Preço de Imfinzi em Fairfield/SP: R$ 0,00

Imfinzi

ASTRAZENECA DO BRASIL LTDA

Atualizado em 14/04/2021

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

IMFINZITM
durvalumabe

APRESENTAÇÕES

Solução injetável para infusão intravenosa de 500 mg/10 mL (50 mg/mL) em embalagem com 1 frasco-ampola contendo 10 mL da solução.
Solução injetável para infusão intravenosa de 120 mg/2,4 mL (50 mg/mL) em embalagem com 1 frasco-ampola contendo 2,4 mL da solução.

VIA INTRAVENOSA
USO ADULTO

COMPOSIÇÃO

Cada mL contém 50 mg de IMFINZI.
Cada frasco-ampola de 2,4 mL contém 120 mg de durvalumabe. Cada frasco-ampola de 10 mL contém 500 mg de durvalumabe.
Excipientes: L-histidina, Cloridrato monohidratado de L-histidina, α,α-trealose desidratada, polissorbato 80, água para injeção1.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Carcinoma2 Urotelial
IMFINZI (durvalumabe) é indicado para o tratamento de pacientes com carcinoma2 urotelial localmente avançado ou metastático que:

  • tiveram progressão da doença durante ou após quimioterapia3 à base de platina;
  • tiveram progressão da doença em até 12 meses de tratamento neoadjuvante ou adjuvante com quimioterapia3 contendo platina.

Câncer4 de pulmão5 não pequenas células6 (CPNPC)
IMFINZI (durvalumabe) é indicado para o tratamento de pacientes com câncer4 de pulmão5 não pequenas células6 (CPNPC) estágio III irressecável, cuja doença não progrediu após a terapia de quimiorradiação à base de platina.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

O durvalumabe é um anticorpo7 monoclonal, que é um tipo de proteína concebido para reconhecer e se ligar a uma determinada substância alvo no corpo. O durvalumabe é um medicamento que pode auxiliar o seu sistema imunológico8 a combater o câncer4. Como consequência, IMFINZI poderá gerar um processo inflamatório que poderá atacar órgãos e tecidos normais em muitas áreas do seu corpo, afetando a forma como funcionam.

IMFINZI só será prescrito a você por um médico com experiência no uso de medicamentos para o câncer4. Se você tiver dúvidas sobre como IMFINZI funciona ou por que este medicamento foi prescrito para você, consulte o seu médico.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Não há contraindicações para IMFINZI.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Converse com seu médico, farmacêutico e/ou enfermeiro antes de utilizar IMFINZI. Antes do tratamento com IMFINZI, converse com seu médico se você:

  • tem problemas no sistema imunológico8 ou doença autoimune9, como doença de Crohn10, colite11 ulcerativa ou lúpus12;
  • recebeu transplante de órgão;
  • tem problemas respiratórios ou nos pulmões;13
  • tem problemas hepáticos;
  • está grávida ou planeja engravidar. IMFINZI pode prejudicar o seu feto14. Se você puder engravidar, você deve usar um método eficaz de contracepção15 durante o seu tratamento e por mais pelo menos 3 meses após a última dose de IMFINZI.
  • está amamentando ou planejam amamentar. Não se sabe se IMFINZI é excretado no leite materno.

Não amamente durante o tratamento e durante pelo menos mais 3 meses após a última dose de IMFINZI.

Se alguma das situações acima se aplicar a você (ou se você não tiver certeza), fale com seu médico, farmacêutico ou enfermeiro.
Ao receber IMFINZI, você poderá ter alguns efeitos colaterais16 que podem ser graves.

Se você apresentar alguma das seguintes situações, contate ou consulte imediatamente o seu médico. O seu médico pode lhe prescrever outros medicamentos para evitar complicações mais graves e reduzir seus sintomas17. O seu médico pode suspender a dose seguinte de IMFINZI ou encerrar seu tratamento.

  • inflamação18 dos pulmões19. Os sinais20 e sintomas17 podem incluir tosse ou agravamento da tosse, falta de ar ou dor no peito21;
  • inflamação18 do fígado22. Os sinais20 e sintomas17 podem incluir amarelamento da pele23 ou do brancos dos olhos24, náusea25 severa ou vômitos26, dor no lado direito da área do estômago27 (abdômen), sonolência, urina28 escura, sangramento ou contusões mais facilmente do que o normal ou diminuição do apetite;
  • inflamação18 dos intestinos29. Os sinais20 e sintomas17 podem incluir diarreia30 ou mais evacuações que o habitual, fezes pretas, escurecidas, pegajosas ou fezes com sangue31 ou muco, dor severa na área do estômago27 ou aumento de sensibilidade;
  • inflamação18 das glândulas32 hormonais (especialmente da tireoide33, das adrenais, da pituitária e pâncreas34).

