Seis-B 300 mg

APSEN

Atualizado em 09/12/2014

Seis-B® 300 mg

Cloridrato de Piridoxina

Formas Farmacêuticas e Apresentações de Seis-B

Comprimidos - 300 mg - Caixas com 20 comprimidos

USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Composição de Seis-B


Cada comprimido contém:
Cloridrato de Piridoxina .................... 300 mg
Excipiente*  q.s.p. .................... 1 comprimido
*Excipientes: Polivinilpirrolidona, Lactose1, Amido de milho, Croscarmelose sodica, Estearato de magnésio, Metabissulfito de sódio.

Informações ao Paciente de Seis-B

Ação esperada do medicamento: B® e a Vitamina2 B6 ou cloridrato de Piridoxina, um componente de diversos alimentos, essencial para o metabolismo3 é a manutenção da saúde4. Em alguns casos é necessário suplementar a quantidade de Piridoxina (vitamina2 B6), conforme prescrito pelo medico. A sua necessidade de SEIS-B® pode estar aumentada em algumas situações como: alcoolismo, queimaduras, diarreia5, dialise6, doenças hepáticas7 ou intestinais, hipertireoidismo8, estresse, tratamento com anticoncepcionais contendo estrógenos, ou síndrome9 de tensão pré-menstrual.

Cuidados de armazenamento: Os comprimidos de SEIS-B® devem ser mantidos em sua embalagem original, na temperatura ambiente (entre 15 e 30?C), ao abrigo da umidade e protegido da luz.

Prazo de validade: Não utilize medicamento com a validade vencida. O prazo de validade de SEIS-B® esta impresso na embalagem e é de 24 meses apos a data de fabricação.

Gravidez10 e lactação11: ao seu medico a ocorrência de gravidez10 na vigência do tratamento ou apos o seu termino.
Durante a gravidez10 a sua necessidade de vitaminas esta aumentada, entretanto doses excessivas de Piridoxina (vitamina2 B6) podem prejudicar o bebe. Informe ao medico se esta amamentando.

Cuidados de administração: Siga a orientação do seu medico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Interrupção do tratamento: Não interrompa o tratamento sem o conhecimento de seu medico.

Reações Adversas: ao seu medico o aparecimento de reações desagradáveis. Efeitos adversos são raros mas podem se manifestar como acidez estomacal, indigestão e náuseas12 principalmente quando utilizar doses de 150 a 200 mg/dia.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Ingestão concomitante com outras substâncias: Cloridrato de Piridoxina (vitamina2 B6) acelera a degradação de levodopa, reduzindo assim a eficacia desse medicamento no tratamento da doença de Parkinson13. A isoniazida, a ciclosserina, etionamida, hidralazina, penicilaminas e imunossupressores são antagonistas de Piridoxina (vitamina2 B6). O uso prolongado de qualquer dessas drogas pode causar deficiência de Piridoxina (vitamina2 B6), com consequente anemia14 ou neurite15 periférica. A administração de SEIS-B® reduz os efeitos colaterais16 neurológicos associados ao uso desses medicamentos.

Contra-indicações e precauções: Informe ao seu medico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do inicio ou durante o tratamento. SEIS-B® e contra-indicado para pacientes17 alérgicos a Piridoxina (vitamina2 B6).
Doses muito elevadas (2 a 6 gramas/dia) durante varios meses podem causar neuropatias sensoriais.
Durante o tratamento, visite regularmente seu medico e realize os exames complementares solicitados.

Riscos da auto-medicação:

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO; PODE SER PERIGOSO PARA A SUA SAÚDE4.

