NORIPURUM FÓLICO

NYCOMED PHARMA

Atualizado em 09/12/2014

           

Apresentação de Noripurum Fólico

Embalagens com 20 unidades

Uso Adulto ou Pediátrico

Composição de Noripurum Fólico

Cada comprimido mastigável contém:
Complexo de Hidróxido de Ferro III Polimaltosado 333,34 mg*
Ácido Fólico 0,35 mg
Excipiente q.s.p. 1 comprimido
* equivalente a 100 mg de ferro (III)            

Informação ao Paciente de Noripurum Fólico

Conserve o produto na embalagem original e ao abrigo do calor. Prazo de Validade: 24 meses a partir da data da fabricação (vide cartucho).
Não use medicamento com o prazo de validade vencido.
Ação esperada do medicamento: Noripurum Fólico age como antianêmico em casos de anemia1 por deficiência de Ferro e Ácido Fólico, reabastecendo o organismo com estes elementos, indispensáveis para a formação da hemoglobina2.
Informe seu médico a ocorrência de gravidez3 ou lactação4 na vigência do tratamento.
Cuidados de administração: Aos pacientes portadores de próteses dentárias, particularmente à base de "Luva Light" recomenda-se lavar a boca5 e escovar as próteses imediatamente após uso do preparado, a fim de evitar escurecimento das mesmas.
Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
Informe seu médico caso apareçam reações desagradáveis como: sensações de plenitude no estômago6 e nos intestinos7, dores abdominais, náusea8, prisão de ventre ou diarréia9. Em caso de manifestação de reações alérgicas como sensação de calor, vermelhidão, aceleração dos batimentos cardíacos e erupção10 da pele11, a medicação deve ser suspensa e o médico informado imediatamente.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.
Desaconselha-se o uso de bebidas alcoólicas durante o tratamento visto que pode aumentar o risco de efeitos indesejáveis.
O produto não deve ser usado  por pacientes alérgicos a medicamentos à base de Ferro ou Ácido Fólico, com doenças hepáticas12 agudas, com doenças gastrintestinais ou com anemias não causadas por deficiência de ferro ou Ácido Fólico.
Informe seu médico caso tenha se submetido a transfusões sangüíneas repetidas na vigência do uso do produto. Como outros compostos de ferro, Noripurum Fólico provoca coloração escura das fezes, fato este sem qualquer significância clínica.
NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA A SUA SAÚDE13.

Informação Técnica de Noripurum Fólico

Noripurum Fólico age como antianêmico especificamente indicado para o tratamento das anemias nutricionais e microcíticas causadas por deficiência de Ferro e Ácido Fólico.
O ferro de Noripurum Fólico apresenta-se sob a forma de um complexo macromolecular, não iônico, o que confere ao preparado características vantajosas: boa absorção e utilização pelo organismo, baixa toxicidade14 e boa tolerabilidade, não interação com certos medicamentos (p.ex. tetraciclinas, glicosídeos cardíacos, anticoncepcionais), não diminuição do seu volume utilizável, nem por eliminação renal15, nem por depósito no tecido adiposo16.

Indicações de Noripurum Fólico

Anemias ferro e folicoprivas.Profilaxia e tratamento das anemias da gravidez3, do puerpério17 e no período de amamentação18, caracterizadas por ferropenia e hipofolinemia.
Anemias ferropênicas graves, pós-hemorrágicas19, pós-ressecção gástrica, pós-parto e pós-operatórias.
No pré-operatório de pacientes anêmicos.
Anemia1 hipocrômica essencial, cloroanemia aquílica, anemias alimentares qualitativas e quantitativas. Adjuvante no tratamento da subnutrição.

Contra-Indicações de Noripurum Fólico

Todas anemias não ferropênicas, particularmente aquelas caracterizadas por acúmulo de ferro ou incapacidade da sua utilização, tais como hemocromatose20, anemia falciforme21, anemia hemolítica22, anemias sidero-acrésticas, anemias do chumbo, talassemia23, anemias por tumores ou infecções24 (sem deficiência de ferro), anemias associadas à leucemia25 aguda ou crônica, hepatopatia aguda.
Hipersensibilidade aos sais de ferro ou ácido fólico.
Processos que impedem a absorção de ferro ou ácido fólico por via oral, como diarréias crônicas, retocolite ulcerativa.

