Preço de Fosamax D em Ann Arbor/SP: R$ 155,48

Fosamax D

MERCK SHARP & DOHME FARMACEUTICA LTDA

Atualizado em 12/08/2019

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

FOSAMAX® D
alendronato de sódio + colecalciferol
Comprimido

APRESENTAÇÕES

Comprimidos
Embalagem com 4 comprimidos.

USO ORAL
USO ADULTO

COMPOSIÇÃO

Cada comprimido de FOSAMAX® D (70 mg/5.600 UI) contém:

alendronato de sódio (equivalente a 70 mg de ácido alendrônico) 91,37 mg
colecalciferol (5.600 UI de vitamina1 D3) 140 mcg

Excipientes: celulose microcristalina, lactose2, triglicérides3 de cadeia média, gelatina, croscarmelose sódica, sacarose, dióxido de silício, estearato de magnésio, butil-hidroxianisol, amido modificado e silicato de alumínio sódico.

FOSAMAX® D fornece as recomendações semanais de vitamina1 D.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Seu médico prescreveu FOSAMAX® D para o tratamento da osteoporose4 e para ajudar a garantir que você receba quantidade suficiente de vitamina1 D. Este medicamento ajudará na prevenção da ocorrência de fraturas.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

O alendronato de FOSAMAX® D pertence a uma classe de medicamentos não hormonais chamados bisfosfonatos. FOSAMAX® D ajuda na reconstituição dos ossos e faz com que os ossos tenham menos propensão a fraturas. A vitamina1 D é um nutriente essencial, necessário para absorção de cálcio e para a obtenção de ossos saudáveis.

Como o osso se mantém saudável?

O osso sofre um processo normal de reconstrução que ocorre continuamente, em todo o esqueleto5. Primeiro, o osso mais antigo é removido (reabsorvido) e então é formado o osso novo. Esse processo balanceado de reabsorção e formação óssea mantém seu esqueleto5 saudável e forte.

O que é osteoporose4 e por que deve ser tratada?

A osteoporose4 é um afinamento e enfraquecimento dos ossos. Esse processo é comum em mulheres após a menopausa6 e também pode ocorrer em homens. A osteoporose4 ocorre frequentemente em mulheres, vários anos após a menopausa6, a qual ocorre quando os ovários7 param de produzir o hormônio8 feminino, o estrogênio, ou quando são removidos (o que pode ocorrer, por exemplo, durante uma histerectomia9). Quanto mais cedo a mulher atinge a menopausa6, maior o risco de osteoporose4. A osteoporose4 também pode ocorrer em homens, por vários motivos, incluindo envelhecimento e/ou baixo nível de hormônio8 masculino, a testosterona. Em todos os casos, o osso é removido mais rápido do que é formado, de forma que ocorre a perda óssea e o osso torna-se mais fraco. Portanto, a manutenção da massa óssea e a prevenção da perda óssea adicional são importantes para manter o esqueleto5 saudável. No início, a osteoporose4 geralmente não apresenta sintomas10. Se não tratada, no entanto, pode resultar em fraturas (ossos quebrados). Embora as fraturas geralmente causem dor, as fraturas dos ossos da coluna podem não ser percebidas até causarem diminuição da estatura. As fraturas podem ocorrer durante as atividades diárias normais, como se levantar, ou em razão de uma lesão11 de menor gravidade que normalmente não causaria fratura12 no osso normal. As fraturas ocorrem em geral no quadril, na coluna ou no punho e podem causar não apenas dor, mas também deformidade e incapacidade consideráveis (como postura encurvada da coluna e perda da mobilidade).

O que é importante saber sobre a vitamina1 D?

A vitamina1 D é um nutriente essencial, necessário para a absorção de cálcio e para a obtenção de ossos saudáveis. A principal fonte dessa vitamina1 é a exposição à luz solar, que produz a vitamina1 D em nossa pele13. As roupas ou os bloqueadores solares podem impedir que a luz solar seja absorvida de forma satisfatória. Além disso, com o envelhecimento, a pele13 vai ficando com menos capacidade de produzir a vitamina1 D. Poucos alimentos são fontes naturais de vitamina1 D.

