KIATRIUM

GROSS

Atualizado em 10/11/2015

KIATRIUM 5 e 10 mg

Diazepam

Uso adulto

- Composição

KIATRIUM 5 MG: Diazepam 5 mg; Excipiente q.s.p. 150 mg. KIATRIUM 10 MG: Diazepam 10 mg; Excipiente q.s.p. 150 mg.

 propriedades de Kiatrium

KIATRIUM 5 mg/10 mg é um medicamento ansiolítico, tranqüilizante e miorrelaxante1 cujo princípio ativo é o diazepam. O diazepam é um composto químico pertencente ao grupo das benzodiazepinas que atua no sistema nervoso central2, notadamente no sistema límbico responsável pela elaboração das reações emocionais. Sua ação miorrelaxante1 e anticonvulsivante seria devida a sua capacidade de potencializar a transmissão gabaminérgica inibindo os reflexos espinhais e também por sua influência sobre outras estruturas cerebrais relacionadas aos sistemas límbico, talâmico e hipotalâmico. O diazepam é empregado no tratamento sintomático3 da ansiedade e da tensão associadas a distúrbios orgânicos ou funcionais. É também usado no tratamento de depressão branda ou moderada. No tratamento do alcoolismo o seu emprego é recomendado para alívio sintomático3 de agitação, tremor, delirium tremens4 e alucinações5 que quase sempre ocorrem como conseqüência de abstenção do álcool. É indicado como uma medicação auxiliar no tratamento do espasmo6 musculoesquelético em pacientes com afecções7 neuromusculares agudas ou crônicas, tétano8, atetose e paralisia9 cerebral.

Indicações de Kiatrium

Como medicação ansiolítica e miorrelaxante1. Sedação10, crises de ansiedade, psiconeuroses, agitação psicótica; como coadjuvante11 no tratamento do alcoolismo e toxicomanias (estados confusionais, síndromes de abstinência e delirium tremens4). Crises convulsivas. Espasmos12 musculares de origem central e periférica, paraplegia13 ou hemiplegia14 espástica. No tratamento de ansiedade do cardíaco, infarto do miocárdio15 e hipertensão16. Enxaquecas17, distúrbios respiratórios de origem psíquica, afecções7 gastrintestinais com componentes neurológicos. Afecções7 dermatológicas psicossomáticas. Ansiedade, agitação e agressividade na criança. Dismenorréia18 funcional e distúrbios da menopausa19. Intervenção cirúrgica e procedimentos diagnósticos instrumentais em Ginecologia.

Contra-Indicações de Kiatrium

Sua administração está contra-indicada nos primeiros três meses de gravidez20, nos casos de hipersensibilidade à droga, a crianças abaixo de 6 meses de idade, glaucoma21 de ângulo fechado e miastenia22.

Precauções de Kiatrium

Deve ser administrado com cuidado em pacientes cuja ocupação exija alerta contínuo, principalmente durante o período de ajuste da posologia. Quando usado em conjunto com drogas anticonvulsivantes há a possibilidade de aumentar em freqüência ou severidade os sintomas23 referentes ao grande mal, podendo ser necessárias doses maiores da medicação anticonvulsivante. Podem ocorrer efeitos sinérgicos com álcool ou com drogas depressoras do sistema nervoso central2. Se combinado com outras drogas psicotrópicas ou anticonvulsivantes, considere cuidadosamente o agente farmacológico empregado, pois drogas como fenotiazinas, narcóticas, barbitúricas, inibidoras da MAO24 e outras drogas antidepressivas podem ter suas ações potencializadas. A droga deve ser usada com cuidado em pacientes com disfunções hepáticas25 e renais graves. A pacientes idosos ou debilitados, a fim de evitar-se a ataxia26 e sedação10 intensa, a dose deve ser mínima e ajustada individualmente. No tratamento da agitação de pacientes deprimidos com tendência suicida, o uso do produto deve ser feito com cuidado.

