Preço de Avonex em Woodbridge/SP: R$ 7431,82

Avonex

BIOGEN BRASIL PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA

Atualizado em 07/01/2021

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Avonex®
betainterferona 1a
Injetável 30 mcg/0,5 mL

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO:

Solução injetável
Embalagem com 4 canetas contendo 4 seringas preenchidas com dose única, 4 agulhas e 4 capas de proteção para a caneta

VIA INTRAMUSCULAR (IM)
USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE 16 ANOS

COMPOSIÇÃO:

Cada 0,5 mL de Avonex® contém:

betainterferona 1a. 30 mcg (6.000.000 UI)
veículo q.s.p. 0,5 mL

Veículo: acetato de sódio tri-hidratado, ácido acético, cloridrato de arginina, polissorbato 20 e água para injetáveis.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Avonex® é indicado no tratamento de Esclerose Múltipla1 recorrente-remitente (EM). Uma recorrência2 (ou surto) define-se como um agravamento dos sintomas3 da EM, seguidas de melhoria ou desaparecimento dos mesmos. Avonex® mostrou-se eficaz em retardar a progressão da doença e reduzir a frequência dos surtos.

Também é indicado no tratamento de pacientes que tenham passado por eventos de desmielinização simples.

A administração de Avonex® deve ser interrompida em pacientes que desenvolvam Esclerose Múltipla1 progressiva.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Avonex® pertence a um grupo de substâncias, as interferonas, que são produzidas naturalmente por células4 do organismo e ajudam a regular o sistema imunológico5

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Este medicamento é contraindicado para uso por pacientes com hipersensibilidade à betainterferona natural ou recombinante, ou qualquer outro componente da fórmula.

Este medicamento é contraindicado para uso por pacientes gestantes ou durante amamentação6.

Este medicamento é contraindicado para uso por pacientes com depressão severa e/ou ideação suicida.

Este medicamento é contraindicado para menores de 12 anos.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Advertências e Precauções

Avonex® deve ser administrado com cuidado em pacientes com depressão, com histórico de depressão ou mudanças no humor, principalmente pacientes com antecedentes de ideias suicidas.

Informe imediatamente ao seu médico qualquer sintoma7 de depressão, pensamento suicida, sentimento incomum de tristeza, ansiedade ou inutilidade.

Avonex® deve ser administrado com cuidado em pacientes com histórico de convulsões e em pacientes recebendo tratamento com antiepiléticos.

Pacientes com doença cardíaca, como angina8, insuficiência cardíaca congestiva9 ou arritmia10, devem ser atentamente monitorados quanto à piora de sua condição clínica durante o tratamento com Avonex®.

Microangiopatia Trombótica11 (MAT): Foram notificados casos de microangiopatia trombótica11 (coágulos sanguíneos em pequenos vasos), incluindo casos fatais, durante o tratamento com medicamentos contendo betainterferona. Isto pode ocorrer entre várias semanas a vários anos após o início do tratamento com betainterferona. As manifestações clínicas iniciais incluem trombocitopenia12 (baixo nível de plaquetas13), aparecimento de hipertensão14 (pressão alta), febre15, sintomas3 do sistema nervoso central16 (por exemplo, confusão, paresia17 – perda de movimento em algum membro) e função renal18 alterada. Seu médico poderá avaliar sua pressão sanguínea, sangue19 (contagem de plaquetas13) e a função de seus rins20. Caso seja diagnosticada a MAT, é necessário tratamento imediato (considerar a transfusão21 de plasma22) e é recomendada a suspensão imediata do Avonex®.

Síndrome nefrótica23: Foram notificados casos de síndrome nefrótica23 (alteração nos rins20 que gera perda de proteína na urina24) com diferentes doenças renais subjacentes, durante o tratamento com produtos de betainterferona. Isto pode ocorrer após vários anos de tratamento com betainterferona. Seu médico poderá avaliar a sua função renal18 periodicamente. É necessário o tratamento imediato da síndrome nefrótica23 e deve ser considerada a interrupção do tratamento com Avonex®.

