Preço de LAMISIL em Houston/SP: R$ 169,27

LAMISIL

NOVARTIS

Atualizado em 09/12/2014

Apresentações de Lamisil

 Comprimidos  (sulcados) de 125 mg (para uso pediátrico)     embalagem com 14 Comprimidos  (sulcados) de 250 mg     embalagem com 14 e 28
Creme 1%      bisnaga com 20 gramas

USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Composição de Lamisil

  Comprimidos:     terbinafina, como cloridrato    125 e 250 mg
Creme 1%     :     cloridrato de terbinafina 10 mg/1g
Excipientes     :  hidróxido de sódio, álcool benzílico, monoestearato de sorbitan, palmitato de  cetila,  álcool cetílico, álcool estearílico, polissorbato 60, miristato de isopropila e água purificada.                                                                                              

Informação Técnica de Lamisil

Propriedades de Lamisil

A terbinafina é uma alilamina com amplo espectro de atividade antifúngica. Em concentrações baixas, a terbinafina é fungicida contra fungos dermatófitos1, filamentosos e alguns fungos dimórficos. A atividade contra leveduras é fungicida ou fungistática, dependendo da espécie.
A terbinafina altera especificamente um passo inicial da biossíntese dos esteróis fúngicos2. Esta interferência acarreta deficiência de ergosterol e acúmulo intracelular de esqualeno, resultando em morte da célula3 fúngica4. A terbinafina age por inibição da esqualeno-epoxidase, na membrana da célula3 fúngica4. A enzima5 esqualeno-epoxidase não está vinculada ao sistema do citocromo P450. A terbinafina não interfere no metabolismo6 de hormônios ou de outros medicamentos.
Quando administrado por via oral, o fármaco7 concentra-se na pele8, cabelos e unhas9, em níveis associados à atividade fungicida.

Farmacocinética de Lamisil

Comprimidos: Uma dose oral única de 250 mg de terbinafina proporciona concentrações plasmáticas máximas de 0,97 µg/ml, duas horas após a administração. A meia-vida de absorção é de 0,8 horas e a meia-vida de distribuição é de 4,6 horas.  
A biodisponibilidade da terbinafina é moderadamente modificada por alimentos, mas não o bastante para requerer ajuste das doses.
A terbinafina liga-se fortemente com as proteínas10 plasmáticas (99%). Difunde-se rapidamente através da derme11 e se concentra no estrato córneo lipofílico. A terbinafina também é encontrada na secreção sebácea, atingindo desse modo altas concentrações nos folículos pilosos, pêlos e nas peles gordurosas. Há evidências de que a terbinafina se distribui na placa12 ungueal13 nas primeiras semanas após o início do tratamento.
A biotransformação da terbinafina resulta em metabólitos14 sem atividade fúngica4, que são excretados predominantemente na urina15. A meia-vida de eliminação é de 17 horas. Não há indício de acúmulo.
Não foram observadas com LAMISIL alterações das concentrações plasmáticas em estado de equilíbrio relacionadas à idade, porém a velocidade de eliminação pode ser reduzida em pacientes com insuficiência renal16 ou hepática17, levando a níveis sanguíneos de terbinafina mais elevados.
Creme: Menos de 5% da dose é absorvida após aplicação tópica em seres humanos; portanto, a exposição sistêmica é muito leve.


-  Indicações
Comprimidos

- Infecções18 fúngicas19 da pele8, cabelos e unhas9 causadas por dermatófitos1 tais como  Trichophyton  (por exemplo:  T.rubrum, T.mentagrophytes, T.verrucosum, T.tonsurans, T.violaceum ),  Microsporum canis  e Epidermophyton floccosum.
LAMISIL oral é indicado para o tratamento das tinhas ( tinea corporis, tinea cruris, tinea pedis e tinea capitis20 ) e das infecções18 cutâneas21 causadas por leveduras do gênero  Candida  (por exemplo,  Candida albicans ) onde a terapia por via oral é considerada apropriada, conforme o local, a severidade ou amplitude da infecção22.
Onicomicose23 (infecção22 fúngica4 da unha) causada por fungos dermatófitos1.
Observação: Ao contrário de LAMISIL tópico24, LAMISIL oral não é eficaz na Pitiríase versicolor.
Creme
- Infecções18 fúngicas19 da pele8 causadas por dermatófitos1 como o  Tricophyton  (por exemplo:  T.rubrum, T.mentagrophytes, T.verrucosum, T.violaceum ).  Microsporum canis e  Epidermophyton floccosum.
- Infecções18 cutâneas21 por leveduras, principalmente as causadas pelo gênero  Candida (por exemplo:  Candida albicans ) .
- Pitiríase (tinha) versicolor devida ao  Pityrosporum orbiculare  (conhecido também como  Malassezia furfur ).

