Preço de Lamisilate (Spray) em São Paulo/SP: R$ 55,76

Lamisilate (Spray)

GLAXOSMITHKLINE BRASIL LTDA

Atualizado em 05/02/2020

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Lamisilate®
cloridrato de terbinafina
Spray 1%

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO:

Solução tópica (spray)
Frasco spray com 30 mL

USO TÓPICO1
USO ADULTO (ACIMA DE 18 ANOS)

COMPOSIÇÃO:

Cada mL de Lamisilate® spray contém:

cloridrato de terbinafina 10 mg
veículo q.s.p. 1 mL

Excipientes: álcool etílico, propilenoglicol, cetomacrogol 1000, nitrogênio e água purificada. Lamisilate® disponível também na forma de creme.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO FOI INDICADO?

Lamisilate® spray é utilizado para o tratamento de infecções2 fúngicas3 de pele4 causadas por dermatófitos5 como Trichophyton, Microsporum canis e Epiedermohyton flocosum. Também é indicado para o tratamento de uma condição chamada pitiríase (tinea) versicolor causada por Pityrosporum orbiculare, tais como: pé-de-atleta, coceira da virilha, micoses do corpo. Lamisilate® spray também é indicado para o tratamento de infecções2 de pele4, principalmente as causadas pelo gênero Candida.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Lamisilate® spray é um antifúngico e funciona eliminando o fungo6 causador do problema de pele4.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Não use Lamisilate® spray se você for alérgico a qualquer um dos componentes da formulação do medicamento. Se isto se aplica a você, comunique seu médico antes de usar Lamisilate®.

Se você acha que é alérgico, pergunte ao médico ou farmacêutico sobre recomendações.

Este medicamento é contraindicado para menores de 18 anos.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Como identificar se você está com micose7?

Pé-de-atleta ou frieira (tinea dos pés) aparece apenas nos pés (normalmente nos dois, mas nem sempre), frequentemente entre os dedos. Também pode aparecer no peito8 do pé, solas ou outras áreas dos pés.

O tipo mais comum de pé-de-atleta causa rachaduras ou escamações na pele4, mas também pode causar leve inchaço9, bolhas ou feridas úmidas. Lamisilate® spray é recomendado para pés-de-atleta quando ocorrem entre os dedos.

Se você tiver infecção10 de fungo6 nas unhas11 (fungos dentro e sob/sobre as unhas11), com descoloração e alteração da textura (unhas11 grossas, escamosas) você deve consultar um médico pois Lamisilate® spray não é apropriado para este tipo de infecção10.

Tinea (micose7) de virilha aparece nas áreas do corpo em que a pele4 apresenta dobras, especialmente em regiões úmidas. Está presente com frequência nas áreas da virilha e parte interna da coxa12, normalmente em ambos os lados, porém na maioria dos casos, em um lado é maior do que no outro. Pode se espalhar entre as pernas para os glúteos13 ou em direção à barriga. Também pode aparecer nas dobras sob os seios14, nas axilas ou em outras áreas com dobras. A erupção15 cutânea16 normalmente apresenta uma borda clara e pode apresentar bolhas.

Tinea (micose7) do corpo pode ocorrer em qualquer local do corpo, mas frequentemente é encontrada na cabeça17, pescoço18, rosto ou braços. Normalmente apresenta se como placas19 circulares vermelhas. Também podem ocorrer placas19 escamosas.

Pitiríase versicolor (micose7 de praia) aparece na pele4 como placas19 escamosas que se transformam em manchas brancas devido à perda de pigmentação da pele4. As placas19 são mais visíveis no verão, quando a pele4 ao redor normalmente é bronzeada. Geralmente aparecem no tronco, pescoço18 e braços e podem ocorrer várias vezes dentro de meses, especialmente nos climas quentes e quando ocorre transpiração20. Se você não estiver seguro sobre as causas de sua infecção10, consulte um médico antes de utilizar Lamisilate®.

Para auxiliar no tratamento, mantenha a área infectada limpa, lavando-a regularmente e secando-a cuidadosamente, sem esfregar. Tente não raspar a região infectada, mesmo que ela esteja coçando, pois isso poderá causar ferimentos, demora no processo de cura ou espalhar a infecção10. Como essas infecções2 são transmissíveis a outras pessoas, lembre-se de usar sua própria toalha e roupas e não emprestá-las aos outros. Para se proteger de uma nova infecção10, após o tratamento, lave as roupas e toalhas frequentemente.

Antes de usar Lamisilate® spray lave e seque completamente suas mãos21 e a área a ser tratada. A quantidade suficiente a ser aplicada deve umedecer e cobrir completamente a pele4 infectada e a área ao seu redor. Lave suas mãos21 após tocar a área infectada, para que a infecção10 não se espalhe por outras áreas do corpo ou para outras pessoas.

