ZYSERTIN

NIKKHO

Atualizado em 09/12/2014

ZYSERTIN
cloridrato de sertralina

Forma Farmacêutica e Apresentação de Zysertin

Cartucho contendo 30 comprimidos revestidos de 50mg.

Composição de Zysertin

Cada comprimido de ZYSERTIN contém: cloridrato de sertralina 50 mg e excipientes q.s.p. 1 comprimido revestido. USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE 6 ANOS DE IDADE*
*Apenas para o tratamento do Transtorno Obsessivo Compulsivo

Indicações de Zysertin

ZYSERTIN é indicado para o tratamento e prevenção de recidivas1 de sintomas2 de depressão, com ou sem ansiedade ou história de mania; transtorno obsessivo compulsivo (TOC); transtorno do pânico, com ou sem agorafobia3; transtorno obsessivo compulsivo em pacientes pediátricos; transtorno do estresse pós-traumático (TEPT); síndrome4 da tensão pré-menstrual (STPM) e/ou transtorno disfórico pré-menstrual (TDPM) e fobia5 social (transtorno da ansiedade social).

Contraindicações de Zysertin

ZYSERTIN é contra-indicado em pacientes que apresentam hipersensibilidade a qualquer um de seus componentes e em uso concomitante de inibidores da monoaminoxidase6 (IMAO7) ou de pimozida.

Precauções e Advertências de Zysertin

ZYSERTIN somente deverá ser utilizado na gravidez8 e lactação9, quando os benefícios superarem os riscos potenciais (categoria de risco na gravidez8: B). Recomenda-se que mulheres em idade fértil empreguem métodos contraceptivos, quando em tratamento. Há relatos de reações graves e, algumas, fatais, com o uso de sertralina associada a IMAOs, incluindo a selegilina e moclobemida. ZYSERTIN não deve ser usado associado ou nos primeiros 14 dias imediatos à descontinuação do tratamento com um IMAO7. Da mesma forma, após o tratamento com sertralina, deve-se aguardar 14 dias para iniciar o uso de um IMAO7. Também deve ser evitado o uso concomitante com outros fármacos que aumentem os efeitos da neurotransmissão serotoninérgica, como triptofano, fenfluramina ou agonistas 5-HT. Recomenda-se estrito acompanhamento médico, quando um ISRS for substituído por outro, principalmente quando estiverem sendo usados ISRSs de meia-vida longa, como a fluoxetina. Foram observados casos de mania / hipomania e convulsões, durante o uso de sertralina: recomenda-se controle rigoroso e a sertralina deverá ser descontinuada, em pacientes que desenvolvam convulsões. Pacientes susceptíveis devem ser cuidadosamente supervisionados, quanto à possibilidade de uma tentativa de suicídio, principalmente durante o período inicial do tratamento. Pacientes com insuficiência hepática10 devem receber doses menores ou menos freqüentes de sertralina. Entretanto, estas não necessitam ser ajustadas, na insuficiência renal11. A segurança e eficácia da sertralina foram estabelecidas em crianças (de 6 a 17 anos de idade) somente para o tratamento do TOC. A posologia recomendada para pacientes12 mais jovens pode ser utilizada em pacientes idosos. Durante o tratamento, o paciente não deve dirigir veículos ou operar máquinas, pois sua habilidade e atenção podem estar prejudicadas.

