Preço de Sepurin em São Paulo/SP: R$ 20,85

Bula do paciente Bula do profissional

Sepurin

LABORATÓRIO GROSS S. A.

Atualizado em 01/12/2021

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Sepurin
metenamina + cloreto de metiltionínio
Drágea1 120 mg + 20 mg

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO:

Drágea1
Caixa com 20 drágeas2

VIA DE ADMINISTRAÇÃO ORAL
USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE 12 ANOS

COMPOSIÇÃO:

Cada drágea1 de Sepurin contém:

metenamina 120 mg
cloreto de metiltionínio 20 mg
excipiente q.s.p. 1 drágea1

Excipientes: celulose microcristalina, estearato de magnésio, talco, carbonato de cálcio, goma laca, sacarose, goma arábica, corante azul brilhante, corante amarelo tartrazina, cera branca de abelha, cera de carnaúba, álcool etílico, benzina e água de osmose3 reversa.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Este medicamento é indicado em infecções4 na bexiga5 (cistites), na prevenção de infecção6 de bexiga5 em pacientes em uso de sonda e na prevenção de infecção6 de bexiga5 em pessoas com infecções4 urinárias que ocorrem com frequência.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Sepurin® é um medicamento com ação antisséptica e antibacteriana em infecções4 das vias urinárias. Seu início de ação varia de 24 a 48 horas, e o efeito perdura por até 12 horas após a última tomada.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Se você tem doença urológica, história de alergia7 aos componentes do produto (veja na seção Composição), doenças hepáticas8 (do fígado9), metemoglobinemia, doenças nefrológicas (renais), está grávida ou planeja engravidar, está amamentando, irá fazer algum exame de laboratório (exame de urina10), tem alergia7 ao ácido acetilsalicílico (aspirina) ou é diabético, consulte o seu médico antes de tomar este medicamento.

Informe ao seu médico se você faz uso dos seguintes medicamentos (ordem alfabética): acetazolamida, amitriptilina, antiácidos11, bambuterol, bicarbonato de sódio, bupropion, buspirona, carbamazepina, carbinoxamina, ciclobenzaprina, citalopram, citrato de potássio, clomipramina, dapsona, desvenlafaxina, doxilamina, duloxetina, escitalopram, fenilefrina, fenoterol, fentanila, fluoxetina, fluvoxamina, formoterol, hidroclorotiazida, imipramina, indacaterol, indapamida, linezolida, maprotilina, mirtazapina, nateglinida, nefazodona, paroxetina, ritodrina, salmeterol, selegilina, sertralina, sulfadiazina, sulfametoxazol, sumatriptan, terbutalina, tramadol, tranilcipromina, trazodona, triptofan e venlafaxina.

Categoria X – Estudos revelaram anormalidades no feto12 ou evidências de risco para o feto12. Os riscos durante a gravidez13 são superiores aos potenciais benefícios. Não usar em hipótese alguma durante a gravidez13. Em estudos em animais e mulheres grávidas, o fármaco14 provocou anomalias fetais, havendo clara evidência de risco para o feto12 que é maior do que qualquer benefício possível para a paciente.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou que possam ficar grávidas durante o tratamento.

Este medicamento é contra-indicado para pacientes15 menores de 12 anos.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Sendo um dos componentes do Sepurin® um corante, a urina16 do paciente que utiliza o produto pode tornar-se azulada ou esverdeada e pode também haver alteração na coloração das fezes; estas mudanças são esperadas e não significam efeito colateral17 da medicação.

O fato de Sepurin® proporcionar melhora da ardência ao urinar não significa necessariamente que a cura da doença na bexiga5 foi obtida; é necessário buscar auxílio médico.

A ingestão de frutas (exceto ameixa, pêssego, cereja, damasco e cranberry), leite e derivados, pode diminuir o efeito de Sepurin®.

Colher urina16 para exame somente após 24 horas da última tomada de Sepurin®.

Não foram realizados estudos controlados em pacientes menores de 12 anos.

Gravidez13 e Lactação18

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou que possam ficar grávidas durante o tratamento.

Categoria X – Estudos revelaram anormalidades no feto12 ou evidências de risco para o feto12. Os riscos durante a gravidez13 são superiores aos potenciais benefícios.
Não usar em hipótese alguma durante a gravidez13
Em estudos em animais e mulheres grávidas, o fármaco14 provocou anomalias fetais, havendo clara evidência de risco para o feto12 que é maior do que qualquer benefício possível para a paciente.