Recomenda-se precaução e uma cuidadosa monitoração ao administrar Avonex® para pacientes25 com insuficiência renal26 e hepática27 graves.

Coágulos sanguíneos em vasos sanguíneos28 pequenos podem ocorrer durante o tratamento. Estes coágulos sanguíneos poderiam afetar seus rins20. Isto pode acontecer muitas semanas a muitos anos após o início da terapia com Avonex®. Seu médico poderá verificar sua pressão sanguínea, sangue19 (contagem de plaquetas13) e a função de seus rins20.

Pacientes com mielossupressão podem requerer monitoramento mais intenso de contagem total de células sanguíneas29, com contagem diferencial de células4 brancas e plaquetas13. A função da tireóide deve ser monitorada periodicamente.

Populações especiais 

Avonex® deve ser administrado com cuidado em pacientes com 12 a 16 anos de idade.

Fertilidade, Gravidez30 e Lactação31

As informações sobre o uso de Avonex® durante a gravidez30 são limitadas. Os dados disponíveis indicam que pode haver um aumento no risco de aborto espontâneo.

Se engravidar, suspenda o tratamento com Avonex® e procure imediatamente seu médico.

Mulheres em idade fértil devem utilizar métodos contraceptivos adequados.

Não se sabe se a betainterferona 1a é excretada no leite humano. Devido ao potencial de reações adversas graves para os lactentes32, deve ser considerada a interrupção da amamentação6 ou do tratamento com Avonex®.

O medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou que possam ficar grávidas durante o tratamento.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se ocorrer gravidez30 ou iniciar amamentação6 durante o uso deste medicamento.

Efeitos na habilidade de dirigir e usar máquinas

Alguns efeitos indesejáveis relatados, como tonturas33, podem afetar a capacidade de dirigir veículos e operar máquinas.

Interações medicamentosas, alimentares e com testes laboratoriais:

Não foram realizados estudos formais de interações medicamentosas com Avonex® em seres humanos, mas a experiência sugere que Avonex® não interage com outros medicamentos.

Os estudos clínicos indicam que pacientes com Esclerose Múltipla1 podem ser medicados com Avonex® e corticosteróides ou hormônio34 adrenocorticotrópico (ACTH), tratamentos utilizados para reduzir a inflamação35, durante os surtos da doença. Informe seu médico se estiver tomando medicamentos para epilepsia36 ou depressão.

Avonex® deve ser administrado isoladamente; não misture com outros líquidos para injeção37.

O uso de interferonas também está associado à ocorrência de alterações laboratoriais: diminuição da contagem de glóbulos vermelhos, glóbulos brancos, plaquetas13 ou outras alterações. Os sintomas3 resultantes destas alterações podem incluir cansaço, capacidade diminuída de responder a infecções38, hematomas39 ou hemorragias40 inexplicáveis.

Se precisar fazer uma consulta em um hospital por causa de qualquer tratamento ou exame de sangue19, lembre-se de informar ao médico ou profissional de saúde41 que está utilizando

Avonex®, pois este medicamento pode afetar os resultados destes exames.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde41.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados de conservação

Avonex® deve ser conservado sob refrigeração (2–8°C). Não congelar.

Validade do medicamento: 36 meses a partir da data de fabricação desde que observados os cuidados de conservação do produto Avonex®.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas e organolépticas do produto

Avonex® é uma solução de aspecto incolor e límpido. Não utilize o produto caso a solução contenha partículas ou apresente qualquer coloração.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Cada embalagem de Avonex® contém 4 cartuchos, cada um com 1 caneta contendo 1 seringa42 pronta para uso, 1 agulha e 1 capa de proteção para a caneta.