Informações Técnicas de Seis-B

Características

SEIS-B® contem cloridrato de Piridoxina ou Vitamina2 B6, uma coenzima que participa de varias funções metabólicas relacionadas a utilização de proteínas18, carboidratos e lipídeos.
A piridoxina é fosforilada no organismo a piridoxal-5' -fosfato, é em menor extensão a piridoxamina fosfato, coenzima das transaminases, das descarboxilases, desaminases e de outras enzimas importantes no metabolismo3 proteico.
A síndrome9 da tensão pré-menstrual (STPM) se caracteriza por: distensão abdominal, edema19 das extremidades, mastalgia20, labilidade emocional (crise de choro espontânea, ansiedade, depressão, irritabilidade), fadiga21, letargia22, constipação23, acne24, cefaleia25 e aumento do apetite. Uma das terapias mais usadas nesses casos consiste na administração de vitamina2 B6 (piridoxina) porque a piridoxina e a coenzima de uma ampla variedade de enzimas no metabolismo3 dos aminoácidos.
A piridoxina e um cofator no metabolismo3 do triptofano (precursor da serotonia), e também no metabolismo3 da tirosina26 (precursor da dopamina27 e noradrenalina28) e do glutamato (precursor do GABA29). Os baixos níveis de dopamina27 e serotonina desencadeiam altos níveis de prolactina30 e aldosterona o que explica a retenção hídrica. Assim sendo, a piridoxina agiria de forma multifatorial, em cada um destes patamares, suavizando e normalizando os efeitos da STPM.
A Piridoxina (vitamina2 B6) influencia o metabolismo3 de certas drogas e e administrada de modo profilatico a pacientes que recebem isoniazida, a fim de evitar o desenvolvimento de neurite15 periférica. Alem disso, a Piridoxina (vitamina2 B6) e um antidoto31 para as crises convulsivas e a acidose32 em pacientes que ingeriram uma superdose de isoniazida.
A concentração do fosfato de piridoxal apresenta-se reduzida no sangue33 de mulheres gravidas ou de mulheres que tomam anticoncepcionais orais.
Mulheres que relatam sintomas34 de depressão enquanto tomam anticoncepcionais orais podem apresentar deficiências de piridoxina e responder de modo favorável a um suplemento diário de 50 mg da vitamina2.

Farmacocinética
A absorção gastrointestinal é boa. Meia-vida entre 15 a 20 dias. A concentração plasmática ótima é da ordem de 60 nmol por litro.

Metabolismo3 e Eliminação
A piridoxina, o piridoxal e a piridoxamina são rapidamente absorvidos pelo trato gastrointestinal apos hidrolise de seus derivados fosforilados. O fosfato de piridoxal constitui pelo menos 60% da vitamina2 B6 circulante. Acredita-se que o piridoxal seja a forma primaria que atravessa as membranas celulares e esta presente praticamente em todas as celulas35. No homem, o principal produto de excreção apos a ingestão de qualquer das três formas da vitamina2 e o acido 4-piridóxico, formado pela ação da aldeído-oxidase hepática36 sobre o piridoxal livre.
Armazenamento e bio-transformação predominantemente hepáticos. Excreção renal37.

Indicações de Seis-B

Na profilaxia e tratamento dos estados de deficiência de PIRIDOXINA (Vitamina2 B-6): alcoolismo, queimaduras, distúrbios metabólicos congênitos38 (cistationuria, hiperoxaluria, homocistinuria, aciduria xanturenica), febre39 cronica, gastrectomia, hemodialise40, hipertireoidismo8, infecções41, doenças intestinais (celiaca, diarreia5, enterite regional, espru), síndrome9 de ma-absorção associada as doenças hepáticas7  biliares e estresse prolongado.Pode ser indicada quando houver o uso dos seguintes medicamentos: ciclosserina, etionamida, hidralazina, imuno-depressores, isoniazida, penicilamina e anticoncepcionais orais contendo estrógenos quando as pacientes apresentarem depressão ou outros distúrbios associados a pilula contraceptiva.
A piridoxina esta indicada também nos casos de Síndrome9 de Tensão Pré-Menstrual (STPM) onde se apresentem os seguintes sintomas34: distensão abdominal, edema19 das extremidades, mastalgia20, labilidade emocional (crise de choro espontâneo, ansiedade, depressão, irritabilidade), fadiga21, letargia22, constipação23, acne24, cefaleia25 e aumento do apetite.

Contra-Indicações de Seis-B


Reações de hipersensibilidade à Vitamina2 B6 ou aos constituintes da formulação.

Precauções e Advertências de Seis-B

Megadoses (2 a 6 gramas/dia) durante vários meses podem causar neuropatias sensoriais graves.
O cloridrato de piridoxina acelera a degradação da levodopa, reduzindo assim a eficácia desse medicamento. Pacientes em tratamento com levodopa devem receber doses adicionais de Vitamina2 B6, a não ser que o tratamento com levodopa esteja associado com um inibidor de descarboxilase, quando não se produz a interação.

Alterações em exames laboratoriais
A piridoxina pode causar falso-positivo na determinação do urobilinogênio quando se utiliza o reagente de Ehrlich' s.

Gravidez10
Grávidas expostas a doses altas de piridoxina (200 mg/dia por mais de 30 dias) podem produzir síndrome9 de dependência à piridoxina no recém-nascido.

Pediatria
Não foram relatados problemas com a ingestão das doses normais diárias recomendadas. O uso de dosagens maiores em crianças deve obedecer a rigoroso controle e critério médico.