Posologia e Administração de Lamisil

A duração do tratamento varia de acordo com a indicação e a severidade da infecção22 Comprimidos
Crianças

Não há dados disponíveis sobre uso em crianças com menos de dois anos de idade (geralmente < 12 kg)
Administração em  crianças , em  dose única diária , conforme faixa de peso:
  < 20 kg    :    62,5 mg (1/2 comprimido de 125 mg)
20 a 40 kg    :    125 mg (1 comprimido de 125 mg)
> 40 kg    :    250 mg (2 comprimidos de 125 mg)
Adultos     :    250 mg, uma vez ao dia.
Infecções18 cutâneas21
Duração provável do tratamento:
Tinha dos pés (interdigital, plantar/tipo mocassim): 2 a 6 semanas.
Tinha do corpo, crural: 2 a 4 semanas.
Candidíase25 cutânea26: 2 a 4 semanas.
A cura micológica pode preceder de algumas semanas o desaparecimento completo dos sinais27 e sintomas28 da infecção22.
Infecções18 do couro cabeludo e cabelos
Duração provável do tratamento:
Tinea capitis20: 4 semanas.
Tinea capitis20 ocorre principalmente em crianças.
Onicomicose23
Na maioria dos pacientes, a duração de um tratamento bem sucedido é  de 6 semanas a 3 meses.
Pode-se prever menos de 3 meses para o tratamento de infecções18 das unhas das mãos29 ou infecções18 das unhas9 dos pés, com exceção da unha do grande artelho30, de modo particular em pacientes mais jovens com velocidade normal de crescimento das unhas9.
Nos demais casos, geralmente são suficientes 3 meses de terapia embora alguns pacientes, particularmente aqueles com infecção22 da unha do grande artelho30, possam necessitar de tratamento por 6 meses ou mais. Se for observado, durante as primeiras semanas de terapia, pouco crescimento da unha, pode-se identificar os pacientes indicados para tratamento superior a 3 meses.
Nas infecções18 fúngicas19 das unhas9, observa-se efeito clínico ótimo alguns meses após a cura micológica e a interrupção  do tratamento.
Esse efeito está relacionado com o período necessário para o crescimento de tecido31 ungueal13 sadio.


Creme
LAMISIL pode ser aplicado uma ou duas vezes ao dia. Limpe e seque cuidadosamente as áreas afetadas, antes de tratar com LAMISIL. Aplique uma camada fina de creme na pele8 afetada e na área circundante, friccionando suavemente. No caso de infecções18 intertriginosas (submamárias, interdigitais, interglúteas, ingüinais) a aplicação pode ser recoberta com gaze, especialmente à noite.
Duração provável de tratamento:
Tinha do corpo e crural: 1 a 2 semanas.
Tinha dos pés: 2 a 4 semanas; quando aplicado duas vezes ao dia, geralmente é suficiente uma semana de tratamento.
Candidíase25 cutânea26: 1 a 2 semanas.
Pitiríase versicolor: 2 semanas.
O alívio dos sintomas28 clínicos geralmente ocorre em alguns dias.
O uso irregular ou a interrupção prematura implica em risco de recorrência32. Se ao final de 2 semanas não se apresentam  sinais27 de melhora, deve-se confirmar o diagnóstico33.
Uso de LAMISIL em pessoas idosas
Não há evidências de que os pacientes de idade avançada necessitem doses diferentes ou que experimentem efeitos secundários distintos dos pacientes mais jovens. Quando se  usam os comprimidos, neste grupo etário, deve-se considerar a possibilidade de diminuição da função hepática17 ou renal34 (veja Precauções).
Uso de LAMISIL em crianças
LAMISIL, por via oral, é bem tolerado por crianças com mais de 2 anos de idade.

Contra-Indicações de Lamisil

Hipersensibilidade à terbinafina ou a qualquer dos componentes do creme (veja Composição).
Precauções

Comprimidos: Pacientes com disfunção hepática17 grave ou função renal34 alterada (depuração da creatinina35 inferior  a  50 ml/min ou creatinina35 sérica superior a 300 µmol / l) pré-existentes, devem receber metade da dose normal (veja também "Efeitos colaterais36").
Creme: LAMISIL creme destina-se exclusivamente ao uso externo. Deve-se evitar o contato com os olhos37.
- Gravidez38 e lactação39
Os estudos de toxicidade40 fetal e de fecundidade em animais não indicam qualquer efeito adverso. Como a experiência clínica em mulheres grávidas é muito limitada, LAMISIL não deve ser administrado durante a gravidez38, a menos que as potenciais vantagens suplantem os riscos possíveis.

A terbinafina é excretada no leite materno; portanto, as mães tratadas com LAMISIL por via oral não deverão amamentar. Se o tratamento for tópico24, é improvável que as pequenas quantidades absorvidas pela pele8 afetem o lactente41.

