ASPIRINA BUFFERED

BAYER

Atualizado em 03/06/2015

Composição da Aspirina Buffered

cada comprimido contém 500 mg de ácidoacetilsalicílico. Componentes inertes: hidróxido de magnésio, citrato de sódio, croscarmelose sódica e estearato de cálcio.

Posologia e Administração da Aspirina Buffered

as seguintes doses são recomendadas: adultos: 1 a 2 comprimidos. Se necessário, repetir a dose em intervalos de 4 a 8 horas. Não exceder a dose de 8 comprimidos ao dia. Crianças acima de 12 anos: 1 comprimido. Se necessário, repetir a dose em intervalos de 4 a 8 horas não excedendo 3 comprimidos ao dia. - Superdosagem: enquanto a intoxicação aguda provoca alterações graves do equilíbrio acidobásico, a intoxicação crônica causa alterações predominantemente do sistema nervoso central1 (salicilismo). Além do distúrbio do equilíbrio acidobásico e do balanço de eletrólitos2 (perda de potássio), hipoglicemia3, erupções da pele4 e hemorragia5 gastrintestinal, os sintomas6 podem incluir hiperventilação, zumbido, náusea7, vômito8, distúrbios visuais e auditivos, cefaléia9, tontura10 e confusão. Na intoxicação grave, podem ocorrer delírio11, tremor, dispnéia12, sudorese13, hipertermia e coma14. O tratamento da intoxicação com ácido acetilsalicílico depende da extensão, do estágio e dos sintomas6 clínicos do quadro. Recomendam-se medidas usuais para reduzir a absorção do princípio ativo, acelerar a excreção e monitorar o balanço hídrico eletrolítico, normalizar a temperatura e a atividade respiratória.

Precauções da Aspirina Buffered

Aspirina Buffered, após análise da relação risco-benefício, pode ser usada nas seguintes circunstâncias: primeiro e segundo trimestres de gravidez15; durante a amamentação16; hipersensibilidade a antiinflamatórios/anti-reumáticos e outros alérgenos17; no uso concomitante com anticoagulantes18 (ex.: derivados cumarínicos ou heparina excetuando-se a terapia com baixas doses de heparina); na presença de lesões19 hepáticas20 ou renais graves; pacientes com antecedentes de doença gastrintestinal; hiperten-são; gota21; deficiência da glicose22-6-fosfato desidrogenase. O tratamento com ácido acetilsalicílico deve ser interrompido pelo menos uma semana antes de cirurgias, devido ao aumento do tempo de sangramento. Em crianças e adolescentes com doenças febris, considerar cuidadosamente a relação risco-benefício, dada a possibilidade de síndrome23 de Reye. Pacientes com asma24 brônquica, bronquite asmática crônica, febre do feno25 ou edema26 da mucosa27 nasal (pólipos28 nasais) podem vir a apresentar crise asmática, edema26 localizado da pele4 ou mucosa27 (edema26 de Quincke) ou urticária29, quando em contato com analgésicos30 não esteroidais. - Interações medicamentosas: os efeitos dos seguintes medicamentos são intensificados no uso concomitante com Aspirina Buffered: anticoagulantes18; corticosteróides (risco de hemorragia5 gastrintestinal); antiinflamatórios não esteroidais; sulfoniluréias31; metotrexato; concentração plasmática da digoxina, barbitúricos e lítio; sulfonamidas e suas associações; ácido valpróico. Os efeitos dos seguintes medicamentos são reduzidos no uso concomitante: antagonistas da aldosterona (ex.: espironolactona) e diuréticos32 de alça; anti-hipertensivos; uricosúricos. Até em baixas doses, o ácido acetilsalicílico reduz a excreção de ácido úrico. Isto pode gerar crise de gota21 em pacientes que já apresentem tendência à excreção reduzida de ácido úrico. O uso concomitante com: furosemida ou vancomicina aumenta a ototoxicidade33; cefalosporinas e ácido valpróico pode causar hipoprotrombinemia, aumentando o risco de hemorragias34; antiácidos35 (cálcio, magnésio), bicarbonato de sódio, inibidores da anidrase carbônica e alcalinizantes urinários aumenta a excreção e diminui o efeito do ácido acetilsalicílico. Em doses altas, pode intensificar o efeito dos hipoglicemiantes orais36. - Interferência em exames: aumento da atividade enzimática no plasma37 (ALT e AST), principalmente no caso de doença hepática38 grave. Resultado positivo da pesquisa de sangue39 oculto nas fezes.

