Preço de OXITON em São Paulo/SP: R$ 100,87

OXITON

UNIAO QUIMICA

Atualizado em 09/12/2014

OXITON
Oxitocina1
Solução Injetável

Uso Adulto de Oxiton

Uso restrito em hospitais

- Apresentação e composiçãoCaixa com 50 ampolas de 1 ml
Cada ampola de 1ml contém - Oxitocina1 5 UI
por ml.

Informações Técnicas de Oxiton

Modo de Ação de Oxiton

A Oxitocina1 sintética injetável é um polipeptídeo sintético constituído de oito aminoácidos.  A Oxitocina1 age seletivamente sobre a musculatura lisa do útero2, especialmente no final da gestação, durante o parto e no pós-parto. Produz contrações rítmicas ou aumenta a freqüência e a amplitude das contrações já existentes, aumentando o tono uterino.

Indicações de Oxiton

Indução do trabalho de parto nos casos de ruptura prematura das membranas na pré-eclampsia3 e pós-maturidade.Estímulo da contração nos casos de inércia uterina primária ou secundária. Controle de hemorragia4 ou atonia uterina pós-parto quando os derivados do esporão de centeio não forem indicados.

Contra-Indicações de Oxiton

Desproporção céfalo-pélvica5, apresentação anormal do feto6, pré-disposição à ruptura uterina (gravidez7 múltipla, multiparidade e cesarianas anteriores ou outras cirurgias envolvendo o útero2).
Nos casos de toxemia8 grave, predisposição à embolia9 amniótica (feto6 morto retido, abruptio placentae , contrações uterinas hipertônicas, placenta prévia e hipersensibilidade à Oxitocina1.

Efeitos Colaterais10 de Oxiton

A infusão muito rápida ou doses excessivas em infusão prolongada podem provocar um efeito antidiurético com intoxicação aquosa, cefaléia11, náuseas12 e convulsões. Doses excessivas ou hipersensibilidade podem provocar hipertonia13 uterina, contração tetânica e ruptura do útero2 e, ainda, bradicardia14 fetal, arritmias15 cardíacas, asfixia16 fetal, hemorragia4 pós-parto, icterícia neonatal17, afibrinogenemia e contrações ventriculares prematuras.

Precauções de Oxiton

A Oxitocina1 só deve ser utilizada em pacientes hospitalizadas sob restrito cuidado médico e de pessoal especializado.A indução do parto por meio da Oxitocina1 deve ser avaliada pelo médico observando as condições do feto6 e da paciente, e sob cuidadosa monitorização durante a aplicação do produto.
A aplicação deve ser feita somente por infusão endovenosa gota18 a gota18. Nas pacientes com distúrbios cárdio-vasculares19, manter o volume de infusão inferior numa solução mais concentrada.

Interações Medicamentosas de Oxiton

O efeito da Oxitocina1 pode ser antagonizado por anestésicos gerais com um grande poder útero2-relaxante ( Halotano, Clorofórmio, etc. ).
A administração concomitante com prostaglandinas20 ou outros estimulantes da concentração uterina deve ser feita com muito cuidado.
A administração com agentes vasopressores pode provocar grave hipertensão arterial21 no pós-parto podendo levar a acidente vascular22.

Posologia de Oxiton

Indução ao trabalho de parto - infusão I.V. gota18 a gota18 de uma solução de Dextrose23 a 5% contendo 1 UI de oxitocina1 por 100 ml.Antes do uso, agitar o frasco para homogeneizar a mistura. Iniciar a infusão com 2 a 8 gotas/ minuto (0,1 a 0,4 ml/minuto ou 1-4 mU/minuto) aumentando gradualmente, se necessário até um máximo de 40 gotas/minuto ( 2 ml/minuto ou 20 mU/minuto). Monitorizar constantemente a freqüência cardíaca do feto6 suspendendo a
infusão se ocorrer hiperatividade uterina ou esgotamento fetal.
Se após a infusão de 500 ml (5 UI de Oxitocina1) não se verificar contrações regulares, interromper a tentativa de indução ao trabalho de parto.

Prevenção de Hemorragia4 Uterina Pós-Parto de Oxiton

A dose usual é 5 UI por injeção24 IV lenta ou de 5 a 10 UI. IM, após a expulsão da placenta. Nas pacientes que se administra Oxiton para a indução do parto ou estímulo das contrações, poder-se-ia continuar a infusão a uma velocidade acelerada durante o terceiro estágio do parto e durante mais algumas horas.

Conduta na Intoxicação de Oxiton

Os sintomas25 do quadro de intoxicação hídrica incluem dor de cabeça26, náuseas12, vômitos27, anorexia28 e dor abdominal nos casos leves.
Nos casos avançados ocorre sonolência, convulsões e coma29.
A concentração de eletrólitos30 no sangue31 é baixa.
O tratamento consiste em suspender qualquer ingestão de líquidos, provocar a diurese32 e corrigir o desequilíbrio eletrolítico.
As convulsões podem ser controladas com diazepínicos.
Nos casos de coma29, manter a função respiratória e aplicar as medidas necessárias.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE33.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

NÃO USE MEDICAMENTO COM O PRAZO DE VALIDADE VENCIDO.


