ALBOCRESIL

NYCOMED PHARMA

Atualizado em 03/06/2015

ALBOCRESIL®

Policresuleno
Solução Concentrada - Óvulos - Gel

Formas Farmacêuticas e Apresentações de Albocresil

Frascos com 12 ml de Solução Concentrada, embalagens com 6 Óvulos e bisnagas com 50 g do Gel.

USO ADULTO

Composições de Albocresil

Solução Concentrada
Policresuleno .................... 36 % (g/g)
Veículo q.s.p .................... 12 ml
Veículo: água purificada.

Óvulos
Policresuleno .................... 0,09 g
Excipiente q.s.p .................... 1 óvulo1
Excipiente: macrogol.

Gel
Policresuleno .................... 1,8 g
Excipiente q.s.p .................... 100 g
Excipientes: polioxietileno alquil éter, butilhidroxitolueno, macrogol, edetato dissódico, dióxido de silício, água purificada.

Informação ao Paciente de Albocresil

Ação esperada do medicamentoAlbocresil® age regenerando o tecido2 lesado, promovendo a cicatrização através do aumento da circulação3 do sangue4 na área tratada. Apresenta, também, ação contra germes e contra sangramentos local.

Cuidados de armazenamento
Conserve o produto na embalagem original e à temperatura ambiente (15ºC a 30ºC).
Os óvulos devem ser guardados em local fresco. Caso amoleçam por calor ou umidade, basta colocá-los na geladeira até recuperarem a consistência necessária. Não congelar.

Prazo de validade
O prazo de validade está impresso na embalagem do produto. Não use medicamento com
o prazo de validade vencido, pois, além de não obter o efeito desejado você prejudicará a sua saúde5.

Gravidez6 e lactação7
Informe ao seu médico a ocorrência de gravidez6 na vigência do tratamento, ou após o seu término. Informe ao médico se estiver amamentando.

Cuidados de administração
Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Leia com atenção o item "Posologia" para a utilização correta do produto.
Manchas nos óvulos devem-se à aparência natural da sua massa base, não afetando a aplicação, eficácia ou segurança do produto.
Eventuais alterações na cor da Solução Concentrada, não alteram sua eficácia ou segurança.
Para não comprometer a qualidade do produto, evite dobrar a bisnaga do Albocresil® Gel.

Interrupção do tratamento
Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Reações adversas
Observa-se, em casos isolados, irritação no local da aplicação no início do tratamento, embora normalmente esta irritação desapareça rapidamente. Informe ao seu médico caso apareçam outras reações desagradáveis. Caso ocorra grave irritação local, é recomendável a interrupção do tratamento e o contato com o médico. Com o uso da Solução Concentrada na boca8, o esmalte9 dos dentes pode ser atacado, em função da acidez do produto. Recomenda-se que sua boca8 seja completamente enxaguada após o uso de Albocresil® Solução Concentrada.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Utilização concomitante com outras substâncias
Informe ao seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando antes do início ou durante o tratamento. O uso de Albocresil® deve ser exclusivamente local. Deve-se evitar o uso de outras drogas na mesma área, durante o tratamento com Albocresil®. Note que esta informação aplica-se, também, aos medicamentos recentemente utilizados.
Informe ao seu médico se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Contra-indicações e precauções
Hipersensibilidade aos componentes da fórmula. Não são conhecidas outras contra-indicações.
Albocresil® não deve ser ingerido. Caso isso ocorra, o indivíduo deve beber imediatamente água em abundância. No caso de ingestão da Solução Concentrada, consultar seu médico para tratamento imediato.
Durante o tratamento vaginal com Albocresil®, deve-se evitar lavagens genitais com
sabonetes irritantes, bem como relações sexuais. Deve-se evitar seu uso durante a menstruação10. Após alguns dias de tratamento, é comum a formação de um acúmulo do produto na vagina11, que geralmente é eliminado espontaneamente como um corrimento espesso, de coloração esbranquiçada (como "nata de leite") ou às vezes marrom clara. Contudo, em alguns casos, quando o acúmulo é importante, pode se fazer necessária a sua retirada pelo médico, a fim de se evitar uma irritação local e sensação de incômodo na paciente.
Proteja seus olhos12 do produto. Caso haja contato, enxaguá-los com água até que o produto seja completamente retirado. Em casos de maior irritação dos olhos12, um oftalmologista13 deverá ser consultado.
Produtos têxteis ou de couro, após eventual contato com Albocresil®, devem ser imediatamente enxaguados com água antes de secarem.

