Preço de ASPIRINA PREVENT em Cambridge/SP: R$ 17,28

ASPIRINA PREVENT

BAYER

Atualizado em 24/10/2014

ASPIRINA PREVENT

- FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES

USO ADULTO - USO ORAL
Aspirina® Prevent é apresentada na forma de comprimidos de liberação entérica com revestimento resistente
a ácido, nas dosagens de 100 e 300 mg de ácido acetilsalicílico, em embalagens com 30 comprimidos.

- COMPOSIÇÃO

100 mg - cada comprimido contém 100 mg de ácido acetilsalicílico.
300 mg - cada comprimido contém 300 mg de ácido acetilsalicílico.
Componentes inertes: celulose, amido, ácido metacrílico, laurilsulfato de sódio, polissorbato, talco e citrato
de trietila.

- COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Aspirina® Prevent contém a substância ativa ácido acetilsalicílico. O ácido acetilsalicílico tem, entre outras,
a capacidade de evitar o agrupamento das plaquetas1, componentes do sangue2 que agem na formação dos
coágulos sangüíneos.
Ao inibir o agrupamento das plaquetas1, o ácido acetilsalicílico previne a formação de coágulos (trombos3)
nos vasos sangüíneos4, evitando assim certas doenças cardiovasculares5.

- POR QUE ESTE MEDICAMENTO FOI INDICADO?

Aspirina® Prevent é indicada para diminuir o agrupamento das plaquetas1, principalmente:
•  na angina6 de peito7 instável (dor no peito7 causada pela má circulação8 do sangue2 nas artérias coronárias9);
•  no infarto10 agudo11 do miocárdio12;
•  para redução do risco de novo infarto10 em doentes que já sofreram infarto10 (prevenção de reinfarto);
•  após cirurgias ou outras intervenções nas artérias13 (por ex., cirurgia de ponte de safena);
•  para evitar a ocorrência de distúrbios transitórios da circulação8 cerebral (ataque de isquemia14 cerebral
transitória) e de infarto10 cerebral após as primeiras manifestações (paralisia15 transitória da face16 ou dos
músculos17 dos braços ou perda transitória da visão18).
Nota: Este medicamento não é adequado para o tratamento da dor.

- QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

- CONTRA-INDICAÇÕES

Não tome Aspirina® Prevent se:
•  for alérgico ao ácido acetilsalicílico ou a salicilatos ou a qualquer dos ingredientes do medicamento (se
não tiver certeza se é alérgico ao ácido acetilsalicílico, consulte o seu médico);
•  tiver tendência para sangramentos;
•  tiver úlceras19 do estômago20 ou do intestino;
•  já tiver tido crise de asma21 induzida pela administração de salicilatos ou outras substâncias semelhantes;
•  estiver em tratamento com metotrexato em doses iguais ou superiores a 15 mg por semana;
•  estiver no último trimestre de gravidez22.

- ADVERTÊNCIAS

Nos casos seguintes Aspirina® Prevent só deve ser usada em caso de absoluta necessidade e sob cuidados
especiais. Consulte um médico se alguma das situações abaixo for o seu caso ou já se aplicou no passado.
O uso de Aspirina® Prevent requer cuidados especiais nas seguintes condições:
•  alergia23 a outros medicamentos analgésicos24, antiinflamatórios e anti-reumáticos ou presença de outras
alergias;
•  uso de medicamentos anticoagulantes25, por exemplo derivados da cumarina e heparina (exceto se a
heparina for utilizada em doses baixas);
•  asma21 brônquica;
•  distúrbios gástricos ou duodenais crônicos ou recorrentes e úlceras19 gastrintestinais;
•  mau funcionamento do fígado26 ou dos rins27.
Gravidez22 e amamentação28
Você deve informar o seu médico se engravidar durante tratamento prolongado com Aspirina® Prevent.
Nos dois primeiros trimestres da gravidez22, você só deverá usar Aspirina® Prevent por recomendação médica,
em casos de absoluta necessidade. Você não deve tomar Aspirina® Prevent nos últimos três meses
de gravidez22 por risco de complicações para a mãe e para o bebê durante o parto.
Pequenas quantidades do ácido acetilsalicílico e de seus produtos de metabolismo29 passam para o leite
materno. Como até o momento não se relatou nenhum efeito prejudicial para os bebês30, você não precisa
parar de amamentar se usar Aspirina® Prevent em doses diárias que não ultrapassem 150 mg por dia. Se
houver necessidade de tratamento com doses maiores (mais de 150 mg por dia), você deve interromper a
amamentação28.
Crianças e adolescentes
CRIANÇAS OU ADOLESCENTES NÃO DEVEM USAR ESTE MEDICAMENTO PARA CATAPORA31 OU
SINTOMAS32 GRIPAIS ANTES QUE UM MÉDICO SEJA CONSULTADO SOBRE A SÍNDROME33 DE REYE,
UMA DOENÇA RARA, MAS GRAVE, ASSOCIADA A ESTE MEDICAMENTO.
Em caso de doença febril, a ocorrência de vômito34 prolongado pode ser sinal35 de síndrome33 de Reye, uma
doença que pode ser fatal, exigindo assistência médica imediata.