Reações Adversas da Aspirina Buffered

podem ocorrer ocasionalmente distúrbios gastrintestinais como náusea7, diarréia40, vômito8 e leve perda de sangue39 gastrintestinal, que em casos excepcionais, podem causar anemia41. Úlcera42 gastrintestinal pode ocorrer ocasionalmente e, em alguns casos, com hemorragia5 e perfuração. Casos raros de reação de hipersensibilidade como dispnéia12 e erupções cutâneas43 podem ocorrer. Casos isolados de alteração da função hepática38 (aumento das transaminases) e renal44, hipoglicemia3 e reações graves de pele4 estão descritos. Tontura10 e zumbido podem ocorrer como sintomas6 de superdose, principalmente em crianças e idosos.

Contra-Indicações da Aspirina Buffered

Aspirina Buffered não deve ser usada nas seguintes eventualidades: conhecida hipersensibilidade ao ácido acetilsalicílico, a outros salicilatos ou a qualquer componente da fórmula; na presença de diátese hemorrágica45 e de úlcera42 gastroduodenal; nos três últimos meses de gravidez15.

Indicações da Aspirina Buffered

febre46 e dores como cefaléia9, dores musculares, dores de dente47 e cólicas48 menstruais.

Apresentação da Aspirina Buffered

embalagem com 100 comprimidos com 500 mg de ácido acetilsalicílico tamponado.