Riscos da automedicação14

NÃO FAÇA USO DE MEDICAMENTOS SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA A SUA SAÚDE5.

Informação Técnica de Albocresil


-Características

O constituinte ativo do Albocresil®, o policresuleno, está sob a forma de um produto de policondensação formado de ácidos m-cresolsulfônicos ligados por pontes de metileno com cadeias de diversos comprimentos. O pH da Solução Concentrada é 0,6, o qual após uma diluição de 1:200 atinge um valor de 2,0.

Propriedades Farmacológicas de Albocresil

A eficácia terapêutica15 do policresuleno deve-se a três mecanismos de ação simultâneos:• ação antimicrobiana: bactérias gram-positivas, gram-negativas, fungos e protozoários16;
• denaturação seletiva do tecido2 necrosado e do epitélio17 colunar;
• ação hemostática por coagulação18 das proteínas19 do sangue4 e intensa vasoconstrição20.
Albocresil® tem um amplo espectro de ação antimicrobiana, que inclui bactérias gram-negativas, gram-positivas e certos fungos, tendo particularmente, ação sobre a Gardnerella vaginalis, microorganismos anaeróbios e tricomonas.
Até o momento não se observou o desenvolvimento de resistência destes agentes ao policresuleno.
O policresuleno estimula os processos de cicatrização e promove a reepitelização, através da coagulação18 seletiva e subseqüente eliminação do tecido2 lesado e necrótico.
O epitélio17 escamoso21 é raramente afetado pelo policresuleno, enquanto o epitélio17 colunar mostra sinais22 de entumecência do núcleo e do plasma23, com subseqüente atrofia24 celular, poucos segundos após estar em contato com o policresuleno.

Propriedades Toxicológicas de Albocresil

O policresuleno não demonstra efeito tóxico após aplicação local, como tem sido observado durante mais de 50 anos de experiência clínica.

Toxicidade25 aguda

A toxicidade25 aguda determinada foi de 360 mg/ kg para administração intravenosa e de 2.400 mg/ kg para administração oral em camundongos, e de 400 mg/ kg para administração intravenosa e 3.500 mg/ kg para administração oral em ratos.
A DL50 nos camundongos é 200 vezes maior que a dose posológica em seres humanos, e a de ratos é 300 vezes maior que esta dose.

Toxicidade25 crônica

Em ratos, após 3 meses de tratamento com doses 40 vezes maiores que as doses em humanos e em cães, com doses 9 vezes maiores que em seres humanos, nenhum sinal26 de toxicidade25 específica à substância foi verificada.
A tolerabilidade dérmica do policresuleno foi investigada em estudos com o uso da pele27 depilada do dorso28 de camundongos. O policresuleno aplicado localmente em várias concentrações (4%, 11% e 36 %), por um período de 10 a 14 dias, causou somente um caso de vermelhidão passageira, que persistiu até após a terceira aplicação.

Toxicidade25 na reprodução29

Estudos em ratas e coelhas prenhas demonstrou que a substância não tem efeitos embriotóxicos ou teratogênicos30.

Mutagenicidade/ carcinogenicidade

Não há disponibilidade de estudos de carcinogenicidade.
A investigação de mutagenicidade (teste Ames) foi negativa.
Nenhuma propriedade mutagênica ou carcinogênica foi detectada durante os vários anos de uso terapêutico do policresuleno.

Farmacocinética de Albocresil

O policresuleno é sempre aplicado de forma tópica, portanto não foram determinados dados farmacocinéticos convencionais.Existem dados referentes à absorção do policresuleno em seres humanos. A absorção após aplicação intra-uterina foi investigada utilizando-se policresuleno marcado com C14. O policresuleno é absorvido através da mucosa31 uterina e excretado preferencialmente por via renal32. A absorção do policresuleno não ocasiona efeitos deletérios, como observado através dos dados em seres humanos.
Os metabólitos33 não são conhecidos, e não há estudos para determinação de meia vida plasmática.