Os sinais20 e sintomas17 podem incluir dores de cabeça35 que não desaparecem ou dores de cabeça35 incomuns, cansaço extremo, aumento de peso ou perda de peso, tonturas36 ou desmaios, sensação de mais fome ou sede do que o habitual, queda de cabelo37, alterações no humor ou comportamento, tais como diminuição do desejo sexual, irritabilidade ou esquecimento, sensação de frio, constipação38, sua voz ficar mais grave, urinar com mais frequência do que o habitual, náuseas39 ou vômitos26, dor na área do estômago27 (abdômen);

  • inflamação18 dos rins40. Os sinais20 e sintomas17 podem incluir alterações na quantidade de urina28, presença de sangue31 na urina28, inchaço41 em seus tornozelos ou perda de apetite;
  • inflamação18 da pele23. Os sinais20 e sintomas17 podem incluir erupções cutâneas42, coceira ou bolhas na pele23;
  • problemas em outros órgãos: Os sinais20 e sintomas17 podem incluir rigidez do pescoço43, dor de cabeça35, confusão, febre44, dor no peito21, falta de ar ou batimentos cardíacos irregulares (miocardite45), mudanças de humor ou comportamento, anemia46, sangramentos excessivos ou hematomas47 (vermelhidões), fraqueza muscular ou dores musculares, visão48 desfocada, visão48 duplicada ou outros problemas de visão48, dores ou vermelhidões nos olhos24;
  • infecções49 severas: Os sinais20 e sintomas17 podem incluir febre44, tosse, urinar com mais frequência que o habitual, dor ao urinar ou sintomas17 semelhantes à gripe50;
  • reações relacionadas à infusão. Os sinais20 e sintomas17 podem incluir calafrios51 ou tremores, coceira ou erupção52 cutânea53, rubor, falta de ar ou chiado no peito21, tonturas36, febre44, sensação de desmaio, dores nas costas54 ou pescoço43, ou inchaço41 facial.

Crianças e adolescentes
IMFINZI não foi estudado em crianças ou adolescentes. Não administre este medicamento a crianças e adolescentes menores de 18 anos.

Outros medicamentos e IMFINZI
Informe seu médico ou farmacêutico se você estiver tomando, se tiver tomado recentemente ou se você for tomar medicamentos. Isto inclui medicamentos à base de plantas e medicamentos obtidos sem receita médica.

Efeitos sobre a capacidade de dirigir veículos e operar máquinas
É pouco provável que durvalumabe afete a capacidade para dirigir e operar máquinas. No entanto, se você apresentar reações adversas que afetem sua capacidade de concentração e reação, você deve ter cuidado ao dirigir ou operar máquinas.

Gravidez55
Se estiver grávida, ou achar que está grávida, ou estiver planejando uma gravidez55, contate o seu médico. Com base no seu mecanismo de ação, IMFINZI tem o potencial de afetar a manutenção da gravidez55 e pode causar dano fetal quando administrado a uma mulher grávida.
Se você puder engravidar, você deve usar um método eficaz de contracepção15 durante o seu tratamento e por mais pelo menos 3 meses após a última dose de IMFINZI.
Este medicamento não deve ser usado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião- dentista.

Lactação56
Se você estiver amamentando, fale com o seu médico. Não amamente enquanto estiver usando IMFINZI e por pelo menos 3 meses após a última dose. Não se sabe se IMFINZI é excretado no leite materno.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento. Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde57.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

IMFINZI deve ser conservado sob refrigeração (2ºC a 8°C). Não congelar. Não agitar. Manter o frasco dentro da embalagem original para protegê-lo da luz.
IMFINZI apresenta-se como um frasco de dose única que não contém conservante e não deve ser armazenado depois que o lacre do frasco for perfurado ou depois que o frasco for aberto.
Qualquer medicamento não utilizado ou resíduos devem ser eliminados de acordo com os requisitos locais.
Número do lote, data de fabricação e validade: vide embalagem.
Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original. Após preparo da solução para infusão

IMFINZI não contém conservante. Administre a solução para infusão imediatamente após a preparação. Se a solução para infusão não for administrada imediatamente, e ela precisar ser armazenada, o tempo total desde a punção do frasco até o início da administração não deve exceder 24 horas em 2°C a 8°C ou 4 horas em temperatura ambiente (15 a 30°).

