Tamarine Geleia

COSMED INDUSTRIA DE COSMETICOS E MEDICAMENTOS S.A.

Atualizado em 09/08/2019

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

TAMARINE®
Senna alexandrina Mill. + Cassia fistula1 L.
Geleia

APRESENTAÇÕES

Geleia sem adição de açúcar2
Embalagem contendo 150 g ou 250 g, acompanhada de colher-medida.

VIA DE ADMINISTRAÇÃO: ORAL
USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE 12 ANOS

COMPOSIÇÃO

Cada 5 g da geleia contém:

Senna alexandrina Mill (extrato seco contendo 10,975 mg de senosideos A e B) 24,390 mg
Cassia fistula1 L (extrato seco contendo 0,01062 mg ácido trans cinâmico) 23,595 mg
excipientes q.s.p. 5 g

Excipiente: extrato seco de Tamarindus indica L. (tamarindo), extrato seco de Coriandrum sativum L. (coentro), extrato seco de Glycyrrhiza glabra L. (alcaçuz), ácido cítrico, metilparabeno, sorbato de potássio, pectina, petrolato líquido, sucralose, polpa de ameixa, aroma de mirabelle, sorbitol3, corante caramelo, água, ácido cítrico e hidróxido de sódio.

Extrato Seco de Senna alexandrina Mill.
Nomenclatura Botânica Oficial: Senna alexandrina Mill.
Família: Fabaceae
Nomenclatura Popular: Sene
Parte da planta uatilizada: folhas

Extrato seco de Cassia fistula1 L.
Nomenclatura Botânica Oficial: Cassia fistula1 Linné
Família: Fabaceae, Caesalpinioideae
Nomenclatura Popular: Canafístula
Parte da planta utilizada: fruto

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Tamarine® geleia, sem adição de açúcar2, é indicado para o tratamento sintomático4 de intestino preso, das constipações primárias e secundárias e na preparação para os exames radiológicos e endoscópicos.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Tamarine® geleia, sem adição de açúcar2, é uma associação das plantas medicinais Senna alexandrina e Cassia fistula1 com efeito laxativo5 que provoca uma ativação fisiológica6 das secreções das mucosas7 do trato digestivo.

Sua apresentação em geleia e seu gosto agradável tornam mais fáceis sua ingestão, apresentando uma fórmula farmacêutica moderna, de administração fácil e agradável, sem adição de açúcar2 o que a torna indicada a um número maior de usuários, como diabéticos e pacientes com restrição de ingestão de açúcar2.

A ação de Tamarine® geleia, sem adição de açúcar2, é previsível de 8 a 10 horas.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Tamarine® geleia, sem adição de açúcar2, é contraindicado nas retocolites (inflamação8 aguda do intestino) e doença de Crohn9 (doença crônica inflamatória intestinal).
Também é contraindicado em síndromes dolorosas abdominais de causa desconhecida. Você não deve utilizar este medicamento se apresentar hipersensibilidade à qualquer um dos componentes da fórmula.

Este medicamento é contraindicado para menores de 12 anos.

Este medicamento é contraindicado para uso em casos de desidratação10 severa com depleção11 de água e eletrólitos12.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Uso em crianças

O uso de Tamarine® geleia, sem adição de açúcar2, está contraindicado em crianças menores de 12 anos. Para crianças acima de 12 anos, o seu uso somente deverá ser feito com indicação médica.

Uso em idosos

Pacientes idosos devem iniciar o tratamento utilizando metade da dose recomendada para adultos.

Gravidez13 e Lactação14

Este medicamento pode ser utilizado durante a gravidez13 desde que sob prescrição médica ou do cirurgião-dentista.

Interação medicamentosa

Usar o produto com cautela em pacientes em uso de antiarrítmicos como quinidina, amiodarona, vincamicina, digitálicos, anfotericina B e diuréticos15 hipocalemiantes (furosemida, hidroclorotiazida). Não há relatos de interações com alimentos.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Conservar em temperatura ambiente (entre 15 e 30º C). Proteger da luz e umidade.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem. Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas e organolépticas do produto

Tamarine® geleia, sem adição de açúcar2, apresenta-se na forma de gel viscoso, aderente, contendo pequenos fragmentos16 de pó característico do produto, de coloração marrom escura, odor característico e sabor adocicado característico.
Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

USO ORAL

Posologia

Adultos e crianças acima de 12 anos: uma colher (que acompanha o produto) (5 g) ou após a última refeição ou a critério médico.
Nota: a individualidade da dose é aconselhável, podendo a mesma ser aumentada nos casos de obstipação17 rebelde. Estas doses podem ser aumentadas somente a critério médico.

O uso de laxantes18 estimulantes, como este medicamento deve ser feito com cautela, por isso, recomenda- se a utilização deste medicamento por curtos períodos de tempo e somente até que haja o alívio dos sintomas19 da constipação20 intestinal.

Não utilizar este medicamento por mais que 7 (sete) dias consecutivos, respeitando sempre a dosagem recomendada. O uso deste medicamento por períodos maiores que 7 (sete) dias somente deverá ser feito sob orientação médica.

Limite máximo diário de uma colher (que acompanha o produto) (5 g) ou a critério médico.

Utilizar apenas a via oral. O uso deste medicamento por outra via, que não a oral pode causar a perda do efeito esperado ou mesmo promover danos ao seu usuário.