NÃO USE Lamisilate® spray se você for alérgico (hipersensibilidade) a terbinafina base ou a qualquer outro ingrediente de Lamisilate® spray (ver em composição).

Precauções

Converse com seu médico ou farmacêutico antes de iniciar o uso do medicamento. Siga exatamente o modo de usar indicado por seu médico, mesmo que isto seja diferente da informação contida na bula.

  • É de uso exclusivo externo.
  • Não use na boca22, rosto ou engula.
  • Lamisilate® pode ser irritante aos olhos23. Evite o contato do spray com seu rosto ou olhos23 ou peles machucadas, onde o álcool presente na formulação pode causar irritação. Se o spray acidentalmente entrar em contato com seu olho24, lave-o abundantemente com água corrente.
  • Não aspire a solução.
  • Se algum desconforto persistir, procure seu médico.
  • Em caso acidental de inalação de Lamisilate® spray, você deve consultar seu médico se algum sintoma25 for desenvolvido ou persistir.
  • Como essas infecções2 são transmissíveis a outras pessoas, lembre-se de usar sua própria toalha e roupas e não emprestá-las aos outros. Para se proteger de reinfecção, lave as roupas, e toalhas frequentemente.

Idosos

Lamisilate® pode ser utilizado por pessoas acima de 65 anos.

Crianças e adolescentes

Lamisilate® spray não é recomendado para uso em crianças e adolescentes menores de 18 anos, devido a dados insuficientes de segurança e eficácia.

Outros medicamentos e Lamisilate® spray

Antes de usar Lamisilate®, informe seu médico ou farmacêutico sobre outros medicamentos que está usando ou que usou recentemente, incluindo aqueles que foram utilizados sem prescrição médica. Não aplique outros medicamentos nas áreas sendo tratadas.

Gravidez26, Lactação27 e Fertilidade

Se está grávida ou amamentando, ou achando que está grávida ou planejando engravidar, consulte seu médico ou farmacêutico sobre o uso deste medicamento.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou que estejam amamentando, a não ser quando estritamente necessário.

Não use este medicamento se estiver amamentando. Não deixe crianças terem contatos com as áreas tratadas, incluindo os seios14.

Pergunte ao médico ou farmacêutico sobre recomendações sobre o uso de medicamentos. Ele ou ela pode discutir com você os potenciais riscos de usar Lamisilate® durante a gravidez26 ou amamentação28.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Não há recomendações especiais para mulheres em idade fértil.

Influência na capacidade de dirigir veículos e operar máquinas

Lamisilate® spray não tem influência na habilidade de dirigir ou operar máquinas.

Informações importantes sobre os componentes de Lamisilate® spray

Lamisilate® spray contem propilenoglicol que pode causar irritação na pele4.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados de conservação

Manter à temperatura ambiente (entre 15–30°C). Não congelar.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas e organolépticas do produto

Lamisilate® spray é um líquido claro, incolor a ligeiramente amarelo.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Sempre use este medicamento exatamente conforme descrito na bula ou conforme a orientação do seu medico ou farmacêutico. Se não tiver certeza, verifique com seu médico ou farmacêutico.

É importante o uso correto de Lamisilate® spray. Siga as instruções com cuidado.

Se você possui uma infecção10 na unha (fungos dentro e sob/sobre as unhas11), com descoloração e alteração da textura (por exemplo, a espessura), você deve consultar seu médico, porque Lamisilate® spray não é apropriado para este tipo de infecção10.

As aplicações de Lamisilate® spray devem ser feitas exclusivamente sobre a pele4. Em casos de:

Pé-de-atleta, micose7 da virilha ou micose7 do corpo: aplique uma quantidade suficiente do spray para umedecer e cobrir completamente a pele4 infectada e a área ao seu redor, 1 vez ao dia, durante 1 semana.

Micose7 de praia (pitiríase versicolor): aplique uma quantidade suficiente do spray para umedecer e cobrir completamente a pele4 infectada e a área ao seu redor, 2 vezes ao dia, durante 1 semana.

Para o tratamento da monilíase (candidíase29 cutânea16), prefira a apresentação creme de Lamisilate®. Lamisilate® spray deve melhorar o quadro da pele4 em alguns dias. No entanto, a melhora completa pode demorar um pouco mais. Lamisilate® spray continua a agir mesmo após o término do tratamento. Mesmo quando você parar de utilizar Lamisilate® spray, a melhora deverá continuar.

Se você não notar a melhora dos sintomas30 dentro de 2 semanas após o início do tratamento, consulte seu médico ou farmacêutico.