IMFINZI é uma solução estéril, transparente a opalescente (pode conter partículas brancas), incolor cor ou ligeiramente amarela, livre de partículas visíveis.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.
Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Modo de Usar
IMFINZI deve ser administrado em um hospital ou clínica, sob a supervisão de um profissional de saúde57 habilitado.
IMFINZI será administrado através de uma infusão intravenosa durante aproximadamente 60 minutos, a cada duas semanas.

O médico irá lhe informar sobre quantas vezes este procedimento será necessário.

Posologia Carcinoma2 urotelial
A posologia recomendada é de 10 mg de durvalumabe para cada quilo do seu peso.

Câncer4 de pulmão5 não pequenas células6 (CPNPC)
A posologia recomendada é de 10 mg de durvalumabe para cada quilo do seu peso.
Nenhum ajuste de dose é necessário para pacientes58 idosos, com disfunção renal59 ou hepática60.
A segurança e a eficácia de IMFINZI em crianças abaixo de 18 anos não foram estabelecidas.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

O QUE EU DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Se você esquecer de tomar uma dose, contate o seu médico assim que possível para remarcar a sua consulta. É bastante importante que você não perca suas consultas para administração de IMFINZI.
Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Como outros medicamentos, este medicamento pode causar efeitos colaterais16; no entanto estes não se manifestam em todas as pessoas.

Se tiver quaisquer efeitos colaterais16, fale com o seu médico, farmacêutico ou enfermeiro. Isso inclui qualquer possível efeito colateral61 não mencionado nesta bula.

As seguintes reações adversas são discutidas em maior detalhe na seção 4. O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?.

  • Inflamação18 dos pulmões;13
  • Inflamação18 do fígado22;
  • Inflamação18 dos intestinos29;
  • Inflamação18 das glândulas32 hormonais;
  • Inflamação18 dos rins40;
  • Inflamação18 da pele23;
  • Problemas em outros órgãos;
  • Infecções49 severas;
  • Reações relacionadas à infusão.

Os dados descritos nesta seção refletem a exposição ao IMFINZI em pacientes com carcinoma2 urotelial localmente avançado ou metastático e em pacientes com NSCLC estágio III que participaram de estudos clínicos.

Como os estudos clínicos são conduzidos em condições amplamente variáveis, as taxas de reação adversas observadas nos estudos clínicos de um medicamento não podem ser diretamente comparadas com as taxas nos estudos clínicos de outros medicamentos e podem não refletir as taxas observadas na prática.

Carcinoma2 Urotelial
As reações adversas mais comuns (≥ 15%) foram fadiga62 (39%), dor musculoesquelética (24%), constipação38 (21%), diminuição do apetite (19%), náuseas39 (16%), inchaço41 periférico (15%) e infecção63 do trato urinário64 (15%). As reações adversas mais frequentes de Grau 3 ou 4 (≥ 3%) foram fadiga62, infecção63 do trato urinário64, dor musculoesquelética, dor abdominal, desidratação65 e deterioração da saúde57 física geral.

Oito pacientes (4,4%) apresentaram reações adversas de parada cardiorrespiratória de grau 5, deterioração da saúde57 física geral, sepse66 (infecção63 generalizada), íleo67 (obstrução intestinal), pneumonia68 ou hepatite69 imunomediada. Três pacientes adicionais estavam passando por infecção63 e progressão da doença no momento da morte. IMFINZI foi descontinuado devido a reações adversas em 3,3% dos pacientes. Reações adversas graves ocorreram em 46% dos pacientes. As reações adversas graves mais frequentes (> 2%) foram lesão70 renal59 aguda (4,9%), infecção63 do trato urinário64 (4,4%), dor musculoesquelética (4,4%), lesão70 hepática60 (3,3%), deterioração da saúde57 física geral (3,3%), sepse66 (infecção63 generalizada), dor abdominal e febre44/febre44 associada ao tumor71 (2,7% cada).

A Tabela 1 resume as reações adversas que ocorreram em ≥ 10% dos pacientes tratados com IMFINZI no estudo 1108.

