz (mais macia que a haste) e se aloja na cavidade de um FOLÍCULO PILOSO. É encontrado em muitas áreas do corpo.
142 Eczema: Afecção alérgica da pele, ela pode ser aguda ou crônica, caracterizada por uma reação inflamatória com formação de vesículas, desenvolvimento de escamas e prurido.
143 Glândula: Estrutura do organismo especializada na produção de substâncias que podem ser lançadas na corrente sangüínea (glândulas endócrinas) ou em uma superfície mucosa ou cutânea (glândulas exócrinas). A saliva, o suor, o muco, são exemplos de produtos de glândulas exócrinas. Os hormônios da tireóide, a insulina e os estrógenos são de secreção endócrina.
144 Unhas: São anexos cutâneos formados por células corneificadas (queratina) que formam lâminas de consistência endurecida. Esta consistência dura, confere proteção à extremidade dos dedos das mãos e dos pés. As unhas têm também função estética. Apresentam crescimento contínuo e recebem estímulos hormonais e nutricionais diversos.
145 Cutículas: 1. Na anatomia geral, é uma pequena porção de pele enrijecida, como a que está presente no contorno das unhas; pele da unha, pelinha. 2. Na anatomia botânica, é a camada de material graxo, cutina, mais ou menos impermeável, presente na parede externa das células epidérmicas das partes aéreas das plantas. 3. Na anatomia zoológica, é a camada externa, não celular, que recobre o corpo dos artrópodes.
146 Acne: Doença de predisposição genética cujas manifestações dependem da presença dos hormônios sexuais. As lesões começam a surgir na puberdade, atingindo a maioria dos jovens de ambos os sexos. Os cravos e espinhas ocorrem devido ao aumento da secreção sebácea associada ao estreitamento e obstrução da abertura do folículo pilosebáceo, dando origem aos comedões abertos (cravos pretos) e fechados (cravos brancos). Estas condições favorecem a proliferação de microorganismos que provocam a inflamação característica das espinhas, sendo o Propionibacterium acnes o agente infeccioso mais comumente envolvido.
147 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
148 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
149 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
150 Bexiga: Órgão cavitário, situado na cavidade pélvica, no qual é armazenada a urina, que é produzida pelos rins. É uma víscera oca caracterizada por sua distensibilidade. Tem a forma de pêra quando está vazia e a forma de bola quando está cheia.
151 Uretra: É um órgão túbulo-muscular que serve para eliminação da urina.
152 Menstruação: Sangramento cíclico através da vagina, que é produzido após um ciclo ovulatório normal e que corresponde à perda da camada mais superficial do endométrio uterino.
153 Fístula: Comunicação anormal entre dois órgãos ou duas seções de um mesmo órgão entre si ou com a superfície. Possui um conduto de paredes próprias.
154 Calafrios: 1. Conjunto de pequenas contrações da pele e dos músculos cutâneos ao longo do corpo, muitas vezes com tremores fortes e palidez, que acompanham uma sensação de frio provocada por baixa temperatura, má condição orgânica ou ainda por medo, horror, nojo, etc. 2. Sensação de frio e tremores fortes, às vezes com bater de dentes, que precedem ou acompanham acessos de febre.
155 Fosfatase alcalina: É uma hidrolase, ou seja, uma enzima que possui capacidade de retirar grupos de fosfato de uma distinta gama de moléculas, tais como nucleotídeos, proteínas e alcaloides. Ela é sintetizada por diferentes órgãos e tecidos, como, por exemplo, os ossos, fígado e placenta.
156 Sistema Linfático: Um sistema de órgãos e tecidos que processa e transporta células imunes e LINFA.
157 Nevo: Popularmente conhecido como “pinta“ ou sinal de nascença“. É uma mancha na pele que pode ser uma lesão plana ou elevada, pigmentada (de cor marrom, cinza, azul ou preto) ou não e pode apresentar potencial de malignização dependendo do tipo.
158 Pancitopenia: É a diminuição global de elementos celulares do sangue (glóbulos brancos, vermelhos e plaquetas).
159 Esplenomegalia: Aumento tamanho do baço acima dos limites normais
160 Baço:
161 Edema angioneurótico: Ataques recidivantes de edema transitório que aparecem subitamente em áreas da pele, membranas mucosas e ocasionalmente nas vísceras, geralmente associadas com dermatografismo, urticária, eritema e púrpura.
