Preço de IMIGRAN em Houston/SP: R$ 32,77

IMIGRAN

GlaxoSmithKline

Atualizado em 24/10/2014

 IMIGRAN® 20mg
Sumatriptano
 SPRAY NASAL
SOLUÇÃO AQUOSA

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO
IMIGRAN® SPRAY NASAL - 20 mg
EMBALAGEM CONTENDO 2 SPRAYS DE 0,1 ml (20mg) CADA

USO ADULTO
 
Cada dose de 0,1 ml do IMIGRAN® SPRAY NASAL 20 mg contém:
Sumatriptano    20 mg
Excipientes: fosfato de potássio monobásico, fosfato de sódio dibásico anidro, ácido sulfúrico, hidróxido de sódio e água purificada ....................q.s.p.

- INFORMAÇÕES AO PACIENTE
Ação esperada do medicamento:  IMIGRAN® SPRAY NASAL é indicado para o tratamento agudo1 de crises de enxaqueca2 (migrânea3), com ou sem aura. IMIGRAN®, tal como outros triptanos, não se destina ao tratamento profilático, nem ao tratamento de outras formas de dor de cabeça4.

Cuidados de armazenamento:  IMIGRAN® SPRAY NASAL deve ser armazenado em temperatura entre abaixo de 30oC. Deve ser mantido no blister selado, preferencialmente no cartucho e protegido da luz.

Prazo de validade: O prazo de validade é de 24 meses após a data de fabricação que encontra-se impressa na embalagem externa do produto, juntamente com o número do lote.  Não utilize medicamentos que estejam fora do prazo de validade pois o efeito desejado pode não ser obtido.
Gravidez5 e lactação6: Informe seu médico a ocorrência de gravidez5 na vigência do tratamento ou após o seu término. Informe seu médico se estiver amamentando. A administração desta droga em mulheres grávidas apenas deve ser considerada se o benefício esperado para a mãe for maior que qualquer possível risco para o feto7. Deve-se tomar cuidado quando considerada a administração de IMIGRAN® a lactantes8 (mães amamentando).
Cuidados de administração:  Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico. Antes de usar o medicamento, leia atentamente o item "instruções de uso".
Reações adversas: Informe ao seu médico o aparecimento de reações desagradáveis tais como sensação de ardor9 no nariz10 ou na garganta11, cansaço e sonolência .
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.
Ingestão concomitante com outras substâncias: Informe a seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início ou durante o tratamento.

Habilidade de dirigir e operar máquinas: Pode ocorrer sonolência como resultado da enxaqueca2 em si, ou como efeito do tratamento com Sumatriptano. É recomendado, portanto,  cuidado aos pacientes que realizam tarefas que requerem atenção.

NÃO USE REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO; PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE12.

INFORMAÇÕES TÉCNICAS

- Propriedades Farmacodinâmicas
Foi demonstrado que o Sumatriptano é um agonista13 seletivo do receptor vascular14 5-hidroxitriptamina-1 (5HT1), sem efeitos em outros subtipos de receptores 5HT (5HT2 - 5HT7). O receptor vascular14 5HT1 é encontrado, predominantemente, em vasos sangüíneos15 cranianos, mediando a vasoconstrição16. Em animais, o Sumatriptano promoveu, seletivamente, a constrição17 da circulação18 arterial da carótida, mas não alterou o fluxo sangüíneo cerebral. A circulação18 arterial da carótida fornece sangue19 para os tecidos extra e intracranianos, como as meninges20, e supõe-se que  a dilatação e/ou formação de edema21 nesses vasos faça parte do mecanismo da enxaqueca2 no homem (inflamação22 asséptica). Em complemento, evidências experimentais sugerem que o Sumatriptano iniba, parcialmente, a atividade do nervo trigêmeo23. Ambas ações podem contribuir para a ação anti-enxaqueca2 do Sumatriptano em humanos. A resposta clínica inicia-se, cerca de 15 minutos após a administração intranasal de dose de 20 mg.