Precauções de Noripurum Fólico

Como todos preparados férricos, Noripurum Fólico deve ser administrado com cautela na presença de alcoolismo, hepatite26, infecções24 agudas e estados inflamatórios do trato gastrintestinal (enterites, colite27 ulcerativa), pancreatite28 e úlcera péptica29.A administração do produto em pacientes submetidos a transfusões repetidas de sangue30 deve ser realizada sob rigoroso controle médico e observação do quadro sangüíneo, visto que a concomitância da aplicação de sangue30 com alto nível de ferro eritrocitário31 e sais de ferro por via oral pode resultar em sobrecarga férrica.

Interações Medicamentosas de Noripurum Fólico

Graças à alta estabilidade do seu complexo, o Noripurum Fólico - diferentemente dos sais ferrosos - não sofre diminuição da sua absorção por interação com certos medicamentos (p.ex. tetraciclinas, hormônios esteróides, anticoncepcionais, glicosídeos cardíacos), porventura empregados concomitantemente.
A ingestão excessiva de álcool, causando incremento do depósito hepático de ferro, aumenta a probabilidade de efeitos colaterais32 e até tóxicos do ferro, quando em uso prolongado.

- Reações Adversas:

O preparado, sendo de excelente tolerância, apenas excepcionalmente provoca fenômenos gastrintestinais (sensação de plenitude, dores epigástricas, náuseas33, constipação34 ou diarréia9), freqüentemente observados com o uso dos sais ferrosos.
A manifestação de reações de hipersensibilidade (sensação de calor, rubor, taquicardia35, erupções cutâneas36) é extremamente rara, ocorrendo quase que exclusivamente em indivíduos reconhecidamente alérgicos aos sais de ferro.
A coloração escura das fezes, quando de seu uso, não é característica específica do Noripurum Fólico, mas de todos compostos de ferro, não tendo absolutamente significância clínica.

Advertências de Noripurum Fólico

Aos portadores de próteses dentárias - particularmente à bse de "luva light" - recomenda-se lavar a boca5 e escovar as próteses imediatamente após uso do preparado, a fim de evitar escurecimento das mesmas.

Posologia de Noripurum Fólico

Para fins de cálculo37, lembra-se que 1 comprimido mastigável contém 100 mg de ferro. Para o uso pediátrico, a dose diária de ferro a ser utilizada, calcula-se conforme a gravidade do caso e, salvo critério médico diferente, na base de 2,5 a 5,0 mg/kg de peso administrados em uma ou mais tomadas.
Como posologia média sugere-se:
Adultos e adolescentes:
No tratamento de ferropenias leves e moderadas,1 comprimido mastigável ao dia; no tratamento da anemia ferropriva38 manifesta, em geral, 1 a 2 comprimidos mastigáveis ao dia atendem a necessidade terapêutica39. Em casos mais graves, até 3 comprimidos mastigáveis, em uma ou mais tomadas ao dia, podem ser administrados, a critério médico.
Crianças de 1 a 5 anos: 1/2 comprimido mastigável ao dia.
Crianças de 5 até 12 anos: 1 comprimido mastigável ao dia, em 1 ou 2 tomadas.
Recomenda-se administrar o preparado pouco antes ou durante as refeições.
Em casos de anemia1 ferropênica grave ou de necessidade elevada de ferro, as doses podem ser aumentadas, a critério médico, ou ser necessário o uso de Noripurum IM ou EV como tratamento inicial.
A fim de garantir um tratamento eficiente, com adequada reposição do estoque orgânico de ferro, recomenda-se continuar com a administração de Noripurum Fólico durante mais 2 a 3 meses após o desaparecimento dos sintomas40 clínicos e a normalização da taxa hemoglobínica.

Conduta na Superdosagem de Noripurum Fólico

Quando da ingestão acidental ou proposital de doses muito acima das preconizadas, sintomas40 como náuseas33  ou sensação de plenitude gástrica podem ocorrer. Deve-se proceder ao esvaziamento gástrico e empregar medidas usuais de apoio.

SIGA CORRETAMENTE O MODO DE USAR; NÃO DESAPARECENDO OS SINTOMAS40, PROCURE ORIENTAÇÃO MÉDICA.

