ZINACEF

GlaxoSmithKline

Atualizado em 09/12/2014

Composição de Zinacef

cada frasco-ampola contém: cefuroxima (como salsódico) 750 mg, acompanhado de uma ampola contendo 6 ml de água bidestilada para administração intramuscular e intravenosa.

Posologia e Administração de Zinacef

recomendações gerais: adultos: muitas infecções1 respondem ao tratamento com 750 mg, 3 vezes ao dia, através de injeções intramusculares ou intravenosas. Para infecções1 de maior gravidade, a dose poderá ser elevada para 1,5 g, 3 vezes ao dia, via intravenosa. A freqüência das injeções intramusculares ou intravenosas pode ser aumentada, se necessário, para 4 administrações diárias, perfazendo doses totais de 3 a 6 gramas. Lactentes2 e crianças: 30 a 100 mg/kg/dia, divididos em 3 ou 4 doses. A dose de 60 mg/kg/dia é normalmente satisfatória para a maioria das infecções1. Recém-nascidos: 30 a 100 mg/kg/dia, divididos em 2 ou 3 doses. Nas primeiras semanas de vida, a meia-vida sérica da cefuroxima pode ser 3 a 5 vezes a observada no adulto. Gonorréia3: administrar 1 dose única de 1,5 g, eventualmente em 2 injeções IM de 750 mg em lugares diferentes; por exemplo, em cada nádega. Meningite4: Zinacef é adequado como terapia única na meningite4 bacteriana devido à sensibilidade das linhagens. Adultos: 3 g IV de 8 em 8 horas. Lactentes2 e crianças: 150-250 mg/kg/dia IV divididos em 3 ou 4 doses. Recém-nascidos: a dose recomendada é de 100 mg/kg/dia IV. Zinacef é compatível com a maioria dos solutos intravenosos de uso comum. Posologia na insuficiência renal5: a exemplo dos demais antibióticos excretados pelos rins6, nos pacientes portadores de hipofunção renal7, recomenda-se reduzir a dose do Zinacef, a fim de compensar a excreção mais lenta. Nos casos de insuficiência renal5 importante (filtrado de 10-20 ml/min), serão suficientes 750 mg, 2 vezes ao dia e, diante de comprometimento mais grave (filtrado glomerular < 10 ml/min), 1 única dose diária de 750 mg será satisfatória. Nos pacientes sob diálise8, deve-se administrar uma dose suplementar de 750 mg IM ou IV ao final de cada procedimento. Em adição ao uso parenteral, a cefuroxima pode ser incorporada ao fluido de diálise peritoneal9 (geralmente 250 mg para cada 2 litros de fluido de diálise8). Administração: intramuscular: adicionar 3 ml de água bidestilada para injeção10. Agitar delicadamente até que se forme uma suspensão opaca. Intravenosa: dissolver Zinacef em 6 ml de água bidestilada. Para infusões de curta duração (por exemplo, até 30 minutos), diluir 1,5 g em 50 ou 100 ml de água para injeções. Estas soluções podem ser administradas diretamente na veia ou introduzidas na borrachinha do equipo de perfusão, caso o paciente esteja recebendo líquido por via parenteral. Posologia de Zinacef para adultos com insuficiência renal5: VFG (Velocidade Filtração Glomerular) 10-20 ml/min (insuficiência11 importante), dose máxima: 750 mg, 2 vezes ao dia. VFG (Velocidade Filtração Glomerular) < 10 ml/min (insuficiência11 grave), dose máxima: 750 mg, 1 vez ao dia. Na profilaxia a dose usual é 1,5 g por via intravenosa com a indução da anestesia12 para cirurgias abdominais, pélvicas13 e ortopédicas. Esta dose pode ser suplementada com 2 doses de 750 mg IM, 8 e 16 horas após. Em cirurgias cardíacas, pulmonares, esofágicas e vasculares14 a dose usual é 1,5 g IV com a indução da anestesia12 e complementada com 750 mg, 3 vezes ao dia nas próximas 24 a 48 horas. Na substituição total de articulações15, 1,5 g de cefuroxima em pó seco pode ser misturado com o conteúdo de uma embalagem do cimento do polímero de metacrilato de metila antes de adicionar o monômero líquido.