Uma quantidade muito pequena de vitamina1 D resulta em absorção inadequada de cálcio e baixa quantidade de fosfato – os minerais que fortalecem os ossos. Mesmo com a ingestão de uma dieta rica em cálcio ou de suplemento de cálcio, seu corpo não consegue absorver o cálcio de forma adequada, a menos que exista uma quantidade suficiente de vitamina1 D. Uma quantidade muito pequena de vitamina1 D pode resultar em perda óssea e em osteoporose4, e uma deficiência grave de vitamina1 D pode causar fraqueza muscular, que pode resultar em quedas e em maior risco de fratura12.

Como a osteoporose4 pode ser tratada?

Seu médico prescreveu FOSAMAX® D para tratar sua osteoporose4 e para ajudá-lo(a) a ingerir uma quantidade suficiente de vitamina1 D. FOSAMAX® D não apenas previne a perda óssea, mas também ajuda a reconstruir o osso que você possa ter perdido e deixa o osso menos propenso a sofrer fratura12. Desta maneira, FOSAMAX® D reverte a progressão da osteoporose4.

Além disso, seu médico pode recomendar uma ou mais das seguintes mudanças de estilo de vida:

Pare de fumar. Aparentemente, o tabagismo aumenta a velocidade de perda óssea e, consequentemente, pode aumentar seu risco de sofrer fratura12.

Pratique exercícios. Assim como os músculos14, os ossos precisam ser exercitados para permanecerem fortes e saudáveis. Consulte seu médico antes de iniciar qualquer programa de exercícios.

Alimente-se com uma dieta balanceada. Seu médico pode alertá-la(o) para modificar sua dieta ou para tomar algum suplemento nutricional.

Por que é importante continuar tomando FOSAMAX® D?

É importante tomar FOSAMAX® D por um longo período para continuar a prevenir a perda óssea, ajudar a reconstituir o osso que você possa ter perdido e para ajudá-lo(a) a ingerir uma quantidade suficiente de vitamina1 D. Portanto, é importante seguir as orientações de seu médico para tomar FOSAMAX® D, sem esquecer de tomar as doses ou sem modificar o esquema posológico prescrito.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Você não deve tomar FOSAMAX® D se:

  • apresentar algum distúrbio do esôfago15 (o tubo que liga a boca16 ao estômago17)
  • não conseguir permanecer em pé ou sentado durante, pelo menos, 30 minutos
  • apresentar hipersensibilidade a qualquer componente do produto
  • seu médico lhe disser que atualmente você apresenta deficiência de cálcio no sangue18

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Informe seu médico sobre quaisquer problemas de saúde19 que você apresente ou tenha apresentado, incluindo doença renal20 conhecida, sobre quaisquer tipos de alergias e se você é ou foi fumante. Se apresentar qualquer problema digestivo ou de deglutição21, informe seu médico antes de tomar FOSAMAX® D.

Gravidez22 e Amamentação23

Não utilize FOSAMAX® D se você estiver amamentando.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião- dentista.

Crianças

FOSAMAX® D não é indicado para crianças e não deve ser dado a elas.

Idosos

FOSAMAX® D age igualmente bem e é bem tolerado por pacientes com idade superior ou inferior a 65 anos.

Dirigir ou Operar Máquinas

Foram relatadas reações adversas com FOSAMAX® D que podem afetar sua capacidade de dirigir ou operar máquinas. Respostas individuais ao FOSAMAX® D podem variar. (veja o item 8. QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?)

Interações Medicamentosas

Se tomados ao mesmo tempo, é provável que o cálcio e/ou suplementos minerais (incluindo ferro e magnésio), antiácidos24 e outros medicamentos orais interferiram na absorção de FOSAMAX® D. Por isso, antes de tomar qualquer outro medicamento oral, os pacientes devem aguardar pelo menos meia hora depois de ter tomado FOSAMAX® D.

Atenção diabéticos: contém açúcar25.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento. Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde19.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Conservar em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C). Proteger da luz e umidade.
Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem. Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Aparência

FOSAMAX® D 70 mg/5.600 UI é um comprimido retangular modificado, branco a quase branco, de um lado contém um contorno de uma imagem de osso e do outro lado tem a inscrição 270.
Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

A posologia recomendada é de um comprimido de 70 mg/5.600 UI uma vez por semana.