- Propriedades Farmacocinéticas
Após administração intranasal, o Sumatriptano é rapidamente absorvido, ocorrendo concentração plasmática máxima dentro de 1-1,5 horas. Após dose de 20 mg, a concentração plasmática média é de 12,9 ng/ml. A biodisponibilidade média atingida com a administração intranasal, relativamente à subcutânea24, é 15,8%, em parte devido ao metabolismo25 pré-sistêmico26.
A ligação às proteínas27 plasmáticas é baixa (14-21%), sendo o volume total médio de distribuição de 170 litros.
A meia-vida de eliminação é de aproximadamente 2 horas. A filtração plasmática média é de aproximadamente 1160 ml/min e a filtração plasmática renal28 média é de aproximadamente 260 ml/min. A filtração não renal28 corresponde a cerca de 80% do total filtrado.
O Sumatriptano é eliminado primariamente através de metabolismo25 oxidativo, mediado pela monoamino oxidase A (MAO29 A). O principal metabólito30, o ácido indol acético análogo ao Sumatriptano, é excretado principalmente através da urina31, onde está presente como ácido livre e conjugado com glucoronida. Não se conhece a atividade destes metabólicos a nível dos receptores 5HT1 ou 5HT2. Metabólitos32 secundários não foram identificados. A farmacocinética do Sumatriptano spray intranasal  não parece ser afetada significativamente pelas crises de enxaqueca2.


- INDICAÇÕES
IMIGRAN® Aquoso Nasal Spray é indicado para o tratamento agudo1 de crises de enxaqueca2, com ou sem aura. É particularmente útil para pacientes33 que apresentam  náuseas34 e vômitos35 ou para aqueles que requeiram um rápido início de ação do medicamento durante uma crise.

- CONTRA-INDICAÇÕES
IMIGRAN® SPRAY NASAL é contra-indicado para pacientes33 com hipersensibilidade a algum componente da formulação, e não deve ser administrado a pacientes que sofreram infarto do miocárdio36 ou cardiopatia  isquêmica, angina37 de Prinzmetal,  vasoespasmo coronariano ou HPP de AVE isquêmico38.
Não é recomendado o uso de Sumatriptano em pacientes que têm hipertensão39 não controlada.
É contra-indicado o uso concomitante de Sumatriptano e ergotamina, ou seus derivados.
É contra-indicada a administração simultânea de inibidores da monoamino oxidase (IMAO40) ou uso dentro de até duas semanas após o término de tratamento com IMAO40.