Indicações de Albocresil

Em Ginecologia
No tratamento tópico34 das inflamações35, infecções36 ou lesões37 teciduais cérvico-vaginais (por ex. corrimentos cervicais e vaginais causados por bactérias, tricomonas, infecções36 fúngicas38, vaginites, cervicites e úlceras39 por compressão em pacientes usuárias de diafragma40 intra-uterino) e no condiloma41 acuminado.
O produto é indicado para o tratamento tópico34 de ectopias cervicais e no controle da hemorragia42 após biópsia43 e remoção de pólipos44 do útero45.
Após tratamento inicial com Albocresil® Solução Concentrada, recomenda-se a utilização de Albocresil® Óvulos Vaginais nos períodos entre as cauterizações.

Em Dermatologia e Cirurgia
Utiliza-se Albocresil® Solução Concentrada ou Gel para acelerar a remoção do tecido2 necrótico após queimaduras, limpeza e estimulação da cicatrização (queimaduras de pequenas áreas, úlceras39 venosas de perna, úlceras39 por decúbito46 e condiloma41 acuminado).
Controle de hemorragias47.

Em Otorrinolaringologia / Odontologia
Utiliza-se Albocresil® Gel ou Solução Concentrada para o tratamento tópico34 de aftas e nas inflamações35 da membrana mucosa48 oral e das gengivas. Na hemostasia49, após tonsilectomia e na epistaxe50.

Contra-Indicações de Albocresil

Hipersensibilidade aos componentes da fórmula. Até o momento não são conhecidas outras contra-indicações ao uso do produto.

Precauções e Advertências de Albocresil

O uso de Albocresil® deve ser exclusivamente tópico34.

O Albocresil® somente deve ser usado durante a gravidez6 e a amamentação51 quando estritamente indicado, e após as devidas considerações sobre os riscos para a mãe e para a criança, pois, não há disponibilidade de estudos relevantes sobre o seu uso seguro em mulheres nestas condições. Os estudos em animais, não demonstraram nenhuma evidência de malformação52 fetal.

Deve-se evitar o uso da Solução Concentrada para a cauterização53 do colo uterino54 durante a gestação, particularmente nos últimos estágios da gravidez6, visto que pode desencadear o início do trabalho de parto. A aplicação na porção cervical e na região da vagina11 adjacente à esta porção deve ser realizada com o devido cuidado, e é recomendada somente em indicações estritamente definidas.
Não há informações sobre a excreção do princípio ativo através do leite materno.

Durante o tratamento vaginal com Albocresil®, deve-se evitar lavagens genitais com sabonetes irritantes, bem como relações sexuais. Deve-se evitar seu uso durante a menstruação10. Após alguns dias de tratamento, é comum a formação de acúmulo do policresuleno e de restos de células55 epiteliais na vagina11. Este acúmulo de produto e de restos celulares é geralmente eliminado espontaneamente através da vagina11, como um corrimento espesso, de coloração esbranquiçada (como "nata de leite") ou às vezes marrom clara. Contudo, em alguns casos, quando o acúmulo é importante, pode se fazer necessária a sua retirada pelo médico, através de visualização por espéculo56, a fim de se evitar uma irritação local e sensação de incômodo na paciente.

Após a aplicação da Solução Concentrada ou do Gel em grandes extensões na mucosa31 oral e/ou gengiva, recomenda-se intensivo enxágüe do local, visto que o preparado, em função do seu alto grau de acidez, pode ocasionar uma desmineralização do esmalte dentário57.
Albocresil® não deve ser ingerido para evitar erosões do esôfago58. Caso seja ingerido inadvertidamente, o indivíduo deve beber imediatamente água em abundância. No caso de ingestão da Solução Concentrada, o médico deverá ser consultado para tratamento imediato, a fim de se evitar erosões na região da boca8, garganta59 e esôfago58.
Evitar o contato do produto com os olhos12. Caso o produto entrar em contato com os olhos12, estes devem ser enxaguados com água em abundância até que o produto seja completamente removido. Em casos de maior irritação dos olhos12, um oftalmologista13 deverá ser consultado.
Produtos têxteis ou de couro após eventual contato com Albocresil®, devem ser imediatamente enxaguados com água antes de secarem. Instrumentos devem ser colocados em um recipiente com água (podendo conter bicarbonato de sódio a 1-2%) imediatamente após o uso, antes de serem esterilizados.
Albocresil® ocasiona uma reação cicatricial importante. Sendo assim, é muito comum a eliminação de tecidos lesionados / necrosados no local de aplicação, às vezes em grandes quantidades. Esta eliminação tecidual faz parte do mecanismo de ação do produto. Dependendo do local, caso haja grande acúmulo do produto, assim como de tecidos lesionados / necrosados, estes podem ser removidos, de forma cuidadosa, para se evitar irritação local e incômodo no paciente.