COMO USAR

Existem medidas importantes que você deve seguir para assegurar o máximo de benefício com FOSAMAX® D:

  1. Escolha um dia da semana que lhe seja mais adequado e, nesse dia, tome um comprimido de FOSAMAX® D (apenas uma vez por semana).
  2. No dia escolhido, ao se levantar e antes de se alimentar, beber qualquer tipo de líquido ou tomar qualquer outro medicamento, tome um comprimido de FOSAMAX® D com um copo cheio de água filtrada (180-240 mL).
    Não tomar com água mineral.
    Não tomar com café ou chá.
    Não tomar com suco.
    Não mastigue ou chupe o comprimido de FOSAMAX® D.
  3. Após ter engolido o comprimido de FOSAMAX® D, não se deite – fique em posição ereta (sentada, em pé ou caminhando) durante pelo menos 30 minutos e não se deite até que você tenha feito a sua primeira refeição do dia.
  4. Não tome FOSAMAX® D à noite, ao se deitar, e nem pela manhã, antes de se levantar.
    As recomendações acima facilitarão a chegada do comprimido de FOSAMAX® D ao estômago17 e deste modo reduzirão o potencial de irritação do esôfago15 (o tubo que liga a boca16 ao estômago17).
  5. Após engolir o comprimido de FOSAMAX® D, espere pelo menos 30 minutos antes de se alimentar, beber ou tomar qualquer outra medicação, incluindo antiácidos24, suplementos de cálcio e vitaminas. FOSAMAX® D só é efetivo se ingerido quando seu estômago17 estiver vazio.
  6. Se você sentir dificuldade ou dor ao engolir o comprimido, dor no peito26 ou azia27 que seja recente ou tenha piorado, pare de tomar FOSAMAX® D e procure seu médico.

É importante que você tome FOSAMAX®D enquanto o seu médico o prescrever. Uma vez que não se sabe por quanto tempo você deve tomar FOSAMAX? D, você deve discutir a necessidade de permanecer com esta medicação com o seu médico periodicamente para determinar se FOSAMAX® D ainda é certo para você.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Se você se esquecer de tomar o comprimido no dia correto, tome-o na manhã do dia em que você se lembrar. Não tome dois comprimidos no mesmo dia. Volte a tomar um comprimido uma vez por semana, no dia escolhido, conforme programado em sua agenda.

É importante que você continue tomando FOSAMAX? D durante todo o período receitado pelo seu médico. FOSAMAX? D terá efeito no tratamento da osteoporose4 apenas se você fizer uso contínuo deste medicamento. Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

A maioria dos pacientes não apresenta efeitos adversos com FOSAMAX® D; no entanto, como qualquer medicamento, FOSAMAX® D pode apresentar efeitos adversos ou indesejáveis denominados reações adversas. As reações adversas em geral foram leves. Alguns pacientes podem apresentar distúrbios digestivos, como náuseas28, vômito29 ou fezes escuras e/ou sanguinolentas. Alguns distúrbios digestivos podem ser graves, incluindo irritação ou ulceração30 do esôfago15 (o tubo que liga a boca16 ao estômago17), que podem causar dor torácica, queimação, dificuldade para engolir ou dor após a deglutição21. Essas reações podem ocorrer especialmente se os pacientes não tomarem FOSAMAX® D com um copo cheio de água e/ou se deitarem menos de 30 minutos após tomar FOSAMAX® D ou antes da primeira refeição do dia. As reações no esôfago15 podem piorar se os pacientes continuarem a tomar FOSAMAX® D após o desenvolvimento de sintomas10 sugestivos de irritação do esôfago15. Alguns pacientes podem experimentar dor óssea, muscular e/ou das articulações31, as quais raramente são graves. Os pacientes que desenvolverem dor óssea, articular e/ou muscular grave devem entrar em contato com o médico. A maioria dos pacientes apresentou alívio após interromper o tratamento com o medicamento.

