Vacina Influenza Trivalente (Subunitária, Inativada)

MEDSTAR IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO EIRELI

Atualizado em 19/04/2021

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Vacina1 influenza2 trivalente
subunitária, inativada
Injetável 15 mcg de HA/0,5 mL/cepa3

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO:

Suspensão injetável
Cartucho com 10 seringas preenchidas com uma dose de 0,5 mL cada

SOMENTE PARA ADMINISTRAÇÃO INTRAMUSCULAR OU SUBCUTÂNEA4 PROFUNDA
USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE 6 MESES DE IDADE

COMPOSIÇÃO:

Cada dose (0,5 mL) contém:

Antígenos5 de superfície (hemaglutinina e neuraminidase) do vírus6 influenza2, propagados em ovos fertilizados de galinhas saudáveis de granja, das seguintes cepas7:

A/Michigan/45/2015 (H1N1)pdm09 – [cepa3 análoga: (A/Singapore/GP1908/2015, IVR-180)] 15 µg de HA*
A/Singapore/INFIMH-16-0019 (H3N2) – [cepa3 análoga: (A/Singapore/INFIMH-16-0019/2016, NIB104)]] 15 µg de HA*
B/Phuket/3073/2013 – [cepa3 análoga: (B/Brisbane/9/2014, tipo selvagem)] 15 µg de HA*
veículo q.s.p. 0,5 mL

Veículo: Cloreto de sódio; cloreto de potássio; fosfato de potássio monobásico; fosfato de sódio dibásico di-hidratado; cloreto de magnésio hexa-hidratado; cloreto de cálcio di-hidratado e água para injetáveis.
Pode conter resíduos das seguintes substâncias: ovos, proteínas8 de galinha, canamicina e sulfato de neomicina, formaldeído, brometo de cetiltrimetilamônio (CTAB), polissorbato 80 e sulfato de bário.

* Hemaglutinina viral por dose de 0,5 mL.

A composição da vacina1 segue a recomendação da Organização Mundial da Saúde9 para o Hemisfério Sul para o ano 2018.

Esta vacina1 não contém tiomersal ou outra substância conservante.

Esta vacina1 não contém mais do que 0,2 µg de ovalbumina por dose de 0,5 mL e 0,1 µg de ovalbumina por dose de 0,25 mL.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

A vacina1 influenza2 trivalente (subunitária, inativada) é indicada para a profilaxia (prevenção) da influenza2 (gripe10).

A vacina1 é recomendada para crianças com idade igual ou superior a 6 (seis) meses e adultos sem limite de idade.

Para indicações específicas, favor verificar as recomendações oficiais.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

A vacina1 influenza2 trivalente (subunitária, inativada) é utilizada para prevenir a influenza2 (gripe10), infecção11 respiratória causada pelo Myxovirus influenzae (vírus6 influenza2). A influenza2 é uma doença infecciosa aguda, potencialmente grave, que se caracteriza por início abrupto, febre12, tosse, mialgia13 (dor muscular) generalizada e cefaleia14 (dor de cabeça15). Pode causar coriza16 e dor de garganta17. A influenza2 deve ser diferenciada do resfriado comum.

A influenza2 pode determinar complicações como pneumonia18 (viral ou bacteriana), otite19 e, mais raramente, óbito20.

A vacina1 induz a formação de anticorpos21 contra os vírus6 influenza2 (a vacina1 contém três diferentes variantes do vírus6 influenza2) que protegem contra a doença e principalmente suas complicações.

A proteção oferecida por esta vacina1 se dá geralmente a partir de 2 a 3 semanas após a vacinação. A duração da proteção contra as cepas7 utilizadas na vacina1 ou contra cepas7 muito semelhantes é geralmente de seis meses a um ano. Recomenda-se a revacinação anual.

Esta vacina1 oferece proteção somente contra influenza2.

A vacina1 não protege contra doenças semelhantes à influenza2 que não foram causadas pelo Myxovirus influenzae (vírus6 influenza2).

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

A vacina1 não deve ser utilizada por pessoas com alergia22 verdadeira às proteínas8 do ovo23, isto é, que tenham apresentado uma reação anafilática24 após a ingestão de ovo23; hipersensibilidade (alergia22 verdadeira) aos componentes da vacina1, seus excipientes, substâncias residuais ou proteínas8 de galinha, tais como ovalbumina.