Interações Medicamentosas de Albocresil

Deve-se evitar o emprego concomitante de outros medicamentos tópicos no mesmo local de aplicação do Albocresil®, apesar de, até o momento, não ter sido relatada interação medicamentosa com o uso do produto.Nos casos de Albocresil® Gel e Óvulos isto se aplica, também, a drogas recentemente utilizadas.

Reações Adversas de Albocresil

No início do tratamento pode ocorrer uma irritação local, que é observada em casos isolados e em geral regride de forma rápida e espontânea. O uso bucal do Gel ou da Solução Concentrada em grandes extensões pode ocasionar desmineralização dos dentes, caso o enxágüe com água após a aplicação do produto não seja realizado.

Posologia e Modo de Usar de Albocresil

As várias formas do Albocresil® possibilitam o uso diversificado. Em casos apropriados, recomenda-se o tratamento combinado.

Albocresil® Solução Concentrada

Em Ginecologia:
No uso ginecológico, a Solução Concentrada - em forma não diluída - destina-se preferencialmente à aplicação tópica em lesões37 teciduais superficiais ou profundas do colo uterino54 e do canal cervical. A aplicação é realizada uma a duas vezes por semana, com o auxílio de um espéculo56 vaginal, pinça de curativo e mechas de algodão ou gaze, deixando-se o produto agir por um a três minutos, no local da aplicação. Recomenda-se, antes da cauterização53, lavar tanto o canal cervical como o cérvix com o produto, a fim de remover o muco presente. Para este propósito, um aplicador envolto em algodão embebido em Albocresil® é introduzido no canal cervical, girado várias vezes e retirado.
A lavagem vaginal deve ser feita com o Albocresil® Solução Concentrada diluído na
proporção de 1:5 em água.
Para a hemostasia49 vaginal, pós-cirúrgica ou dermatológica, após enxugar o local, pressiona-se ligeiramente uma mecha de algodão ou de gaze embebida em Solução Concentrada sobre o local afetado, deixando-a agir por um a dois minutos. No tratamento de queimaduras em pequenas superfícies, úlceras39 de decúbito46 e úlceras39 venosas de pernas, com o objetivo de eliminar o tecido2 necrosado, deve-se proceder da mesma maneira. No uso pós-cirúrgico e dermatológico, a solução remanescente deve ser removida, embora esta medida nem sempre seja necessária.

Em Dermatologia:
No tratamento de lesões37 da pele27 e da membrana mucosa48, o produto concentrado ou apropriadamente diluído é administrado repetidamente até a área ser completamente limpa e se iniciar a cicatrização.

Em Otorrinolaringologia / Odontologia:
No tratamento de pequenas lesões37 da mucosa31 oral e da gengiva, o Albocresil® Solução Concentrada pode ser aplicado, sem diluição, diretamente no local da lesão60 com o auxílio de um cotonete de algodão, ou na diluição 1:5 em água, de acordo com orientação do profissional de saúde5.
No entanto, nos casos onde há várias lesões37 na boca8 ou quando estas são grandes, o Albocresil® deve ser aplicado na diluição 1:5, sendo que logo após a aplicação do produto, a boca8 deve ser completamente enxaguada com água, já que o alto grau de acidez do produto pode levar à desmineralização dos dentes. O produto não deve ser ingerido.
No tratamento de ferimentos na língua61 e na cavidade faríngea, o produto é utilizado na diluição 1:5, sendo que logo após a aplicação do produto, a boca8 deve ser completamente enxaguada com água. O produto não deve ser ingerido.