ASPIRINA BUFFERED - Laboratório

BAYER
Rua Domingos Jorge, 1100
São Paulo/SP - CEP: 04779-900
Tel: 08007231010
Fax: 55 (011)548-0485
Site: http://www.bayer.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "BAYER"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
2 Eletrólitos: Em eletricidade, é um condutor elétrico de natureza líquida ou sólida, no qual cargas são transportadas por meio de íons. Em química, é uma substância que dissolvida em água se torna condutora de corrente elétrica.
3 Hipoglicemia: Condição que ocorre quando há uma queda excessiva nos níveis de glicose, freqüentemente abaixo de 70 mg/dL, com aparecimento rápido de sintomas. Os sinais de hipoglicemia são: fome, fadiga, tremores, tontura, taquicardia, sudorese, palidez, pele fria e úmida, visão turva e confusão mental. Se não for tratada, pode levar ao coma. É tratada com o consumo de alimentos ricos em carboidratos como pastilhas ou sucos com glicose. Pode também ser tratada com uma injeção de glucagon caso a pessoa esteja inconsciente ou incapaz de engolir. Também chamada de reação à insulina.
4 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
5 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
6 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
7 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
8 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
9 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
10 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
11 Delírio: Delirio é uma crença sem evidência, acompanhada de uma excepcional convicção irrefutável pelo argumento lógico. Ele se dá com plena lucidez de consciência e não há fatores orgânicos.
12 Dispnéia: Falta de ar ou dificuldade para respirar caracterizada por respiração rápida e curta, geralmente está associada a alguma doença cardíaca ou pulmonar.
13 Sudorese: Suor excessivo
14 Coma: 1. Alteração do estado normal de consciência caracterizado pela falta de abertura ocular e diminuição ou ausência de resposta a estímulos externos. Pode ser reversível ou evoluir para a morte. 2. Presente do subjuntivo ou imperativo do verbo “comer.“
15 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
16 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
17 Alérgenos: Substância capaz de provocar reação alérgica em certos indivíduos.
18 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
19 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
20 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
21 Gota: 1. Distúrbio metabólico produzido pelo aumento na concentração de ácido úrico no sangue. Manifesta-se pela formação de cálculos renais, inflamação articular e depósito de cristais de ácido úrico no tecido celular subcutâneo. A inflamação articular é muito dolorosa e ataca em crises. 2. Pingo de qualquer líquido.
22 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
23 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
24 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
25 Febre do Feno: Doença polínica, polinose, rinite alérgica estacional ou febre do feno. Deve-se à sensibilização aos componentes de polens, sendo que os alérgenos de pólen provocam sintomas clínicos quando em contato com a mucosa do aparelho respiratório e a conjuntiva de indivíduos previamente sensibilizados.
26 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
27 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
28 Pólipos: 1. Em patologia, é o crescimento de tecido pediculado que se desenvolve em uma membrana mucosa (por exemplo, no nariz, bexiga, reto, etc.) em resultado da hipertrofia desta membrana ou como um tumor verdadeiro. 2. Em celenterologia, forma individual, séssil, típica dos cnidários, que se caracteriza pelo corpo formado por um tubo ou cilindro, cuja extremidade oral, dotada de boca e tentáculos, é dirigida para cima, e a extremidade oposta, ou aboral, é fixa.
29 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
30 Analgésicos: Grupo de medicamentos usados para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
31 Sulfoniluréias: Classe de medicamentos orais para tratar o diabetes tipo 2 que reduz a glicemia por ajudar o pâncreas a fabricar mais insulina e o organismo a usar melhor a insulina produzida.
32 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
33 Ototoxicidade: Dano causado aos sistemas coclear e/ou vestibular resultante de exposição a substâncias químicas.
34 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
35 Antiácidos: É uma substância que neutraliza o excesso de ácido, contrariando o seu efeito. É uma base que aumenta os valores de pH de uma solução ácida.
36 Hipoglicemiantes orais: Medicamentos usados por via oral em pessoas com diabetes tipo 2 para manter os níves de glicose próximos ao normal. As classes de hipoglicemiantes são: inibidores da alfaglicosidase, biguanidas, derivados da fenilalanina, meglitinides, sulfoniluréias e thiazolidinediones.
37 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
38 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
39 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
40 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
41 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
42 Úlcera: Ferida superficial em tecido cutâneo ou mucoso que pode ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
43 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
44 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
45 Hemorrágica: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
46 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
47 Dente: Uma das estruturas cônicas duras situadas nos alvéolos da maxila e mandíbula, utilizadas na mastigação e que auxiliam a articulação. O dente é uma estrutura dérmica composta de dentina e revestida por cemento na raiz anatômica e por esmalte na coroa anatômica. Consiste numa raiz mergulhada no alvéolo, um colo recoberto pela gengiva e uma coroa, a parte exposta. No centro encontra-se a cavidade bulbar preenchida com retículo de tecido conjuntivo contendo uma substância gelatinosa (polpa do dente) e vasos sangüíneos e nervos que penetram através de uma abertura ou aberturas no ápice da raiz. Os 20 dentes decíduos ou dentes primários surgem entre o sexto e o nono e o vigésimo quarto mês de vida; sofrem esfoliação e são substituídos pelos 32 dentes permanentes, que aparecem entre o quinto e sétimo e entre o décimo sétimo e vigésimo terceiro anos. Existem quatro tipos de dentes
48 Cólicas: Dor aguda, produzida pela dilatação ou contração de uma víscera oca (intestino, vesícula biliar, ureter, etc.). Pode ser de início súbito, com exacerbações e períodos de melhora parcial ou total, nos quais o paciente pode estar sentindo-se bem ou apresentar dor leve.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre ASPIRINA BUFFERED?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.