- PRECAUÇÕES

Pacientes que sofrem de asma21, de rinite36 alérgica sazonal, de pólipos37 nasais ou de doenças crônicas do
trato respiratório, principalmente se acompanhadas de sintomas32 de rinite36 alérgica sazonal, ou pacientes
que sejam alérgicos a qualquer tipo de analgésico38, antiinflamatório ou anti-reumático, correm risco de sofrer
crises de asma21 (asma21 por intolerância a analgésicos24). O mesmo se aplica a pacientes que apresentam
alergias a outras substâncias, como reações de pele39, coceira e urticária40.
Aspirina® Prevent não deve ser usada por muito tempo em doses altas sem aconselhamento de um médico.
Condução de veículos e utilização de máquinas
Aspirina® Prevent não afeta a capacidade de dirigir veículos ou operar máquinas.

- INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS

Uso de Aspirina® Prevent com outros medicamentos
Algumas substâncias podem ter seu efeito alterado se tomadas com Aspirina® Prevent ou podem influenciar
o seu efeito. Esses efeitos também podem estar relacionados com medicamentos tomados recentemente.
Aspirina® Prevent aumenta:
•  o efeito de medicamentos anticoagulantes25 (por ex. derivados de cumarina e heparina);
•  o risco de hemorragia41 gastrintestinal se for tomada com álcool ou medicamentos que contenham cortisona
ou seus derivados;
•  o efeito de certos medicamentos usados para baixar a taxa de açúcar42 no sangue2 (sulfoniluréias43);
•  os efeitos desejados e indesejados do metotrexato;
•  o nível sangüíneo de digoxina;
•  o efeito do ácido valpróico, um medicamento usado no tratamento da epilepsia44.
Aspirina® Prevent diminui a ação de:
•  medicamentos para o tratamento da gota45, que aumentam a excreção de ácido úrico (por ex. probenecida,
sulfimpirazona).
O ibuprofeno pode interferir nos efeitos benéficos de Aspirina® Prevent. Os pacientes que estiverem sob
tratamento com ácido acetilsalicílico e tomarem ibuprofeno para o alívio de dor devem informar seus
médicos. Portanto, Aspirina® Prevent não deverá ser usada sem orientação médica junto com uma das
substâncias acima.
Deve-se evitar tomar bebidas alcoólicas durante o uso de Aspirina® Prevent.
INFORME AO MÉDICO O APARECIMENTO DE REAÇÕES INDESEJÁVEIS, SE VOCÊ ESTÁ FAZENDO
USO DE ALGUM OUTRO MEDICAMENTO OU SE ESTIVER TOMANDO ASPIRINA® PREVENT ANTES
DE QUALQUER CIRURGIA.
NÃO USE MEDICAMENTO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA
SUA SAÚDE46.

- COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Aspecto físico: Aspirina® Prevent é um comprimido redondo e branco.
Características organolépticas: Aspirina® Prevent é um comprimido sem cheiro.

- DOSAGEM

Deve-se tomar a quantidade de comprimidos indicada pelo médico, nas seguintes situações:
•  Para reduzir o risco de mortalidade47 em pacientes com suspeita de infarto10 agudo11 do miocárdio12: 100 a
200 mg por dia ou 300 mg em dias alternados. O primeiro comprimido deve ser mastigado, para se
obter absorção rápida.
•  Para reduzir o risco de incidência48 de novo infarto10 e mortalidade47 em pacientes com antecedente de infarto10
do miocárdio12: 100 a 300 mg por dia.
•  Para a prevenção secundária de derrame49: 100 a 300 mg por dia.
•  Para reduzir o risco de ataques isquêmicos transitórios (AIT) e derrame49 em pacientes com AIT: 100 a
300 mg por dia.
•  Para reduzir o risco de incidência48 e morte em pacientes com angina6 do peito7 estável e instável: 100 a
300 mg por dia.
•  Para prevenção do tromboembolismo50 após cirurgia vascular51 ou outras intervenções:
100 a 300 mg por dia.
•  Para a prevenção de trombose venosa profunda52 e embolia53 pulmonar após imobilização prolongada: 100
a 200 mg por dia ou 300 mg em dias alternados.
•  Para reduzir o risco de primeiro infarto do miocárdio54 em pessoas com fatores de risco cardiovascular,
p.ex. diabete melito, hiperlipidemia55 (aumento dos lipídios no sangue2), hipertensão56 (pressão alta), obesidade57,
tabagismo, idade avançada: 100 mg por dia ou 300 mg em dias alternados.
Como usar: tome Aspirina® Prevent com líquido. Não tome Aspirina® Prevent com o estômago20 vazio.
SIGA A ORIENTAÇÃO DE SEU MÉDICO, RESPEITANDO SEMPRE OS HORÁRIOS, AS DOSES E A
DURAÇÃO DO TRATAMENTO.