Albocresil® Óvulos

Informações para abertura da embalagem:
1. Separe o óvulo1 utilizando o picote.
2. Segure a aba superior com as duas mãos62 e puxe-a para baixo levemente até removê-la completamente.
3.Introduza o óvulo1 profundamente no canal vaginal pela ponta arredondada.

Em Ginecologia:
Dependendo da gravidade das lesões37, o Albocresil® Óvulos é administrado diariamente ou em dias alternados, devendo ser aplicado à noite, ao deitar. A paciente deve estar deitada, e o óvulo1 introduzido profundamente no canal vaginal. Para facilitar sua introdução, o óvulo1 pode ser umedecido com um pouco de água. A paciente deve permanecer deitada por no mínimo uma hora após a aplicação. Recomenda-se o uso de absorvente higiênico para evitar que a roupa íntima manche com a eventual saída do produto.
Após o tratamento inicial com Albocresil® Solução Concentrada, o Albocresil® Óvulo1 pode ser utilizado a partir do segundo dia após a primeira aplicação da Solução Concentrada. Caso o óvulo1 seja aplicado durante a consulta médica, o mesmo deve ser mantido no local através da utilização de um tampão vaginal, o qual deve ser removido pela paciente após uma ou duas horas.

Albocresil® Gel

Informações para abertura do lacre:  
Perfurar o lacre da bisnaga com o lado externo da tampa.

Para não comprometer a qualidade do produto, evite dobrar a bisnaga.
No uso ginecológico, dependendo da gravidade das condições, a aplicação deve ser feita diariamente ou em dias alternados, de preferência à noite, ao deitar.
O aplicador que é composto de duas partes, é encaixado na bisnaga. A bisnaga deve ser espremida até preencher o interior do aplicador. Introduz-se o aplicador profundamente na vagina11 e administra-se o gel pressionando-se o êmbolo63 até que o aplicador fique vazio. Após o uso, remover o êmbolo63 do aplicador. O aplicador poderá ser facilmente lavado para a próxima aplicação.
O gel de Albocresil® caracteriza-se por uma boa bioadesividade, distribuindo-se então de forma uniforme na parede vaginal, formando uma fina camada que atinge uma grande extensão.
No uso dermatológico e pós-cirúrgico, aplica-se uma camada do produto no local do tratamento. A quantidade aplicada depende da natureza e extensão da área afetada.
Recomenda-se geralmente a aplicação de Albocresil®Gel após tratamento com Albocresil® Solução Concentrada, nos casos de queimaduras, úlceras39 de decúbito46 e úlceras39 varicosas, de maneira direta ou com o auxílio de uma gaze.

Ingestão acidental ou superdose
O quadro clínico por superdose ainda não é conhecido. A ingestão acidental do produto
pode causar erosão esofágica. Ver item Precauções e Advertências.

Pacientes idosos
Não há restrições ou recomendações especiais com relação ao uso destes produtos por pacientes idosos.

SIGA CORRETAMENTE O MODO DE USAR. NÃO DESAPARECENDO OS SINTOMAS64, PROCURE ORIENTAÇÃO MÉDICA.

MS - Registro 1.0639.0084
Farmacêutico Responsável: Wagner Moi - CRF-SP nº 14.828
N.º do lote, data da fabricação e data da validade: vide cartucho.

Fórmula original de
ALTANA Pharma AG - Alemanha

Fabricado e distribuído por
ALTANA Pharma Ltda.
Rodovia SP 340, S/N - Km 133,5
Jaguariúna / SP
CNPJ 60.397.775/0008-40
Indústria Brasileira

ALTANA Pharma Ltda.
É o novo nome de Byk Química e Farmacêutica Ltda.