Onde fazer a injeção37

  • Use um local diferente para a injeção37 a cada semana
  • Avonex® deve ser administrado por injeção intramuscular43 (IM).
  • Os melhores locais para injeção37 são a parte superior e lateral da coxa44.
  • O local da injeção37 deve ser alternado a cada semana.
  • Mantenha anotado o local de injeção37 a cada semana.

Avonex® deve ser injetado no músculo, e os melhores locais são a parte superior e lateral da coxa44 como demonstrado na figura acima. Não é recomendada a injeção37 nas nádegas45.

O local da injeção37 deve variar a cada semana, de modo a reduzir o risco de irritação na pele46 e no músculo.

Não faça a injeção37 em locais onde a pele46 está machucada, com alguma infecção47, ou se tiver uma ferida aberta.

Preparação

Retire um cartucho do refrigerador. Assegure-se do conteúdo do cartucho antes do início do procedimento: uma caneta, uma agulha e uma capa de proteção para a caneta. Deixe que o produto atinja a temperatura ambiente (15°C a 30°C) por aproximadamente 30 minutos antes da injeção37. Isto tornará a administração mais confortável.

Não utilize fontes de aquecimento externas, como água quente, para aquecer o produto.

Lave as mãos48 e coloque os itens necessários para a administração em uma superfície limpa. Prepare chumaços de algodão umedecidos em álcool e curativos adesivos (não fornecidos).

Posologia

A dose recomendada de Avonex® é o conteúdo de uma caneta com a seringa42 preenchida com 0,5 mL de solução injetável, correspondendo a 30 mcg (6.000.000 UI) de betainterferona 1a administrada por via intramuscular (IM) uma vez por semana. O produto deve ser administrado, se possível, sempre no mesmo horário e no mesmo dia da semana.

A duração do tratamento deverá ser determinada pelo seu médico. É importante continuar, e não alterar, o uso de Avonex® a menos que seu médico aconselhe o contrário.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Caso você perca sua dose semanal habitual, administre a dose assim que puder. Em seguida, espere uma semana antes de utilizar novamente o medicamento. A partir daí, continue a injetar Avonex® neste “novo” dia da semana. Não tome uma dose dobrada para compensar a injeção37 que esqueceu de tomar.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Como qualquer medicamento, Avonex® pode causar efeitos colaterais49. Os sintomas3 semelhantes aos da gripe50 podem ser mais comuns no início do tratamento e diminuir com o uso continuado do medicamento. Para aliviar estes sintomas3, seu médico poderá aconselhá-lo a tomar um analgésico51 antipirético52 (medicação para febre15) antes da dosede Avonex ® e durante um período de 24 horas após a injeção37.

Consulte sempre seu médico antes de tomar qualquer medicamento com Avonex®. Se ele recomendar um analgésico51 antipirético52, siga rigorosamente a recomendação; não tome doses superiores às recomendadas.

Frequência das Reações Adversas

> 1/10 (> 10%)

Muito comum

> 1/100 e < 1/10 (> 1% e < 10%)

Comum (frequente)

> 1/1.000 e < 1/100 (> 0,1% e < 1%)

Incomum (infrequente)

< 1/1.000 (< 0,1%)

Rara

Reações adversas graves: procure orientação médica.

Reações adversas graves

Caso você apresentar:

  • Inchaço53 na face54, lábios ou língua55
  • Dificuldade em respirar
  • Vermelhidão (rash56)

Contate o médico imediatamente. Não utilize mais Avonex® até ter conversado com um médico.

Depressão

Caso você apresentar algum sintoma7 de depressão:

  • Sensação anormal de tristeza, ansiedade ou baixa-estima

Contate o médico imediatamente.

Problemas no fígado57

Caso você apresentar:

  • Amarelamento da pele46 ou em seus olhos58 (icterícia59)
  • Coceira
  • Mal-estar (náusea60 e vômito61)
  • Facilidade em apresentar hematomas39 na pele46

Contate o médico imediatamente, pois podem ser sinais62 de um possível problema no fígado57.