Interações Medicamentosas de Zysertin

É contra-indicado o uso de sertralina associada a IMAOs. Foi demonstrado aumento dos níveis de pimozida, quando associada à sertralina. Não se recomenda o uso de ZYSERTIN concomitante ao álcool. Na co-administração de sertralina e lítio foi observado um aumento do tremor, sugerindo uma interação farmacodinâmica. Em pacientes que utilizam sertralina concomitante à fenitoína, é recomendado que as concentrações plasmáticas da fenitoína sejam monitoradas e suas doses, ajustadas. Entretanto, pode ser observada, também, redução dos níveis plasmáticos de ZYSERTIN. Se o uso concomitante de sumatriptano e sertralina for justificado, recomenda-se que os pacientes sejam acompanhados adequadamente. A co-administração de sertralina e varfarina promoveu um aumento pequeno, porém significativo, no tempo de protrombina13. Recomenda-se monitorar este parâmetro, quando for iniciado ou interrompido o tratamento com ZYSERTIN. A co-administração setralina e diazepam ou tolbutamida resultou em pequenas alterações, porém significantes, em alguns parâmetros farmacocinéticos. A co-administração com a cimetidina reduziu o clearance da sertralina. Não foram observados quaisquer efeitos ou interações com o atenolol, glibenclamida e digoxina. Não existem estudos clínicos estabelecendo os riscos ou benefícios do uso combinado de sertralina e terapia eletroconvulsica.

Reações Adversas ao Medicamento de Zysertin

As reações adversas mais freqüentes foram: boca14 seca; sudorese15; tontura16; tremor; diarréia17, dispepsia18; náuseas19; anorexia20, insônia; sonolência; disfunção sexual (principalmente, retardo na ejaculação21). Foram, também, relatados alguns casos de midríase22; priapismo23; reações alérgicas; reações anfilactóides; astenia24; fadiga25; febre26; rubor; mal-estar; diminuição ou aumento do peso; dor abdominal e/ou torácica; edema27 periférico; hipertensão28; palpitações29; edema27 periorbital; síncope30; taquicardia31; coma32; convulsões; cefaléia33; enxaqueca34; distúrbios motores, como síndrome4 extrapiramidal, contraturas musculares involuntárias, parestesia35 e hipoestesia36; síndrome serotoninérgica37; galactorréia38; ginecomastia39; hiperprolactinemia; hipotireoidismo40; síndrome4 da secreção inadequada do hormônio41 antidiurético (ADH); aumento do apetite; constipação42; pancreatite43; vômitos44; tinido; leucopenia45; púrpura46; trombocitopenia47; distúrbios hemorrágicos48; hepatite49; icterícia50; elevação assintomática das transaminases hepáticas51; hiponatremia52; hipercolesterolemia53; artralgia54; agitação; reações agressivas; ansiedade; depressão; euforia; alucinações55; diminuição da libido56; paroníria; psicose57; broncoespasmo58; alopecia59; angiedema; fotossensibilidade cutânea60; prurido61; rash62 (incluindo raros casos de síndrome de Stevens-Johnson63 e necrólise epidérmica); urticária64; incontinência65 e retenção urinárias; visão66 anormal e sintomas2 de descontinuação da sertralina (agitação, ansiedade, tonteira, cefaléia33, náuseas19 e parestesias67).