162 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
163 Sarcoidose: Sarcoidose ou Doença de Besnier-Boeck é caracterizada pelo aparecimento de pequenos nódulos inflamatórios (granulomas) em vários órgãos. A doença pode afetar qualquer orgão do corpo, mas os mais atingidos são os pulmões , os gânglios linfáticos (ínguas ), o fígado, o baço e a pele.
164 Eritema nodoso: Erupção eritematosa comumente associada a reações a medicamentos ou infecções e caracterizada por nódulos inflamatórios que são geralmente dolorosos, múltiplos e bilaterais. Esses nódulos são localizados predominantemente nas pernas, podendo também estar nas coxas e antebraços. Eles sofrem alterações de coloração características terminando em áreas tipo equimose temporárias. Regride em 3 a 6 semanas, em média, sem cicatriz ou atrofia.
165 Tireoide: Glândula endócrina altamente vascularizada, constituída por dois lobos (um em cada lado da TRAQUÉIA) unidos por um feixe de tecido delgado. Secreta os HORMÔNIOS TIREOIDIANOS (produzidos pelas células foliculares) e CALCITONINA (produzida pelas células para-foliculares), que regulam o metabolismo e o nível de CÁLCIO no sangue, respectivamente.
166 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
167 Hipoalbuminemia: Queda da albumina no sangue.
168 Albumina: Proteína encontrada no plasma, com importantes funções, como equilíbrio osmótico, transporte de substâncias, etc.
169 Delírio: Delirio é uma crença sem evidência, acompanhada de uma excepcional convicção irrefutável pelo argumento lógico. Ele se dá com plena lucidez de consciência e não há fatores orgânicos.
170 Convulsão: Episódio agudo caracterizado pela presença de contrações musculares espasmódicas permanentes e/ou repetitivas (tônicas, clônicas ou tônico-clônicas). Em geral está associada à perda de consciência e relaxamento dos esfíncteres. Pode ser devida a medicamentos ou doenças.
171 Neuralgia: Dor aguda produzida pela irritação de um nervo. Caracteriza-se por ser muito intensa, em queimação, pulsátil ou semelhante a uma descarga elétrica. Suas causas mais freqüentes são infecção, lesão metabólica ou tóxica do nervo comprometido.
172 Disfonia: Alteração da produção normal de voz.
173 Músculo Cardíaco: Tecido muscular do CORAÇÃO. Composto de células musculares estriadas e involuntárias (MIÓCITOS CARDÍACOS) conectadas, que formam a bomba contrátil geradora do fluxo sangüíneo.
174 Pericardite: Inflamação da membrana que recobre externamente o coração e os vasos sanguíneos que saem dele. Os sintomas dependem da velocidade e grau de lesão que produz. Variam desde dor torácica, febre, até o tamponamento cardíaco, que é uma emergência médica potencialmente fatal.
175 Pericárdio: Saco fibroseroso cônico envolvendo o CORAÇÃO e as raízes dos grandes vasos (AORTA, VEIA CAVA, ARTÉRIA PULMONAR). O pericárdio consiste em dois sacos, o pericárdio fibroso externo e o pericárdio seroso externo. O pericárdio seroso consiste em uma camada parietal externa e uma visceral interna próxima ao coração (epicárdio), com uma cavidade pericárdica no meio. Sinônimos: Epicárdio
176 Choque: 1. Estado de insuficiência circulatória a nível celular, produzido por hemorragias graves, sepse, reações alérgicas graves, etc. Pode ocasionar lesão celular irreversível se a hipóxia persistir por tempo suficiente. 2. Encontro violento, com impacto ou abalo brusco, entre dois corpos. Colisão ou concussão. 3. Perturbação brusca no equilíbrio mental ou emocional. Abalo psíquico devido a uma causa externa.
177 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
178 Arterioesclerose: Doença degenerativa da artéria devido à destruição das fibras musculares lisas e das fibras elásticas que a constituem, levando a um endurecimento da parede arterial, geralmente produzido por hipertensão arterial de longa duração ou pelo envelhecimento.
179 Trombos: Coágulo aderido à parede interna de uma veia ou artéria. Pode ocasionar a diminuição parcial ou total da luz do mesmo com sintomas de isquemia.
180 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
181 Fenômeno de Raynaud: O fenômeno de Raynaud (ou Raynaud secundário) ocorre subsequentemente a um grande grupo de doenças, como artrite, vasculite, esclerodermia, dentre outras. Esta forma de Raynaud pode progredir para necrose e gangrena dos dedos.
