BINOTAL

BAYER

Atualizado em 03/06/2015

Binotal®

Ampicilina sódica

Ampicilina triidratada

Uso adulto e pediátrico

Formas Farmacêuticas e Apresentações de Binotal

BINOTAL é apresentado nas dosagens de 500 mg e 1.000 mg; na formada comprimidos, em embalagens com 12 ou 18 unidades e com 25 frascos - ampolas na forma injetável.

Composição de Binotal


Cada comprimido ou frasco-ampola contém: BINOTAL 500: 500 mg de ampicilina, BINOTAL 1000; 1.000 mg de ampicilina.

Informações Técnicas de Binotal

BINOTAL é uma penicilina semi-sintética de amplo espectro, bactericida, pois inibe a síntese da parede celular, tanto de germes Gram-positivos quanto Gram-negativos. Pode ser usado tanto por via oral como parenteral. Após a administração oral é absorvido em 30% a 60%, e os níveis sangüíneos máximos são alcançados após 90 a 120 minutos. A ampicilina penetra nos tecidos, atravessa a barreira placentária e é excretada no leite materno. A excreção se efetua principalmente por via renal1, na forma não-metabolizada, mas também através da bile2 e das fezes.

Indicações de Binotal


Infecções3 dos tratos urinário, respiratório, digestivo e biliar. Infecções3 localizadas ou sistêmicas, especialmente causadas por germes do grupo dos enterococos,  Haemophilus, Proteus. Salmonella e  E. coli. BINOTAL pode ser administrado durante a gravidez4  Está indicado nas infecções3 bucais, extrações infectadas e outras intervenções cirúrgicas.

Contra-Indicações de Binotal

Pacientes alérgicos a penicilina. Não deve ser administrado a pacientes sensíveis às cefalosporinas devido ao risco de reação alérgica5 cruzada.

Precauções de Binotal


Deve ser usado com cautela em pacientes com antecedentes alérgicos (asma6 brônquica, urticária7 ou febre do feno8). Durante a gravidez4 e na lactação9 deve ser usado quando estritamente indicado. Pacientes com infecções3 virais como mononucleose10 a leucemia11 linfática apresentam grande risco de exantema12. Não existem até o momento indícios de carcinogênese, mutagênese, teratogênese13 ou alterações de fertilidade.

Interações Medicamentosas de Binotal

O uso concomitante de alopurinol e ampicilina aumenta a incidência14 de erupções cutâneas15. O uso concomitante com anticoncepcionais orais diminui a eficácia destes.

Reações Adversas de Binotal


Reações cutâneas15 (morbiliformes, eritema16, etc.), alterações gastrintestinais. Raramente: aumento das provas de função hepática17, alterações hematológicas, abre medicamentosa, nefrite18 intersticial19 aguda e outras manifestações alérgicas. Muito raramente: reações anafiláticas20, inclusive choque21 e convulsão22. No caso de colite23 pseudomembranosa (diarréia24 grave persistente), o medicamento deve ser suspenso. Tromboflebite25 na administração parenteral.

Posologia de Binotal

Forma oral: 1 comprimido de BINOTAL 500 ou 1.000 a cada 6 a 8 horas, por um período mínimo de 7 dias.  Forma injetável: Recém-nascidos até o 5º dia: 50 a 100  mg/kg por dia, em 2 vezes. Lactentes26 do 5º dia até o 1º mês de vida: 100 a 200 mg/ Kg por dia, em 3 vezes. Lactentes26 a partir do 1º mês até crianças menores de 6 anos: 100 a 200 mg/kg por dia, em 3 vezes. Crianças maiores de 6 anos e adultos: 2 a 4 g/ dia, a cada 6 horas. Pacientes em diálise peritoneal27 não necessitam de mudança no esquema posológico.