Reações Adversas de Kiatrium

Podem ocorrer sonolência; confusão; diplopia27; hipotensão28; mudanças na libido29; náuseas30; fadiga31; depressão; disartria32; icterícia33; exantema34; prisão-de-ventre; dor de cabeça35; mudanças na salivação; tremores; vertigens36; retenção urinária37; visão38 borrada.

Posologia de Kiatrium

A posologia de KIATRIUM deve ser estabelecida a critério médico, de acordo com a idade, o estado físico do paciente e o caso clínico. Recomenda-se a seguinte orientação básica inicial: Pacientes de ambulatório: 5 a 10 mg/dia. Pacientes internados: 20 a 30 mg/dia.

Conduta na Superdosagem de Kiatrium

As manifestações de superdosagem incluem sonolência, confusão, coma39 e redução de reflexos. A respiração, a pulsação e a pressão sangüínea40 devem ser monitorizadas, como em todos os casos de superdosagem de medicamentos, embora em geral estes efeitos sejam mínimos no caso de superdosagem com produtos contendo o diazepam. Medidas de apoio geral devem ser usadas como administração de soro41 fisiológico42 EV e manutenção das vias aéreas desimpedidas. É recomendável a administração de diuréticos43 e, quando necessário, o uso de drogas hipertensoras. Devem ser administradas drogas para combater os efeitos depressores sobre o SNC44

Apresentações de Kiatrium

Caixas com 20 comprimidos. Caixas com 100 comprimidos.

Venda Sob Prescrição Médica, Sujeita a Retenção.

O abuso deste medicamento pode causar dependência.


Laboratório GROSS S.A.

