OXCORD 10 e 20 mg

BIOSINTETICA

Atualizado em 09/12/2014

OXCORD

Comprimidos

Nifedipina

Formas Farmacêuticas e Apresentações de Oxcord

Comprimidos 10 mg. Caixas com 30 comprimidos

Comprimidos 20 mg. Caixas com 20 comprimidos

Composições de Oxcord

Cada comprimido OXCORD 10 mg contém:

Nifedipina .................... 10 mg

Excipiente q.s.p. .................... 1 comprimido

Cada comprimido OXCORD 20 mg contém:

Nifedipina .................... 20 mg

Excipiente q.s.p. .................... 1 comprimido


USO ADULTO

Informações ao Paciente de Oxcord

. Este medicamento destina-se ao tratamento da pressão alta e angina1 do peito2.

. Conserve o medicamento em lugar seco e escuro.

. TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

. Informe seu médico se durante o tratamento houver ocorrência de gravidez3.

. Use este medicamento sempre sob prescrição médica.

. NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA A SUA SAÚDE4.

Informação Técnica de Oxcord

Modo de Ação de Oxcord

OXCORD Nifedipina, composto di-hidropiridínico, é o mais potente antagonista5 do cálcio, cujo mecanismo de ação se realiza pelo bloqueio da passagem do cálcio dos espaços extracelulares para as fibras musculares6 do miocárdio7 e dos vasos, com conseqüente diminuição da contratilidade.

Como efeito dessa ação ocorre uma vasodilatação da rede coronária com maior oferta de oxigêncio ao músculo cardíaco8 e, ainda, uma diminuição da resistência vascular9 periférica, devida à vasodilatação sistêmica; baixa da pressão arterial10, causando hipotensão11; aumento do débito cardíaco12 e ligeiro aumento da freqüência cardíaca.

OXCORD Nifedipina é rápida e quase que totalmente absorvida (90%) e concentrações terapêuticas são encontradas no soro13, 2 a 3 minutos após a absorção sublingual e/ou em 10 minutos após a ingestão do comprimido. Os efeitos alcançam o máximo entre 10 e 30 minutos e permanecem algumas horas.

Indicações de Oxcord

No tratamento e profilaxia da insuficiência14 coronária aguda e crônica: angina1 de peito2, pós-infarto15.

Hipertensão arterial16 em suas diversas formas clínicas, crises hipertensivas e no tratamento crônico17 da hipertensão18.


Contra-Indicação de Oxcord

Não deverá ser administrado durante a gravidez3. Em pacientes com hipersensibilidade à nifedipina

Precauções de Oxcord

Embora em muitos pacientes o efeito hipotensor seja leve e bem tolerado, há alguns que apresentam efeito hipotensor mais intenso. Isto ocorre geralmente no início do tratamento ou quando se aumenta a dose. O produto deve ser usado com cautela em pacientes com insuficiência cardíaca19. Embora o "efeito rebote" não tenha sido relatado com a suspensão abrupta da nifedipina, é recomendada a redução gradual da sua dosagem. Deve ser administrada com cautela em pacientes com insuficiência renal20. O seu uso em diabéticos pode requerer maior controle da glicemia21, devido a um possível efeito hiperglicemiante do produto.


Interações Medicamentosas de Oxcord

O efeito anti-hipertensivo da nifedipina pode ser potencializado por outras drogas anti-hipertensivas. A administração da nifedipina em associação com beta-bloqueadores deve ser cuidadosa, pois pode precipitar hipotensão arterial22, insuficiência cardíaca congestiva23 e angina1 paradoxal24. O efeito anti-hipertensivo da nifedipina pode ser, ainda, potencializado pela administração de cimetidina. Deve-se observar cuidadosamente os pacientes que façam uso de digitálicos ou antiarrítmicos associados com nifedipina.

Reações Adversas de Oxcord

Embora ocasionais, podem ocorrer no início do tratamento: cefaléia25, rubefação, sensação de pressão na cabeça26, sensação de calor no rosto, náuseas27 e vertigem28, que geralmente desaparecem com o transcorrer do tratamento. Também podem ocorrer: nervosismo, distúrbios gastro-intestinais, palpitações29, prurido30, congestão nasal, alterações da libido31, cãibra e arritmia32 cardíaca. Podem ocorrer angina1 paradoxal24 e infarto15 em cerca de 4% dos pacientes, devido à hipotensão arterial22 abrupta. Deve-se controlar rigorosamente os pacientes com insuficiência renal20, em regime de diálise33, e os hipovolêmicos, pois pode ocorrer importante queda da pressão arterial10.
Pode haver redução da capacidade de dirigir automóveis ou controlar máquinas, principalmente no caso de ingestão alcoólica concomitante.


Posologia de Oxcord

Insuficiência14 coronariana: A posologia média é de 1 a 2 comprimidos, 3 vezes por dia. Para absorção sublingual, coloque o comprimido diretamente debaixo da língua34. Entre uma dose e outra deve haver um intervalo mínimo de 2 horas

Hipertensão arterial16 - crises hipertensivas: A dose média é de 1 a 2 comprimidos por via sublingual, podendo se repetir esta dose a intervalos maiores que 2 horas.

Hipertensão18 crônica: Dose inicial de 1 comprimido 3 vezes por dia. Em caso de necessidade, aumente a dose para 2 comprimidos, 3 vezes por dia.

OXCORD Nifedipina pode ser associado com diuréticos35, beta-bloqueadores que antagonizam a resposta adrenérgica (aumento da freqüência cardíaca e da atividade da renina) e com outros hipotensores.