Raramente (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento), os pacientes também podem apresentar inchaço32 nas articulações31, nas mãos33 ou nas pernas. Ocorreram sintomas10 transitórios semelhantes aos da gripe34 (raramente com febre35), tipicamente no início do tratamento. Em raros casos, os pacientes que estiverem tomando FOSAMAX® D podem apresentar coceira, dor ocular, dor de ouvido ou uma erupção36 cutânea37 que pode piorar pela exposição à luz solar. Foi relatada perda de cabelo38. Raramente (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento) podem ocorrer reações cutâneas39 graves. Reações alérgicas, como urticária40 ou, raramente (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento), inchaço32 da face41, dos lábios, da língua42 e/ou garganta43, que possam causar dificuldade de respiração ou de deglutição21, podem ocorrer. Os pacientes podem sentir tontura44 ou alterações no paladar45. Raramente (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento), ocorreram úlceras46 gástricas ou outras úlceras46 pépticas (algumas graves). Ocorreram úlceras46 na boca16 quando o comprimido foi mastigado ou dissolvido na boca16.

Raramente (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento), os pacientes tiveram problemas maxilares47 associados com o atraso na cura de infecções48, frequentemente após a extração de dente49. Raramente (ocorrendo entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento), os pacientes sofreram fratura12 em uma parte específica do fêmur50. Caso você apresente uma dor nova ou incomum no quadril ou fêmur50, entre em contato com seu médico.

Seu médico ou cirurgião-dentista possui uma lista mais completa das reações adversas. Se experimentar esses ou quaisquer sintomas10 incomuns, informe seu médico ou cirurgião-dentista imediatamente.

Atenção: este produto é um medicamento que possui nova associação no país e, embora as pesquisas tenham indicado eficácia e segurança aceitáveis, mesmo que indicado e utilizado corretamente, podem ocorrer eventos adversos imprevisíveis ou desconhecidos. Nesse caso, informe seu médico.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Se tomar muitos comprimidos, tome um copo cheio de leite e entre em contato com seu médico imediatamente. Não provoque vômito29. Não se deite.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
 

MS 1.0029.0180
Farm. Resp.: Fernando C. Lemos – CRF-SP nº 16.243

Importado por:
Merck Sharp & Dohme Farmacêutica Ltda.
Rua 13 de Maio, 815 - Sousas, Campinas/SP
CNPJ: 45.987.013/0001-34 – Indústria Brasileira

Fabricado por:
Frosst Iberica, S.A. Madri, Espanha

Embalado por:
Merck Sharp & Dohme Farmacêutica Ltda.
Rua 13 de Maio, 1.161 - Sousas, Campinas/SP

Comercializado por:
SUPERA RX Medicamentos Ltda.
Rua Guará S/N, Quadra 04/05/06 Galpão 08 – Aparecida de Goiânia – GO