A vacina1 influenza2 trivalente (subunitária, inativada) pode conter resíduos das seguintes substâncias: ovos, proteínas8 de galinha, canamicina e sulfato de neomicina, formaldeído, brometo de cetiltrimetilamônio (CTAB), polissorbato 80 e sulfato de bário.

A vacinação deve ser adiada no caso de doença febril ou infecção11 aguda.

Por medida de precaução, esta vacina1 não deve ser utilizada por mulheres grávidas sem recomendação médica.

Este medicamento é contraindicado para menores de 6 meses de idade.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Antes de ser vacinado, informe ao médico:

  • Caso você ou seu filho esteja com alguma doença aguda ou febre12, se você ou seu filho tem ou teve anteriormente alergia22 à vacina1 influenza2 ou a qualquer um dos componentes da fórmula.
  • Caso você esteja grávida.
  • Caso você ou seu filho esteja sendo submetido à terapia imunossupressora, p.ex. quimioterapia25 para câncer26 ou tratamento com corticosteroide ou se é portador de alguma imunodeficiência27 (doença que diminua a imunidade28).

Informe ao seu médico se você tomou ou está tomando medicamentos imunossupressores, pois esses medicamentos podem alterar o efeito da vacina1.

Precauções e advertências

A vacina1 não pode ser aplicada em nenhuma circunstância por via intravascular29.

Como com qualquer vacina1 injetável, supervisão e tratamentos médicos devem estar sempre facilmente disponíveis no caso de um evento anafilático após a administração da vacina1.

Desmaio, sensação de desmaio ou outras reações relacionadas ao estresse podem ocorrer como resposta a qualquer injeção30 com agulha (vide seção 8. Quais os males que este medicamento pode me causar?). Informe ao seu médico ou enfermeiro caso tenha apresentado este tipo de reação anteriormente.

Esta vacina1 não pode ser misturada com outras vacinas para administração na mesma injeção30.

Gravidez31 e Lactação32

Os dados limitados sobre o uso em gestantes não indicam efeito adverso sobre o feto33 e a gestação.

A utilização desta vacina1 pode ser considerada a partir do segundo trimestre da gravidez31.

A administração desta vacina1 é recomendada para gestantes com problemas prévios de saúde9 que possam aumentar o risco de complicações caso estas adquiram a influenza2, independentemente do período de gestação.

A lactação32 não é contraindicação para o uso da vacina1.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Efeitos na habilidade de dirigir e usar máquinas

A probabilidade de a vacina1 comprometer a habilidade de dirigir ou utilizar maquinário é mínima.

Interações medicamentosas

A vacina1 influenza2 trivalente (subunitária, inativada) pode ser aplicada ao mesmo tempo que outras vacinas, desde que em locais anatômicos diferentes. Mas, deve-se lembrar que os eventos adversos podem ser intensificados. Não é necessário intervalo para administração de outras vacinas.

A resposta à vacina1 pode ser reduzida quando a pessoa estiver com doença ou tratamento que diminua a imunidade28.

A vacina1 influenza2 trivalente (subunitária, inativada) pode determinar resultados falso-positivos aos testes do tipo ELISA para o diagnóstico34 do HIV35-1, vírus6 da hepatite36 C e HTLV-1. Nestes casos, o teste Western Blot esclarece a reação falso-positiva do teste ELISA. As reações falso-positivas transitórias podem ser devidas à resposta de anticorpos21 do tipo IgM induzidos pela vacina1.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamentos sem o conhecimento do seu médico, pode ser perigoso para a sua saúde9.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados de conservação

A vacina1 deve ser armazenada e transportada sob refrigeração (temperatura entre 2°C e 8°C), em sua embalagem original e protegida da luz.

A vacina1 não deve ser colocada no congelador ou freezer; o congelamento é estritamente contraindicado. Se a vacina1 foi congelada, descarte-a.

Desde que mantida sob refrigeração nas temperaturas recomendadas, o prazo de validade da vacina1 é de 01 ano a partir da data de fabricação. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês indicado.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas e organolépticas do produto

A vacina1 é uma suspensão injetável em uma seringa37 preenchida que se apresenta como um líquido claro.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Esta vacina1 deve ser administrada somente por um médico ou profissional de saúde9 habilitado.

Posologia

Crianças de 6 a 35 meses de idade não vacinadas previamente: 2 doses de 0,25 mL, com um mês de intervalo entre as doses. Para crianças vacinadas anteriormente, uma única dose é suficiente.