Interações de Lamisil

Comprimidos:  conforme os resultados dos estudos realizados "in vitro" e em voluntários sadios, a terbinafina apresenta um potencial insignificante para inibir ou induzir a depuração dos medicamentos que são metabolizados através do sistema do citocromo P450 (por exemplo: a ciclosporina, a tolbutamina, os anticoncepcionais orais). A depuração plasmática da terbinafina pode, no entanto, ser acelerada por medicamentos que induzam o metabolismo6 (como a rifampicina) e pode ser inibida por medicamentos que inibam o citocromo P450 (como a cimetidina). Quando for necessária a administração simultânea desses fármacos, será preciso adaptar a dose de LAMISIL. Creme:  Não se conhece nenhuma interação medicamentosa.

Efeitos Colaterais36 de Lamisil

Comprimidos: LAMISIL é, geralmente, bem tolerado. Os efeitos colaterais36 são leves ou moderados e temporários. Os sintomas28 mais frequentes são gastrintestinais (sensação de plenitude gástrica, perda de apetite, náuseas42, dor abdominal leve, diarréia43) ou reações cutâneas21 sem gravidade (exantemas44, urticária45).
Observaram-se casos isolados de reações cutâneas21 sérias (por exemplo: síndrome de Stevens-Johnson46, necrólise epidérmica-tóxica). Se ocorrer erupção47 cutânea26 progressiva, deve-se interromper o tratamento com LAMISIL.
Raramente, LAMISIL pode causar alteração do paladar48, inclusive perda do mesmo, que se recupera algumas semanas após a interrupção do medicamento.
Foram relatados casos isolados de disfunção hepatobiliar49 significativa. Embora não se tenha estabelecido relação causal com o medicamento, deve-se interromper o tratamento com LAMISIL, caso se desenvolva disfunção hepatobiliar49.
Creme: ocasionalmente ocorre vermelhidão, prurido50 ou sensação de ardor51 no local da aplicação; porém, raramente o tratamento tem que ser interrompido por esse motivo. Esses sintomas28 inofensivos devem ser diferenciados das reações  alergicas que são raras, mas que requerem a interrupção do tratamento.
- Superdosagem

Até o momento não foi registrado nenhum caso de superdosagem. Os efeitos adversos no homem indicam que os sintomas28 principais de uma superdosagem aguda seriam gastrintestinais, como por exemplo, náusea52 ou vômito53. Nesse caso, poderia ser necessária lavagem gástrica54 ou tratamento sintomático55 de apoio.
"ATENÇÃO": Este produto é um novo medicamento e embora as pesquisas realizadas tenham indicado eficácia e segurança quando corretamente indicado, podem ocorrer reações adversas imprevisíveis ainda não descritas ou conhecidas. Em casos de suspeita de reação adversa o médico responsável deve ser notificado.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

LAMISIL - Laboratório

NOVARTIS
Av. Prof. Vicente Rao, 90 - Brooklin
São Paulo/SP - CEP: 04706-900
Tel: 55 (011) 532-7122
Fax: 55 (011) 532-7942
Site: http://www.novartis.com/