Siga corretamente o modo de usar. Em caso de dúvidas sobre este medicamento, procure orientação do farmacêutico. Não desaparecendo os sintomas19, procure orientação de seu médico ou cirurgião-dentista.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

No caso de esquecimento de administração, reintroduzir a medicação para o alívio dos sintomas19 da constipação20, não devendo, portanto, dobrar a dose porque se esqueceu de tomar a dose anterior. Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Por ser um laxante21 estimulante do intestino, alguns sintomas19 são muito comuns, tais como, cólicas22 e gases intestinais.
Outros efeitos secundários podem ocorrer, desde que respeitada a dose recomendada, são eles: diarreia23, dor no estômago24, refluxo esofágico, vômitos25 e irritação gastrintestinal.

Procure um médico na ocorrência de sintomas19 raros, tais como, sangue26 nas fezes, cólicas22 severas, fraqueza e hemorragia27 retal.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

No caso de administração de altas doses do produto, podem ocorrer diarreia23, espasmos28, cólica abdominal e perda significativa de potássio. Se a ingestão do medicamento for alta, ou seja, bem maior do que a recomendada deve-se procurar socorro médico a fim de aliviar os efeitos causados pelo medicamento.

Tratamento de superdosagem: se ocorrer superdosagem acidental, após a ingestão, a absorção pode ser minimizada ou prevenida por meio de lavagem gástrica29. Pode ser necessária a reposição de líquidos e de eletrólitos12. Com a ocorrência de espasmos28 e cólicas22 abdominais pode-se utilizar antiespasmódicos.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS:


Siga corretamente o modo de usar, não desaparecendo os sintomas19 procure orientação médica.
 

Registro M.S. nº 1.7817.0023
Farm. Responsável: Luciana Lopes da Costa - CRF-GO nº 2.757.

Registrado por:
Cosmed Indústria de Cosméticos e Medicamentos S.A.
Avenida Ceci, n° 282, Módulo I – Tamboré – Barueri – SP – CEP 06460-120
C.N.P. J: 61.082.426/0002-07- Indústria Brasileira

Fabricado por:
Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A.
VPR 1 - Quadra 2-A - Módulo 4 - DAIA - Anápolis - GO - CEP 75132-020


SAC 0800 97 99 900

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Fístula: Comunicação anormal entre dois órgãos ou duas seções de um mesmo órgão entre si ou com a superfície. Possui um conduto de paredes próprias.
2 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
3 Sorbitol: Adoçante com quatro calorias por grama. Substância produzida pelo organismo em pessoas com diabetes e que pode causar danos aos olhos e nervos.
4 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
5 Laxativo: Mesmo que laxante. Que laxa, afrouxa, dilata. Medicamento que trata da constipação intestinal; purgante, purgativo, solutivo.
6 Fisiológica: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
7 Mucosas: Tipo de membranas, umidificadas por secreções glandulares, que recobrem cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
8 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
9 Doença de Crohn: Doença inflamatória crônica do intestino que acomete geralmente o íleo e o cólon, embora possa afetar qualquer outra parte do intestino. A doença cursa com períodos de remissão sintomática e outros de agravamento. Na maioria dos casos, a doença de Crohn é de intensidade moderada e se torna bem controlada pela medicação, tornando possível uma vida razoavelmente normal para seu portador. A causa da doença de Crohn ainda não é totalmente conhecida. Os sintomas mais comuns são: dor abdominal, diarreia, perda de peso, febre moderada, sensação de distensão abdominal, perda de apetite e de peso.
10 Desidratação: Perda de líquidos do organismo pelo aumento importante da freqüência urinária, sudorese excessiva, diarréia ou vômito.
11 Depleção: 1. Em patologia, significa perda de elementos fundamentais do organismo, especialmente água, sangue e eletrólitos (sobretudo sódio e potássio). 2. Em medicina, é o ato ou processo de extração de um fluido (por exxemplo, sangue) 3. Estado ou condição de esgotamento provocado por excessiva perda de sangue. 4. Na eletrônica, em um material semicondutor, medição da densidade de portadores de carga abaixo do seu nível e do nível de dopagem em uma temperatura específica.
12 Eletrólitos: Em eletricidade, é um condutor elétrico de natureza líquida ou sólida, no qual cargas são transportadas por meio de íons. Em química, é uma substância que dissolvida em água se torna condutora de corrente elétrica.
13 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
14 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
15 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
16 Fragmentos: 1. Pedaço de coisa que se quebrou, cortou, rasgou etc. É parte de um todo; fração. 2. No sentido figurado, é o resto de uma obra literária ou artística cuja maior parte se perdeu ou foi destruída. Ou um trecho extraído de uma obra.
17 Obstipação: Prisão de ventre ou constipação rebelde.
18 Laxantes: Medicamentos que tratam da constipação intestinal; purgantes, purgativos, solutivos.
19 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
20 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
21 Laxante: Que laxa, afrouxa, dilata. Medicamento que trata da constipação intestinal; purgante, purgativo, solutivo.
22 Cólicas: Dor aguda, produzida pela dilatação ou contração de uma víscera oca (intestino, vesícula biliar, ureter, etc.). Pode ser de início súbito, com exacerbações e períodos de melhora parcial ou total, nos quais o paciente pode estar sentindo-se bem ou apresentar dor leve.
23 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
24 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
25 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
26 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
27 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
28 Espasmos: 1. Contrações involuntárias, não ritmadas, de um ou vários músculos, podendo ocorrer isolada ou continuamente, sendo dolorosas ou não. 2. Qualquer contração muscular anormal. 3. Sentido figurado: arrebatamento, exaltação, espanto.
29 Lavagem gástrica: É a introdução, através de sonda nasogástrica, de líquido na cavidade gástrica, seguida de sua remoção.

Tem alguma dúvida sobre Tamarine Geleia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.