Posologia de Zysertin

ADULTOS: A dose máxima recomendada de ZYSERTIN é de 200 mg/dia.
Tratamento inicial:
DEPRESSÃO E TOC - 50 mg/dia.
TRANSTORNO DO PÂNICO, TRANSTORNO DO ESTRESSE PÓS-TRAUMÁTICO (TEPT) E FOBIA5 SOCIAL - 25 mg/dia e aumento para 50 mg/dia, após uma semana. Se não houver resposta ao tratamento com 50 mg/dia, as doses poderão ser aumentadas em 50 mg a cada semana, até a dose máxima recomendada de 200 mg/dia. As alterações das doses não devem ser realizadas com intervalos inferiores a 1 semana, devido à meia-vida de eliminação da sertralina, que é de 24h. Em geral, os efeitos terapêuticos têm início em 7 dias.
SÍNDROME4 DA TENSÃO PRÉ-MENSTRUAL (STPM) E TRANSTORNO DISFÓRICO PRÉ-MENSTRUAL (TDPM) - 50 mg/dia, podendo ser mantido durante todo o ciclo menstrual ou somente durante a fase lútea, a critério médico. Se não houver resposta ao tratamento com 50 mg/dia, as doses poderão ser aumentadas em 50 mg a cada ciclo menstrual, até um máximo de 150 mg/dia, quando ZYSERTIN for utilizado durante todo o ciclo, ou até 100 mg/dia, quando utilizado somente durante a fase lútea. Se o tratamento for restrito à fase lútea, este deve ser iniciado com 50 mg nos três primeiros dias.
Manutenção: A terapia de manutenção prolongada deverá ser realizada com a menor dose eficaz, devendo ser reajustada, conforme a resposta.
CRIANÇAS com TOC: de 13 a 17 anos de idade - 50 mg/dia; de 6 a 12 anos de idade - 25 mg/dia e aumento para 50 mg/dia, após uma semana. Em pacientes de 6 a 17 anos de idade, se não houver resposta ao tratamento com 50 mg/dia, as doses poderão ser aumentadas em 50 mg a cada semana, até a dose máxima recomendada de 200 mg/dia. Entretanto, deve ser considerado o peso da criança. As alterações das doses não devem ser realizadas com intervalos inferiores a 1 semana.
" Atenção: este medicamento é um similar que passou por testes e estudos que comprovam a sua eficácia, qualidade e segurança, conforme legislação vigente."
" VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA - SÓ PODE SER VENDIDO COM RETENÇÃO DA RECEITA" .
Nº. de Registro M.S.: 15651.0017.
Farmacêutica Responsável: Dra. Luciana F. Grangeia
CRF SP - nº 47868.
Fabricado por: CADILA HEALTHCARE LIMITED Sarkhej -Bavla N.H. Nº 8 A - Moraiya, Tal Sanand Ahmedabad 382 210. País de Origem: Índia.
Importado por: ZYDUS HEALTHCARE BRASIL LTDA. Rua Américo Brasiliense, 2171 - cj 204 - Alto da Boa Vista - São Paulo - SP - Cep: 04715-005.
CNPJ: 05.254.971/0001- 81.
SAC: 0800 282 1127.
" A PERSISTIREM OS SINTOMAS2 O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO" .

ZYSERTIN - Laboratório

NIKKHO
Rua Jaime Perdigão, 431/445
Ilha do Governador/RJ - CEP: 21920-240
Tel: 0800 282 9911
Fax: (9-021-21) 3393-4266

