ERITREX

ACHÈ

Atualizado em 08/12/2014

Composição de Eritrex

cada comprimido contém estolato de eritromicina500 mg. Cada 5 ml da suspensão oral 125 mg contém estolato de eritromicina, equivalente à eritromicina base 125 mg. Cada 5 ml da suspensão oral 250 mg contém estolato de eritromicina, equivalente à eritromicina base 250 mg.

Posologia e Administração de Eritrex

500 mg comprimidos: tomar 1 comprimido cada 12 horas ou dose maior a critério médico, na dependência da gravidade da infecção1. 125 mg/250 mg suspensão oral: a posologia recomendada, de acordo com o peso corporal, é a seguinte: até 12,5 kg, a dose média é de 10 mg/kg a cada 6 horas durante 7 a 10 dias. De 12,5 kg a 25 kg, a dose média é de 125 mg a cada 6 horas durante 7 a 10 dias. 25 kg ou mais, a dose média é de 250 mg a cada 6 horas durante 7 a 10 dias. Superdosagem: relatos indicam que a ingestão de altas doses de eritromicina pode produzir graves efeitos gastrintestinais. Reações alérgicas acompanhadas de superdosagem podem ser tratadas com a eliminação rápida da droga não-absorvida e medidas de suporte. Os níveis séricos de eritromicina não são significativamente alterados por hemodiálise2 ou diálise peritoneal3.

Precauções de Eritrex

a administração do estolato tem sido associada com a ocorrência infreqüente de hepatite4 colestásica. Os achados de laboratório tem sido caracterizados por valores de função hepática5 anormais, eosinofilia6, leucocitose7 e também aumento das transaminases hepáticas8. Tem ocorrido disfunção hepática5 com ou sem icterícia9 principalmente em adultos, acompanhada por mal-estar, náuseas10, vômitos11, cólica abdominal e febre12. Em alguns casos, dor abdominal intensa poderá simular dor de cólica biliar, pancreatite13, úlcera14 perfurada ou um problema cirúrgico de abdômen agudo15. Em outros casos, sintomas16 clínicos e resultados de testes de função hepática5 tem se assemelhado a achados na icterícia9 obstrutiva extra-hepática5; se os achados acima ocorrerem, deve-se descontinuar a droga imediatamente. Em alguns casos os sintomas16 iniciais podem aparecer após alguns dias de tratamento, mas geralmente estes sintomas16 só aparecem após 1 ou 2 semanas de tratamento contínuo, os sintomas16 reaparecem rapidamente, geralmente 48 horas após a droga ser readministrada a pacientes sensíveis. A síndrome17 parece resultar de uma forma de sensibilização e ocorre principalmente em adultos e tem sido reversível quando a medicação é interrompida. Não há dados disponíveis sobre o uso deste produto em gestantes. Devido à eritromicina ser excretada principalmente pelo fígado18, devem ser tomadas precauções na administração deste antibiótico a pacientes com disfunção hepática5. - Interações medicamentosas: o uso de eritromicina em pacientes que estejam recebendo doses elevadas de teofilina pode estar associado com um aumento dos níveis séricos e do potencial de toxicidade19 da teofilina. Nos casos de toxicidade19 e/ou níveis séricos elevados da teofilina, a dose desta droga deve ser reduzida enquanto o paciente estiver recebendo o tratamento concomitante com eritromicina. O uso concomitante de eritromicina e ergotamina ou diidroergotamina foi associado em alguns pacientes com toxicidade19 aguda pelo ergot, caracterizada por vasoespasmo periférico intenso e disestesia20. Deve ser evitada a administração simultânea da eritromicina e do anti-histamínico terfenadina pelo fato de terem sido descritas reações adversas cardiovasculares graves, incluindo arritmias21 com o uso da terfenadina isolada e especialmente quando do uso da associação.

Reações Adversas de Eritrex

as reações adversas mais freqüentes dos preparados de eritromicina são as gastrintestinais (por ex.: cólicas22 abdominais e mal-estar) e estão relacionadas com a dose. Náuseas10, vômitos11 e diarréia23 ocorrem com pouca freqüência com as doses usuais. Durante a terapêutica24 prolongada ou repetida, há possibilidade de superinfecção25 por bactérias não sensíveis ou fungos. Em tal caso, Eritrex deverá ser suspenso e instituído tratamento adequado. Tem ocorrido reações alérgicas leves, tais como, urticária26 e outras erupções cutâneas27, sendo que raramente têm sido relatadas reações alérgicas graves, incluindo anafilaxia28. Houve relatórios isolados da ocorrência de perda de audição principalmente em pacientes com insuficiência renal29, e que estejam recebendo altas doses de eritromicina.

Contra-Indicações de Eritrex

o uso de estolato de eritromicina envolve um risco de hepatotoxicidade30 (hepatite4 colestásica) com ou sem o aparecimento de icterícia9, quando em uso por mais de 12 dias, que o contra-indica em pacientes com perturbação da função hepática5. É ainda contra-indicado em pacientes com hipersensibilidade conhecida ao antibiótico.