- Administração e modo de usar

Forma oral: Os comprimidos da BINOTAL devem ser deglutidos com um pouco de líquido, independentemente das refeições. A ingestão de alimentos interfere na absorção de ampicilina, portanto recomenda-se sua tomada 30 minutos a 1 hora antes das refeições.  Forma parenteral: Para o uso parenteral dissolve-se o conteúdo de um frasco-ampola em água para injeção28. A administração parenteral efetua-se com solução aquosa de 10% a 20%, por vias intramuscular, endovenosa ou infusão endovenosa. A solução de BINOTAL pode ser adicionada às soluções comuns de infusão. Entretanto desaconselha-se a injeção28 ou infusão do BINOTAL misturado a outros medicamentos. Os derivados de tetraciclina são incompatíveis com ampicilina. A solução de BINOTAL mantém sua atividade por 6 horas se conservada abaixo de 8 0 C. Em soluções comuns de infusão a 1%, BINOTAL é estável, até o máximo da 6 horas, e estável somente por 2 horas nas soluções glicosadas. A aplicação endovenosa deve ser feita no tempo usual de 20 minutos, A injeção intramuscular29 não deve ultrapassar o volume de 5 ml.

Superdose e Efeitos Tóxicos de Binotal


Reações cutâneas15, podem regredir espontaneamente em poucas horas ou dias. O controle destas pode ser obtido com a administração de anti-histamínicos. Ao primeiro sinal30 de reação alérgica5, administrar imediatamente 0,3 a 1 ml de adrenalina31 intramuscular ou, em casos severos, 0,2 ml diluídos, por via endovenosa. Outras doses podem ser necessárias, caso não se observe melhora. A urticária7 pode ser tratada com corticosteróides por via oral. A ampicilina pode ser removida pela hemodiálise32.Venda sobre prescrição médica.