Reações adversas observadas em estudos clínicos

Estas são reações adversas reportadas quando Avonex® foi submetido a estudos clínicos. A frequência é baseada em quantos pacientes informaram sobre as reações adversas. Desta forma, você pode ter uma ideia quanto à probabilidade em apresentar reações adversas semelhantes.

Reação muito comum (ocorre em 10% dos pacientes que utilizam este medicamento):

  • Sintomas3 semelhantes aos da gripe50 – dor de cabeça63, dores musculares, calafrios64, ou febre15: vide sintomas3 semelhantes aos da gripe50
  • Dor de cabeça63

Reação comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento):

  • Perda de apetite
  • Sensação de fraqueza e cansaço
  • Dificuldade para dormir
  • Depressão
  • Rubor
  • Coriza65
  • Diarreia66
  • Sensação de mal-estar (náusea60 ou vômito61)
  • Dormência67 ou formigamento da pele46
  • Erupção68 cutânea69, hematoma70 da pele46
  • Sudorese71 aumentada, sudorese71 noturna
  • Dor muscular, rigidez nas articulações72 e nos músculos73
  • Dor, vermelhidão e hematomas39 no local da administração
  • Alterações em testes sanguíneos. Os sintomas3 que você pode perceber são cansaço, infecções38 repetidas, hematomas39 ou sangramentos inexplicados.

Reação incomum (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento):

  • Perda de cabelo74
  • Irregularidades ou alterações no ciclo menstrual
  • Sensação de ardor75 no local da injeção37

Reação rara (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento):

  • Dificuldade em respirar
  • Problemas renais, incluindo cicatrizes76 que podem reduzir a sua função renal18 Se você perceber alguns ou todos esses sintomas3:
    • Urina24 com espuma
    • Fadiga77
    • Inchaço53, especialmente nos tornozelos e nas pálpebras78 e ganho de peso.

Informe o seu médico, pois podem ser sinais62 de um possível problema renal18.

  • Coágulos sanguíneos em vasos sanguíneos28 pequenos podem afetar os rins20 (púrpura79 trombocitopênica trombótica11 ou síndrome80 urêmica hemolítica). Os sintomas3 podem incluir aumento de hematomas39 (contusões), sangramento, febre15, fraqueza extrema, dor de cabeça63, tontura81 ou sensação de vertigens82. O seu médico poderá encontrar alterações no seu sangue19 e na função dos seus rins20.

Se algum destes sintomas3 incomodá-lo, converse com seu médico.

Outras reações adversas

Estas reações adversas foram relatadas em pessoas que utilizaram Avonex®, mas não há conhecimento sobre a sua frequência de ocorrência.

Se você sentir tontura81, não dirija.

  • Hiper ou hipotireoidismo83 (atividade aumentada ou diminuída da tireóide)
  • Nervosismo ou ansiedade, instabilidade emocional, raciocínio desordenado ou alucinações84 (ver ou ouvir coisas que não são reais), confusão ou pensamentos suicidas
  • Dormência67, tonturas33, convulsões ou desmaios e enxaqueca85
  • Palpitações86, batimentos cardíacos rápidos ou irregulares, insuficiência cardíaca87 ou problemas cardíacos com os seguintes sintomas3: diminuição da capacidade para realizar exercícios físicos, incapacidade de permanecer completamente deitado na posição horizontal, falta de ar e tornozelos inchados
  • Problemas no fígado57, conforme descrito acima
  • Erupção68 cutânea69 incluindo urticária88 ou erupção68 cutânea69 com bolhas, coceira ou agravamento da psoríase89.
  • Inchaço53 ou sangramento no local de injeção37 ou dor no peito90 após uma injeção37
  • Ganho ou perda de peso
  • Alterações em resultados de exames, incluindo alterações em testes de função no fígado57.
  • Hipertensão arterial91 pulmonar: uma doença de severo estreitamento dos vasos sanguíneos28 dos pulmões92, resultando em pressão arterial93 elevada nos vasos sanguíneos28 que transportam sangue19 do coração94 para os pulmões92. A hipertensão arterial91 pulmonar tem sido observada em vários momentos durante o tratamento, incluindo vários anos após o início do tratamento com produtos a base de betainterferonas.

