MIDECAMIN

MERCK

Atualizado em 09/12/2014

MIDECAMIN®
Miocamicina
Uso oral
Uso adulto e pediátrico

Formas Farmacêuticas e Apresentações de Midecamin

MIDECAMIN® 200mg suspensãoEmbalagem contendo um frasco com 20g de granulado para preparo de suspensão oral a 20%.
MIDECAMIN® 600mg comprimidos
Embalagem contendo 10 comprimidos.

Composição de Midecamin

MIDECAMIN® 200mg Suspensão
Cada 1g de granulado de MIDECAMIN® contém 200mg de miocamicina.
Excipientes (ácido cítrico, aroma de banana, corante amarelo crepúsculo, fosfato de sódio, hidroxipropilmetilcelulose, manitol, metilparabeno, monoesterato de glicerila, monoestearato de sacarose, polissorbato 20, propilparabeno, sacarina1 e silicone).
Após adição de água até a marca de 100ml, cada 5ml (½ copo-medida) da suspensão contém 200mg de miocamicina.
MIDECAMIN® 600mg Comprimido
Cada comprimido de MIDECAMIN® contém 600mg de miocamicina.
Excipientes (aminoacetato de alumínio, carboximetilamido, celulose, estearato de magnésio, hidroxiproprilmetilcelulose e laca de alumínio de amarelo crepúsculo)

Indicações de Midecamin

MIDECAMIN® está indicado para tratamento dos processos infecciosos causados por microrganismos sensíveis à miocamicina.A miocamicina exibe grande atividade contra microrganismos Gram-positivos - estreptococos (exceto os enterococos), estafilococos, pneumococos, clostrídeos, Corynebacterium diphteriae e Listeria monocytogenes - o que garante sua importância no tratamento de infecções2 do trato respiratório.
Mostra-se também ativa contra Chlamydia trachomatis, Bordetella pertussis, Campylobacter jejuni, germes anaeróbios Gram-negativos (inclusive Bacteroides fragilis), Mycoplasma pneumoniae, Ureaplasma urealyticum e algumas cepas3 de Haemophilus influenzae. É praticamente nula sua atividade sobre bactérias Gram-negativas e Pseudomonas aeruginosa.

Contra-Indicações de Midecamin

MIDECAMIN® não pode ser utilizado por pacientes com hipersensibilidade à miocamicina, à midecamicina ou a qualquer um dos excipientes do produto.

Efeitos Colaterais4 de Midecamin

MIDECAMIN® é um produto bem tolerado pelos pacientes. Os efeitos colaterais4 mais freqUentes relacionam-se ao aparelho digestivo5.Segundo alguns estudos podem surgir, em cerca de 5% dos pacientes, náuseas6, vômitos7, desconforto abdominal, cólicas8 e diarréia9. Esses efeitos usualmente desaparecem 24 ou 48 horas após a suspensão do medicamento.
Em menos de 0,5% dos casos podem surgir reações alérgicas, manifestando-se por exantemas10 maculopapulares, prurido11, urticária12 e angioedema13. Muito mais raramente podem aparecer distúrbios respiratórios e fenômenos anafiláticos.

Precauções de Midecamin

Por não estar estabelecida a segurança do emprego da miocamicina durante a gravidez14, não se aconselha o uso do produto por gestantes.
Apesar de não existirem relatos de alterações hepáticas15, renais e hematológicas conseqüentes ao uso da miocamicina, é recomendável, em caso de tratamento prolongado, proceder-se à avaliação das funções renal16 e hepática17, assim como do quadro hematológico.
O médico deve pensar na possibilidade de superinfecções18 por fungos e bactérias resistentes à miocamicina. Nesse caso deve-se interromper a administração de MIDECAMIN® e instituir o tratamento adequado.