BINOTAL - Laboratório

BAYER
Rua Domingos Jorge, 1100
São Paulo/SP - CEP: 04779-900
Tel: 08007231010
Fax: 55 (011)548-0485
Site: http://www.bayer.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "BAYER"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
2 Bile: Agente emulsificador produzido no FÍGADO e secretado para dentro do DUODENO. Sua composição é formada por s ÁCIDOS E SAIS BILIARES, COLESTEROL e ELETRÓLITOS. A bile auxilia a DIGESTÃO das gorduras no duodeno.
3 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
4 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
5 Reação alérgica: Sensibilidade a uma substância específica, chamada de alérgeno, com a qual se entra em contato por meio da pele, pulmões, deglutição ou injeções.
6 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
7 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
8 Febre do Feno: Doença polínica, polinose, rinite alérgica estacional ou febre do feno. Deve-se à sensibilização aos componentes de polens, sendo que os alérgenos de pólen provocam sintomas clínicos quando em contato com a mucosa do aparelho respiratório e a conjuntiva de indivíduos previamente sensibilizados.
9 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
10 Mononucleose: Doença de progressão benigna, muito comum, causada pela infecção pelo vírus Epstein-Barr e transmitida pelo contato com saliva contaminada. Seus sintomas incluem: mal-estar, dor de cabeça, febre, dor de garganta, ínguas principalmente no pescoço, inflamação do fígado. Acomete mais freqüentemente adolescentes e adultos jovens.
11 Leucemia: Doença maligna caracterizada pela proliferação anormal de elementos celulares que originam os glóbulos brancos (leucócitos). Como resultado, produz-se a substituição do tecido normal por células cancerosas, com conseqüente diminuição da capacidade imunológica, anemia, distúrbios da função plaquetária, etc.
12 Exantema: Alteração difusa da coloração cutânea, caracterizada por eritema, com elevação das camadas mais superficiais da pele (pápulas), vesículas, etc. Pode ser produzido por uma infecção geralmente viral (rubéola, varicela, sarampo), por alergias a medicamentos, etc.
13 Teratogênese: Formação e desenvolvimento no útero de anomalias que levam a malformações; teratogenia.
14 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
15 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
16 Eritema: Vermelhidão da pele, difusa ou salpicada, que desaparece à pressão.
17 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
18 Nefrite: Termo que significa “inflamação do rim” e que agrupa doenças caracterizadas por lesões imunológicas ou infecciosas do tecido renal. Alguns exemplos são a nefrite intersticial por drogas, a glomerulonefrite pós-estreptocócica, etc. Podem manifestar-se por hipertensão arterial, hematúria e dor lombar.
19 Intersticial: Relativo a ou situado em interstícios, que são pequenos espaços entre as partes de um todo ou entre duas coisas contíguas (por exemplo, entre moléculas, células, etc.). Na anatomia geral, diz-se de tecido de sustentação localizado nos interstícios de um órgão, especialmente de vasos sanguíneos e tecido conjuntivo.
20 Reações anafiláticas: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
21 Choque: 1. Estado de insuficiência circulatória a nível celular, produzido por hemorragias graves, sepse, reações alérgicas graves, etc. Pode ocasionar lesão celular irreversível se a hipóxia persistir por tempo suficiente. 2. Encontro violento, com impacto ou abalo brusco, entre dois corpos. Colisão ou concussão. 3. Perturbação brusca no equilíbrio mental ou emocional. Abalo psíquico devido a uma causa externa.
22 Convulsão: Episódio agudo caracterizado pela presença de contrações musculares espasmódicas permanentes e/ou repetitivas (tônicas, clônicas ou tônico-clônicas). Em geral está associada à perda de consciência e relaxamento dos esfíncteres. Pode ser devida a medicamentos ou doenças.
23 Colite: Inflamação da porção terminal do cólon (intestino grosso). Pode ser devido a infecções intestinais (a causa mais freqüente), ou a processos inflamatórios diversos (colite ulcerativa, colite isquêmica, colite por radiação, etc.).
24 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
25 Tromboflebite: Processo inflamatório de um segmento de uma veia, geralmente de localização superficial (veia superficial), juntamente com formação de coágulos na zona afetada. Pode surgir posteriormente a uma lesão pequena numa veia (como após uma injeção ou um soro intravenoso) e é particularmente frequente nos toxico-dependentes que se injetam. A tromboflebite pode desenvolver-se como complicação de varizes. Existe uma tumefação e vermelhidão (sinais do processo inflamatório) ao longo do segmento de veia atingido, que é extremamante doloroso à palpação. Ocorrem muitas vezes febre e mal-estar.
26 Lactentes: Que ou aqueles que mamam, bebês. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
27 Diálise peritoneal: Ao invés de utilizar um filtro artificial para “limpar“ o sangue, é utilizado o peritônio, que é uma membrana localizada dentro do abdômen e que reveste os órgãos internos. Através da colocação de um catéter flexível no abdômen, é feita a infusão de um líquido semelhante a um soro na cavidade abdominal. Este líquido, que chamamos de banho de diálise, vai entrar em contato com o peritônio, e por ele será feita a retirada das substâncias tóxicas do sangue. Após um período de permanência do banho de diálise na cavidade abdominal, este fica saturado de substâncias tóxicas e é então retirado, sendo feita em seguida a infusão de novo banho de diálise. Esse processo é realizado de uma forma contínua e é conhecido por CAPD, sigla em inglês que significa diálise peritoneal ambulatorial contínua. A diálise peritoneal é uma forma segura de tratamento realizada atualmente por mais de 100.000 pacientes no mundo todo.
28 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
29 Injeção intramuscular: Injetar medicamento em forma líquida no músculo através do uso de uma agulha e seringa.
30 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
31 Adrenalina: 1. Hormônio secretado pela medula das glândulas suprarrenais. Atua no mecanismo da elevação da pressão sanguínea, é importante na produção de respostas fisiológicas rápidas do organismo aos estímulos externos. Usualmente utilizado como estimulante cardíaco, como vasoconstritor nas hemorragias da pele, para prolongar os efeitos de anestésicos locais e como relaxante muscular na asma brônquica. 2. No sentido informal significa disposição física, emocional e mental na realização de tarefas, projetos, etc. Energia, força, vigor.
32 Hemodiálise: Tipo de diálise que vai promover a retirada das substâncias tóxicas, água e sais minerais do organismo através da passagem do sangue por um filtro. A hemodiálise, em geral, é realizada 3 vezes por semana, em sessões com duração média de 3 a 4 horas, com o auxílio de uma máquina, dentro de clínicas especializadas neste tratamento. Para que o sangue passe pela máquina, é necessária a colocação de um catéter ou a confecção de uma fístula, que é um procedimento realizado mais comumente nas veias do braço, para permitir que estas fiquem mais calibrosas e, desta forma, forneçam o fluxo de sangue adequado para ser filtrado.

Tem alguma dúvida sobre BINOTAL?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.