182 Reticular: Dar formato de rede a alguma coisa ou guarnecer de retículo ou retícula.
183 Telangiectasia: Dilatação permanente da parede de um pequeno vaso sanguíneo localizado na derme.
184 Intersticial: Relativo a ou situado em interstícios, que são pequenos espaços entre as partes de um todo ou entre duas coisas contíguas (por exemplo, entre moléculas, células, etc.). Na anatomia geral, diz-se de tecido de sustentação localizado nos interstícios de um órgão, especialmente de vasos sanguíneos e tecido conjuntivo.
185 Pneumonite: Inflamação dos pulmões que compromete principalmente o espaço que separa um alvéolo de outro (interstício pulmonar). Pode ser produzida por uma infecção viral ou lesão causada por radiação ou exposição a diferentes agentes químicos.
186 Úlcera: Ferida superficial em tecido cutâneo ou mucoso que pode ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
187 Ascite: Acúmulo anormal de líquido na cavidade peritoneal. Pode estar associada a diferentes doenças como cirrose, insuficiência cardíaca, câncer de ovário, esquistossomose, etc.
188 Cavidade Abdominal: Região do abdome que se estende do DIAFRAGMA torácico até o plano da abertura superior da pelve (passagem pélvica). A cavidade abdominal contém o PERiTÔNIO e as VÍSCERAS abdominais, assim como, o espaço extraperitoneal que inclui o ESPAÇO RETROPERITONEAL.
189 Odinofagia: Deglutição com dor.
190 Fissura: 1. Pequena abertura longitudinal em; fenda, rachadura, sulco. 2. Em geologia, é qualquer fratura ou fenda pouco alargada em terreno, rocha ou mesmo mineral. 3. Na medicina, é qualquer ulceração alongada e superficial. Também pode significar uma fenda profunda, sulco ou abertura nos ossos; cesura, cissura. 4. Rachadura na pele calosa das mãos ou dos pés, geralmente de pessoas que executam trabalhos rudes. 5. Na odontologia, é uma falha no esmalte de um dente. 6. No uso informal, significa apego extremo; forte inclinação; loucura, paixão, fissuração.
191 Colelitíase: Formação de cálculos no interior da vesícula biliar.
192 Dermatose: Qualquer moléstia da pele e de seus anexos, especialmente quando caracterizada pela ausência de inflamação.
193 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
194 Capilar: 1. Na medicina, diz-se de ou tubo endotelial muito fino que liga a circulação arterial à venosa. Qualquer vaso. 2. Na física, diz-se de ou tubo, em geral de vidro, cujo diâmetro interno é diminuto. 3. Relativo a cabelo, fino como fio de cabelo.
195 Síndrome de Stevens-Johnson: Forma grave, às vezes fatal, de eritema bolhoso, que acomete a pele e as mucosas oral, genital, anal e ocular. O início é geralmente abrupto, com febre, mal-estar, dores musculares e artralgia. Pode evoluir para um quadro toxêmico com alterações do sistema gastrointestinal, sistema nervoso central, rins e coração (arritmias e pericardite). O prognóstico torna-se grave principalmente em pessoas idosas e quando ocorre infecção secundária. Pode ser desencadeado por: sulfas, analgésicos, barbitúricos, hidantoínas, penicilinas, infecções virais e bacterianas.
196 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
197 Eritema multiforme: Condição aguda, auto-limitada, caracterizada pelo início abrupto de pápulas vermelhas fixas simétricas, algumas evoluindo em lesões em forma de “alvo”. A lesão alvo são zonas concêntricas de alterações de coloração com a área central púrpura ou escura e a externa vermelha. Elas irão desenvolver vesícula ou crosta na zona central após vários dias. Vinte porcento de todos os casos ocorrem na infância.O eritema multiforme geralmente é precipitado pelo vírus do herpes simples, Mycoplasma pneumoniae ou histoplasmose.
198 Tendões: Tecidos fibrosos pelos quais um músculo se prende a um osso.
199 Nefropatia: Lesão ou doença do rim.
200 Néfrons: Unidades funcionais do rim formadas pelos glomérulos renais e seus respectivos túbulos.
201 Azoospermia: Ausência de espermatozódes no líquido seminal.
202 Espermatozóides: Células reprodutivas masculinas.
203 Pênis: Órgão reprodutor externo masculino. É composto por uma massa de tecido erétil encerrada em três compartimentos cilíndricos fibrosos. Dois destes compartimentos, os corpos cavernosos, ficam lado a lado ao longo da parte superior do órgão. O terceiro compartimento (na parte inferior), o corpo esponjoso, abriga a uretra.

Tem alguma dúvida sobre Cimzia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.