Crianças de 3 a 8 anos de idade não vacinadas previamente: 2 doses de 0,5 mL, com um mês de intervalo entre as doses. Para crianças vacinadas anteriormente, uma única dose é suficiente.

Adultos e crianças a partir de 9 anos de idade: 1 dose de 0,5 mL.

Via de administração, local e cuidados na administração

A aplicação deve ser feita por via intramuscular, podendo ser feita por via subcutânea4 profunda.

Não deve ser aplicada em nenhuma circunstância por via intravascular29.

Cuidados na administração

Deve-se permitir que a vacina1 atinja a temperatura ambiente antes da administração. A vacina1 deve ser agitada suavemente antes da aplicação. A solução injetável apresenta-se como um líquido claro.

Antes da administração, inspecione a vacina1 quanto à presença de partículas ou descoloração, sempre que a suspensão e o recipiente permitirem. Se houver qualquer uma dessas condições, não use o conteúdo.

A vacina1 deve ser aplicada por via intramuscular, de preferência no músculo deltoide38, em crianças maiores de 2 anos e adultos; na região do vasto lateral da coxa39 em crianças menores de 2 anos; ou por via subcutânea4 profunda.

Se for necessária a administração de uma dose de 0,25 mL para crianças utilizando a seringa37 com uma dose de 0,5 mL, inicialmente deve-se descartar metade do conteúdo até a marca correspondente (um traço preto pequeno na seringa37) e, posteriormente, aplicar o volume remanescente de 0,25 mL.

Não é necessário intervalo para administração de outras vacinas. A vacina1 pode ser aplicada simultaneamente com outras vacinas, desde que em local anatômico diferente.

Todos os produtos não utilizados ou material residual devem ser descartados, de acordo com a legislação local.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Quando um esquema de duas doses for utilizado, mesmo que tenha passado a data de seu filho (a) receber a segunda dose, esta pode ser aplicada sem necessidade de repetir a primeira.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou do cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Informe ao seu médico caso observe que você ou seu filho esteja apresentando alguma

reação adversa.

Reações adversas observadas em estudos clínicos

A segurança das vacinas influenza2 trivalentes inativadas é avaliada em ensaios abertos, não

controlados, realizados como exigência da atualização anual. Esses ensaios incluem pelo menos 50 adultos com idade de 18 a 60 anos e pelo menos 50 adultos com idade igual ou superior a 61 anos. A avaliação da segurança é realizada nos primeiros três dias após a vacinação.

Os seguintes efeitos indesejáveis foram observados durante ensaios clínicos40, de acordo com a frequência de sua ocorrência:

Categoria

Frequência

Muito comum

≥ 10%

Comum

≥ 1% e < 10%

Incomum

≥ 0,1% e < 1%

Raro

≥ 0,01% e < 0,1%

Muito raro

< 0,01%

Desconhecida

Não pode ser estimada pelos dados disponíveis

Reações comuns (ocorrem em até 10% das pessoas que utilizam esta vacina1)

  • Alterações do sistema nervoso41: Cefaleia14 (dor de cabeça15)*.
  • Alterações da pele e tecido subcutâneo42: Sudorese43*.
  • Alterações músculo-esqueléticas e do tecido conectivo44: Mialgia13 (dor muscular), artralgia45 (dor articular)*.
  • Alterações gerais e do local de administração: Febre12, mal-estar, calafrios46 (tremores), cansaço.
  • Reações locais: Eritema47 (vermelhidão*), edema48 (inchaço49), dor, equimose50 (mancha arroxeada na pele51), enduração*.
    *Estas reações usualmente desaparecem dentro de 1 a 2 dias, sem tratamento.

Pós-comercialização

Reações adversas relatadas durante a vigilância pós-comercialização

Como esses eventos foram relatados voluntariamente por uma população de tamanho incerto, não é possível estimar sua frequência ou estabelecer, para todos os eventos, uma relação causal com a exposição à vacina1.