Interações Medicamentosas de Seis-B

Ocorrem interações bioquímicas entre o fosfato de piridoxal e certas drogas e toxinas42. A isoniazida, a ciclosserina, etionamida, hidralazina, penicilaminas e imunossupressores são antagonistas da vitamina2 B6. O uso prolongado de qualquer dessas drogas pode causar deficiência de vitamina2 B6, com conseqüente anemia14 ou neurite15 periférica.
A administração de SEIS-B® reduz os efeitos colaterais16 neurológicos associados ao uso desses compostos. A piridoxina (vitamina2 B6) aumenta a descarboxilação periférica da levodopa e reduz a sua eficácia no  tratamento da doença de Parkinson13.

Reações Adversas de Seis-B

Efeitos adversos de fato atribuíveis à piridoxina isoladamente são raramente relatados; como queixas de acidez estomacal, indigestão e náuseas12 só descritas com doses de 150 a 200 mg/dia, embora haja relato de neuropatias periféricas com a ingestão de 200 mg/dia por mais de 30 dias.

Posologia de Seis-B

Administrar os comprimidos com meio copo de agua, sem mastiga-los.

Adultos e crianças acima de 2 anos de idade:
Síndrome9 da dependência de piridoxina:
Iniciar com 25 a 600 mg/dia.
Manutenção: 50 mg/dia permanentemente.

Adultos:
Deficiência droga-induzida:
Prevenção:
10 a 50 mg/dia (penicilamina).
100 a 300 mg/dia (ciclosserina, hidralazina, isoniazida).
Tratamento: 50 a 200 mg/dia durante 3 semanas.
Manutenção: 25 a 100 mg/dia, se necessário, para evitar reincidência43.

Alcoolismo:
50 mg/dia durante 2 a 4 semanas; se houver correção da anemia14, o tratamento deve ser continuado indefinidamente para evitar reincidência43.

Anemia sideroblástica44 hereditária:
200 a 600 mg/dia durante 1 a 2 meses. Em caso de resposta terapeutica45, manter 30 a 50 mg/dia permanentemente.

Síndrome9 de Tensão Pré-Menstrual:
50 a 200 mg ao dia nos 10 dias que precedem a menstruação46.

Depressão pelo uso de anticoncepcionais:
50 a 200 mg ao dia, por tempo indeterminado, a critério medico.

Conduta na Superdosagem de Seis-B

A administração de doses diárias elevadas (acima de 500 mg/dia) durante períodos prolongados, pode produzir neuropatias sensoriais periféricas, as quais são reversíveis com a suspensão da medicação.

Pacientes Idosos de Seis-B

Devem ser observados os mesmos cuidados recomendados para pacientes17 adultos.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
Nº Lote; Data de Fabricação e Validade: vide Cartucho.
MS - 1.0118.0154
Farmacêutico Responsável:
Dr. Eduardo Sérgio Medeiros Magliano
CRF SP nº

APSEN FARMACÊUTICA S/A
Rua La Paz, nº /67 - Santo Amaro
CEP 04755-020 - São Paulo - SP
CNPJ 62.462.015/0001-29
Industria Brasileira