Ver outros medicamentos do laboratório "NIKKHO"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Recidivas: 1. Em medicina, é o reaparecimento de uma doença ou de um sintoma, após período de cura mais ou menos longo; recorrência. 2. Em direito penal, significa recaída na mesma falta, no mesmo crime; reincidência.
2 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
3 Agorafobia: Estado de medo mórbido de se achar sozinho em grandes espaços abertos ou de atravessar lugares públicos. Também conhecida como cenofobia.
4 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
5 Fobia: Medo exagerado, falta de tolerância, aversão.
6 Inibidores da monoaminoxidase: Tipo de antidepressivo que inibe a enzima monoaminoxidase (ou MAO), hoje usado geralmente como droga de terceira linha para a depressão devido às restrições dietéticas e ao uso de certos medicamentos que seu uso impõe. Deve ser considerada droga de primeira escolha no tratamento da depressão atípica (com sensibilidade à rejeição) ou agente útil no distúrbio do pânico e na depressão refratária. Pode causar hipotensão ortostática e efeitos simpaticomiméticos tais como taquicardia, suores e tremores. Náusea, insônia (associada à intensa sonolência à tarde) e disfunção sexual são comuns. Os efeitos sobre o sistema nervoso central incluem agitação e psicoses tóxicas. O término da terapia com inibidores da MAO pode estar associado à ansiedade, agitação, desaceleração cognitiva e dor de cabeça, por isso sua retirada deve ser muito gradual e orientada por um médico psiquiatra.
7 IMAO: Tipo de antidepressivo que inibe a enzima monoaminoxidase (ou MAO), hoje usado geralmente como droga de terceira linha para a depressão devido às restrições dietéticas e ao uso de certos medicamentos que seu uso impõe. Deve ser considerada droga de primeira escolha no tratamento da depressão atípica (com sensibilidade à rejeição) ou agente útil no distúrbio do pânico e na depressão refratária. Pode causar hipotensão ortostática e efeitos simpaticomiméticos tais como taquicardia, suores e tremores. Náusea, insônia (associada à intensa sonolência à tarde) e disfunção sexual são comuns. Os efeitos sobre o sistema nervoso central incluem agitação e psicoses tóxicas. O término da terapia com inibidores da MAO pode estar associado à ansiedade, agitação, desaceleração cognitiva e dor de cabeça, por isso sua retirada deve ser muito gradual e orientada por um médico psiquiatra.
8 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
9 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
10 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
11 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
12 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
13 Protrombina: Proteína plasmática inativa, é a precursora da trombina e essencial para a coagulação sanguínea.
14 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
15 Sudorese: Suor excessivo
16 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
17 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
18 Dispepsia: Dor ou mal-estar localizado no abdome superior. O mal-estar pode caracterizar-se por saciedade precoce, sensação de plenitude, distensão ou náuseas. A dispepsia pode ser intermitente ou contínua, podendo estar relacionada com os alimentos.
19 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
20 Anorexia: Perda do apetite ou do desejo de ingerir alimentos.
21 Ejaculação: 1. Ato de ejacular. Expulsão vigorosa; forte derramamento (de líquido); jato. 2. Em fisiologia, emissão de esperma pela uretra no momento do orgasmo. 3. Por extensão de sentido, qualquer emissão. 4. No sentido figurado, fartura de palavras; arrazoado.
22 Midríase: Dilatação da pupila. Ela pode ser fisiológica, patológica ou terapêutica.
23 Priapismo: Condição, associada ou não a um estímulo sexual, na qual o pênis ereto não retorna ao seu estado flácido habitual. Essa ereção é involuntária, duradora (cerca de 4 horas), geralmente dolorosa e potencialmente danosa, podendo levar à impotência sexual irreversível, constituindo-se numa emergência médica.
24 Astenia: Sensação de fraqueza, sem perda real da capacidade muscular.
25 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
26 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
27 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
28 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
29 Palpitações: Designa a sensação de consciência do batimento do coração, que habitualmente não se sente. As palpitações são detectadas usualmente após um exercício violento, em situações de tensão ou depois de um grande susto, quando o coração bate com mais força e/ou mais rapidez que o normal.
30 Síncope: Perda breve e repentina da consciência, geralmente com rápida recuperação. Comum em pessoas idosas. Suas causas são múltiplas: doença cerebrovascular, convulsões, arritmias, doença cardíaca, embolia pulmonar, hipertensão pulmonar, hipoglicemia, intoxicações, hipotensão postural, síncope situacional ou vasopressora, infecções, causas psicogênicas e desconhecidas.
31 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
32 Coma: 1. Alteração do estado normal de consciência caracterizado pela falta de abertura ocular e diminuição ou ausência de resposta a estímulos externos. Pode ser reversível ou evoluir para a morte. 2. Presente do subjuntivo ou imperativo do verbo “comer.“
33 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