Reações adversas detectadas por vigilância pós-comercialização são, além das reações observadas durante os ensaios clínicos40, as seguintes:

  • Reações acometendo o sangue52 e sistema linfático53: Diminuição do número de plaquetas54 e inchaço49 das glândulas55 no pescoço56, na axila ou virilha.
  • Alterações gerais e no local de administração: Reações tipo celulite57 no local da injeção30 (alguns casos de edema48 (inchaço49), dor e vermelhidão se estendendo por mais de 10 cm e durando mais do que uma semana). Edema48 extenso no membro injetado durando mais do que uma semana.
  • Reações acometendo o sistema imune58: Reações alérgicas, raramente levando a choque59 e angioedema60 (inchaço49 da pele51 e mucosas61, mais frequentemente em extremidades, na área genital e na face62, especialmente ao redor dos olhos63 e nos lábios).
  • Reações acometendo o sistema nervoso41: Nevralgia, parestesia64 (sensação de formigamento), convulsão65 febril, desordens neurológicas tais como encefalomielite (inflamação66 do cérebro67 e medula espinhal68), neurite69 (inflamação66 dolorosa de nervo), síndrome70 de Guillain-Barré (inflamação66 aguda do sistema nervoso periférico71 resultando principalmente em deficiência motora  paralisia72), síncope73 (desmaio) e pré-síncope73 (pré- desmaio).
  • Reações acometendo o sistema vascular74: Inflamação66 de vasos sanguíneos75, muito raramente levando a problemas renais transitórios.
  • Reações acometendo a pele e tecido subcutâneo42: Reações generalizadas de pele51, incluídas aqui coceira, urticária76 e rash77 cutâneo78 (lesões79 de pele51).

Embora raras, foram relatadas reações alérgicas com quadro de choque59 (queda intensa da pressão arterial80). Os sintomas81 de alergia22 grave (reação anafilática24) são: hipotensão82 (queda da pressão) acentuada e repentina, aceleração ou diminuição do batimento cardíaco, fadiga83 (cansaço) ou fraqueza incomum, ansiedade, nervosismo, perda de consciência, dificuldade de respiração e deglutição84, prurido85 (coceira), principalmente na planta dos pés e/ou nas palmas das mãos86, urticária76 (lesões79 avermelhadas na pele51, elevadas e que coçam) com ou sem angioedema60 (áreas da pele51 inchadas e pruriginosas87 mais frequentemente nas extremidades, nos genitais e na face62, principalmente ao redor dos olhos63 e dos lábios), exantema88 (lesões79 de pele51 principalmente próximas das orelhas89), náusea90, vômito91, cólica, diarreia92.

Se estas reações surgirem, consulte um médico.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O QUE DEVO FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Não é provável que a superdose cause algum efeito desfavorável.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
 

Reg. MS n.º 1. 9517.0110
Farm. Resp.: José Fernando de Menezes - CRF-SP 26.262

Importado por:
Medstar Importação e Exportação Ltda.
Rua Valêncio Soares Rodrigues, 89, sala 1
Vargem Grande Paulista – SP
CNPJ: 03.580.620/0001-35

Fabricado e embalado por:
GSK Vaccines S.r.l.
Bellaria-Rosia, 53018 Sovicille (SI) - Itália