- PRECAUÇÕES E  ADVERTÊNCIAS
IMIGRAN® SPRAY NASAL só deverá ser usado quando houver um diagnóstico41 claro de enxaqueca2.
Como ocorre com outras terapias agudas de enxaqueca2, antes de tratar "dores de cabeça4" em pacientes não diagnosticados previamente como portadores de enxaqueca2, e em portadores que apresentam sintomas42 atípicos, deve-se tomar o cuidado de excluir condições neurológicas potencialmente sérias. O Sumatriptano, tal como os demais triptanos, em virtude de seu mecanismo da ação seletivo, não deve ser administrado como profilaxia, nem em outras formas de cefaléia43, que não a enxaqueca2 (migrânea3).
Foram raros os relatos onde pacientes receberam Sumatriptano para enxaquecas44 (migrâneas45) severas e, subseqüencialmente, demonstraram a evolução de uma lesão46 neurológica (acidente cérebro47-vascular14, hemorragia48 subaracnóide). Neste caso, deve ser observado que os portadores de enxaqueca2 podem ter um aumento do risco de certos eventos cérebro47-vasculares49 (por exemplo, acidentes cérebro47-vasculares49, crise isquêmica transitória), embora aparentemente esse aumento do risco seja pouco significativo.
Se o paciente não responde à primeira dose, deve-se revisar o diagnóstico41 antes de administrar uma segunda dose.
Após a administração, o Sumatriptano pode ser associado com sintomas42 transitórios, incluindo dor e opressão torácica, que podem se intensificar e envolver a garganta11. Embora estes sintomas42 possam simular angina37 pectoris , eles são, apenas em circunstâncias excepcionais, devido à vasoespasmo coronário. É adequado informar tal possibilidade ao paciente.
Em casos extremamente raros, têm sido reportados eventos coronários sérios, incluindo arritmias50 cardíacas, alterações isquêmicas transitórias no ECG ou infarto do miocárdio36. Portanto, o sumatriptano não deve ser dado a pacientes nos quais não se conhece a probabilidade de doenças cardíacas, sem antes realizar uma avaliação dos riscos de doenças cardiovasculares51. Tais pacientes incluem, principalmente, mulheres com pós-menopausa52, homens com mais de 40 anos e pacientes com fatores de risco para coronariopatia. Entretanto, pacientes portadores de doenças coronarianas podem não ser identificados nas avaliações de risco e, em casos muito raros, efeitos cardíacos adversos ocorreram em pacientes não portadores de doenças pulmonares pré-existentes.
Caso aconteça um sintoma53 consistente com doença cardíaca isquêmica, uma avaliação apropriada deve ser realizada.
Sumatriptano pode causar uma breve elevação da pressão sangüínea54 e da resistência vascular14 periférica.
Reações vasoespasmódicas prolongadas têm sido relatadas com ergotamina. Como estes efeitos podem ser aditivos, devem idealmente decorrer 24 horas após o uso de qualquer preparação contendo ergotamina, para que o Sumatriptano seja administrado. Por outro lado, preparações contendo ergotamina só devem ser utilizadas após 6 horas da administração de Sumatriptano.
IMIGRAN® SPRAY NASAL deve ser administrado com cuidado em pacientes em condições que possam afetar significativamente a absorção, metabolismo25 ou excreção da droga, como, por exemplo, função hepática55 ou renal28 prejudicada.
Pacientes com conhecida hipersensibilidade às sulfonamidas podem apresentar reação alérgica56 após a administração do Sumatriptano. As reações podem variar de hipersensibilidade cutânea57 à anafilaxia58.
IMIGRAN® SPRAY NASAL deve ser utilizado com cuidado em pacientes com história de epilepsia59 ou lesão46 cerebral estrutural com limiar de convulsão60 baixo.
A dose recomendada de IMIGRAN® SPRAY NASAL não deve ser excedida.

Gravidez5 e Lactação6 :
Não foram observados efeitos teratogênicos61 em ratos ou coelhos e o Sumatriptano não teve efeitos no desenvolvimento pós-natal de ratos. Quando administrado à coelhas grávidas ao longo do período de organogênese, o Sumatriptano ocasionalmente causou embrioletalidade, em doses que foram suficientemente altas para causar toxicidade62 à mãe. Em estudos de fertilidade no rato, utilizando via oral, doses de Sumatriptano resultaram em níveis plasmáticos aproximadamente 750 vezes maiores  que aqueles observados no homem após a administração da dose de 20 mg intranasal e foram associados com a redução do sucesso de inseminação. Este efeito não ocorreu durante um estudo utilizando via subcutânea24, onde os níveis plasmáticos máximos alcançados nos ratos foram  aproximadamente 500 vezes  maiores que aqueles observados no homem através da via intranasal. Até o momento, a experiência sobre o uso do Imigran durante a gravidez5 é limitada. Isto acontece porque estudos com reprodução63 animal nem sempre são semelhantes à resposta humana. A administração desta droga apenas deve ser considerada, portanto, se o benefício esperado para a mãe for maior que qualquer possível risco para o feto7.
Estudos têm demonstrado que o Sumatriptano é secretado no leite de animais lactantes8, mas sem efeitos danosos para os filhotes. Não existem dados sobre a passagem para o leite humano. Por isso, deve ser tomado cuidado quando considerada a administração de IMIGRAN® a lactantes8.