Ver outros medicamentos do laboratório "NOVARTIS"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Dermatófitos: Qualquer fungo microscópico que parasita a pele, as unhas ou os pelos.
2 Fúngicos: Relativos à ou produzidos por fungo.
3 Célula: Unidade funcional básica de todo tecido, capaz de se duplicar (porém algumas células muito especializadas, como os neurônios, não conseguem se duplicar), trocar substâncias com o meio externo à célula, etc. Possui subestruturas (organelas) distintas como núcleo, parede celular, membrana celular, mitocôndrias, etc. que são as responsáveis pela sobrevivência da mesma.
4 Fúngica: Relativa à ou produzida por fungo.
5 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
6 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
7 Fármaco: Qualquer produto ou preparado farmacêutico; medicamento.
8 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
9 Unhas: São anexos cutâneos formados por células corneificadas (queratina) que formam lâminas de consistência endurecida. Esta consistência dura, confere proteção à extremidade dos dedos das mãos e dos pés. As unhas têm também função estética. Apresentam crescimento contínuo e recebem estímulos hormonais e nutricionais diversos.
10 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
11 Derme: Camada interna das duas principais camadas da pele. A derme é formada por tecido conjuntivo, vasos sanguíneos, glândulas sebáceas e sudoríparas, nervos, folículos pilosos e outras estruturas. É constituída por uma fina camada superior que é a derme papilar e uma camada mais grossa, mais baixa, que é a derme reticular.
12 Placa: 1. Lesão achatada, semelhante à pápula, mas com diâmetro superior a um centímetro. 2. Folha de material resistente (metal, vidro, plástico etc.), mais ou menos espessa. 3. Objeto com formato de tabuleta, geralmente de bronze, mármore ou granito, com inscrição comemorativa ou indicativa. 4. Chapa que serve de suporte a um aparelho de iluminação que se fixa em uma superfície vertical ou sobre uma peça de mobiliário, etc. 5. Placa de metal que, colocada na dianteira e na traseira de um veículo automotor, registra o número de licenciamento do veículo. 6. Chapa que, emitida pela administração pública, representa sinal oficial de concessão de certas licenças e autorizações. 7. Lâmina metálica, polida, usualmente como forma em processos de gravura. 8. Área ou zona que difere do resto de uma superfície, ordinariamente pela cor. 9. Mancha mais ou menos espessa na pele, como resultado de doença, escoriação, etc. 10. Em anatomia geral, estrutura ou órgão chato e em forma de placa, como uma escama ou lamela. 11. Em informática, suporte plano, retangular, de fibra de vidro, em que se gravam chips e outros componentes eletrônicos do computador. 12. Em odontologia, camada aderente de bactérias que se forma nos dentes.
13 Ungueal: Relativo ou pertencente à unha, garra ou casco, ou que a eles se assemelha.
14 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
15 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
16 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
17 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
18 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
19 Fúngicas: Relativas à ou produzidas por fungo.
20 Tinea capitis: Também conhecida como tinha da cabeça, Tinea tonsurans ou Querión de Celso é uma infecção fúngica cutânea dos cabelos e dos pelos da cabeça causada pelos fungos dermatófitos Trichophyton, Microsporum ou Favus. Ela é mais frequente em crianças, principalmente nos meninos entre 3 e 7 anos de idaide.
21 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
22 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
23 Onicomicose: Micose de unha. Apresenta-se com descolamento da borda livre da unha, espessamento, manchas brancas na superfície ou deformação da unha. Quando a micose atinge a pele ao redor da unha, causa a paroníquia (“unheiro“). O contorno ungueal fica inflamado, dolorido, inchado e avermelhado e, por consequência, altera a formação da unha, que cresce ondulada.
24 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.
25 Candidíase: É o nome da infecção produzida pela Candida albicans, um fungo que produz doença em mucosas, na pele ou em órgãos profundos (candidíase sistêmica).As infecções profundas podem ser mais freqüentes em pessoas com deficiência no sistema imunológico (pacientes com câncer, SIDA, etc.).
26 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
27 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
28 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
29 Unhas das Mãos: Lâminas córneas e finas que cobrem a superfície dorsal das falanges distais dos dedos das mãos e dos dedos dos pés dos primatas.
30 Grande Artelho: Dedo Grande do Pé, vulgo dedão do pé.
31 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
32 Recorrência: 1. Retorno, repetição. 2. Em medicina, é o reaparecimento dos sintomas característicos de uma doença, após a sua completa remissão. 3. Em informática, é a repetição continuada da mesma operação ou grupo de operações. 4. Em psicologia, é a volta à memória.
33 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
34 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
35 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
36 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
37 Olhos:
38 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
39 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
40 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
41 Lactente: Que ou aquele que mama, bebê. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
42 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
43 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
44 Exantemas: Alteração difusa da coloração cutânea, caracterizada por eritema, com elevação das camadas mais superficiais da pele (pápulas), vesículas, etc. Pode ser produzido por uma infecção geralmente viral (rubéola, varicela, sarampo), por alergias a medicamentos, etc.
45 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
46 Síndrome de Stevens-Johnson: Forma grave, às vezes fatal, de eritema bolhoso, que acomete a pele e as mucosas oral, genital, anal e ocular. O início é geralmente abrupto, com febre, mal-estar, dores musculares e artralgia. Pode evoluir para um quadro toxêmico com alterações do sistema gastrointestinal, sistema nervoso central, rins e coração (arritmias e pericardite). O prognóstico torna-se grave principalmente em pessoas idosas e quando ocorre infecção secundária. Pode ser desencadeado por: sulfas, analgésicos, barbitúricos, hidantoínas, penicilinas, infecções virais e bacterianas.
47 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
48 Paladar: Paladar ou sabor. Em fisiologia, é a função sensorial que permite a percepção dos sabores pela língua e sua transmissão, através do nervo gustativo ao cérebro, onde são recebidos e analisados.
49 Hepatobiliar: Diz-se do que se refere ao fígado e às vias biliares.
50 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
51 Ardor: 1. Calor forte, intenso. 2. Mesmo que ardência. 3. Qualidade daquilo que fulge, que brilha. 4. Amor intenso, desejo concupiscente, paixão.
52 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
53 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
54 Lavagem gástrica: É a introdução, através de sonda nasogástrica, de líquido na cavidade gástrica, seguida de sua remoção.
55 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.

Tem alguma dúvida sobre LAMISIL?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.