Conduta na Superdosagem e Nas Reações Adversas de Midecamin

Na eventualidade de superdosagem deve-se proceder à lavagem gástrica19 e procurar acelerar a eliminação renal16 do produto, aumentando a diurese20 (hidratação, diuréticos21). Se necessário, pode-se recorrer à hemodiálise22.As reações alérgicas devem ser tratadas com anti-histamínicos e corticoesteróides, intramuscular ou endovenosamente. As reações de tipo anafilático requerem utilização de adrenalina23, corticoesteróides, controle da volemia24 (administração de soluções hidrosalinas e plasma25), respiração assistida e, eventualmente, traqueostomia26.

Interações Medicamentosas de Midecamin

Não se deve administrar MIDECAMIN® juntamente com penicilinas ou cefalosporinas, pois poderia haver inibição da ação bactericida desses antibióticos. Da mesma maneira, não se deve administrá-lo juntamente com as lincomicinas cujo mecanismo de ação é quase idêntico ao dos macrolídios, havendo assim antagonismo entre essas classes de antibióticos.
Embora não existam estudos específicos, sugere-se utilizar a miocamicina cautelosamente nos pacientes em uso de derivados do Ergot e carbamazepina, uma vez que alguns macrolídios comprovadamente aumentam os níveis séricos dessas substâncias.
A utilização conjunta de anticoncepcionais orais e alguns macrolídios, pode desencadear, em algumas mulheres, aparecimento de icterícia27 e prurido11. Isso ocorre por interferência com o citocromo P450.
A icterícia27 e o prurido11 desaparecem no período de um mês após a suspensão dos medicamentos. Não existem relatos da ocorrência desses fenômenos durante o uso da miocamicina.

Posologia e Modo de Usar de Midecamin

Crianças com menos de 40kg
A posologia diária recomendada é de 30mg de MIDECAMIN® por quilograma de peso corporal. Em casos graves a dose diária prescrita pode chegar a 45mg de MIDECAMIN® por quilograma de peso. A dose total pode ser fracionada em duas ou três tomadas, em intervalos de 12 ou 8 horas, respectivamente.
Crianças com 40kg ou mais e adultos
A posologia diária recomendada é de 1.200mg, dividida em duas ou três tomadas, em intervalos de 12 ou 8 horas, respectivamente. Casos mais graves podem requerer dose de 1.800mg/dia, igualmente dividida em duas ou três tomadas diárias.
Em média deve ser de 7 a 15 dias a duração do tratamento, sendo de cinco dias o tempo mínimo recomendado.
MIDECAMIN® pode ser ingerido antes ou depois das refeições, uma vez que a presença ou ausência de alimentos no tubo digestivo não influencia a absorção do produto.
MIDECAMIN® Suspensão é preparado pela adição de água filtrada ao conteúdo do frasco até atingir o nível indicado, no rótulo do vidro, por uma seta. Agitar para homogeneizar a suspensão. Após preparada, a suspensão é válida por sete dias. O frasco deve ser agitado antes de cada tomada.
Pacientes idosos
Não existem advertências ou recomendações especiais sobre o uso do produto por pacientes idosos.

