AGILISIN SPRAY

DAIICHI SANKYO

Atualizado em 03/06/2015

agilisin®
Spray    

Composição de Agilisin Spray

Cada ml de solução contém:Indometacina 8 mg

Informações Técnicas de Agilisin Spray

A indometacina já demonstrou há vários anos sua utilidade na farmacoterapia das doenças reumáticas e, com base em sua comprovada ação antiflogística, analgésica e antipirética é reconhecida como fármaco1 padrão entre os antiinflamatórios não-esteróides. É usada para alívio dos sintomas2 dolorosos nas fases ativas da osteoartrite3, artrite reumatóide4, espondilite anquilosante, nas afecções5 dolorosas músculoesqueléticas e na gota6. Através desta nova forma farmacêutica, em spray, a indometacina tem sua aplicação amplamente facilitada pelo fato de sua absorção ocorrer de maneira rápida e segura, por via cutânea7. O pico máximo de sua concentração no plasma8 é alcançado entre 4 e 8 horas após administração cutânea7, isto é, 1/2 e 2 horas após absorção, sendo metabolizado no fígado9 e nos rins10. É excretada pela urina11 principalmente como glucuronídio em proporção bem menor pelas fezes. Os efeitos colaterais12 observados com freqüência através da administração oral da indometacina são extremamente reduzidos com o emprego da forma spray.

Indicações de Agilisin Spray

Como antiinflamatório e analgésico13 local. Afecções5 articulares (artroses de grandes e pequenas articulações14). Afecções5 reumáticas de tecidos moles (tendinite15, tenossinovite, ombro congelado16, bursites). Traumatismos (contusões, entorses17, distensões, luxações).

Contra-Indicações de Agilisin Spray

Hipersensibilidade aos componentes da fórmula. Devido a ausência de dados clínicos estabelecendo a segurança da indometacina na gravidez18 e(ou) lactação19, evitar o uso de AGILISIN, salvo sob orientação médica.Efeitos colaterais12  Em casos raros, principalmente em pacientes sensíveis, pode ocorrer eritema20 cutâneo21 que, via de regra, desaparece após suspensão do produto.

Precauções e Advertências de Agilisin Spray

Pacientes portadores de qualquer das seguintes condições deverão ser monitorados: depressão mental, ansiedade, parkinsonismo, infecção22, ou de pacientes em uso de esteróides, ácido acetilsalicílico ou outras medicações contendo salicilatos. Pacientes idosos ou indivíduos que já tiveram ataque convulsivo ou úlcera péptica23 devem procurar orientação médica especifica.

"AGILISIN não deverá ser utilizado em feridas abertas, mucosas24 e olhos25"

Posologia e Modo de Usar de Agilisin Spray

Com o frasco em posição vertical, pressionar a válvula algumas vezes seguidas até eliminar o ar do tubo e conseguir a saída correta do jato. Aplicar 10 pulsações 3 a 5 vezes ao dia, ou a critério médico. A posologia máxima diária não deva ultrapassar 25 ml de solução, correspondente 200 mg de indometacina. A dose diária total de 200 mg de substância ativa deverá ser considerada também, caso outra apresentação de indometacina esteja sendo administrada.

Apresentação de Agilisin Spray

Frasco com válvula spray contendo 50 ml de solução.

LUITPOLD Produtos Farmacêuticos Ltda.

AGILISIN SPRAY - Laboratório

DAIICHI SANKYO
Tel: SAC 0800-556596
Email: sac@daiichisankyo.com.br
Site: http://www.daiichisankyo.com.br/Home/Default.aspx

Ver outros medicamentos do laboratório "DAIICHI SANKYO"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Fármaco: Qualquer produto ou preparado farmacêutico; medicamento.
2 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
3 Osteoartrite: Termo geral que se emprega para referir-se ao processo degenerativo da cartilagem articular, manifestado por dor ao movimento, derrame articular, etc. Também denominado artrose.
4 Artrite reumatóide: Doença auto-imune de etiologia desconhecida, caracterizada por poliartrite periférica, simétrica, que leva à deformidade e à destruição das articulações por erosão do osso e cartilagem. Afeta mulheres duas vezes mais do que os homens e sua incidência aumenta com a idade. Em geral, acomete grandes e pequenas articulações em associação com manifestações sistêmicas como rigidez matinal, fadiga e perda de peso. Quando envolve outros órgãos, a morbidade e a gravidade da doença são maiores, podendo diminuir a expectativa de vida em cinco a dez anos.
5 Afecções: Quaisquer alterações patológicas do corpo. Em psicologia, estado de morbidez, de anormalidade psíquica.
6 Gota: 1. Distúrbio metabólico produzido pelo aumento na concentração de ácido úrico no sangue. Manifesta-se pela formação de cálculos renais, inflamação articular e depósito de cristais de ácido úrico no tecido celular subcutâneo. A inflamação articular é muito dolorosa e ataca em crises. 2. Pingo de qualquer líquido.
7 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
8 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
9 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
10 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
11 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
12 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
13 Analgésico: Medicamento usado para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
14 Articulações:
15 Tendinite: Inflamação de um tendão. Produz-se em geral como conseqüência de um traumatismo. Existem doenças imunológicas capazes de produzir tendinite entre outras alterações.
16 Ombro congelado: Condição que resulta em dor e progressiva rigidez articular do ombro, com perda da mobilidade em todas as direções. O diabetes é um fator de risco aumentado para o desenvolvimento desta condição.
17 Entorses: É a torção de uma articulação, com lesão dos ligamentos (estrutura que sustenta as articulações).
18 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
19 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
20 Eritema: Vermelhidão da pele, difusa ou salpicada, que desaparece à pressão.
21 Cutâneo: Que diz respeito à pele, à cútis.
22 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
23 Úlcera péptica: Lesão na mucosa do esôfago, estômago ou duodeno. Também chamada de úlcera gástrica ou duodenal. Pode ser provocada por excesso de ácido clorídrico produzido pelo próprio estômago ou por medicamentos como antiinflamatórios ou aspirina. É uma doença infecciosa, causada pela bactéria Helicobacter pylori em quase 100% dos casos. Os principais sintomas são: dor, má digestão, enjôo, queimação (azia), sensação de estômago vazio.
24 Mucosas: Tipo de membranas, umidificadas por secreções glandulares, que recobrem cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
25 Olhos:

Tem alguma dúvida sobre AGILISIN SPRAY?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.