Tabela 1. Reações adversas em ≥ 10% dos pacientes com carcinoma2 urotelial

 

IMFINZI N=182

Reações adversas

Todos os Graus (%)

Grau 3 - 4 (%)

Distúrbios gastrointestinais

Constipação38 (prisão de ventre)

21

1

Náusea25

16

2

Dor abdominal1

14

3

Diarreia30/Colite11 (inflamação18 do intestino)

13

1

Distúrbios gerais e de administração

Fadiga62 (cansaço)2

39

6

Edema72 periférico (inchaço41 que acomete
os pés, tornozelos e pernas)3

15

2

Febre44/ febre44 associada ao tumor71

14

1

Infecções49

Infecções49 do trato urinário644

15

4

Distúrbios do Metabolismo73 e de nutrição74

Diminuição do apetite/ Hipofagia (ingestão
de quantidade insatisfatória de alimentos)

19

1

Distúrbios do tecido75 musculoesquelético e conectivo

Dor musculoesquelética5

24

4

Distúrbios respiratórios, torácicos e mediastinais

Dispneia76/Dispneia76 de esforço (dificuldade ao respirar)

13

2

Tosse/Tosse produtiva (tosse com secreção)

10

0

Distúrbios do tecido75 cutâneo77 e subcutâneo78

Erupção52 cutânea53 (alterações na cor e/ou na textura da pele23)6

11

1

1Inclui dor abdominal superior, dor abdominal inferior e dor no flanco79.
2Inclui astenia80 (fraqueza), letargia81 (estado de inconsciência82) e mal-estar.
3Inclui edema72, edema72 localizado, edema72 periférico, linfedema, inchaço41 periférico, edema72 escrotal e inchaço41 escrotal.
4Inclui cistite83, candidúria e urosepse (infecção63 severa no trato urinário64 e/ou próstata84).
5Inclui dor nas costas54, dor músculoesquelética torácica, dor e desconforto musculoesqueléticos, mialgia85 e dor no pescoço43.
6Inclui alterações na cor e/ou textura da pele23 e aparecimento de bolhas, tais como: dermatite86, dermatite86 acneiforme, dermatite86 psoriasiforme, psoríase87, erupção52 cutânea53 maculopapular88, erupção52 cutânea53 pruriginosa, erupção52 cutânea53 papular, erupção52 cutânea53 pustular, toxicidade89 da pele23, eczema90, eritema91, eritema multiforme92, erupção52 cutânea53 eritematoso93, acne94 e líquen plano.

Câncer4 de pulmão5 não pequenas células6 (CPNPC)
As reações adversas mais comuns que levaram à interrupção de IMFINZI foram pneumonite95 (inflamação18 dos pulmões19) ou pneumonite95 por radiação em 6% dos pacientes. Reações adversas graves ocorreram em 29% dos pacientes que receberam IMFINZI. As reações adversas graves mais frequentes relatadas em pelo menos 2% dos pacientes foram pneumonite95 ou pneumonite95 por radiação (7%) e pneumonia68 (6%). A pneumonite95 fatal ou pneumonite95 por radiação e pneumonia68 fatal ocorreram em < 2% dos pacientes e foram semelhantes em todos os braços do estudo. As reações adversas mais comuns (ocorrendo em ≥ 20% dos pacientes) foram tosse, fadiga62, pneumonite95 ou pneumonite95 por radiação, infecções49 do trato respiratório superior, dispneia76 e erupção52 cutânea53 (alterações na cor e/ou na textura da pele23).
A tabela 2 resume as reações adversas ocorridas em pelo menos 10% dos pacientes tratados com IMFINZI.

Tabela 2. Reações adversas ocorridas em ≥ 10% pacientes com CPNPC

 

IMFINZI N = 475

Placebo1 N = 234

Reação Adversa

Todos os Graus (%)

Graus 3-4 (%)

Todos os Graus (%)

Graus 3-4 (%)

Distúrbios respiratórios, torácicos e do mediastino96

 

 

IMFINZI N = 475

Placebo971 N = 234

Reação Adversa

Todos os Graus (%)

Graus 3-4 (%)

Todos os Graus (%)

Graus 3-4 (%)

Tosse/ Tosse produtiva (tosse com secreção)