SAC 0800-7710345
www.altanapharma.com.br

ALBOCRESIL - Laboratório

NYCOMED PHARMA
Rua do Estilo Barroco, 721
Santo Amaro/SP - CEP: 04709-011
Tel: 11 5188 4400
Site: http://www.nycomed.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "NYCOMED PHARMA"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Óvulo: Célula germinativa feminina (haplóide e madura) expelida pelo OVÁRIO durante a OVULAÇÃO.
2 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
3 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
4 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
5 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
6 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
7 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
8 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
9 Esmalte: Camada rígida, delgada e translúcida, de substância calcificada que reveste e protege a dentina da coroa do dente. É a substância mais dura do corpo e é quase que completamente composta de sais de cálcio. Ao microscópio, é composta de bastões delgados (prismas do esmalte) mantidos conectados por uma substância cimentante, e apresenta-se revestido por uma bainha de esmalte. (Tradução livre do original
10 Menstruação: Sangramento cíclico através da vagina, que é produzido após um ciclo ovulatório normal e que corresponde à perda da camada mais superficial do endométrio uterino.
11 Vagina: Canal genital, na mulher, que se estende do ÚTERO à VULVA. (Tradução livre do original
12 Olhos:
13 Oftalmologista: Médico especializado em diagnosticar e tratar as doenças que acometem os olhos. Podem prescrever óculos de grau e lentes de contato.
14 Automedicação: Automedicação é a prática de tomar remédios sem a prescrição, orientação e supervisão médicas.
15 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
16 Protozoários: Filo do reino animal, de classificação suplantada, que reunia uma grande parcela dos seres unicelulares que possuem organelas celulares envolvidas por membrana. Atualmente, este grupo consiste em muitos e diferentes filos unicelulares incorporados pelo reino protista.
17 Epitélio: Epitélio ou tecido epitelial é um tecido constituído por células justapostas, ou seja, intimamente unidas entre si. Sua principal função é revestir a superfície externa do corpo, os órgãos e as cavidades corporais internas. Os epitélios são eficientes barreiras contra a entrada de agentes invasores e a perda de líquidos corporais. Eles têm também funções secretoras, sensoriais e de absorção. O tecido epitelial é um dos quatro tipos de tecidos básicos do nosso organismo, juntamente com os tecidos conjuntivo, muscular e nervoso.
18 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
19 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
20 Vasoconstrição: Diminuição do diâmetro dos vasos sanguíneos.
21 Escamoso: Cheio ou coberto de escamas, ou seja, de pequenas lâminas epidérmicas que se desprendem espontaneamente da pele.
22 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
23 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
24 Atrofia: 1. Em biologia, é a falta de desenvolvimento de corpo, órgão, tecido ou membro. 2. Em patologia, é a diminuição de peso e volume de órgão, tecido ou membro por nutrição insuficiente das células ou imobilização. 3. No sentido figurado, é uma debilitação ou perda de alguma faculdade mental ou de um dos sentidos, por exemplo, da memória em idosos.
25 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
26 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
27 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
28 Dorso: Face superior ou posterior de qualquer parte do corpo. Na anatomia geral, é a região posterior do tronco correspondente às vértebras; costas.
29 Reprodução: 1. Função pela qual se perpetua a espécie dos seres vivos. 2. Ato ou efeito de reproduzir (-se). 3. Imitação de quadro, fotografia, gravura, etc.
30 Teratogênicos: Agente teratogênico ou teratógeno é tudo aquilo capaz de produzir dano ao embrião ou feto durante a gravidez. Estes danos podem se refletir como perda da gestação, malformações ou alterações funcionais ou ainda distúrbios neurocomportamentais, como retardo mental.
31 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
32 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
33 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
34 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.
35 Inflamações: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc. Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
36 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
37 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
38 Fúngicas: Relativas à ou produzidas por fungo.
39 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