SAC (11) 5535 0989

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Vacina: Tratamento à base de bactérias, vírus vivos atenuados ou seus produtos celulares, que têm o objetivo de produzir uma imunização ativa no organismo para uma determinada infecção.
2 Influenza: Doença infecciosa, aguda, de origem viral que acomete o trato respiratório, ocorrendo em epidemias ou pandemias e frequentemente se complicando pela associação com outras infecções bacterianas.
3 Cepa: Cepa ou estirpe é um termo da biologia e da genética que se refere a um grupo de descendentes com um ancestral comum que compartilham semelhanças morfológicas e/ou fisiológicas.
4 Subcutânea: Feita ou situada sob a pele; hipodérmica.
5 Antígenos: 1. Partículas ou moléculas capazes de deflagrar a produção de anticorpo específico. 2. Substâncias que, introduzidas no organismo, provocam a formação de anticorpo.
6 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
7 Cepas: Cepa ou estirpe é um termo da biologia e da genética que se refere a um grupo de descendentes com um ancestral comum que compartilham semelhanças morfológicas e/ou fisiológicas.
8 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
9 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
10 Gripe: Doença viral adquirida através do contágio interpessoal que se caracteriza por faringite, febre, dores musculares generalizadas, náuseas, etc. Sua duração é de aproximadamente cinco a sete dias e tem uma maior incidência nos meses frios. Em geral desaparece naturalmente sem tratamento, apenas com medidas de controle geral (repouso relativo, ingestão de líquidos, etc.). Os antibióticos não funcionam na gripe e não devem ser utilizados de rotina.
11 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
12 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
13 Mialgia: Dor que se origina nos músculos. Pode acompanhar outros sintomas como queda no estado geral, febre e dor de cabeça nas doenças infecciosas. Também pode estar associada a diferentes doenças imunológicas.
14 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
15 Cabeça:
16 Coriza: Inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo.
17 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
18 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
19 Otite: Toda infecção do ouvido é chamada de otite.
20 Óbito: Morte de pessoa; passamento, falecimento.
21 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
22 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
23 Ovo: 1. Célula germinativa feminina (haploide e madura) expelida pelo OVÁRIO durante a OVULAÇÃO. 2. Em alguns animais, como aves, répteis e peixes, é a estrutura expelida do corpo da mãe, que consiste no óvulo fecundado, com as reservas alimentares e os envoltórios protetores.
24 Reação anafilática: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
25 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
26 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
27 Imunodeficiência: Distúrbio do sistema imunológico que se caracteriza por um defeito congênito ou adquirido em um ou vários mecanismos que interferem na defesa normal de um indivíduo perante infecções ou doenças tumorais.
28 Imunidade: Capacidade que um indivíduo tem de defender-se perante uma agressão bacteriana, viral ou perante qualquer tecido anormal (tumores, enxertos, etc.).
29 Intravascular: Relativo ao interior dos vasos sanguíneos e linfáticos, ou que ali se situa ou ocorre.
30 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
31 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
32 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
33 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
34 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
35 HIV: Abreviatura em inglês do vírus da imunodeficiência humana. É o agente causador da AIDS.
36 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
37 Seringa: Dispositivo usado para injetar medicações ou outros líquidos nos tecidos do corpo. A seringa de insulina é formada por um tubo plástico com um êmbolo e uma agulha pequena na ponta.
38 Deltoide: 1. Que apresenta a forma triangular de um delta (“letra do alfabeto grego”). 2. Em botânica, diz-se do que é ovado e com os dois lados e a base retilíneos, ou quase, assemelhando-se a um triângulo (diz-se de folha). 3. Em geometria, quadrilátero não convexo, com dois pares de lados adjacentes iguais. 4. Em anatomia, o deltoide é um músculo em forma de triângulo, que cobre a cintura escápulo-umeral e a estrutura do ombro.
39 Coxa: É a região situada abaixo da virilha e acima do joelho, onde está localizado o maior osso do corpo humano, o fêmur.
40 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
41 Sistema nervoso: O sistema nervoso é dividido em sistema nervoso central (SNC) e o sistema nervoso periférico (SNP). O SNC é formado pelo encéfalo e pela medula espinhal e a porção periférica está constituída pelos nervos cranianos e espinhais, pelos gânglios e pelas terminações nervosas.
42 Pele e Tecido Subcutâneo: Revestimento externo do corpo composto por PELE, seus acessórios (CABELO, UNHAS, GLÂNDULAS SEBÁCEAS e GLÂNDULAS SUDORÍPARAS) e seus ductos.
43 Sudorese: Suor excessivo
44 Tecido conectivo: Tecido que sustenta e conecta outros tecidos. Consiste de CÉLULAS DO TECIDO CONJUNTIVO inseridas em uma grande quantidade de MATRIZ EXTRACELULAR.
45 Artralgia: Dor em uma articulação.
46 Calafrios: 1. Conjunto de pequenas contrações da pele e dos músculos cutâneos ao longo do corpo, muitas vezes com tremores fortes e palidez, que acompanham uma sensação de frio provocada por baixa temperatura, má condição orgânica ou ainda por medo, horror, nojo, etc. 2. Sensação de frio e tremores fortes, às vezes com bater de dentes, que precedem ou acompanham acessos de febre.
47 Eritema: Vermelhidão da pele, difusa ou salpicada, que desaparece à pressão.