Indicações de Eritrex

no tratamento de infecções31 por germes sensíveis à eritromicina, especialmente as que acometem o aparelho respiratório32.

Apresentação de Eritrex

comprimidos em blister de 21. Suspensão oral na concentração de 125 mg/5 ml em frasco de 105 ml. Suspensão oral na concentração de 250 mg/5 ml em frasco de 105 ml.


ERITREX - Laboratório

ACHÈ
RODOVIA PRES DUTRA KM 222, 2
GUARULHOS/SP - CEP: 07034-904
Tel: 11 6440-8418
Email: ache@ache.com.br
Site: http://www.ache.com.br

Ver outros medicamentos do laboratório "ACHÈ"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
2 Hemodiálise: Tipo de diálise que vai promover a retirada das substâncias tóxicas, água e sais minerais do organismo através da passagem do sangue por um filtro. A hemodiálise, em geral, é realizada 3 vezes por semana, em sessões com duração média de 3 a 4 horas, com o auxílio de uma máquina, dentro de clínicas especializadas neste tratamento. Para que o sangue passe pela máquina, é necessária a colocação de um catéter ou a confecção de uma fístula, que é um procedimento realizado mais comumente nas veias do braço, para permitir que estas fiquem mais calibrosas e, desta forma, forneçam o fluxo de sangue adequado para ser filtrado.
3 Diálise peritoneal: Ao invés de utilizar um filtro artificial para “limpar“ o sangue, é utilizado o peritônio, que é uma membrana localizada dentro do abdômen e que reveste os órgãos internos. Através da colocação de um catéter flexível no abdômen, é feita a infusão de um líquido semelhante a um soro na cavidade abdominal. Este líquido, que chamamos de banho de diálise, vai entrar em contato com o peritônio, e por ele será feita a retirada das substâncias tóxicas do sangue. Após um período de permanência do banho de diálise na cavidade abdominal, este fica saturado de substâncias tóxicas e é então retirado, sendo feita em seguida a infusão de novo banho de diálise. Esse processo é realizado de uma forma contínua e é conhecido por CAPD, sigla em inglês que significa diálise peritoneal ambulatorial contínua. A diálise peritoneal é uma forma segura de tratamento realizada atualmente por mais de 100.000 pacientes no mundo todo.
4 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
5 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
6 Eosinofilia: Propriedade de se corar facilmente pela eosina. Em patologia, é o aumento anormal de eosinófilos no sangue, característico de alergias e infestações por parasitas. Em patologia, é o acúmulo de eosinófilos em um tecido ou exsudato.
7 Leucocitose: É o aumento no número de glóbulos brancos (leucócitos) no sangue, geralmente maior que 8.000 por mm³. Ocorre em diferentes patologias como em resposta a infecções ou processos inflamatórios. Entretanto, também pode ser o resultado de uma reação normal em certas condições como a gravidez, a menstruação e o exercício muscular.
8 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
9 Icterícia: Coloração amarelada da pele e mucosas devido a uma acumulação de bilirrubina no organismo. Existem dois tipos de icterícia que têm etiologias e sintomas distintos: icterícia por acumulação de bilirrubina conjugada ou direta e icterícia por acumulação de bilirrubina não conjugada ou indireta.
10 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
11 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
12 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
13 Pancreatite: Inflamação do pâncreas. A pancreatite aguda pode ser produzida por cálculos biliares, alcoolismo, drogas, etc. Pode ser uma doença grave e fatal. Os primeiros sintomas consistem em dor abdominal, vômitos e distensão abdominal.
14 Úlcera: Ferida superficial em tecido cutâneo ou mucoso que pode ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
15 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
16 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
17 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
18 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
19 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
20 Disestesia: Distúrbio da sensibilidade superficial tátil.
21 Arritmias: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
22 Cólicas: Dor aguda, produzida pela dilatação ou contração de uma víscera oca (intestino, vesícula biliar, ureter, etc.). Pode ser de início súbito, com exacerbações e períodos de melhora parcial ou total, nos quais o paciente pode estar sentindo-se bem ou apresentar dor leve.
23 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
24 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
25 Superinfecção: Geralmente ocorre quando os antibióticos alteram o equilíbrio do organismo, permitindo o crescimento de agentes oportunistas, como os enterococos. A superinfecção pode ser muito difícil de tratar, porque é necessário optar por antibióticos eficazes contra todos os agentes que podem causá-la.
26 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
27 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
28 Anafilaxia: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
29 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
30 Hepatotoxicidade: É um dano no fígado causado por substâncias químicas chamadas hepatotoxinas.
31 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
32 Aparelho respiratório: O aparelho respiratório transporta o ar do meio externo aos pulmões e vice-versa e promove a troca de gases entre o sangue e o ar.

Tem alguma dúvida sobre ERITREX?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.