Use Lamisilate® pelo período de tratamento recomendado, mesmo se a infecção10 já apresentar melhora após alguns dias. É importante não interromper o tratamento. Infecções2 tendem a apresentar melhora em alguns dias, mas podem reaparecer se o spray não for passado regularmente ou o tratamento for interrompido antes de seu término.

Como usar

Uso adulto

Para auxiliar no tratamento, mantenha a área infectada limpa lavando-a regularmente. Seque a área cuidadosamente sem esfregar. Tente não raspar a região infectada mesmo que ela esteja coçando, pois isso poderia causar ferimentos e demora no processo de cura ou espalhar a infecção10.

Como essas infecções2 são transmissíveis a outras pessoas, lembre-se de usar sua própria toalha e roupas e não emprestá-las aos outros. Para se proteger de reinfecção, lave as roupas e toalhas frequentemente.

Se você estiver tratando infecções2 em áreas do corpo com dobras, você pode cobrir a área tratada com uma gaze, especialmente durante a noite. Neste caso, utilize uma gaze nova e limpa de cada vez.

  • Lave e seque a área infectada da pele4 e ao redor desta e, em seguida, lave suas mãos21.
  • Para usar o spray, retire a tampa da embalagem e delicadamente aperte a válvula.
  • Para usar o frasco do spray ele poderá ser utilizado na posição em pé ou invertido.
  • Aplique a quantidade necessária de solução que umedeça completamente a pele4 infectada e a área ao redor.
  • Coloque a tampa de volta na embalagem.
  • Lave suas mãos21 após tocar a área infectada para que a infecção10 não se espalhe pelo seu corpo ou para outras pessoas.

Siga corretamente o modo de usar. Em caso de dúvidas sobre este medicamento, procure orientação do farmacêutico. Não desaparecendo os sintomas30, procure orientação de seu médico ou cirurgião-dentista.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Se você esquecer de aplicar Lamisilate® no horário correto, aplique assim que puder. Se você lembrar somente no momento da próxima aplicação, faça apenas o uso da quantidade usual e continue com o tratamento normalmente.

Não utilize uma dose dupla para repor uma dose esquecida. É importante tentar utilizar o produto nos horários corretos, pois a falta de aplicações pode facilitar o retorno da infecção10.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Como todos os medicamentos, Lamisilate® spray pode causar efeitos colaterais31. No entanto, nem todos apresentam estas reações.

Pare de usar Lamisilate® spray e procure ajuda médica imediatamente se você apresentar alguns dos sintomas30 que podem ser reações alérgicas:

  • dificuldade em respirar ou engolir.
  • inchaço9 do rosto, lábios, língua32 e garganta33.
  • coceira intensa da pele4, com vermelhidão e caroços.

Alguns efeitos adversos são comuns (afetam menos de 1 pessoa em 10)

  • descamação34 da pele4, coceira.

Alguns efeitos adversos são incomuns (afetam menos de 1 pessoa em 100)

  • lesões35 na pele4, crostas, desordem da pele4, mudança da cor da pele4, vermelhidão, queimadura, dor, irritação e dor no local da aplicação.

Alguns efeitos adversos são raros (afetam menos de 1 a 10 pessoas em 1.000)

  • irritação dos olhos23, pele4 seca, eczema36, dermatite37 de contato, coceira.
  • condição da pele4 pode piorar

Estes efeitos adversos são baseados em experiência pós-comercialização e sua frequência não pode ser estimada pelos dados obtidos:

  • reações alérgicas (hipersensibilidade), rash38.

Se você apresentar outros efeitos indesejáveis, converse com seu médico ou farmacêutico. Isto inclui qualquer possível evento adverso não listado na bula.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Se você ou outra pessoa, principalmente crianças, ingerir acidentalmente Lamisilate® spray, por favor procure seu médico ou farmacêutico que irá instruí-lo quanto ao que fazer.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


Siga corretamente o modo de usar, não desaparecendo os sintomas30 procure orientação médica.
 