40

0,6

30

0,4

Pneumonite95 (inflamação18 dos pulmões19)2
Pneumonite95 por radiação

34

3,4

25

3,0

Dispneia76 (dificuldade ao respirar)3

25

1,5

25

2,6

Distúrbios gastrointestinais

Diarreia30

18

0,6

19

1,3

Dor abdominal4

10

0,4

6

0,4

Distúrbios endócrinos

Hipotireoidismo985

12

0,2

1,7

0

Distúrbios dos tecidos cutâneos e subcutâneos

Erupção52 cutânea53 (alterações na cor
e/ou na textura da pele23)6

23

0,6

12

0

Prurido99 (coceira)7

12

0

6

0

Distúrbios gerais

Fadiga628

34

0,8

32

1,3

Febre44

15

0,2

9

0

Infecções49

Infecções49 do trato respiratório superior9

26

0,4

19

0

Pneumonia6810

17

7

12

6

1O estudo PACIFIC não foi desenhado para demonstrar diferença estatisticamente significativa nas taxas de reação adversas para IMFINZI, em comparação com o placebo97, para qualquer reação adversa específica listada na Tabela 2
2inclui pneumonite95 intersticial100 aguda, doença pulmonar intersticial100, pneumonite95, fibrose101 pulmonar
3inclui dispneia76 e dispneia76 exercional (falta de ar e falta de ar induzida por exercício)
4inclui dor abdominal, dor abdominal inferior, dor abdominal superior e dor no flanco79
5inclui hipotireoidismo98 autoimune9 e hipotireoidismo98
6inclui erupção52 cutânea53 eritematosa102, erupção52 cutânea53 generalizada, erupção52 cutânea53 macular, erupção52 cutânea53 maculopapular88, erupção52 cutânea53 pruriginosa, erupção52 cutânea53 pustular, eritema91, eczema90, erupção52 cutânea53 e dermatites
7inclui prurido99 generalizado (coceira generalizada) e prurido99 
8inclui astenia80 e fadiga62 (fraqueza e cansaço)
9inclui laringite103, nasofaringite, abscesso104 peritonsilar (coleção de secreção purulenta105 próxima às amígdalas106), faringite107, rinite108, sinusite109, amigdalite, traqueobronquite110 e infecção63 do tracto respiratório superior
10inclui infecção63 pulmonar, pneumonia68 por Pneumocystis jirovecii, pneumonia68, pneumonia68 adenoviral, pneumonia68 bacteriana, pneumonia68 por citomegalovírus111, pneumonia68 por Haemophilus, pneumonia68 por Klebsiella, pneumonia68 necrotizante, pneumonia68 pneumocócica e pneumonia68 estreptocócica

Outras reações adversas ocorridas em menos de 10% dos pacientes tratados com IMFINZI foram disfonia112 (alteração na voz), disúria113 (sensação de dor ou ardor114 ao urinar), suores noturnos, edema72 periférico (inchaço41 em membros inferiores) e aumento da susceptibilidade115 a infecções49.

Imunogenicidade
Tal como acontece com todas proteínas116 terapêuticas, existe um potencial para imunogenicidade. A detecção da formação de anticorpos117 é altamente dependente da sensibilidade e especificidade do ensaio.
Avise seu médico imediatamente caso você sinta algum dos efeitos colaterais16 listados acima.

Atenção: este produto é um medicamento novo e, embora as pesquisas tenham indicado eficácia e segurança aceitáveis, mesmo que indicado e utilizado corretamente, podem ocorrer eventos adversos imprevisíveis ou desconhecidos. Nesse caso, informe seu médico ou cirurgião-dentista.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Não há tratamento específico em caso de uso de quantidade maior que a indicada de durvalumabe, e os sintomas17 da superdose de não estão estabelecidos. Neste caso, os médicos devem seguir as medidas gerais de suporte e devem tratar sintomaticamente.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS

 

USO RESTRITO A HOSPITAIS
VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

 

MS - 1.1618.0266
Farm. Resp.: Dra. Gisele H. V. C. Teixeira - CRF-SP nº 19.825

Fabricado por:
Cook Pharmica LLC - Indiana - Estados Unidos da América

Importado pela:
AstraZeneca do Brasil Ltda.
Rod. Raposo Tavares, km 26,9 – Cotia – SP – CEP 06707-000
CNPJ 60.318.797/0001-00

 