NORIPURUM FÓLICO - Laboratório

NYCOMED PHARMA
Rua do Estilo Barroco, 721
Santo Amaro/SP - CEP: 04709-011
Tel: 11 5188 4400
Site: http://www.nycomed.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "NYCOMED PHARMA"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
2 Hemoglobina: Proteína encarregada de transportar o oxigênio desde os pulmões até os tecidos do corpo. Encontra-se em altas concentrações nos glóbulos vermelhos.
3 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
4 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
5 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
6 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
7 Intestinos: Seção do canal alimentar que vai do ESTÔMAGO até o CANAL ANAL. Inclui o INTESTINO GROSSO e o INTESTINO DELGADO.
8 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
9 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
10 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
11 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
12 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
13 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
14 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
15 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
16 Tecido Adiposo: Tecido conjuntivo especializado composto por células gordurosas (ADIPÓCITOS). É o local de armazenamento de GORDURAS, geralmente na forma de TRIGLICERÍDEOS. Em mamíferos, existem dois tipos de tecido adiposo, a GORDURA BRANCA e a GORDURA MARROM. Suas distribuições relativas variam em diferentes espécies sendo que a maioria do tecido adiposo compreende o do tipo branco.
17 Puerpério: Período que decorre desde o parto até que os órgãos genitais e o estado geral da mulher voltem às condições anteriores à gestação.
18 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
19 Hemorrágicas: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
20 Hemocromatose: Distúrbio metabólico caracterizado pela deposição de ferro nos tecidos em virtude de seu excesso no organismo. Os locais em que o ferro mais se deposite são fígado, pâncreas, coração e hipófise.
21 Anemia falciforme: Doença hereditária que causa a má formação das hemácias, que assumem forma semelhante a foices (de onde vem o nome da doença), com maior ou menor severidade de acordo com o caso, o que causa deficiência do transporte de gases nos indivíduos que possuem a doença. É comum na África, na Europa Mediterrânea, no Oriente Médio e em certas regiões da Índia.
22 Anemia hemolítica: Doença hereditária que faz com que os glóbulos vermelhos do sangue se desintegrem no interior dos veios sangüíneos (hemólise intravascular) ou em outro lugar do organismo (hemólise extravascular). Pode ter várias causas e ser congênita ou adquirida. O tratamento depende da causa.
23 Talassemia: Anemia mediterrânea ou talassemia. Tipo de anemia hereditária, de transmissão recessiva, causada pela redução ou ausência da síntese da cadeia de hemoglobina, uma proteína situada no interior do glóbulos vermelhos e que tem a função de transportar o oxigênio. É classificada dentro das hemoglobinopatias. Afeta principalmente populações da Itália e da Grécia (e seus descendentes), banhadas pelo Mar Mediterrâneo.
24 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
25 Leucemia: Doença maligna caracterizada pela proliferação anormal de elementos celulares que originam os glóbulos brancos (leucócitos). Como resultado, produz-se a substituição do tecido normal por células cancerosas, com conseqüente diminuição da capacidade imunológica, anemia, distúrbios da função plaquetária, etc.
26 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
27 Colite: Inflamação da porção terminal do cólon (intestino grosso). Pode ser devido a infecções intestinais (a causa mais freqüente), ou a processos inflamatórios diversos (colite ulcerativa, colite isquêmica, colite por radiação, etc.).
28 Pancreatite: Inflamação do pâncreas. A pancreatite aguda pode ser produzida por cálculos biliares, alcoolismo, drogas, etc. Pode ser uma doença grave e fatal. Os primeiros sintomas consistem em dor abdominal, vômitos e distensão abdominal.
29 Úlcera péptica: Lesão na mucosa do esôfago, estômago ou duodeno. Também chamada de úlcera gástrica ou duodenal. Pode ser provocada por excesso de ácido clorídrico produzido pelo próprio estômago ou por medicamentos como antiinflamatórios ou aspirina. É uma doença infecciosa, causada pela bactéria Helicobacter pylori em quase 100% dos casos. Os principais sintomas são: dor, má digestão, enjôo, queimação (azia), sensação de estômago vazio.
30 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
31 Eritrocitário: Relativo a eritrócito, ou seja, relativo à célula vermelha do sangue, cuja principal função é o transporte de oxigênio.
32 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
33 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
34 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
35 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
36 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
37 Cálculo: Formação sólida, produto da precipitação de diferentes substâncias dissolvidas nos líquidos corporais, podendo variar em sua composição segundo diferentes condições biológicas. Podem ser produzidos no sistema biliar (cálculos biliares) e nos rins (cálculos renais) e serem formados de colesterol, ácido úrico, oxalato de cálcio, pigmentos biliares, etc.
38 Anemia Ferropriva: Anemia por deficiência de ferro. É o tipo mais comum de anemia. Há redução da quantidade total de ferro corporal até a exaustão das reservas de ferro. O fornecimento de ferro é insuficiente para atingir as necessidades de diferentes tecidos, incluindo as necessidades para a formação de hemoglobina e dos glóbulos vermelhos.
39 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
40 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre NORIPURUM FÓLICO?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.