MIDECAMIN - Laboratório

MERCK
Estrada dos Bandeirantes, 1099
Rio de Janeiro/RJ - CEP: 22170-571
Tel: 55 (021) 445-1661
Fax: 55 (021) 444-2124
Site: http://www.merck.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "MERCK"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Sacarina: Adoçante sem calorias e sem valor nutricional.
2 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
3 Cepas: Cepa ou estirpe é um termo da biologia e da genética que se refere a um grupo de descendentes com um ancestral comum que compartilham semelhanças morfológicas e/ou fisiológicas.
4 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
5 Aparelho digestivo: O aparelho digestivo ou digestório realiza a digestão, processo que transforma os alimentos em substâncias passíveis de serem absorvidas pelo organismo. Os materiais não absorvidos são eliminados por este sistema. Ele é composto pelo tubo digestivo e por glândulas anexas.
6 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
7 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
8 Cólicas: Dor aguda, produzida pela dilatação ou contração de uma víscera oca (intestino, vesícula biliar, ureter, etc.). Pode ser de início súbito, com exacerbações e períodos de melhora parcial ou total, nos quais o paciente pode estar sentindo-se bem ou apresentar dor leve.
9 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
10 Exantemas: Alteração difusa da coloração cutânea, caracterizada por eritema, com elevação das camadas mais superficiais da pele (pápulas), vesículas, etc. Pode ser produzido por uma infecção geralmente viral (rubéola, varicela, sarampo), por alergias a medicamentos, etc.
11 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
12 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
13 Angioedema: Caracteriza-se por áreas circunscritas de edema indolor e não-pruriginoso decorrente de aumento da permeabilidade vascular. Os locais mais acometidos são a cabeça e o pescoço, incluindo os lábios, assoalho da boca, língua e laringe, mas o edema pode acometer qualquer parte do corpo. Nos casos mais avançados, o angioedema pode causar obstrução das vias aéreas. A complicação mais grave é o inchaço na garganta (edema de glote).
14 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
15 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
16 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
17 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
18 Superinfecções: Geralmente ocorrem quando os antibióticos alteram o equilíbrio do organismo, permitindo o crescimento de agentes oportunistas, como os enterococos. As superinfecções podem ser muito difícil de tratar, porque é necessário optar por antibióticos eficazes contra todos os agentes que podem causá-las.
19 Lavagem gástrica: É a introdução, através de sonda nasogástrica, de líquido na cavidade gástrica, seguida de sua remoção.
20 Diurese: Diurese é excreção de urina, fenômeno que se dá nos rins. É impróprio usar esse termo na acepção de urina, micção, freqüência miccional ou volume urinário. Um paciente com retenção urinária aguda pode, inicialmente, ter diurese normal.
21 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
22 Hemodiálise: Tipo de diálise que vai promover a retirada das substâncias tóxicas, água e sais minerais do organismo através da passagem do sangue por um filtro. A hemodiálise, em geral, é realizada 3 vezes por semana, em sessões com duração média de 3 a 4 horas, com o auxílio de uma máquina, dentro de clínicas especializadas neste tratamento. Para que o sangue passe pela máquina, é necessária a colocação de um catéter ou a confecção de uma fístula, que é um procedimento realizado mais comumente nas veias do braço, para permitir que estas fiquem mais calibrosas e, desta forma, forneçam o fluxo de sangue adequado para ser filtrado.
23 Adrenalina: 1. Hormônio secretado pela medula das glândulas suprarrenais. Atua no mecanismo da elevação da pressão sanguínea, é importante na produção de respostas fisiológicas rápidas do organismo aos estímulos externos. Usualmente utilizado como estimulante cardíaco, como vasoconstritor nas hemorragias da pele, para prolongar os efeitos de anestésicos locais e como relaxante muscular na asma brônquica. 2. No sentido informal significa disposição física, emocional e mental na realização de tarefas, projetos, etc. Energia, força, vigor.
24 Volemia: Volume sanguíneo
25 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
26 Traqueostomia: Procedimento cirúrgico mediante o qual se produz um orifício na região anterior do pescoço, para permitir a entrada de ar na traquéia quando existe uma obstrução ao fluxo aéreo acima desta. Pode ser temporária (necessária apenas durante uma doença aguda e revertida posteriormente) ou permanente (como em caso de ablação da laringe devido a câncer laríngeo, no qual a traqueostomia passa a ser a via aérea definitiva).
27 Icterícia: Coloração amarelada da pele e mucosas devido a uma acumulação de bilirrubina no organismo. Existem dois tipos de icterícia que têm etiologias e sintomas distintos: icterícia por acumulação de bilirrubina conjugada ou direta e icterícia por acumulação de bilirrubina não conjugada ou indireta.

Tem alguma dúvida sobre MIDECAMIN?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.