Precauções de Zinacef

os antibióticos cefalosporínicos podem geralmente ser administrados com segurança a paciente hipersensível às penicilinas, embora existam relatos de reação cruzada. Recomenda-se cuidado especial para os pacientes que já experimentaram reação anafilática16 à penicilina. Na administração de antibióticos cefalosporínicos em doses elevadas deve-se observar cautela no caso de pacientes sob tratamento concomitante com diuréticos17 potentes, como a furosemida e aminoglicosídeo, uma vez que há suspeita de que tais associações afetem adversamente a função renal7. As experiências clínicas têm demonstrado ser pouco provável que tal fato se constitua em problema com o Zinacef, nas doses recomendadas. Embora não haja evidência experimental de efeitos embriopáticos ou teratogênicos18 tributáveis ao Zinacef, deve-se ter precaução, tal como para qualquer medicamento, quando do seu emprego em mulheres grávidas ou que estejam amamentando. Recomenda-se usar os métodos da glicose19-oxidase ou glicoquinase para se determinar os níveis de glicose19 sangüínea em pacientes usando Zinacef. Pode ser observada ligeira interferência nos métodos baseados na redução do cobre (Benedict, Fehling, Clinitest), sem induzir, contudo, resultados falso-positivo, como pode ocorrer com outras cefalosporinas. Zinacef não interfere com os testes enzimáticos para glicosúria20. Zinacef pode originar falsas reações negativas na prova do ferricianeto. Algumas cefalosporinas podem provocar leitura falsamente elevada na prova do picrato alcalino para a creatinina21, embora seja pouco provável que tal acréscimo tenha importância clínica. A exemplo do que ocorre com outros antibióticos, o uso prolongado do Zinacef poderá resultar no desenvolvimento de microorganismos não sensíveis.

Reações Adversas de Zinacef

as reações adversas ao Zinacef têm sido relativamente raras e em geral de natureza leve e transitória. Os efeitos descritos incluem erupção22 cutânea23 (maculopapular24 e urticariforme), febre25, distúrbios gastrintestinais e intertrigo26 (Candida). Como ocorre com outros antibióticos, o uso prolongado pode levar a um supercrescimento de organismos não suscetíveis, por exemplo, Candida. Distúrbios gastrintestinais, incluindo muito raramente sintomas27 de colite28 pseudomembranosa, pode ocorrer durante o tratamento. As principais alterações nos parâmetros hematológicos observados em alguns pacientes foram: decréscimo na concentração de hemoglobina29 no hematócrito30 e eosinofilia31 transitória, leucopenia32 e neutropenia33. Em alguns casos foi verificado teste de Coombs positivo com a prova cruzada do sangue34. Conquanto se verifiquem no soro35 elevações ocasionais das enzimas hepáticas36 e da bilirrubina37, particularmente em portadores de doença hepática38 preexistente, não há evidência de comprometimento do órgão pelo uso do Zinacef. Pode-se igualmente verificar certa variação nos resultados dos testes bioquímicos de função renal7, mas que não parecem assumir importância clínica. Caso entretanto, a função renal7 já esteja comprometida, será aconselhável monitorá-la, a titulo de precaução. Pode ocorrer dor transitória no local da injeção10, principalmente quando da administração de doses mais elevadas da administração intramuscular. É pouco provável, todavia, que a intensidade do efeito leve à descontinuação do tratamento. Superdosagem: os níveis séricos de Zinacef são reduzidos através da diálise8. A superdosagem de cefalosporinas pode causar irritação cerebral, que pode levar a convulsões.

Contra-Indicações de Zinacef

hipersensibilidade aos antibióticos cefalosporínicos.

Indicações de Zinacef

infecções1 por bactérias sensíveis ou nas circunstâncias que justifiquem seu uso antes da identificação do agente causal. Zinacef é um antibiótico bactericida39, resistente à maioria das betalactamases, ativo contra extensa gama de microorganismos Gram-positivos e Gram-negativos.

Apresentação de Zinacef

frasco-ampola contendo 750 mg de cefuroxima na forma de pó com coloração branca e amarelo-clara, acompanhado de 1 ampola contendo 6 ml de água bidestilada.


ZINACEF - Laboratório

GlaxoSmithKline
Estrada dos Bandeirantes, 8464
Rio de Janeiro/RJ - CEP: 22783-110

