AVIRAL 200mg

MEDLEY

Atualizado em 03/06/2015

Aviralâ200 mg
Aciclovir1

Forma Farmacêutica e Apresentação de Aviral

Comprimidos: Embalagem com 25 unidades.

USO PEDIÁTRICO OU ADULTO

Composição de Aviral

Cada comprimido contém:

Aciclovir1    ....................200 mg
Excipiente q.s.p.    ....................1 comprimido
(lactose2, celulose microcristalina, dióxido de silício coloidal, polividona, estearato de magnésio, croscarmelose sódica)

Informações ao Paciente de Aviral

·    Ação esperada do medicamento: Aviral é usado no tratamento, profilaxia e prevenção das recidivas3 de infecções4 causadas pelo vírus5 Herpes simplex. O tratamento com Aviral comprimidos deve ser iniciado o mais cedo possível, quando aparecerem os primeiros sinais6 de infecção7. ·    Cuidados de armazenamento: Aviral comprimidos deve ser conservado ao abrigo da luz, calor e umidade.
·    Prazo de validade: Não tome o medicamento se o seu prazo de validade estiver vencido, o que pode ser verificado em sua embalagem externa.
·    Gravidez8 e amamentação9: Aviral comprimidos normalmente não é recomendado para mulheres grávidas. Informe seu médico a ocorrência de gravidez8 durante o tratamento ou após seu término. As mulheres que estejam amamentando não devem tomar Aviral comprimidos. Informe seu médico se estiver amamentando.
·    Cuidados de administração: Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.
·    Interrupção do tratamento: Os bons resultados do tratamento só serão alcançados, se não houver interrupção do mesmo. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
·    Reações adversas: Aviral comprimidos pode, às vezes, provocar o aparecimento de erupções cutâneas10, náusea11, vômito12, diarréia13 e dores abdominais. Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

·    Antes de iniciar o tratamento com Aviral comprimidos, informe seu médico sobre outros medicamentos que você esteja tomando.

Não tome remédio sem o conhecimento de seu médico. Pode ser perigoso para sua saúde14.

Informações Técnicas de Aviral

Modo de Ação de Aviral

O aciclovir1 é um agente antivirótico que é altamente ativo in vitro contra o vírus5 Herpes simplex (VHS15) tipo I e II e o vírus5 Varicella zoster16. Sua toxicidade17 para células18 hospedeiras de mamíferos é baixa.Após penetrar na célula19 infectada pelo vírus5, o aciclovir1 é fosforilado em seu composto ativo, o trifosfato de aciclovir1.
A primeira etapa nesse processo requer a presença da timidina-cinase codificada pelo vírus5 do Herpes.
O trifosfato de aciclovir1 age como inibidor e substrato para a DNA polimerase específica do Herpes, impedindo nova síntese do DNA virótico, sem interferir com os processos celulares normais.

Farmacocinética de Aviral

O aciclovir1 é apenas parcialmente absorvido no intestino. As concentrações médias plasmáticas máximas em estado contínuo, após doses de 200mg administradas a cada quatro horas, foram de 0,68 microgramas/ml, e os níveis plasmáticos de depressão equivalentes foram de 0,36 microgramas/ml.
As concentrações plasmáticas correspondentes em estado contínuo, após doses de 800 mg administradas a cada quatro horas, foram de 1,56 microgramas/ml e 0,79 microgramas/ml, respectivamente.
Com base em estudos com administração intravenosa de aciclovir1, a sua meia-vida plasmática final foi determinada como sendo de cerca de 2,9 horas. A maior parte da droga é excretada inalterada pelos rins20. O "clearance" renal21 de aciclovir1 é substancialmente superior ao da creatinina22, indicando que a secreção tubular, além da filtragem glomerular, contribui para a eliminação renal21 da droga. A 9-carboxime-toximetilguanina é o único metabólito23 significativo do aciclovir1 e é responsável por 10 - 15% da quantidade total da droga recuperada na urina24. Em pacientes com insuficiência renal25 crônica, verificou-se que sua meia-vida média final é de 19,5 horas. A meia-vida média do aciclovir1 durante a hemodiálise26 foi de 5,7 horas. Os níveis plasmáticos do aciclovir1 caíram aproximadamente 60% durante a diálise27. Em pacientes idosos, o "clearance" corporal total cai em associação com decréscimos no "clearance" da creatinina22, não obstante haja pouca alteração na meia vida plasmática final.