Efeitos sobre a capacidade de dirigir veículos e operar máquinas :
Pode ocorrer sonolência como resultado da enxaqueca2, em si, ou como efeito do tratamento com Sumatriptano.
É recomendado cuidado aos pacientes que realizam tarefas que requerem atenção.

INTERAÇÃO COM OUTROS MEDICAMENTOS E OUTRAS FORMAS DE INTERAÇÃO :
Não há evidências de interações com propranolol, flunarizina, pizotifeno ou álcool.

- EFEITOS COLATERAIS64
 ·    Após a administração do IMIGRAN® SPRAY NASAL, tem sido relatada uma irritação suave e transitória, sensação de ardor9 no nariz10 ou garganta11 e epistaxe65.  Tais efeitos podem ser evitados ou minimizados mantendo a cabeça4 na posição vertical  por ocasião da aplicação, e introduzindo-se o aplicador com suavidade
·    Dor, sensação de formigamento, calor, peso, pressão ou tensão. Estes sintomas42 são geralmente transitórios, podendo ser intensos e afetar qualquer parte do corpo incluindo pescoço66 e tórax67.
·    Rubor, vertigem68 e sensação de fraqueza. Estes sintomas42 são quase sempre de intensidade suave a moderado e transitórios.
·    Fadiga69 e sonolência têm sido relatados.
·    Náusea70 e vômito71 ocorreram em alguns pacientes mas a relação com o uso do Imigran ainda não está clara.
·    Aumentos transitórios na pressão sangüínea54 logo após o tratamento têm sido registrados. Outros efeitos relatados: hipotensão72, bradicardia73, taquicardia74 e palpitação75. Foram relatados casos raros de arritimias cardíacas, alterações transitórias isquêmicas do EEG, vasoespasmo coronarial arteriano e infarto do miocardio36.
·    Reações de hipersensibilidade, oscilando entre hipersensibilidade cutânea57 e raros casos de anafilaxia58.
·    Foram raros os relatos de ataques epiléticos; a maioria destes pacientes têm histórico de epilepsia59 ou lesões76 predispondo à epilepsia59.
·    Foram ocasionalmente observadas alterações leves nas provas de função hepática55.
.   Foram relatados casos raros dedisordens visuais como sensação visula de bruxuleio, diplopia77, nistagmo78, estocoma e redução da visão79, e muito raramente perda temporária da visão79. Entretanto estes distúrbios visuais podem ocorrer na própria crise de exaqueca.  

- POSOLOGIA  E  MODO DE USAR
IMIGRAN® SPRAY NASAL não deve ser usado profilaticamente.
É aconselhável que o IMIGRAN® seja utilizado o mais rápido possível após o início da crise de enxaqueca2, mas é igualmente efetivo quando administrado em qualquer estágio da crise.
A dose ideal de IMIGRAN® SPRAY NASAL é de 20 mg, embora uma dose de 10 mg possa ser efetiva em alguns pacientes e crises.
Se houver recidiva80 dos sintomas42, uma segunda dose pode ser administrada, contanto que haja um intervalo mínimo de duas horas entre duas doses. Não devem ser usadas mais que 2 doses de 20 mg de IMIGRAN® SPRAY NASAL em um período de 24 horas.
CRIANÇAS (menores de 18 anos): A segurança e efetividade do IMIGRAN® SPRAY NASAL em crianças ainda não foi estabelecida.
IDOSOS (maiores de 65 anos): Ainda não há experiência clínica significativa com o uso de IMIGRAN® SPRAY NASAL em pacientes maiores de 65 anos.