Informações importantes sobre um dos componentes do medicamento

Atenção diabéticos: contém AÇÚCAR19 (0,56 kcal por drágea1).

Este produto contém o corante amarelo de TARTRAZINA que pode causar reações de natureza alérgica, entre as quais asma20 brônquica, especialmente em pessoas alérgicas ao ácido acetilsalicílico.

Interações medicamentosas

Sepurin® pode interagir com os seguintes medicamentos: acetazolamida, amitriptilina, antiácidos11, bambuterol, bicarbonato de sódio, bupropion, buspirona, carbamazepina, carbinoxamina, ciclobenzaprina, citalopram, citrato de potássio, clomipramina, dapsona, desvenlafaxina, doxilamina, duloxetina, escitalopram, fenilefrina, fenoterol, fentanila, fluoxetina, fluvoxamina, formoterol, hidroclorotiazida, imipramina, indacaterol, indapamida, linezolida, maprotilina, mirtazapina, nateglinida, nefazodona, paroxetina, ritodrina, salmeterol, selegilina, sertralina, sulfadiazina, sulfametoxazol, sumatriptan, terbutalina, tramadol, tranilcipromina, trazodona, triptofan e venlafaxina.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados de conservação

Conservar em temperatura ambiente (15–30°C). Proteger da luz e da umidade. A drágea1 deve ser utilizada imediatamente após a sua remoção do blister.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas e organolépticas do produto

As drágeas2 de Sepurin® são redondas e de coloração verde brilhante.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Sepurin® é para ser tomado por via oral. Tomar 2 drágeas2 3 a 4 vezes ao dia, até consulta médica. A dosagem máxima é a determinada pela posologia do produto. É aconselhável não beber muito líquido e não esvaziar a bexiga5 num prazo menor do que duas horas após a ingestão do medicamento.

Siga corretamente o modo de usar. Em caso de dúvidas sobre este medicamento, procure orientação do farmacêutico. Não desaparecendo os sintomas21, procure orientação de seu médico ou cirurgião-dentista. Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Consulte o farmacêutico ou o seu médico para orientação sobre como proceder.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Sepurin® pode causar os seguintes males, por ordem de frequência: dor abdominal, náusea22, vômitos23, reações de pele24 e ardência ao urinar.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Tomar bastante líquidos para aliviar a ardência na bexiga5 e procurar atendimento médico. Sintomas21 podem ser: dor de estômago25, diarréia26, e ardência intensa ao urinar.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


Siga corretamente o modo de usar, não desaparecendo os sintomas21 procure orientação médica.
 

Reg-MS Nº. 1. 0444. 0066
Farm.Resp.: Maria Paula Boetger CRF-RJ Nº. 9944

Laboratório Gross S.A.
Rua Padre Ildefonso Penalba, Nº. 389
CEP: 20775-020 Rio de Janeiro – RJ
CNPJ: 33.145.194/0001-72
Indústria Brasileira


SAC 0800 709 7770

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Drágea: Comprimido ou pílula contendo preparado farmacêutico.
2 Drágeas: Comprimidos ou pílulas contendo preparado farmacêutico.
3 Osmose: Fluxo do solvente de uma solução pouco concentrada, em direção a outra mais concentrada, que se dá através de uma membrana semipermeável.
4 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
5 Bexiga: Órgão cavitário, situado na cavidade pélvica, no qual é armazenada a urina, que é produzida pelos rins. É uma víscera oca caracterizada por sua distensibilidade. Tem a forma de pêra quando está vazia e a forma de bola quando está cheia.
6 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
7 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
8 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
9 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
10 Exame de urina: Também chamado de urinálise, o teste de urina é feito através de uma amostra de urina e pode diagnosticar doenças do sistema urinário e outros sistemas do organismo. Alguns testes são feitos em uma amostra simples e outros pela coleta da urina durante 24 horas. Pode ser feita uma cultura da urina para verificar o crescimento de bactérias na urina.
11 Antiácidos: É uma substância que neutraliza o excesso de ácido, contrariando o seu efeito. É uma base que aumenta os valores de pH de uma solução ácida.
12 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
13 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
14 Fármaco: Qualquer produto ou preparado farmacêutico; medicamento.
15 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
16 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
17 Efeito colateral: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
18 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
19 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
20 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
21 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
22 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
23 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
24 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
25 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
26 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
Artigos relacionados

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.