Indicações de Aviral

- Tratamento de infecções4 pelo vírus5 Herpes simplex na pele28 e mucosas29, inclusive herpes genital inicial e recorrente.

- Supressão (prevenção de recidivas3) de infecções4 recorrentes por Herpes simplex em pacientes imunocompetentes.

- Profilaxia de infecções4 por Herpes simplex em pacientes imunocomprometidos.

Contra-Indicações de Aviral

O produto é contra-indicado a pacientes com conhecida  hipersensibilidade ao aciclovir1.

Precauções de Aviral

Mutagenicidade: Os resultados de uma grande série de testes de mutagenicidade "in vitro" e "in vivo" indicam que o aciclovir1 não representa um risco genético para o homem.

Gravidez8: A experiência em seres humanos é limitada; portanto o seu uso deve ser considerado apenas quando os benefícios em potencial excederem a possibilidade de riscos desconhecidos.

Fertilidade: Não há experiência de Aviral comprimidos em relação à fertilidade humana. Este produto não demonstrou ter efeito definitivo sobre a contagem de esperma30, morfologia ou motilidade em seres humanos.

Lactação31: Dados limitados demonstram que a droga passa para o leite materno.

Carcinogenicidade: O aciclovir1 não se mostrou carcinogênico em estudos a longo prazo em ratos e camundongos.

Interações Medicamentosas de Aviral

A probenicida aumenta a meia-vida do aciclovir1 e a área sob a curva de concentração plasmática. Outras drogas que afetam a fisiologia32 renal21 poderiam potencialmente influenciar a farmacocinética do aciclovir1. Todavia, a pesquisa clínica não identificou outras interações de drogas com o aciclovir1.

Reações Adversas de Aviral

Relatou-se o aparecimento de erupções cutâneas10 em alguns pacientes que tomaram Aviral comprimidos. Com a suspensão da droga, houve desaparecimento espontâneo das erupções.Efeitos gastrintestinais, os quais incluíam náuseas33, vômitos34, diarréia13 e dores abdominais, foram observados em alguns pacientes que tomaram Aviral comprimidos.
Em estudos duplo-cegos, controlados com placebo35, a incidência36 de ocorrências gastrintestinais não diferiu entre os pacientes que receberam placebo35 e os que receberam aciclovir1.
Outras ocorrências, embora raramente verificadas, foram: aumentos discretos e transitórios na bilirrubina37 e enzimas hepáticas38, pequenos aumentos na uréia39 e creatinina22 sangüíneas, pequenos decréscimos nos índices hematológicos, cefaléia40, discretas reações neurológicas reversíveis e fadiga41.

Posologia de Aviral

Herpes simplex em adultos:
Um comprimido de Aviral cinco vezes ao dia, com intervalos de aproximadamente 4 horas, omitindo-se a dose noturna. O tratamento deve continuar por cinco dias, mas deve ser estendido em infeções iniciais sérias.
Em pacientes gravemente imunocomprometidos (por exemplo, após transplante de medula óssea42) ou em pacientes com distúrbios de absorção intestinal, a dose pode ser duplicada (400mg).
A administração das doses deve ser iniciada tão cedo quanto possível, após o início da infecção7; para os episódios recorrentes, isto deve ser feito, de preferência, durante o período prodrômico43 ou quando as lesões44 começam a aparecer.

Doses para supressão de Herpes simplex em adultos:
Um comprimido quatro vezes ao dia, em intervalos de aproximadamente seis horas.
Muitos pacientes podem ser convenientemente controlados com um regime de dose de dois comprimidos duas vezes ao dia, com intervalos de aproximadamente 12 horas.
Uma diminuição da dose para 1 comprimido, três vezes ao dia, em intervalos de aproximadamente oito horas, ou até duas vezes ao dia, em intervalos de aproximadamente doze horas, pode mostrar-se eficaz.
Em alguns pacientes, podem irromper reinfecções em regime de doses totais diárias de 800 mg de Aviral comprimidos.
O tratamento deve ser interrompido periodicamente, a intervalos de seis a doze meses, a fim de que se possam avaliar os progressos obtidos.