Instruções de uso
O spray nasal só deve ser removido do blister imediatamente antes do uso, e deve ser protegido da luz e calor.
O spray nasal consiste nas seguintes partes:
Aplicador: esta é a parte que você introduz, suavemente, em sua narina. O spray sairá por um pequeno orifício no topo.
Corpo Principal:  esta é a parte que você segura quando usa o Spray.
Dosador: quando você pressiona a válvula, a totalidade da dose é introduzida em sua narina através do spray. A válvula funciona apenas uma vez, então não pressione antes de introduzir o aplicador em sua narina  ou desperdiçará a dose.
 ·    Primeiro, coloque-se em uma posição confortável.
·    Assoe seu nariz10 se estiver obstruído, ou se estiver resfriado.
·    Abra o blister e retire o spray nasal.
·    Segure gentilmente o spray nasal, como demonstrado na figura.
·    Não pressione o dosador, ainda.
·    Bloqueie uma narina, pressionando-a firmemente com o dedo indicador.
·    Respire suavemente através de sua boca81.
·    Coloque o aplicador do spray nasal na outra narina, a uma distância onde sinta-se confortável (por volta de 1 cm).
·    Incline muito discretamente sua cabeça4 para trás, como mostra a figura, e feche sua boca81.
·    Inspire suavemente com seu nariz10, ao mesmo tempo que pressiona o dosador com seu polegar.
·    O dosador pode estar um pouco rígido, e você poderá ouvir um "click".
·    Mantenha a cabeça4 na posição vertical, e respire suavemente com sua boca81. Isto ajudará a manter o medicamento em sua narina. Você pode remover o spray e o dedo que mantinha a outra narina fechada.
·    Você poderá sentir seu nariz10 molhado e um leve gosto após o uso do spray - isto é normal e passará logo.
·    Depois de usado uma vez, seu spray estará vazio, e deverá ser descartado segura e higienicamente.

- SUPERDOSAGEM
Doses intranasais únicas, de até 40 mg, subcutâneas de 16 mg e orais de 400 mg não foram associadas com outros efeitos colaterais64 além dos já mencionados, a maioria transitórios, ainda que eventualmente de grave intensidade.
Em estudos clínicos, voluntários receberam 20 mg de Sumatriptano através da via nasal, 3 vezes por dia, durante 4 dias, sem efeitos adversos significativos.
Em caso de superdosagem, o paciente deve ser monitorado (principalmente do ponto de vista cardiovascular) por pelo menos 10 horas e feito tratamento de suporte. É desconhecido qual o efeito da hemodiálise82 ou diálise peritoneal83 sobre as concentrações plasmáticas do Sumatriptano.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA


IMIGRAN - Laboratório

GlaxoSmithKline
Estrada dos Bandeirantes, 8464
Rio de Janeiro/RJ - CEP: 22783-110