Superdosagem de Oxcord

Nos casos de hipotensão11 sintomática36 podem ser administrados: dopamina37 EV, gluconato de cálcio, isoproterenol, metaraminol, norepinefrina ou dobutamina. Devem ser administrados fluídos por via endovenosa e o paciente deve ser colocado em posição supina com os pés elevados.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA.

OXCORD 10 e 20 mg - Laboratório

BIOSINTETICA
Rua Periquito, 236 - Vl. Uberabinha
São Paulo/SP - CEP: 04514-050
Tel: 55 (011) 5561-2614
Fax: 55 (011)5561-2072
Site: http://www.biosintetica.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "BIOSINTETICA"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Angina: Inflamação dos elementos linfáticos da garganta (amígdalas, úvula). Também é um termo utilizado para se referir à sensação opressiva que decorre da isquemia (falta de oxigênio) do músculo cardíaco (angina do peito).
2 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
3 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
5 Antagonista: 1. Opositor. 2. Adversário. 3. Em anatomia geral, que ou o que, numa mesma região anatômica ou função fisiológica, trabalha em sentido contrário (diz-se de músculo). 4. Em medicina, que realiza movimento contrário ou oposto a outro (diz-se de músculo). 5. Em farmácia, que ou o que tende a anular a ação de outro agente (diz-se de agente, medicamento etc.). Agem como bloqueadores de receptores. 6. Em odontologia, que se articula em oposição (diz-se de ou qualquer dente em relação ao da maxila oposta).
6 Fibras Musculares: Células grandes, multinucleadas e individuais (cilídricas ou prismáticas) que formam a unidade básica do tecido muscular esquelético. Constituídas por uma substância mole contrátil, revestida por uma bainha tubular. Derivam da união de MIOBLASTOS ESQUELÉTICOS com o sincício, seguida de diferenciação.
7 Miocárdio: Tecido muscular do CORAÇÃO. Composto de células musculares estriadas e involuntárias (MIÓCITOS CARDÍACOS) conectadas, que formam a bomba contrátil geradora do fluxo sangüíneo. Sinônimos: Músculo Cardíaco; Músculo do Coração
8 Músculo Cardíaco: Tecido muscular do CORAÇÃO. Composto de células musculares estriadas e involuntárias (MIÓCITOS CARDÍACOS) conectadas, que formam a bomba contrátil geradora do fluxo sangüíneo.
9 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
10 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
11 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
12 Débito cardíaco: Quantidade de sangue bombeada pelo coração para a aorta a cada minuto.
13 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
14 Insuficiência: Incapacidade de um órgão ou sistema para realizar adequadamente suas funções.Manifesta-se de diferentes formas segundo o órgão comprometido. Exemplos: insuficiência renal, hepática, cardíaca, respiratória.
15 Infarto: Morte de um tecido por irrigação sangüínea insuficiente. O exemplo mais conhecido é o infarto do miocárdio, no qual se produz a obstrução das artérias coronárias com conseqüente lesão irreversível do músculo cardíaco.
16 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
17 Crônico: Descreve algo que existe por longo período de tempo. O oposto de agudo.
18 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
19 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
20 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
21 Glicemia: Valor de concentração da glicose do sangue. Seus valores normais oscilam entre 70 e 110 miligramas por decilitro de sangue (mg/dl).
22 Hipotensão arterial: Diminuição da pressão arterial abaixo dos valores normais. Estes valores normais são 90 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 50 milímetros de pressão diastólica.
23 Insuficiência Cardíaca Congestiva: É uma incapacidade do coração para efetuar as suas funções de forma adequada como conseqüência de enfermidades do próprio coração ou de outros órgãos. O músculo cardíaco vai diminuindo sua força para bombear o sangue para todo o organismo.
24 Paradoxal: Que contém ou se baseia em paradoxo(s), que aprecia paradoxo(s). Paradoxo é o pensamento, proposição ou argumento que contraria os princípios básicos e gerais que costumam orientar o pensamento humano, ou desafia a opinião consabida, a crença ordinária e compartilhada pela maioria. É a aparente falta de nexo ou de lógica; contradição.
25 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
26 Cabeça:
27 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
28 Vertigem: Alucinação de movimento. Pode ser devido à doença do sistema de equilíbrio, reação a drogas, etc.
29 Palpitações: Designa a sensação de consciência do batimento do coração, que habitualmente não se sente. As palpitações são detectadas usualmente após um exercício violento, em situações de tensão ou depois de um grande susto, quando o coração bate com mais força e/ou mais rapidez que o normal.
30 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
31 Libido: Desejo. Procura instintiva do prazer sexual.
32 Arritmia: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
33 Diálise: Quando os rins estão muito doentes, eles deixam de realizar suas funções, o que pode levar a risco de vida. Nesta situação, é preciso substituir as funções dos rins de alguma maneira, o que pode ser feito realizando-se um transplante renal, ou através da diálise. A diálise é um tipo de tratamento que visa repor as funções dos rins, retirando as substâncias tóxicas e o excesso de água e sais minerais do organismo, estabelecendo assim uma nova situação de equilíbrio. Existem dois tipos de diálise: a hemodiálise e a diálise peritoneal.
34 Língua:
35 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
36 Sintomática: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
37 Dopamina: É um mediador químico presente nas glândulas suprarrenais, indispensável para a atividade normal do cérebro.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre OXCORD 10 e 20 mg?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.