Ver outros medicamentos do laboratório "GlaxoSmithKline"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
2 Lactentes: Que ou aqueles que mamam, bebês. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
3 Gonorreia: Infecção bacteriana que compromete o trato genital, produzida por uma bactéria chamada Neisseria gonorrhoeae. Produz uma secreção branca amarelada que sai pela uretra juntamente com ardor ao urinar. É uma causa de infertilidade masculina.Em mulheres, a infecção pode não ser aparente. Se passar despercebida, pode se tornar crônica e ascender, atingindo os anexos uterinos (trompas, útero, ovários) e causar Doença Inflamatória Pélvica e mesmo infertilidade feminina.
4 Meningite: Inflamação das meninges, aguda ou crônica, quase sempre de origem infecciosa, com ou sem reação purulenta do líquido cefalorraquidiano. As meninges são três membranas superpostas (dura-máter, aracnoide e pia-máter) que envolvem o encéfalo e a medula espinhal.
5 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
6 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
7 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
8 Diálise: Quando os rins estão muito doentes, eles deixam de realizar suas funções, o que pode levar a risco de vida. Nesta situação, é preciso substituir as funções dos rins de alguma maneira, o que pode ser feito realizando-se um transplante renal, ou através da diálise. A diálise é um tipo de tratamento que visa repor as funções dos rins, retirando as substâncias tóxicas e o excesso de água e sais minerais do organismo, estabelecendo assim uma nova situação de equilíbrio. Existem dois tipos de diálise: a hemodiálise e a diálise peritoneal.
9 Diálise peritoneal: Ao invés de utilizar um filtro artificial para “limpar“ o sangue, é utilizado o peritônio, que é uma membrana localizada dentro do abdômen e que reveste os órgãos internos. Através da colocação de um catéter flexível no abdômen, é feita a infusão de um líquido semelhante a um soro na cavidade abdominal. Este líquido, que chamamos de banho de diálise, vai entrar em contato com o peritônio, e por ele será feita a retirada das substâncias tóxicas do sangue. Após um período de permanência do banho de diálise na cavidade abdominal, este fica saturado de substâncias tóxicas e é então retirado, sendo feita em seguida a infusão de novo banho de diálise. Esse processo é realizado de uma forma contínua e é conhecido por CAPD, sigla em inglês que significa diálise peritoneal ambulatorial contínua. A diálise peritoneal é uma forma segura de tratamento realizada atualmente por mais de 100.000 pacientes no mundo todo.
10 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
11 Insuficiência: Incapacidade de um órgão ou sistema para realizar adequadamente suas funções.Manifesta-se de diferentes formas segundo o órgão comprometido. Exemplos: insuficiência renal, hepática, cardíaca, respiratória.
12 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
13 Pélvicas: Relativo a ou próprio de pelve. A pelve é a cavidade no extremo inferior do tronco, formada pelos dois ossos do quadril (ilíacos), sacro e cóccix; bacia. Ou também é qualquer cavidade em forma de bacia ou taça (por exemplo, a pelve renal).
14 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
15 Articulações:
16 Reação anafilática: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
17 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
18 Teratogênicos: Agente teratogênico ou teratógeno é tudo aquilo capaz de produzir dano ao embrião ou feto durante a gravidez. Estes danos podem se refletir como perda da gestação, malformações ou alterações funcionais ou ainda distúrbios neurocomportamentais, como retardo mental.
19 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
20 Glicosúria: Presença de glicose na urina.
21 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
22 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
23 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
24 Maculopapular: Erupção cutânea que se caracteriza pelo aparecimento de manchas e de pápulas de tonalidade avermelhada, geralmente observada no sarampo ou na rubéola.
25 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
26 Intertrigo: Infecção da pele que recobre diferentes pregas da superfície corporal. Pode ser ocasionada por fungos ou bactérias e freqüentemente localiza-se entre os dedos (pé de atleta), no sulco submamário, axilas, pregas interglúteas, etc.
27 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
28 Colite: Inflamação da porção terminal do cólon (intestino grosso). Pode ser devido a infecções intestinais (a causa mais freqüente), ou a processos inflamatórios diversos (colite ulcerativa, colite isquêmica, colite por radiação, etc.).
29 Hemoglobina: Proteína encarregada de transportar o oxigênio desde os pulmões até os tecidos do corpo. Encontra-se em altas concentrações nos glóbulos vermelhos.
30 Hematócrito: Exame de laboratório que expressa a concentração de glóbulos vermelhos no sangue.
31 Eosinofilia: Propriedade de se corar facilmente pela eosina. Em patologia, é o aumento anormal de eosinófilos no sangue, característico de alergias e infestações por parasitas. Em patologia, é o acúmulo de eosinófilos em um tecido ou exsudato.
32 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
33 Neutropenia: Queda no número de neutrófilos no sangue abaixo de 1000 por milímetro cúbico. Esta é a cifra considerada mínima para manter um sistema imunológico funcionando adequadamente contra os agentes infecciosos mais freqüentes. Quando uma pessoa neutropênica apresenta febre, constitui-se uma situação de “emergência infecciosa”.
34 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
35 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
36 Enzimas hepáticas: São duas categorias principais de enzimas hepáticas. A primeira inclui as enzimas transaminasas alaninoaminotransferase (ALT ou TGP) e a aspartato aminotransferase (AST ou TOG). Estas são enzimas indicadoras do dano às células hepáticas. A segunda categoria inclui certas enzimas hepáticas como a fosfatase alcalina (FA) e a gamaglutamiltranspeptidase (GGT) as quais indicam obstrução do sistema biliar, quer seja no fígado ou nos canais maiores da bile que se encontram fora deste órgão.
37 Bilirrubina: Pigmento amarelo que é produto da degradação da hemoglobina. Quando aumenta no sangue, acima de seus valores normais, pode produzir uma coloração amarelada da pele e mucosas, denominada icterícia. Pode estar aumentado no sangue devido a aumento da produção do mesmo (excesso de degradação de hemoglobina) ou por dificuldade de escoamento normal (por exemplo, cálculos biliares, hepatite).
38 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
39 Antibiótico bactericida: Destrói a parede bacteriana, eliminando a bactéria.

Tem alguma dúvida sobre ZINACEF?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.