SAC 0800 014 5578
 

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
2 Carcinoma: Tumor maligno ou câncer, derivado do tecido epitelial.
3 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
4 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
5 Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.
6 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
7 Anticorpo: Proteína circulante liberada pelos linfócitos em reação à presença no organismo de uma substância estranha (antígeno).
8 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
9 Autoimune: 1. Relativo à autoimunidade (estado patológico de um organismo atingido por suas próprias defesas imunitárias). 2. Produzido por autoimunidade. 3. Autoalergia.
10 Doença de Crohn: Doença inflamatória crônica do intestino que acomete geralmente o íleo e o cólon, embora possa afetar qualquer outra parte do intestino. A doença cursa com períodos de remissão sintomática e outros de agravamento. Na maioria dos casos, a doença de Crohn é de intensidade moderada e se torna bem controlada pela medicação, tornando possível uma vida razoavelmente normal para seu portador. A causa da doença de Crohn ainda não é totalmente conhecida. Os sintomas mais comuns são: dor abdominal, diarreia, perda de peso, febre moderada, sensação de distensão abdominal, perda de apetite e de peso.
11 Colite: Inflamação da porção terminal do cólon (intestino grosso). Pode ser devido a infecções intestinais (a causa mais freqüente), ou a processos inflamatórios diversos (colite ulcerativa, colite isquêmica, colite por radiação, etc.).
12 Lúpus: 1. É uma inflamação crônica da pele, caracterizada por ulcerações ou manchas, conforme o tipo específico. 2. Doença autoimune rara, mais frequente nas mulheres, provocada por um desequilíbrio do sistema imunológico. Nesta patologia, a defesa imunológica do indivíduo se vira contra os tecidos do próprio organismo como pele, articulações, fígado, coração, pulmão, rins e cérebro. Essas múltiplas formas de manifestação clínica, às vezes, podem confundir e retardar o diagnóstico. Lúpus exige tratamento cuidadoso por médicos especializados no assunto.
13 Pulmões;: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.
14 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
15 Contracepção: Qualquer processo que evite a fertilização do óvulo ou a implantação do ovo. Os métodos de contracepção podem ser classificados de acordo com o seu objetivo em barreiras mecânicas ou químicas, impeditivas de nidação e contracepção hormonal.
16 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
17 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
18 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
19 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
20 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
21 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
22 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
23 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
24 Olhos:
25 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
26 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
27 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
28 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
29 Intestinos: Seção do canal alimentar que vai do ESTÔMAGO até o CANAL ANAL. Inclui o INTESTINO GROSSO e o INTESTINO DELGADO.
30 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
31 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
32 Glândulas: Grupo de células que secreta substâncias. As glândulas endócrinas secretam hormônios e as glândulas exócrinas secretam saliva, enzimas e água.
33 Tireoide: Glândula endócrina altamente vascularizada, constituída por dois lobos (um em cada lado da TRAQUÉIA) unidos por um feixe de tecido delgado. Secreta os HORMÔNIOS TIREOIDIANOS (produzidos pelas células foliculares) e CALCITONINA (produzida pelas células para-foliculares), que regulam o metabolismo e o nível de CÁLCIO no sangue, respectivamente.
34 Pâncreas: Órgão nodular (no ABDOME) que abriga GLÂNDULAS ENDÓCRINAS e GLÂNDULAS EXÓCRINAS. A pequena porção endócrina é composta pelas ILHOTAS DE LANGERHANS, que secretam vários hormônios na corrente sangüínea. A grande porção exócrina (PÂNCREAS EXÓCRINO) é uma glândula acinar composta, que secreta várias enzimas digestivas no sistema de ductos pancreáticos (que desemboca no DUODENO).
35 Cabeça:
36 Tonturas: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
37 Cabelo: Estrutura filamentosa formada por uma haste que se projeta para a superfície da PELE a partir de uma raiz (mais macia que a haste) e se aloja na cavidade de um FOLÍCULO PILOSO. É encontrado em muitas áreas do corpo.
38 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
39 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
40 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
41 Inchaço: Inchação, edema.
42 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
43 Pescoço:
44 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
45 Miocardite: 1. Inflamação das paredes musculares do coração. 2. Infecção do miocárdio causada por bactéria, vírus ou outros microrganismos.
46 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
47 Hematomas: Acúmulo de sangue em um órgão ou tecido após uma hemorragia.
48 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
49 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