Se esquecer de tomar Aspirina® Prevent, não tome mais comprimidos na próxima vez; simplesmente continue
o tratamento como recomendado.
Duração do tratamento: Aspirina® Prevent destina-se a tratamento de longo prazo. Seu médico lhe dirá por
quanto tempo você deverá tomar Aspirina® Prevent.
NÃO USE MEDICAMENTO COM PRAZO DE VALIDADE VENCIDO. ANTES DE USAR, OBSERVE O
ASPECTO DO MEDICAMENTO.

- QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE CAUSAR?

Como qualquer medicamento, Aspirina® Prevent pode provocar os seguintes efeitos indesejáveis:
Efeitos comuns: dor no estômago20 e sangramento gastrintestinal leve (micro-hemorragias58).
Efeitos ocasionais: náuseas59, vômitos60 e diarréia61.
Casos raros: podem ocorrer sangramentos e úlceras19 do estômago20, reações alérgicas em que aparece
dificuldade para respirar e reações na pele39, principalmente em pacientes asmáticos e anemia62 após uso
prolongado, devida a sangramento oculto do estômago20 ou intestino.
Casos isolados: podem ocorrer alterações da função do fígado26 e dos rins27, queda do nível de açúcar42 no
sangue2 e reações cutâneas63 graves.
Informe imediatamente o médico o aparecimento de fezes pretas, sinal35 de séria hemorragia41 no estômago20.
Doses baixas de ácido acetilsalicílico reduzem a excreção de ácido úrico e isso pode desencadear ataque
de gota45 em pacientes com esse risco.
Tonturas64 e zumbidos, particularmente em idosos e crianças, podem indicar sério envenenamento (ver
Superdose).
Se ocorrer qualquer uma dessas reações indesejáveis, ou ao primeiro sinal35 de alergia23, você deve parar de
tomar Aspirina® Prevent. Informe o médico, que decidirá quais medidas devem ser adotadas.

- O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA GRANDE QUANTIDADE DESTE MEDICAMENTO DE UMA SÓ VEZ?

Se alguém tomar uma dose excessiva, poderão ocorrer efeitos indesejáveis, como tontura65 e zumbido, sobretudo
em crianças e idosos. Esses sintomas32 podem indicar envenenamento grave.
No caso de superdose contate seu médico, que decidirá sobre as medidas necessárias de acordo com a
gravidade da intoxicação. Se possível, leve a embalagem com os comprimidos.

- ONDE E COMO DEVO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Os comprimidos devem ser guardados na embalagem original, em temperatura ambiente (15-30°C). Os
comprimidos devem ser protegidos da umidade, portanto só devem ser retirados da embalagem na hora
de tomar.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA.