40 Diafragma: 1. Na anatomia geral, é um feixe muscular e tendinoso que separa a cavidade torácica da cavidade abdominal. 2. Qualquer membrana ou placa que divide duas cavidades ou duas partes da mesma cavidade. 3. Em engenharia mecânica, em um veículo automotor, é uma membrana da bomba injetora de combustível. 4. Na física, é qualquer anteparo com um orifício ou fenda, ajustável ou não, que regule o fluxo de uma substância ou de um feixe de radiação. 5. Em ginecologia, é um método contraceptivo formado por uma membrana de material elástico que envolve um anel flexível, usado no fundo da vagina de modo a obstruir o colo do útero. 6. Em um sistema óptico, é uma abertura que controla a seção reta de um feixe luminoso que passa através desta, com a finalidade de regular a intensidade luminosa, reduzir a aberração ou aumentar a profundidade focal.
41 Condiloma: Formação em formato de verruga que ocupa a superfície das mucosas genitais ou retais. Pode estar associada à infecção por um vírus chamado HPV (papilomavírus humano). Também é encontrado na sífilis tardia.
42 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
43 Biópsia: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
44 Pólipos: 1. Em patologia, é o crescimento de tecido pediculado que se desenvolve em uma membrana mucosa (por exemplo, no nariz, bexiga, reto, etc.) em resultado da hipertrofia desta membrana ou como um tumor verdadeiro. 2. Em celenterologia, forma individual, séssil, típica dos cnidários, que se caracteriza pelo corpo formado por um tubo ou cilindro, cuja extremidade oral, dotada de boca e tentáculos, é dirigida para cima, e a extremidade oposta, ou aboral, é fixa.
45 Útero: Orgão muscular oco (de paredes espessas), na pelve feminina. Constituído pelo fundo (corpo), local de IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO e DESENVOLVIMENTO FETAL. Além do istmo (na extremidade perineal do fundo), encontra-se o COLO DO ÚTERO (pescoço), que se abre para a VAGINA. Além dos istmos (na extremidade abdominal superior do fundo), encontram-se as TUBAS UTERINAS.
46 Decúbito: 1. Atitude do corpo em repouso em um plano horizontal. 2. Na história da medicina, é o momento em que o paciente é levado a deitar-se devido à doença.
47 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
48 Membrana Mucosa: EPITÉLIO com células secretoras de MUCOS, como as CÉLULAS CALICIFORMES. Forma o revestimento de muitas cavidades do corpo, como TRATO GASTROINTESTINAL, TRATO RESPIRATÓRIO e trato reprodutivo. Mucosa, rica em sangue e em vasos linfáticos, compreende um epitélio interno, uma camada média (lâmina própria) do TECIDO CONJUNTIVO frouxo e uma camada externa (muscularis mucosae) de células musculares lisas que separam a mucosa da submucosa.
49 Hemostasia: Ação ou efeito de estancar uma hemorragia; mesmo que hemóstase.
50 Epistaxe: Hemorragia de origem nasal.
51 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
52 Malformação: 1. Defeito na forma ou na formação; anomalia, aberração, deformação. 2. Em patologia, é vício de conformação de uma parte do corpo, de origem congênita ou hereditária, geralmente curável por cirurgia. Ela é diferente da deformação (que é adquirida) e da monstruosidade (que é incurável).
53 Cauterização: Queima ou coagulação de tecidos de diferentes órgãos para deter uma hemorragia ou eliminar um tecido de crescimento anormal.
54 Colo Uterino: Porção compreendendo o pescoço do ÚTERO (entre o ístmo inferior e a VAGINA), que forma o canal cervical.
55 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
56 Espéculo: Instrumento destinado a dilatar a entrada de certas cavidades do corpo, para facilitar a visualização e exame de seu interior. Mais usado para exames ginecológicos, para visualizar-se a vagina e o colo do útero.
57 Esmalte Dentário: Camada rígida, delgada e translúcida, de substância calcificada que reveste e protege a dentina da coroa do dente. É a substância mais dura do corpo e é quase que completamente composta de sais de cálcio. Ao microscópio, é composta de bastões delgados (prismas do esmalte) mantidos conectados por uma substância cimentante, e apresenta-se revestido por uma bainha de esmalte. (Tradução livre do original
58 Esôfago: Segmento muscular membranoso (entre a FARINGE e o ESTÔMAGO), no TRATO GASTRINTESTINAL SUPERIOR.
59 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
60 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
61 Língua:
62 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
63 Êmbolo: 1. Cilindro ou disco que se move em vaivém no interior de seringas, bombas, etc. 2. Na engenharia mecânica, é um cilindro metálico deslizante que recebe um movimento de vaivém no interior de um cilindro de motor de combustão interna. 3. Em artes gráficas, é uma haste de ferro com um cilindro, articulada para comprimir e lançar o chumbo ao molde. 4. Em patologia, é um coágulo ou outro tampão trazido pela corrente sanguínea a partir de um vaso distante, que obstrui a circulação ao ser forçado contra um vaso menor. 5. Na anatomia zoológica, nas aranhas, é um prolongamento delgado no ápice do aparelho copulador masculino.
64 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre ALBOCRESIL?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.