Doses para profilaxia de Herpes simplex em adultos:
Em pacientes imunocomprometidos, recomenda-se um comprimido quatro vezes ao dia, em intervalos de aproximadamente seis horas.
Para pacientes45 gravemente imunocomprometidos (por exemplo, após transplante de medula óssea42) ou para pacientes45 com problemas de absorção intestinal, a dose pode ser dobrada (400 mg).
A duração da administração profilática é determinada pela duração do período de risco.

Doses para crianças:
Para o tratamento, assim como para a profilaxia, de infecções4 por Herpes simplex em crianças imunocomprometidas, com mais de dois anos de idade, as doses indicadas são as mesmas que para adultos. A metade dessas doses devem ser dadas a crianças menores de dois anos. Não há dados específicos disponíveis relativos a supressão de infecçðes por Herpes simplex em crianças imunocompetentes.

Doses para pacientes45 idosos:
Em pacientes idosos, o "clearance" corporal total do aciclovir1 declina paralelamente ao "clearance" da creatinina22. Deve-se manter uma adequada hidratação dos pacientes que estejam tomando altas doses de Aviral. Deve-se dispensar atenção especial à redução de doses para pacientes45 com insuficiência renal25.


Doses na presença de insuficiência renal25:
Para o controle de infecções4 por Herpes simplex em pacientes com insuficiência renal25, as doses orais recomendadas não conduzirão a um acúmulo de aciclovir1 acima dos níveis que foram estabelecidos como sendo seguros por infusão intravenosa. Entretanto, para pacientes45 com insuficiência renal25 grave ("clearance" da creatinina22 inferior a 10ml/minuto), recomenda-se um ajuste de dose para 200 mg duas vezes ao dia, em intervalos de aproximadamente doze horas.

Superdose de Aviral

Sintomas46:

O aciclovir1 é apenas parcialmente absorvido no trato gastrintestinal. É improvável que ocorressem efeitos tóxicos graves, se uma dose de até 5 g fosse tomada em uma única ocasião. Não há dados disponíveis sobre as conseqüências da ingestão de doses mais altas.
Doses únicas intravenosas de até 80 mg/kg foram inadvertidamente administradas sem efeitos adversos.

Tratamento:

A ingestão de doses de aciclovir1 acima de 5 g exige uma observação rigorosa do paciente.
O aciclovir1 é dialisável.

Venda sob prescrição médica

Farm. Resp.: Dra. Clarice Mitie Sano Yui
    CRF-SP n° 5.115

M.S.: 1.0181.0241


AVIRAL 200mg - Laboratório

MEDLEY
Rua Macedo Costa, 55
Campinas/SP - CEP: 13080-180
Tel: (19 )744-8324
Fax: (019) 744-8227
Site: http://www.medley.com.br/