Ver informações do laboratório

OXITON - Laboratório

UNIAO QUIMICA
Rua Cel. Luiz Tenório de Brito, 90
Embu-Guaçu/SP - CEP: 06900-000
Tel: SAC 0800 11 1559

Ver outros medicamentos do laboratório "UNIAO QUIMICA"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Oxitocina: Hormônio produzido pelo hipotálamo e armazenado na hipófise posterior (neuro-hipófise). Tem a função de promover as contrações uterinas durante o parto e a ejeção do leite durante a amamentação.
2 Útero: Orgão muscular oco (de paredes espessas), na pelve feminina. Constituído pelo fundo (corpo), local de IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO e DESENVOLVIMENTO FETAL. Além do istmo (na extremidade perineal do fundo), encontra-se o COLO DO ÚTERO (pescoço), que se abre para a VAGINA. Além dos istmos (na extremidade abdominal superior do fundo), encontram-se as TUBAS UTERINAS.
3 Eclâmpsia: Ocorre quando a mulher com pré-eclâmpsia grave apresenta covulsão ou entra em coma. As convulsões ocorrem porque a pressão sobe muito e, em decorrência disso, diminui o fluxo de sangue que vai para o cérebro.
4 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
5 Pélvica: Relativo a ou próprio de pelve. A pelve é a cavidade no extremo inferior do tronco, formada pelos dois ossos do quadril (ilíacos), sacro e cóccix; bacia. Ou também é qualquer cavidade em forma de bacia ou taça (por exemplo, a pelve renal).
6 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
7 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
8 Toxemia: Intoxicação resultante do acúmulo excessivo de toxinas endógenas ou exógenas no sangue, em virtude de insuficiência relativa ou absoluta dos órgãos excretores (rins, fígado, etc.).
9 Embolia: Impactação de uma substância sólida (trombo, colesterol, vegetação, inóculo bacteriano), líquida ou gasosa (embolia gasosa) em uma região do circuito arterial com a conseqüente obstrução do fluxo e isquemia.
10 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
11 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
12 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
13 Hipertonia: 1. Em biologia, é a característica de uma solução que apresenta maior concentração de solutos do que outra. 2. Em medicina, é a tensão excessiva em músculos, artérias ou outros tecidos orgânicos.
14 Bradicardia: Diminuição da freqüência cardíaca a menos de 60 batimentos por minuto. Pode estar associada a distúrbios da condução cardíaca, ao efeito de alguns medicamentos ou a causas fisiológicas (bradicardia do desportista).
15 Arritmias: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
16 Asfixia: 1. Dificuldade ou impossibilidade de respirar, que pode levar à anóxia. Ela pode ser causada por estrangulamento, afogamento, inalação de gases tóxicos, obstruções mecânicas ou infecciosas das vias aéreas superiores, etc. 2. No sentido figurado, significa sujeição à tirania; opressão e/ou cobrança de posições morais ou sociais que dão origem à privação de certas liberdades.
17 Icterícia neonatal: Condição bastante comum. Resulta da elevação dos níveis séricos de bilirrubina. Os recém-nascidos apresentam níveis de bilirrubina significativamente maiores que adultos, devido a mecanismos fisiológicos normais, pois apresentam hematócrito mais elevado, maior carga de “heme” por peso, as hemácias de recém-nascidos têm uma menor vida média, apresentam uma deficiência natural de UDP glucuronosiltransferase, com uma menor capacidade de conjugar e excretar a bilirrubina. Observa-se uma menor excreção de bilirrubina relacionada ao menor trânsito intestinal dos recém-nascidos, principalmente nos prematuros. Aqueles em aleitamento materno também apresentam um menor volume fecal, reduzindo ainda mais a excreção da bilirrubina.
18 Gota: 1. Distúrbio metabólico produzido pelo aumento na concentração de ácido úrico no sangue. Manifesta-se pela formação de cálculos renais, inflamação articular e depósito de cristais de ácido úrico no tecido celular subcutâneo. A inflamação articular é muito dolorosa e ataca em crises. 2. Pingo de qualquer líquido.
19 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
20 Prostaglandinas: É qualquer uma das várias moléculas estruturalmente relacionadas, lipossolúveis, derivadas do ácido araquidônico. Ela tem função reguladora de diversas vias metabólicas.
21 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
22 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
23 Dextrose: Também chamada de glicose. Açúcar encontrado no sangue que serve como principal fonte de energia do organismo.
24 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
25 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
26 Cabeça:
27 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
28 Anorexia: Perda do apetite ou do desejo de ingerir alimentos.
29 Coma: 1. Alteração do estado normal de consciência caracterizado pela falta de abertura ocular e diminuição ou ausência de resposta a estímulos externos. Pode ser reversível ou evoluir para a morte. 2. Presente do subjuntivo ou imperativo do verbo “comer.“
30 Eletrólitos: Em eletricidade, é um condutor elétrico de natureza líquida ou sólida, no qual cargas são transportadas por meio de íons. Em química, é uma substância que dissolvida em água se torna condutora de corrente elétrica.
31 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
32 Diurese: Diurese é excreção de urina, fenômeno que se dá nos rins. É impróprio usar esse termo na acepção de urina, micção, freqüência miccional ou volume urinário. Um paciente com retenção urinária aguda pode, inicialmente, ter diurese normal.
33 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.

Tem alguma dúvida sobre OXITON?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.