Seis-B 300 mg - Laboratório

APSEN
RUA LA PAZ, 37/67. Santo Amaro.
São Paulo/SP - CEP: 04755020
Tel: 0800 165678
Email: infomed@apsen.com.br
Site: http://www.apsen.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "APSEN"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Lactose: Tipo de glicídio que possui ligação glicosídica. É o açúcar encontrado no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose, sendo, portanto, um dissacarídeo.
2 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
3 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
5 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
6 Diálise: Quando os rins estão muito doentes, eles deixam de realizar suas funções, o que pode levar a risco de vida. Nesta situação, é preciso substituir as funções dos rins de alguma maneira, o que pode ser feito realizando-se um transplante renal, ou através da diálise. A diálise é um tipo de tratamento que visa repor as funções dos rins, retirando as substâncias tóxicas e o excesso de água e sais minerais do organismo, estabelecendo assim uma nova situação de equilíbrio. Existem dois tipos de diálise: a hemodiálise e a diálise peritoneal.
7 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
8 Hipertireoidismo: Doença caracterizada por um aumento anormal da atividade dos hormônios tireoidianos. Pode ser produzido pela administração externa de hormônios tireoidianos (hipertireoidismo iatrogênico) ou pelo aumento de uma produção destes nas glândulas tireóideas. Seus sintomas, entre outros, são taquicardia, tremores finos, perda de peso, hiperatividade, exoftalmia.
9 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
10 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
11 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
12 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
13 Doença de Parkinson: Doença degenerativa que afeta uma região específica do cérebro (gânglios da base), e caracteriza-se por tremores em repouso, rigidez ao realizar movimentos, falta de expressão facial e, em casos avançados, demência. Os sintomas podem ser aliviados por medicamentos adequados, mas ainda não se conhece, até o momento, uma cura definitiva.
14 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
15 Neurite: Inflamação de um nervo. Pode manifestar-se por neuralgia, déficit sensitivo, formigamentos e/ou diminuição da força muscular, dependendo das características do nervo afetado (sensitivo ou motor). Esta inflamação pode ter causas infecciosas, traumáticas ou metabólicas.
16 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
17 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
18 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
19 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
20 Mastalgia: Dor nas mamas. Costuma ser um distúrbio benigno em mulheres jovens devido a um desequilíbrio hormonal durante o ciclo menstrual. Mas, pode ter outras causas.
21 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
22 Letargia: Em psicopatologia, é o estado de profunda e prolongada inconsciência, semelhante ao sono profundo, do qual a pessoa pode ser despertada, mas ao qual retorna logo a seguir. Por extensão de sentido, é a incapacidade de reagir e de expressar emoções; apatia, inércia e/ou desinteresse.
23 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
24 Acne: Doença de predisposição genética cujas manifestações dependem da presença dos hormônios sexuais. As lesões começam a surgir na puberdade, atingindo a maioria dos jovens de ambos os sexos. Os cravos e espinhas ocorrem devido ao aumento da secreção sebácea associada ao estreitamento e obstrução da abertura do folículo pilosebáceo, dando origem aos comedões abertos (cravos pretos) e fechados (cravos brancos). Estas condições favorecem a proliferação de microorganismos que provocam a inflamação característica das espinhas, sendo o Propionibacterium acnes o agente infeccioso mais comumente envolvido.
25 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
26 Tirosina: É um dos aminoácidos polares, sem carga elétrica, que compõem as proteínas, caracterizado pela cadeia lateral curta na qual está presente um anel aromático e um grupamento hidroxila.
27 Dopamina: É um mediador químico presente nas glândulas suprarrenais, indispensável para a atividade normal do cérebro.
28 Noradrenalina: Mediador químico do grupo das catecolaminas, liberado pelas fibras nervosas simpáticas, precursor da adrenalina na parte interna das cápsulas das glândulas suprarrenais.
29 GABA: GABA ou Ácido gama-aminobutírico é o neurotransmissor inibitório mais comum no sistema nervoso central.
30 Prolactina: Hormônio secretado pela adeno-hipófise. Estimula a produção de leite pelas glândulas mamárias. O aumento de produção da prolactina provoca a hiperprolactinemia, podendo causar alteração menstrual e infertilidade nas mulheres. No homem, gera impotência sexual (por prejudicar a produção de testosterona) e ginecomastia (aumento das mamas).
31 Antídoto: Substância ou mistura que neutraliza os efeitos de um veneno. Esta ação pode reagir diretamente com o veneno ou amenizar/reverter a ação biológica causada por ele.
32 Acidose: Desequilíbrio do meio interno caracterizado por uma maior concentração de íons hidrogênio no organismo. Pode ser produzida pelo ganho de substâncias ácidas ou perda de substâncias alcalinas (básicas).
33 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
34 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
35 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
36 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
37 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
38 Congênitos: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
39 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
40 Hemodiálise: Tipo de diálise que vai promover a retirada das substâncias tóxicas, água e sais minerais do organismo através da passagem do sangue por um filtro. A hemodiálise, em geral, é realizada 3 vezes por semana, em sessões com duração média de 3 a 4 horas, com o auxílio de uma máquina, dentro de clínicas especializadas neste tratamento. Para que o sangue passe pela máquina, é necessária a colocação de um catéter ou a confecção de uma fístula, que é um procedimento realizado mais comumente nas veias do braço, para permitir que estas fiquem mais calibrosas e, desta forma, forneçam o fluxo de sangue adequado para ser filtrado.
41 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
42 Toxinas: Substâncias tóxicas, especialmente uma proteína, produzidas durante o metabolismo e o crescimento de certos microrganismos, animais e plantas, capazes de provocar a formação de anticorpos ou antitoxinas.
43 Reincidência: 1. Ato ou efeito de reincidir ou repetir. 2. Obstinação, insistência, teimosia.
44 Anemia sideroblástica: Anemia que ocorre quando há incapacidade de maturação das hemácias, apesar de número aumentado de precursores na medula óssea. A produção de hemoglobina está reduzida pela incapacidade de incorporação do heme à protoporfirina para formar hemoglobina, ocorrendo acúmulo de ferro. A avaliação da medula óssea mostra hiperplasia eritróide, aumento do ferro medular e sideroblastos (células com acúmulo de ferro nas mitocôndrias circundando o núcleo).
45 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
46 Menstruação: Sangramento cíclico através da vagina, que é produzido após um ciclo ovulatório normal e que corresponde à perda da camada mais superficial do endométrio uterino.

Tem alguma dúvida sobre Seis-B 300 mg?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.