48 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
49 Inchaço: Inchação, edema.
50 Equimose: Mancha escura ou azulada devido à infiltração difusa de sangue no tecido subcutâneo. A maioria aparece após um traumatismo, mas pode surgir espontaneamente em pessoas que apresentam fragilidade capilar ou alguma coagulopatia. Após um período de tempo variável, a equimose desaparece passando por diferentes gradações: violácea, acastanhada, esverdeada e amarelada.
51 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
52 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
53 Sistema Linfático: Um sistema de órgãos e tecidos que processa e transporta células imunes e LINFA.
54 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.
55 Glândulas: Grupo de células que secreta substâncias. As glândulas endócrinas secretam hormônios e as glândulas exócrinas secretam saliva, enzimas e água.
56 Pescoço:
57 Celulite: Inflamação aguda das estruturas cutâneas, incluindo o tecido adiposo subjacente, geralmente produzida por um agente infeccioso e manifestada por dor, rubor, aumento da temperatura local, febre e mal estar geral.
58 Sistema imune: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
59 Choque: 1. Estado de insuficiência circulatória a nível celular, produzido por hemorragias graves, sepse, reações alérgicas graves, etc. Pode ocasionar lesão celular irreversível se a hipóxia persistir por tempo suficiente. 2. Encontro violento, com impacto ou abalo brusco, entre dois corpos. Colisão ou concussão. 3. Perturbação brusca no equilíbrio mental ou emocional. Abalo psíquico devido a uma causa externa.
60 Angioedema: Caracteriza-se por áreas circunscritas de edema indolor e não-pruriginoso decorrente de aumento da permeabilidade vascular. Os locais mais acometidos são a cabeça e o pescoço, incluindo os lábios, assoalho da boca, língua e laringe, mas o edema pode acometer qualquer parte do corpo. Nos casos mais avançados, o angioedema pode causar obstrução das vias aéreas. A complicação mais grave é o inchaço na garganta (edema de glote).
61 Mucosas: Tipo de membranas, umidificadas por secreções glandulares, que recobrem cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
62 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
63 Olhos:
64 Parestesia: Sensação cutânea subjetiva (ex.: frio, calor, formigamento, pressão, etc.) vivenciada espontaneamente na ausência de estimulação.
65 Convulsão: Episódio agudo caracterizado pela presença de contrações musculares espasmódicas permanentes e/ou repetitivas (tônicas, clônicas ou tônico-clônicas). Em geral está associada à perda de consciência e relaxamento dos esfíncteres. Pode ser devida a medicamentos ou doenças.
66 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
67 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
68 Medula Espinhal:
69 Neurite: Inflamação de um nervo. Pode manifestar-se por neuralgia, déficit sensitivo, formigamentos e/ou diminuição da força muscular, dependendo das características do nervo afetado (sensitivo ou motor). Esta inflamação pode ter causas infecciosas, traumáticas ou metabólicas.
70 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
71 Sistema Nervoso Periférico: Sistema nervoso localizado fora do cérebro e medula espinhal. O sistema nervoso periférico compreende as divisões somática e autônoma. O sistema nervoso autônomo inclui as subdivisões entérica, parassimpática e simpática. O sistema nervoso somático inclui os nervos cranianos e espinhais e seus gânglios e receptores sensitivos periféricos. Vias Neurais;
72 Paralisia: Perda total da força muscular que produz incapacidade para realizar movimentos nos setores afetados. Pode ser produzida por doença neurológica, muscular, tóxica, metabólica ou ser uma combinação das mesmas.
73 Síncope: Perda breve e repentina da consciência, geralmente com rápida recuperação. Comum em pessoas idosas. Suas causas são múltiplas: doença cerebrovascular, convulsões, arritmias, doença cardíaca, embolia pulmonar, hipertensão pulmonar, hipoglicemia, intoxicações, hipotensão postural, síncope situacional ou vasopressora, infecções, causas psicogênicas e desconhecidas.
74 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
75 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
76 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
77 Rash: Coloração avermelhada da pele como conseqüência de uma reação alérgica ou infecção.
78 Cutâneo: Que diz respeito à pele, à cútis.
79 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
80 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
81 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
82 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
83 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
84 Deglutição: Passagem dos alimentos desde a boca até o esôfago; ação ou efeito de deglutir; engolir. É um mecanismo em parte voluntário e em parte automático (reflexo) que envolve a musculatura faríngea e o esfíncter esofágico superior.
85 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
86 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
87 Pruriginosas: Relativas a ou próprias de prurido, que coçam, que causam coceira ou comichão. Em medicina, é o que produz prurido; prurientes, prurígenas.
88 Exantema: Alteração difusa da coloração cutânea, caracterizada por eritema, com elevação das camadas mais superficiais da pele (pápulas), vesículas, etc. Pode ser produzido por uma infecção geralmente viral (rubéola, varicela, sarampo), por alergias a medicamentos, etc.
89 Orelhas: Sistema auditivo e de equilíbrio do corpo. Consiste em três partes
90 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
91 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
92 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.

Tem alguma dúvida sobre Vacina Influenza Trivalente (Subunitária, Inativada)?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.