KIATRIUM - Laboratório

GROSS
R. PADRE ILDEFONSO PENALBA, 389
RIO DE JANEIRO/RJ - CEP: 20775020
Tel: (021 )269-3112
Fax: (021 )269-3112

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Miorrelaxante: Produto farmacológico com função de reduzir contratura muscular.
2 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
3 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
4 Delirium tremens: Variedade de delírio associado ao consumo ou abstinência de álcool.
5 Alucinações: Perturbações mentais que se caracterizam pelo aparecimento de sensações (visuais, auditivas, etc.) atribuídas a causas objetivas que, na realidade, inexistem; sensações sem objeto. Impressões ou noções falsas, sem fundamento na realidade; devaneios, delírios, enganos, ilusões.
6 Espasmo: 1. Contração involuntária, não ritmada, de um ou vários músculos, podendo ocorrer isolada ou continuamente, sendo dolorosa ou não. 2. Qualquer contração muscular anormal. 3. Sentido figurado: arrebatamento, exaltação, espanto.
7 Afecções: Quaisquer alterações patológicas do corpo. Em psicologia, estado de morbidez, de anormalidade psíquica.
8 Tétano: Toxinfecção produzida por uma bactéria chamada Clostridium tetani. Esta, ao infectar uma ferida cutânea, produz uma toxina (tetanospasmina) altamente nociva para o sistema nervoso que produz espasmos e paralisia dos nervos afetados. Pode ser fatal. Existe vacina contra o tétano (antitetânica) que deve ser tomada sempre que acontecer um traumatismo em que se suspeita da contaminação por esta bactéria. Se a contaminação for confirmada, ou se a pessoa nunca recebeu uma dose da vacina anteriormente, pode ser necessário administrar anticorpos exógenos (de soro de cavalo) contra esta toxina.
9 Paralisia: Perda total da força muscular que produz incapacidade para realizar movimentos nos setores afetados. Pode ser produzida por doença neurológica, muscular, tóxica, metabólica ou ser uma combinação das mesmas.
10 Sedação: 1. Ato ou efeito de sedar. 2. Aplicação de sedativo visando aliviar sensação física, por exemplo, de dor. 3. Diminuição de irritabilidade, de nervosismo, como efeito de sedativo. 4. Moderação de hiperatividade orgânica.
11 Coadjuvante: Que ou o que coadjuva, auxilia ou concorre para um objetivo comum.
12 Espasmos: 1. Contrações involuntárias, não ritmadas, de um ou vários músculos, podendo ocorrer isolada ou continuamente, sendo dolorosas ou não. 2. Qualquer contração muscular anormal. 3. Sentido figurado: arrebatamento, exaltação, espanto.
13 Paraplegia: Perda transitória ou definitiva da capacidade de realizar movimentos devido à ausência de força muscular de ambos os membros inferiores. A causa mais freqüente é a lesão medular por traumatismos.
14 Hemiplegia: Paralisia da metade do corpo. Compromete a metade da face, braço e pernas do mesmo lado. Relaciona-se a infartos, hemorragias ou tumores do sistema nervoso central.
15 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
16 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
17 Enxaquecas: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
18 Dismenorréia: Dor associada à menstruação. Em uma porcentagem importante de mulheres é um sintoma normal. Em alguns casos está associada a doenças ginecológicas (endometriose, etc.).
19 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
20 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
21 Glaucoma: É quando há aumento da pressão intra-ocular e danos ao nervo óptico decorrentes desse aumento de pressão. Esses danos se expressam no exame de fundo de olho e por alterações no campo de visão.
22 Miastenia: Perda das forças musculares ocasionada por doenças musculares inflamatórias. Por ex. Miastenia Gravis. A debilidade pode predominar em diferentes grupos musculares segundo o tipo de afecção (debilidade nos músculos extrínsecos do olho, da pelve, ou dos ombros, etc.).
23 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
24 Mão: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
25 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
26 Ataxia: Reflete uma condição de falta de coordenação dos movimentos musculares voluntários podendo afetar a força muscular e o equilíbrio de uma pessoa. É normalmente associada a uma degeneração ou bloqueio de áreas específicas do cérebro e cerebelo. É um sintoma, não uma doença específica ou um diagnóstico.
27 Diplopia: Visão dupla.
28 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
29 Libido: Desejo. Procura instintiva do prazer sexual.
30 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
31 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
32 Disartria: Distúrbio neurológico caracterizado pela incapacidade de articular as palavras de maneira correta (dificuldade na produção de fonemas). Entre as suas principais causas estão as lesões nos nervos centrais e as doenças neuromusculares.
33 Icterícia: Coloração amarelada da pele e mucosas devido a uma acumulação de bilirrubina no organismo. Existem dois tipos de icterícia que têm etiologias e sintomas distintos: icterícia por acumulação de bilirrubina conjugada ou direta e icterícia por acumulação de bilirrubina não conjugada ou indireta.
34 Exantema: Alteração difusa da coloração cutânea, caracterizada por eritema, com elevação das camadas mais superficiais da pele (pápulas), vesículas, etc. Pode ser produzido por uma infecção geralmente viral (rubéola, varicela, sarampo), por alergias a medicamentos, etc.
35 Cabeça:
36 Vertigens: O termo vem do latim “vertere” e quer dizer rodar. A definição clássica de vertigem é alucinação do movimento. O indivíduo vê os objetos do ambiente rodarem ao seu redor ou seu corpo rodar em relação ao ambiente.
37 Retenção urinária: É um problema de esvaziamento da bexiga causado por diferentes condições. Normalmente, o ato miccional pode ser iniciado voluntariamente e a bexiga se esvazia por completo. Retenção urinária é a retenção anormal de urina na bexiga.
38 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
39 Coma: 1. Alteração do estado normal de consciência caracterizado pela falta de abertura ocular e diminuição ou ausência de resposta a estímulos externos. Pode ser reversível ou evoluir para a morte. 2. Presente do subjuntivo ou imperativo do verbo “comer.“
40 Pressão sangüínea: Força exercida pelo sangue arterial por unidade de área da parede arterial. É expressa como uma razão (Exemplo: 120/80, lê-se 120 por 80). O primeiro número é a pressão sistólica ou pressão máxima. E o segundo número é a presão diastólica ou mínima.
41 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
42 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
43 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
44 SNC: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.

Tem alguma dúvida sobre KIATRIUM?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.