34 Enxaqueca: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
35 Parestesia: Sensação cutânea subjetiva (ex.: frio, calor, formigamento, pressão, etc.) vivenciada espontaneamente na ausência de estimulação.
36 Hipoestesia: Perda ou diminuição de sensibilidade em determinada região do organismo.
37 Síndrome serotoninérgica: Síndrome serotoninérgica ou síndrome da serotonina é caracterizada por uma tríade de alterações do estado mental (ansiedade, agitação, confusão mental, hipomania, alucinações e coma), das funções motoras (englobando tremores, mioclonias, hipertonia, hiperreflexia e incoordenação) e do sistema nervoso autônomo (febre, sudorese, náuseas, vômitos, diarreia e hipertensão). Ela pode ter causas diversas, mas na maioria das vezes ocorre por uma má interação medicamentosa, quando dois ou mais medicamentos que elevam a neurotransmissão serotoninérgica por meio de distintos mecanismos são utilizados concomitantemente ou em overdose.
38 Galactorréia: Secreção mamária anormal de leite fora do período de amamentação. Pode ser produzida por distúrbios hormonais ou pela ação de medicamentos.
39 Ginecomastia: Aumento anormal de uma ou ambas as glândulas mamárias no homem. Associa-se a diferentes enfermidades como cirrose, tumores testiculares, etc. Em certas ocasiões ocorrem de forma idiopática.
40 Hipotireoidismo: Distúrbio caracterizado por uma diminuição da atividade ou concentração dos hormônios tireoidianos. Manifesta-se por engrossamento da voz, aumento de peso, diminuição da atividade, depressão.
41 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
42 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
43 Pancreatite: Inflamação do pâncreas. A pancreatite aguda pode ser produzida por cálculos biliares, alcoolismo, drogas, etc. Pode ser uma doença grave e fatal. Os primeiros sintomas consistem em dor abdominal, vômitos e distensão abdominal.
44 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
45 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
46 Púrpura: Lesão hemorrágica de cor vinhosa, que não desaparece à pressão, com diâmetro superior a um centímetro.
47 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
48 Hemorrágicos: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
49 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
50 Icterícia: Coloração amarelada da pele e mucosas devido a uma acumulação de bilirrubina no organismo. Existem dois tipos de icterícia que têm etiologias e sintomas distintos: icterícia por acumulação de bilirrubina conjugada ou direta e icterícia por acumulação de bilirrubina não conjugada ou indireta.
51 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
52 Hiponatremia: Concentração de sódio sérico abaixo do limite inferior da normalidade; na maioria dos laboratórios, isto significa [Na+] < 135 meq/L, mas o ponto de corte [Na+] < 136 meq/L também é muito utilizado.
53 Hipercolesterolemia: Aumento dos níveis de colesterol do sangue. Está associada a uma maior predisposição ao desenvolvimento de aterosclerose.
54 Artralgia: Dor em uma articulação.
55 Alucinações: Perturbações mentais que se caracterizam pelo aparecimento de sensações (visuais, auditivas, etc.) atribuídas a causas objetivas que, na realidade, inexistem; sensações sem objeto. Impressões ou noções falsas, sem fundamento na realidade; devaneios, delírios, enganos, ilusões.
56 Libido: Desejo. Procura instintiva do prazer sexual.
57 Psicose: Grupo de doenças psiquiátricas caracterizadas pela incapacidade de avaliar corretamente a realidade. A pessoa psicótica reestrutura sua concepção de realidade em torno de uma idéia delirante, sem ter consciência de sua doença.
58 Broncoespasmo: Contração do músculo liso bronquial, capaz de produzir estreitamento das vias aéreas, manifestado por sibilos no tórax e falta de ar. É uma contração vista com freqüência na asma.
59 Alopécia: Redução parcial ou total de pêlos ou cabelos em uma determinada área de pele. Ela apresenta várias causas, podendo ter evolução progressiva, resolução espontânea ou ser controlada com tratamento médico. Quando afeta todos os pêlos do corpo, é chamada de alopécia universal.
60 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
61 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
62 Rash: Coloração avermelhada da pele como conseqüência de uma reação alérgica ou infecção.
63 Síndrome de Stevens-Johnson: Forma grave, às vezes fatal, de eritema bolhoso, que acomete a pele e as mucosas oral, genital, anal e ocular. O início é geralmente abrupto, com febre, mal-estar, dores musculares e artralgia. Pode evoluir para um quadro toxêmico com alterações do sistema gastrointestinal, sistema nervoso central, rins e coração (arritmias e pericardite). O prognóstico torna-se grave principalmente em pessoas idosas e quando ocorre infecção secundária. Pode ser desencadeado por: sulfas, analgésicos, barbitúricos, hidantoínas, penicilinas, infecções virais e bacterianas.
64 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
65 Incontinência: Perda do controle da bexiga ou do intestino, perda acidental de urina ou fezes.
66 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
67 Parestesias: São sensações cutâneas subjetivas (ex.: frio, calor, formigamento, pressão, etc.) que são vivenciadas espontaneamente na ausência de estimulação.

Tem alguma dúvida sobre ZYSERTIN?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.