50 Gripe: Doença viral adquirida através do contágio interpessoal que se caracteriza por faringite, febre, dores musculares generalizadas, náuseas, etc. Sua duração é de aproximadamente cinco a sete dias e tem uma maior incidência nos meses frios. Em geral desaparece naturalmente sem tratamento, apenas com medidas de controle geral (repouso relativo, ingestão de líquidos, etc.). Os antibióticos não funcionam na gripe e não devem ser utilizados de rotina.
51 Calafrios: 1. Conjunto de pequenas contrações da pele e dos músculos cutâneos ao longo do corpo, muitas vezes com tremores fortes e palidez, que acompanham uma sensação de frio provocada por baixa temperatura, má condição orgânica ou ainda por medo, horror, nojo, etc. 2. Sensação de frio e tremores fortes, às vezes com bater de dentes, que precedem ou acompanham acessos de febre.
52 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
53 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
54 Costas:
55 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
56 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
57 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
58 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
59 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
60 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
61 Efeito colateral: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
62 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
63 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
64 Trato Urinário:
65 Desidratação: Perda de líquidos do organismo pelo aumento importante da freqüência urinária, sudorese excessiva, diarréia ou vômito.
66 Sepse: Infecção produzida por um germe capaz de provocar uma resposta inflamatória em todo o organismo. Os sintomas associados a sepse são febre, hipotermia, taquicardia, taquipnéia e elevação na contagem de glóbulos brancos. Pode levar à morte, se não tratada a tempo e corretamente.
67 Íleo: A porção distal and mais estreita do INTESTINO DELGADO, entre o JEJUNO e a VALVA ILEOCECAL do INTESTINO GROSSO. Sinônimos: Ileum
68 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
69 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
70 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
71 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
72 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
73 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
74 Nutrição: Incorporação de vitaminas, minerais, proteínas, lipídios, carboidratos, oligoelementos, etc. indispensáveis para o desenvolvimento e manutenção de um indivíduo normal.
75 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
76 Dispnéia: Falta de ar ou dificuldade para respirar caracterizada por respiração rápida e curta, geralmente está associada a alguma doença cardíaca ou pulmonar.
77 Cutâneo: Que diz respeito à pele, à cútis.
78 Subcutâneo: Feito ou situado sob a pele. Hipodérmico.
79 Flanco: 1. O lado (de qualquer coisa). Na anatomia humana, é cada um dos lados do corpo, dos quadris aos ombros. 2. Em construção, é a parte entre o baluarte e a cortina. 3. Em futebol, é o lado do campo. 4. Em geologia, é cada um dos lados de uma dobra. 5. Em termo militar, é a parte lateral de uma posição ou de uma tropa formada em profundidade.
80 Astenia: Sensação de fraqueza, sem perda real da capacidade muscular.
81 Letargia: Em psicopatologia, é o estado de profunda e prolongada inconsciência, semelhante ao sono profundo, do qual a pessoa pode ser despertada, mas ao qual retorna logo a seguir. Por extensão de sentido, é a incapacidade de reagir e de expressar emoções; apatia, inércia e/ou desinteresse.
82 Inconsciência: Distúrbio no estado de alerta, no qual existe uma incapacidade de reconhecer e reagir perante estímulos externos. Pode apresentar-se em tumores, infecções e infartos do sistema nervoso central, assim como também em intoxicações por substâncias endógenas ou exógenas.
83 Cistite: Inflamação ou infecção da bexiga. É uma das infecções mais freqüentes em mulheres, e manifesta-se por ardor ao urinar, urina escura ou com traços de sangue, aumento na freqüência miccional, etc.
84 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
85 Mialgia: Dor que se origina nos músculos. Pode acompanhar outros sintomas como queda no estado geral, febre e dor de cabeça nas doenças infecciosas. Também pode estar associada a diferentes doenças imunológicas.
86 Dermatite: Inflamação das camadas superficiais da pele, que pode apresentar-se de formas variadas (dermatite seborreica, dermatite de contato...) e é produzida pela agressão direta de microorganismos, substância tóxica ou por uma resposta imunológica inadequada (alergias, doenças auto-imunes).
87 Psoríase: Doença imunológica caracterizada por lesões avermelhadas com descamação aumentada da pele dos cotovelos, joelhos, couro cabeludo e costas juntamente com alterações das unhas (unhas em dedal). Evolui através do tempo com melhoras e pioras, podendo afetar também diferentes articulações.
88 Maculopapular: Erupção cutânea que se caracteriza pelo aparecimento de manchas e de pápulas de tonalidade avermelhada, geralmente observada no sarampo ou na rubéola.
89 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
90 Eczema: Afecção alérgica da pele, ela pode ser aguda ou crônica, caracterizada por uma reação inflamatória com formação de vesículas, desenvolvimento de escamas e prurido.