ASPIRINA PREVENT - Laboratório

BAYER
Rua Domingos Jorge, 1100
São Paulo/SP - CEP: 04779-900
Tel: 08007231010
Fax: 55 (011)548-0485
Site: http://www.bayer.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "BAYER"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.
2 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
3 Trombos: Coágulo aderido à parede interna de uma veia ou artéria. Pode ocasionar a diminuição parcial ou total da luz do mesmo com sintomas de isquemia.
4 Vasos sangüíneos: Órgãos em forma de tubos que se ramificam por todo o organismo. Existem três tipos principais de vasos sangüíneos que são as artérias, veias e capilares.
5 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
6 Angina: Inflamação dos elementos linfáticos da garganta (amígdalas, úvula). Também é um termo utilizado para se referir à sensação opressiva que decorre da isquemia (falta de oxigênio) do músculo cardíaco (angina do peito).
7 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
8 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
9 Artérias coronárias: Veias e artérias do CORAÇÃO.
10 Infarto: Morte de um tecido por irrigação sangüínea insuficiente. O exemplo mais conhecido é o infarto do miocárdio, no qual se produz a obstrução das artérias coronárias com conseqüente lesão irreversível do músculo cardíaco.
11 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
12 Miocárdio: Tecido muscular do CORAÇÃO. Composto de células musculares estriadas e involuntárias (MIÓCITOS CARDÍACOS) conectadas, que formam a bomba contrátil geradora do fluxo sangüíneo. Sinônimos: Músculo Cardíaco; Músculo do Coração
13 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
14 Isquemia: Insuficiência absoluta ou relativa de aporte sanguíneo a um ou vários tecidos. Suas manifestações dependem do tecido comprometido, sendo a mais frequente a isquemia cardíaca, capaz de produzir infartos, isquemia cerebral, produtora de acidentes vasculares cerebrais, etc.
15 Paralisia: Perda total da força muscular que produz incapacidade para realizar movimentos nos setores afetados. Pode ser produzida por doença neurológica, muscular, tóxica, metabólica ou ser uma combinação das mesmas.
16 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
17 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
18 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
19 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
20 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
21 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
22 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
23 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
24 Analgésicos: Grupo de medicamentos usados para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
25 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
26 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
27 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
28 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
29 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
30 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
31 Catapora: Doença infecciosa aguda, comum na infância, também chamada de varicela. Ela é provocada por vírus e caracterizada por febre e erupção maculopapular rápida, seguida de erupção de vesículas eritematosas muito pruriginosas.
32 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
33 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
34 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
35 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
36 Rinite: Inflamação da mucosa nasal, produzida por uma infecção viral ou reação alérgica. Manifesta-se por secreção aquosa e obstrução das fossas nasais.
37 Pólipos: 1. Em patologia, é o crescimento de tecido pediculado que se desenvolve em uma membrana mucosa (por exemplo, no nariz, bexiga, reto, etc.) em resultado da hipertrofia desta membrana ou como um tumor verdadeiro. 2. Em celenterologia, forma individual, séssil, típica dos cnidários, que se caracteriza pelo corpo formado por um tubo ou cilindro, cuja extremidade oral, dotada de boca e tentáculos, é dirigida para cima, e a extremidade oposta, ou aboral, é fixa.
38 Analgésico: Medicamento usado para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
39 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
40 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
41 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
42 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
43 Sulfoniluréias: Classe de medicamentos orais para tratar o diabetes tipo 2 que reduz a glicemia por ajudar o pâncreas a fabricar mais insulina e o organismo a usar melhor a insulina produzida.
44 Epilepsia: Alteração temporária e reversível do funcionamento cerebral, que não tenha sido causada por febre, drogas ou distúrbios metabólicos. Durante alguns segundos ou minutos, uma parte do cérebro emite sinais incorretos, que podem ficar restritos a esse local ou espalhar-se. Quando restritos, a crise será chamada crise epiléptica parcial; quando envolverem os dois hemisférios cerebrais, será uma crise epiléptica generalizada. O paciente pode ter distorções de percepção, movimentos descontrolados de uma parte do corpo, medo repentino, desconforto no estômago, ver ou ouvir de maneira diferente e até perder a consciência - neste caso é chamada de crise complexa. Depois do episódio, enquanto se recupera, a pessoa pode sentir-se confusa e ter déficits de memória. Existem outros tipos de crises epilépticas.
45 Gota: 1. Distúrbio metabólico produzido pelo aumento na concentração de ácido úrico no sangue. Manifesta-se pela formação de cálculos renais, inflamação articular e depósito de cristais de ácido úrico no tecido celular subcutâneo. A inflamação articular é muito dolorosa e ataca em crises. 2. Pingo de qualquer líquido.
46 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
47 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
48 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
49 Derrame: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
50 Tromboembolismo: Doença produzida pela impactação de um fragmento de um trombo. É produzida quando este se desprende de seu lugar de origem, e é levado pela corrente sangüínea até produzir a oclusão de uma artéria distante do local de origem do trombo. Esta oclusão pode ter diversas conseqüências, desde leves até fatais, dependendo do tamanho do vaso ocluído e do tipo de circulação do órgão onde se deu a oclusão.
51 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
52 Trombose Venosa Profunda: Caracteriza-se pela formação de coágulos no interior das veias profundas da perna. O que mais chama a atenção é o edema (inchaço) e a dor, normalmente restritos a uma só perna. O edema pode se localizar apenas na panturrilha e pé ou estar mais exuberante na coxa, indicando que o trombo se localiza nas veias profundas dessa região ou mais acima da virilha. Uma de suas principais conseqüências a curto prazo é a embolia pulmonar, que pode deixar seqüelas ou mesmo levar à morte. Fatores individuais de risco são: varizes de membros inferiores, idade maior que 40 anos, obesidade, trombose prévia, uso de anticoncepcionais, terapia de reposição hormonal, entre outras.
53 Embolia: Impactação de uma substância sólida (trombo, colesterol, vegetação, inóculo bacteriano), líquida ou gasosa (embolia gasosa) em uma região do circuito arterial com a conseqüente obstrução do fluxo e isquemia.
54 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
55 Hiperlipidemia: Condição em que os níveis de gorduras e colesterol estão mais altos que o normal.
56 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
57 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
58 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
59 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
60 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
61 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
62 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
63 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
64 Tonturas: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
65 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre ASPIRINA PREVENT?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.