MS 1.0107.0331
Farm. Resp.: Edinilson da Silva Oliveira - CRF-RJ 18.875

Fabricado por:
Delpharm Huningue S.A.S. Huningue - França

Importado por:
GlaxoSmithKline Brasil Ltda.
Estrada dos Bandeirantes, 8464, Rio de Janeiro – RJ – Brasil.
CNPJ 33.247.743/0001-10


SAC 0800 021 1529

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.
2 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
3 Fúngicas: Relativas à ou produzidas por fungo.
4 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
5 Dermatófitos: Qualquer fungo microscópico que parasita a pele, as unhas ou os pelos.
6 Fungo: Microorganismo muito simples de distribuição universal que pode colonizar uma superfície corporal e, em certas ocasiões, produzir doenças no ser humano. Como exemplos de fungos temos a Candida albicans, que pode produzir infecções superficiais e profundas, os fungos do grupo dos dermatófitos que causam lesões de pele e unhas, o Aspergillus flavus, que coloniza em alimentos como o amendoim e secreta uma toxina cancerígena, entre outros.
7 Micose: Infecção produzida por fungos. Pode ser superficial, quando afeta apenas pele, mucosas e seus anexos, ou profunda, quando acomete órgãos profundos como pulmões, intestinos, etc.
8 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
9 Inchaço: Inchação, edema.
10 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
11 Unhas: São anexos cutâneos formados por células corneificadas (queratina) que formam lâminas de consistência endurecida. Esta consistência dura, confere proteção à extremidade dos dedos das mãos e dos pés. As unhas têm também função estética. Apresentam crescimento contínuo e recebem estímulos hormonais e nutricionais diversos.
12 Coxa: É a região situada abaixo da virilha e acima do joelho, onde está localizado o maior osso do corpo humano, o fêmur.
13 Glúteos:
14 Seios: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
15 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
16 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
17 Cabeça:
18 Pescoço:
19 Placas: 1. Lesões achatadas, semelhantes à pápula, mas com diâmetro superior a um centímetro. 2. Folha de material resistente (metal, vidro, plástico etc.), mais ou menos espessa. 3. Objeto com formato de tabuleta, geralmente de bronze, mármore ou granito, com inscrição comemorativa ou indicativa. 4. Chapa que serve de suporte a um aparelho de iluminação que se fixa em uma superfície vertical ou sobre uma peça de mobiliário, etc. 5. Placa de metal que, colocada na dianteira e na traseira de um veículo automotor, registra o número de licenciamento do veículo. 6. Chapa que, emitida pela administração pública, representa sinal oficial de concessão de certas licenças e autorizações. 7. Lâmina metálica, polida, usualmente como forma em processos de gravura. 8. Área ou zona que difere do resto de uma superfície, ordinariamente pela cor. 9. Mancha mais ou menos espessa na pele, como resultado de doença, escoriação, etc. 10. Em anatomia geral, estrutura ou órgão chato e em forma de placa, como uma escama ou lamela. 11. Em informática, suporte plano, retangular, de fibra de vidro, em que se gravam chips e outros componentes eletrônicos do computador. 12. Em odontologia, camada aderente de bactérias que se forma nos dentes.
20 Transpiração: 1. Ato ou efeito de transpirar. 2. Em fisiologia, é a eliminação do suor pelas glândulas sudoríparas da pele; sudação. Ou o fluido segregado pelas glândulas sudoríparas; suor. 3. Em botânica, é a perda de água por evaporação que ocorre na superfície de uma planta, principalmente através dos estômatos, mas também pelas lenticelas e, diretamente, pelas células epidérmicas.
21 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
22 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
23 Olhos:
24 Olho: s. m. (fr. oeil; ing. eye). Órgão da visão, constituído pelo globo ocular (V. este termo) e pelos diversos meios que este encerra. Está situado na órbita e ligado ao cérebro pelo nervo óptico. V. ocular, oftalm-. Sinônimos: Olhos
25 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
26 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
27 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
28 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
29 Candidíase: É o nome da infecção produzida pela Candida albicans, um fungo que produz doença em mucosas, na pele ou em órgãos profundos (candidíase sistêmica).As infecções profundas podem ser mais freqüentes em pessoas com deficiência no sistema imunológico (pacientes com câncer, SIDA, etc.).
30 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
31 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
32 Língua:
33 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
34 Descamação: 1. Ato ou efeito de descamar(-se); escamação. 2. Na dermatologia, fala-se da eliminação normal ou patológica da camada córnea da pele ou das mucosas. 3. Formação de cascas ou escamas, devido ao intemperismo, sobre uma rocha; esfoliação térmica.
35 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
36 Eczema: Afecção alérgica da pele, ela pode ser aguda ou crônica, caracterizada por uma reação inflamatória com formação de vesículas, desenvolvimento de escamas e prurido.
37 Dermatite: Inflamação das camadas superficiais da pele, que pode apresentar-se de formas variadas (dermatite seborreica, dermatite de contato...) e é produzida pela agressão direta de microorganismos, substância tóxica ou por uma resposta imunológica inadequada (alergias, doenças auto-imunes).
38 Rash: Coloração avermelhada da pele como conseqüência de uma reação alérgica ou infecção.

Tem alguma dúvida sobre Lamisilate (Spray)?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.