91 Eritema: Vermelhidão da pele, difusa ou salpicada, que desaparece à pressão.
92 Eritema multiforme: Condição aguda, auto-limitada, caracterizada pelo início abrupto de pápulas vermelhas fixas simétricas, algumas evoluindo em lesões em forma de “alvo”. A lesão alvo são zonas concêntricas de alterações de coloração com a área central púrpura ou escura e a externa vermelha. Elas irão desenvolver vesícula ou crosta na zona central após vários dias. Vinte porcento de todos os casos ocorrem na infância.O eritema multiforme geralmente é precipitado pelo vírus do herpes simples, Mycoplasma pneumoniae ou histoplasmose.
93 Eritematoso: Relativo a ou próprio de eritema. Que apresenta eritema. Eritema é uma vermelhidão da pele, devido à vasodilatação dos capilares cutâneos.
94 Acne: Doença de predisposição genética cujas manifestações dependem da presença dos hormônios sexuais. As lesões começam a surgir na puberdade, atingindo a maioria dos jovens de ambos os sexos. Os cravos e espinhas ocorrem devido ao aumento da secreção sebácea associada ao estreitamento e obstrução da abertura do folículo pilosebáceo, dando origem aos comedões abertos (cravos pretos) e fechados (cravos brancos). Estas condições favorecem a proliferação de microorganismos que provocam a inflamação característica das espinhas, sendo o Propionibacterium acnes o agente infeccioso mais comumente envolvido.
95 Pneumonite: Inflamação dos pulmões que compromete principalmente o espaço que separa um alvéolo de outro (interstício pulmonar). Pode ser produzida por uma infecção viral ou lesão causada por radiação ou exposição a diferentes agentes químicos.
96 Mediastino: Região anatômica do tórax onde se localizam diversas estruturas, dentre elas o coração.
97 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
98 Hipotireoidismo: Distúrbio caracterizado por uma diminuição da atividade ou concentração dos hormônios tireoidianos. Manifesta-se por engrossamento da voz, aumento de peso, diminuição da atividade, depressão.
99 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
100 Intersticial: Relativo a ou situado em interstícios, que são pequenos espaços entre as partes de um todo ou entre duas coisas contíguas (por exemplo, entre moléculas, células, etc.). Na anatomia geral, diz-se de tecido de sustentação localizado nos interstícios de um órgão, especialmente de vasos sanguíneos e tecido conjuntivo.
101 Fibrose: 1. Aumento das fibras de um tecido. 2. Formação ou desenvolvimento de tecido conjuntivo em determinado órgão ou tecido como parte de um processo de cicatrização ou de degenerescência fibroide.
102 Eritematosa: Relativo a ou próprio de eritema. Que apresenta eritema. Eritema é uma vermelhidão da pele, devido à vasodilatação dos capilares cutâneos.
103 Laringite: Inflamação da mucosa que recobre a laringe. É muito freqüente durante os meses frios, e é produzida por uma infecção viral. Apresenta-se com dor, alterações da fonação (disfonia), tosse e febre.
104 Abscesso: Acumulação de pus em uma cavidade formada acidentalmente nos tecidos orgânicos, ou mesmo em órgão cavitário, em consequência de inflamação seguida de infecção.
105 Purulenta: Em que há pus ou cheio de pus; infeccionada. Que segrega pus. No sentido figurado, cuja conduta inspira nojo; repugnante, asqueroso, sórdido.
106 Amígdalas: Designação comum a vários agregados de tecido linfoide, especialmente o que se situa à entrada da garganta; tonsila.
107 Faringite: Inflamação da mucosa faríngea em geral de causa bacteriana ou viral. Caracteriza-se por dor, dificuldade para engolir e vermelhidão da mucosa, acompanhada de exsudatos ou não.
108 Rinite: Inflamação da mucosa nasal, produzida por uma infecção viral ou reação alérgica. Manifesta-se por secreção aquosa e obstrução das fossas nasais.
109 Sinusite: Infecção aguda ou crônica dos seios paranasais. Podem complicar o curso normal de um resfriado comum, acompanhando-se de febre e dor retro-ocular.
110 Traqueobronquite: Inflamação dos canais que levam o ar para dentro e para fora dos pulmões, os brônquios. Nessa doença, há um acúmulo de secreção nos brônquios, estreitando-os, em geral causado pelo excesso de produção de muco e pela diminuição na ação dos minúsculos cílios locais, os quais não eliminam adequadamente esse muco.
111 Citomegalovírus: Citomegalovírus (CMV) é um vírus pertence à família do herpesvírus, a mesma dos vírus da catapora, herpes simples, herpes genital e do herpes zóster.
112 Disfonia: Alteração da produção normal de voz.
113 Disúria: Dificuldade para urinar. Pode produzir ardor, dor, micção intermitente, etc. Em geral corresponde a uma infecção urinária.
114 Ardor: 1. Calor forte, intenso. 2. Mesmo que ardência. 3. Qualidade daquilo que fulge, que brilha. 4. Amor intenso, desejo concupiscente, paixão.
115 Susceptibilidade: 1. Ato, característica ou condição do que é suscetível. 2. Capacidade de receber as impressões que põem em exercício as ações orgânicas; sensibilidade. 3. Disposição ou tendência para se ofender e se ressentir com (algo, geralmente sem importância); delicadeza, melindre. 4. Em física, é o coeficiente de proporcionalidade entre o campo magnético aplicado a um material e a sua magnetização.
116 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
117 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.

Tem alguma dúvida sobre Imfinzi?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.