Ver outros medicamentos do laboratório "GlaxoSmithKline"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
2 Enxaqueca: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
3 Migrânea: Sinônimo de enxaqueca. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento envolve o uso de drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos. A prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino.
4 Cabeça:
5 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
6 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
7 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
8 Lactantes: Que produzem leite; que aleitam.
9 Ardor: 1. Calor forte, intenso. 2. Mesmo que ardência. 3. Qualidade daquilo que fulge, que brilha. 4. Amor intenso, desejo concupiscente, paixão.
10 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
11 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
12 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
13 Agonista: 1. Em farmacologia, agonista refere-se às ações ou aos estímulos provocados por uma resposta, referente ao aumento (ativação) ou diminuição (inibição) da atividade celular. Sendo uma droga receptiva. 2. Lutador. Na Grécia antiga, pessoa que se dedicava à ginástica para fortalecer o físico ou como preparação para o serviço militar.
14 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
15 Vasos sangüíneos: Órgãos em forma de tubos que se ramificam por todo o organismo. Existem três tipos principais de vasos sangüíneos que são as artérias, veias e capilares.
16 Vasoconstrição: Diminuição do diâmetro dos vasos sanguíneos.
17 Constrição: 1. Ação ou efeito de constringir, mesmo que constrangimento (ato ou efeito de reduzir). 2. Pressão circular que faz diminuir o diâmetro de um objeto; estreitamento. 3. Em medicina, é o estreitamento patológico de qualquer canal ou esfíncter; estenose.
18 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
19 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
20 Meninges: Conjunto de membranas que envolvem o sistema nervoso central. Cumprem funções de proteção, isolamento e nutrição. São três e denominam-se dura-máter, pia-máter e aracnóide.
21 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
22 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
23 Nervo Trigêmeo: O quinto e maior nervo craniano. O nervo trigêmeo é um nervo misto, composto de uma parte motora e sensitiva. A parte sensitiva, maior, forma os nervos oftálmico, mandibular e maxilar que transportam fibras aferentes sensitivas de estímulos internos e externos provenientes da pele, músculos e junturas da face e boca, e dentes. A maioria destas fibras se originam de células do gânglio trigeminal e projetam para o núcleo do trigêmeo no tronco encefálico. A parte motora, menor, nasce do núcleo motor do trigêmeo no tronco encefálico e inerva os músculos da mastigação. Sinônimos: V Nervo Craniano; V Par Craniano; Nervo Craniano V; Quinto Nervo Craniano
24 Subcutânea: Feita ou situada sob a pele; hipodérmica.
25 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
26 Sistêmico: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
27 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
28 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
29 Mão: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
30 Metabólito: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
31 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
32 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
33 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
34 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
35 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
36 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
37 Angina: Inflamação dos elementos linfáticos da garganta (amígdalas, úvula). Também é um termo utilizado para se referir à sensação opressiva que decorre da isquemia (falta de oxigênio) do músculo cardíaco (angina do peito).
38 Isquêmico: Relativo à ou provocado pela isquemia, que é a diminuição ou suspensão da irrigação sanguínea, numa parte do organismo, ocasionada por obstrução arterial ou por vasoconstrição.
39 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
40 IMAO: Tipo de antidepressivo que inibe a enzima monoaminoxidase (ou MAO), hoje usado geralmente como droga de terceira linha para a depressão devido às restrições dietéticas e ao uso de certos medicamentos que seu uso impõe. Deve ser considerada droga de primeira escolha no tratamento da depressão atípica (com sensibilidade à rejeição) ou agente útil no distúrbio do pânico e na depressão refratária. Pode causar hipotensão ortostática e efeitos simpaticomiméticos tais como taquicardia, suores e tremores. Náusea, insônia (associada à intensa sonolência à tarde) e disfunção sexual são comuns. Os efeitos sobre o sistema nervoso central incluem agitação e psicoses tóxicas. O término da terapia com inibidores da MAO pode estar associado à ansiedade, agitação, desaceleração cognitiva e dor de cabeça, por isso sua retirada deve ser muito gradual e orientada por um médico psiquiatra.
41 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
42 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
43 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
44 Enxaquecas: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
45 Migrâneas: Sinônimo de enxaqueca. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento envolve o uso de drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos. A prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino.
46 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
47 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
48 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
49 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
50 Arritmias: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