SAC 0800 708 1818

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
2 Lactose: Tipo de glicídio que possui ligação glicosídica. É o açúcar encontrado no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose, sendo, portanto, um dissacarídeo.
3 Triglicérides: A principal maneira de armazenar os lipídeos no tecido adiposo é sob a forma de triglicérides. São também os tipos de lipídeos mais abundantes na alimentação. Podem ser definidos como compostos formados pela união de três ácidos graxos com glicerol. Os triglicérides sólidos em temperatura ambiente são conhecidos como gorduras, enquanto os líquidos são os óleos. As gorduras geralmente possuem uma alta proporção de ácidos graxos saturados de cadeia longa, já os óleos normalmente contêm mais ácidos graxos insaturados de cadeia curta.
4 Osteoporose: Doença óssea caracterizada pela diminuição da formação de matriz óssea que predispõe a pessoa a sofrer fraturas com traumatismos mínimos ou mesmo na ausência deles. É influenciada por hormônios, sendo comum nas mulheres pós-menopausa. A terapia de reposição hormonal, que administra estrógenos a mulheres que não mais o produzem, tem como um dos seus objetivos minimizar esta doença.
5 Esqueleto:
6 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
7 Ovários: São órgãos pares com aproximadamente 3cm de comprimento, 2cm de largura e 1,5cm de espessura cada um. Eles estão presos ao útero e à cavidade pelvina por meio de ligamentos. Na puberdade, os ovários começam a secretar os hormônios sexuais, estrógeno e progesterona. As células dos folículos maduros secretam estrógeno, enquanto o corpo lúteo produz grandes quantidades de progesterona e pouco estrógeno.
8 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
9 Histerectomia: Cirurgia através da qual se extrai o útero. Pode ser realizada mediante a presença de tumores ou hemorragias incontroláveis por outras formas. Quando se acrescenta à retirada dos ovários e trompas de Falópio (tubas uterinas) a esta cirurgia, denomina-se anexo-histerectomia.
10 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
11 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
12 Fratura: Solução de continuidade de um osso. Em geral é produzida por um traumatismo, mesmo que possa ser produzida na ausência do mesmo (fratura patológica). Produz como sintomas dor, mobilidade anormal e ruídos (crepitação) na região afetada.
13 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
14 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
15 Esôfago: Segmento muscular membranoso (entre a FARINGE e o ESTÔMAGO), no TRATO GASTRINTESTINAL SUPERIOR.
16 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
17 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
18 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
19 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
20 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
21 Deglutição: Passagem dos alimentos desde a boca até o esôfago; ação ou efeito de deglutir; engolir. É um mecanismo em parte voluntário e em parte automático (reflexo) que envolve a musculatura faríngea e o esfíncter esofágico superior.
22 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
23 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
24 Antiácidos: É uma substância que neutraliza o excesso de ácido, contrariando o seu efeito. É uma base que aumenta os valores de pH de uma solução ácida.
25 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
26 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
27 Azia: Pirose. Sensação de dor epigástrica semelhante a uma queimadura, geralmente acompanhada de regurgitação de suco gástrico para dentro do esôfago.
28 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
29 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
30 Ulceração: 1. Processo patológico de formação de uma úlcera. 2. A úlcera ou um grupo de úlceras.
31 Articulações:
32 Inchaço: Inchação, edema.
33 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
34 Gripe: Doença viral adquirida através do contágio interpessoal que se caracteriza por faringite, febre, dores musculares generalizadas, náuseas, etc. Sua duração é de aproximadamente cinco a sete dias e tem uma maior incidência nos meses frios. Em geral desaparece naturalmente sem tratamento, apenas com medidas de controle geral (repouso relativo, ingestão de líquidos, etc.). Os antibióticos não funcionam na gripe e não devem ser utilizados de rotina.
35 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
36 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
37 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
38 Cabelo: Estrutura filamentosa formada por uma haste que se projeta para a superfície da PELE a partir de uma raiz (mais macia que a haste) e se aloja na cavidade de um FOLÍCULO PILOSO. É encontrado em muitas áreas do corpo.
39 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
40 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
41 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
42 Língua:
43 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
44 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
45 Paladar: Paladar ou sabor. Em fisiologia, é a função sensorial que permite a percepção dos sabores pela língua e sua transmissão, através do nervo gustativo ao cérebro, onde são recebidos e analisados.
46 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
47 Maxilares: Estrutura óssea da boca (que fixa os dentes). É constituída pela MANDÍBULA e pela MAXILA.
48 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
49 Dente: Uma das estruturas cônicas duras situadas nos alvéolos da maxila e mandíbula, utilizadas na mastigação e que auxiliam a articulação. O dente é uma estrutura dérmica composta de dentina e revestida por cemento na raiz anatômica e por esmalte na coroa anatômica. Consiste numa raiz mergulhada no alvéolo, um colo recoberto pela gengiva e uma coroa, a parte exposta. No centro encontra-se a cavidade bulbar preenchida com retículo de tecido conjuntivo contendo uma substância gelatinosa (polpa do dente) e vasos sangüíneos e nervos que penetram através de uma abertura ou aberturas no ápice da raiz. Os 20 dentes decíduos ou dentes primários surgem entre o sexto e o nono e o vigésimo quarto mês de vida; sofrem esfoliação e são substituídos pelos 32 dentes permanentes, que aparecem entre o quinto e sétimo e entre o décimo sétimo e vigésimo terceiro anos. Existem quatro tipos de dentes
50 Fêmur: O mais longo e o maior osso do esqueleto; está situado entre o quadril e o joelho. Sinônimos: Trocanter

Tem alguma dúvida sobre Fosamax D?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.