Ver outros medicamentos do laboratório "MEDLEY"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Aciclovir: Substância análoga da Guanosina, que age como um antimetabólito, à qual os vírus são especialmente susceptíveis. É usado especialmente contra o herpes.
2 Lactose: Tipo de glicídio que possui ligação glicosídica. É o açúcar encontrado no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose, sendo, portanto, um dissacarídeo.
3 Recidivas: 1. Em medicina, é o reaparecimento de uma doença ou de um sintoma, após período de cura mais ou menos longo; recorrência. 2. Em direito penal, significa recaída na mesma falta, no mesmo crime; reincidência.
4 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
5 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
6 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
7 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
8 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
9 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
10 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
11 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
12 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
13 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
14 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
15 VHS: É a velocidade com que os glóbulos vermelhos se separam do “soro” e se depositam no fundo de um tubo de ensaio, se este tubo com sangue é deixado parado (com anticoagulante). Os glóbulos vermelhos (hemácias) são puxados para baixo pela gravidade e tendem a se aglomerar no fundo do tubo. No entanto, eles são cobertos por cargas elétricas negativas e, quando vão se aproximando do fundo, repelem-se umas às outras, como cargas iguais de ímãs. Essa força magnética de repulsão se contrapõe à gravidade e naturalmente diminui a velocidade com que as hemácias caem. Se junto com as hemácias, nadando no plasma, haja outras estruturas de cargas positivas, estas vão anular as cargas negativas das hemácias e também a repulsão magnética entre elas, permitindo sua aglutinação. Neste caso a gravidade age sozinha e a velocidade com que elas caem (velocidade de hemossedimentação) é acelerada. O VHS é expresso como o número de milímetros que o sangue sedimentou (no tubo) no espaço de uma hora (mm/h).
16 Zoster: Doença produzida pelo mesmo vírus que causa a varicela (Varicela-Zóster). Em pessoas que já tenham tido varicela, o vírus se encontra em forma latente e pode ser reativado produzindo as características manchas avermelhadas, vesículas e crostas no território de distribuição de um determinado nervo. Como seqüela pode deixar neurite, com dores importantes.
17 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
18 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
19 Célula: Unidade funcional básica de todo tecido, capaz de se duplicar (porém algumas células muito especializadas, como os neurônios, não conseguem se duplicar), trocar substâncias com o meio externo à célula, etc. Possui subestruturas (organelas) distintas como núcleo, parede celular, membrana celular, mitocôndrias, etc. que são as responsáveis pela sobrevivência da mesma.
20 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
21 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
22 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
23 Metabólito: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
24 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
25 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
26 Hemodiálise: Tipo de diálise que vai promover a retirada das substâncias tóxicas, água e sais minerais do organismo através da passagem do sangue por um filtro. A hemodiálise, em geral, é realizada 3 vezes por semana, em sessões com duração média de 3 a 4 horas, com o auxílio de uma máquina, dentro de clínicas especializadas neste tratamento. Para que o sangue passe pela máquina, é necessária a colocação de um catéter ou a confecção de uma fístula, que é um procedimento realizado mais comumente nas veias do braço, para permitir que estas fiquem mais calibrosas e, desta forma, forneçam o fluxo de sangue adequado para ser filtrado.
27 Diálise: Quando os rins estão muito doentes, eles deixam de realizar suas funções, o que pode levar a risco de vida. Nesta situação, é preciso substituir as funções dos rins de alguma maneira, o que pode ser feito realizando-se um transplante renal, ou através da diálise. A diálise é um tipo de tratamento que visa repor as funções dos rins, retirando as substâncias tóxicas e o excesso de água e sais minerais do organismo, estabelecendo assim uma nova situação de equilíbrio. Existem dois tipos de diálise: a hemodiálise e a diálise peritoneal.
28 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
29 Mucosas: Tipo de membranas, umidificadas por secreções glandulares, que recobrem cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
30 Esperma: Esperma ou sêmen. Líquido denso, gelatinoso, branco acinzentado e opaco, que contém espermatozoides e que serve para conduzi-los até o óvulo. O esperma é o líquido da ejaculação. Ele é composto de plasma seminal e espermatozoides. Este plasma contém nutrientes que alimentam e protegem os espermatozoides.
31 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
32 Fisiologia: Estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
33 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
34 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
35 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
36 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
37 Bilirrubina: Pigmento amarelo que é produto da degradação da hemoglobina. Quando aumenta no sangue, acima de seus valores normais, pode produzir uma coloração amarelada da pele e mucosas, denominada icterícia. Pode estar aumentado no sangue devido a aumento da produção do mesmo (excesso de degradação de hemoglobina) ou por dificuldade de escoamento normal (por exemplo, cálculos biliares, hepatite).
38 Enzimas hepáticas: São duas categorias principais de enzimas hepáticas. A primeira inclui as enzimas transaminasas alaninoaminotransferase (ALT ou TGP) e a aspartato aminotransferase (AST ou TOG). Estas são enzimas indicadoras do dano às células hepáticas. A segunda categoria inclui certas enzimas hepáticas como a fosfatase alcalina (FA) e a gamaglutamiltranspeptidase (GGT) as quais indicam obstrução do sistema biliar, quer seja no fígado ou nos canais maiores da bile que se encontram fora deste órgão.
39 Ureia: 1. Resíduo tóxico produzido pelo organismo, resulta da quebra de proteínas pelo fígado. É normalmente removida do organismo pelos rins e excretada na urina. 2. Substância azotada. Composto orgânico cristalino, incolor, de fórmula CO(NH2)2 (ou CH4N2O), com um ponto de fusão de 132,7 °C.
40 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
41 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
42 Medula Óssea: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
43 Período prodrômico: É o período que antecede algo. Em medicina, é o período em que ocorrem os sinais e sintomas iniciais de uma doença.
44 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
45 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
46 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.

Tem alguma dúvida sobre AVIRAL 200mg?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.