51 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
52 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
53 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
54 Pressão sangüínea: Força exercida pelo sangue arterial por unidade de área da parede arterial. É expressa como uma razão (Exemplo: 120/80, lê-se 120 por 80). O primeiro número é a pressão sistólica ou pressão máxima. E o segundo número é a presão diastólica ou mínima.
55 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
56 Reação alérgica: Sensibilidade a uma substância específica, chamada de alérgeno, com a qual se entra em contato por meio da pele, pulmões, deglutição ou injeções.
57 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
58 Anafilaxia: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
59 Epilepsia: Alteração temporária e reversível do funcionamento cerebral, que não tenha sido causada por febre, drogas ou distúrbios metabólicos. Durante alguns segundos ou minutos, uma parte do cérebro emite sinais incorretos, que podem ficar restritos a esse local ou espalhar-se. Quando restritos, a crise será chamada crise epiléptica parcial; quando envolverem os dois hemisférios cerebrais, será uma crise epiléptica generalizada. O paciente pode ter distorções de percepção, movimentos descontrolados de uma parte do corpo, medo repentino, desconforto no estômago, ver ou ouvir de maneira diferente e até perder a consciência - neste caso é chamada de crise complexa. Depois do episódio, enquanto se recupera, a pessoa pode sentir-se confusa e ter déficits de memória. Existem outros tipos de crises epilépticas.
60 Convulsão: Episódio agudo caracterizado pela presença de contrações musculares espasmódicas permanentes e/ou repetitivas (tônicas, clônicas ou tônico-clônicas). Em geral está associada à perda de consciência e relaxamento dos esfíncteres. Pode ser devida a medicamentos ou doenças.
61 Teratogênicos: Agente teratogênico ou teratógeno é tudo aquilo capaz de produzir dano ao embrião ou feto durante a gravidez. Estes danos podem se refletir como perda da gestação, malformações ou alterações funcionais ou ainda distúrbios neurocomportamentais, como retardo mental.
62 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
63 Reprodução: 1. Função pela qual se perpetua a espécie dos seres vivos. 2. Ato ou efeito de reproduzir (-se). 3. Imitação de quadro, fotografia, gravura, etc.
64 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
65 Epistaxe: Hemorragia de origem nasal.
66 Pescoço:
67 Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original Sinônimos: Peito; Caixa Torácica
68 Vertigem: Alucinação de movimento. Pode ser devido à doença do sistema de equilíbrio, reação a drogas, etc.
69 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
70 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
71 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
72 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
73 Bradicardia: Diminuição da freqüência cardíaca a menos de 60 batimentos por minuto. Pode estar associada a distúrbios da condução cardíaca, ao efeito de alguns medicamentos ou a causas fisiológicas (bradicardia do desportista).
74 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
75 Palpitação: Designa a sensação de consciência do batimento do coração, que habitualmente não se sente. As palpitações são detectadas usualmente após um exercício violento, em situações de tensão ou depois de um grande susto, quando o coração bate com mais força e/ou mais rapidez que o normal.
76 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
77 Diplopia: Visão dupla.
78 Nistagmo: Movimento involuntário, rápido e repetitivo do globo ocular. É normal dentro de certos limites diante da mudança de direção do olhar horizontal. Porém, pode expressar doenças neurológicas ou do sistema de equilíbrio.
79 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
80 Recidiva: 1. Em medicina, é o reaparecimento de uma doença ou de um sintoma, após período de cura mais ou menos longo; recorrência. 2. Em direito penal, significa recaída na mesma falta, no mesmo crime; reincidência.
81 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
82 Hemodiálise: Tipo de diálise que vai promover a retirada das substâncias tóxicas, água e sais minerais do organismo através da passagem do sangue por um filtro. A hemodiálise, em geral, é realizada 3 vezes por semana, em sessões com duração média de 3 a 4 horas, com o auxílio de uma máquina, dentro de clínicas especializadas neste tratamento. Para que o sangue passe pela máquina, é necessária a colocação de um catéter ou a confecção de uma fístula, que é um procedimento realizado mais comumente nas veias do braço, para permitir que estas fiquem mais calibrosas e, desta forma, forneçam o fluxo de sangue adequado para ser filtrado.
83 Diálise peritoneal: Ao invés de utilizar um filtro artificial para “limpar“ o sangue, é utilizado o peritônio, que é uma membrana localizada dentro do abdômen e que reveste os órgãos internos. Através da colocação de um catéter flexível no abdômen, é feita a infusão de um líquido semelhante a um soro na cavidade abdominal. Este líquido, que chamamos de banho de diálise, vai entrar em contato com o peritônio, e por ele será feita a retirada das substâncias tóxicas do sangue. Após um período de permanência do banho de diálise na cavidade abdominal, este fica saturado de substâncias tóxicas e é então retirado, sendo feita em seguida a infusão de novo banho de diálise. Esse processo é realizado de uma forma contínua e é conhecido por CAPD, sigla em inglês que significa diálise peritoneal ambulatorial contínua. A diálise peritoneal é uma forma segura de tratamento realizada atualmente por mais de 100.000 pacientes no mundo todo.

Tem alguma dúvida sobre IMIGRAN?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.