Se algum destes sintomas3 incomodá-lo, converse com seu médico.

Efeitos da injeção37

  • Sensação de desmaio: a primeira aplicação de injeção37 de Avonex® pode ser administrada pelo seu médico. Você poderá sentir uma sensação de desmaio e poderá mesmo desmaiar. É improvável que isso volte a acontecer.
  • Logo após a injeção37, você poderá sentir fraqueza ou rigidez muscular – como se estivesse tendo um surto. Isto é raro. Só acontece quando for realizada a injeção37 e os efeitos passam rapidamente. Podem ocorrer em qualquer altura depois de começar a utilizar Avonex®.

Se você perceber alguma irritação ou problemas na pele46 após uma injeção37, converse com seu médico.

Sintomas3 semelhantes aos da gripe50

Três formas simples para ajudar a reduzir o impacto de sintomas3 semelhantes aos da gripe50:

  1. Utilize sua caneta de Avonex® antes de dormir. Isto pode permitir que você durma durante a ocorrência dos efeitos semelhantes aos da gripe50.
  2. Tome um analgésico51 antipirético52 (medicamento para febre15) 30 minutos antes da sua injeção37 de Avonex® e continue a utilizar o analgésico51 até um dia após a injeção37. Converse com seu médico sobre qual medicamento utilizar e a dose adequada.
  3. Se apresentar febre15, beber muita água para se manter hidratado.

Algumas pessoas podem sentir que estão com gripe50 depois de utilizar Avonex®. Os sinais62 são:

  • Dor de cabeça63
  • Dores musculares
  • Calafrios64 ou febre15

Esses sintomas3 não são realmente gripe50.

Você não pode passá-los para qualquer outra pessoa. Estes sintomas3 são mais comuns quando você inicia o uso de Avonex®. Na medida em que você continuar a usar suas injeções, os sintomas3 gripais diminuem gradualmente.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Nenhum caso de superdosagem foi relatado. Entretanto, em caso de superdosagem, consulte imediatamente seu médico ou farmacêutico para recomendações adicionais.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou a bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
 

MS: 1.6993.0001.003-9
Farm. Resp.: Milton Castro - CRF GO nº 8.070

Fabricado e embalado por:
Vetter Pharma-Fertigung GmbH & Co. KG - Langenargen, Alemanha
ou
Cilag AG - Schaffhausen, Suíça

Embalado por (embalagem secundária): Biogen (Denmark) Manufacturing ApS - Hillerød, Dinamarca

Registrado por:
Biogen Brasil Produtos Farmacêuticos Ltda.
Avenida Doutor Cardoso de Melo, 1184 - 17° andar - Vila Olímpia
CEP 04548-004 - São Paulo - SP
CNPJ 07.986.222/0001-74

Importado e comercializado por:
Biogen Brasil Produtos Farmacêuticos Ltda.
Rodovia BR-153, s/n, Km 42 - Parte B, Subparte R - Zona Urbana
Parque Calixtópolis
CEP 75135-040 - Anápolis - GO
CNPJ 07.986.222/0003-36


SAC 0800 724 0055

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Esclerose múltipla: Doença degenerativa que afeta o sistema nervoso, produzida pela alteração na camada de mielina. Caracteriza-se por alterações sensitivas e de motilidade que evoluem através do tempo produzindo dano neurológico progressivo.
2 Recorrência: 1. Retorno, repetição. 2. Em medicina, é o reaparecimento dos sintomas característicos de uma doença, após a sua completa remissão. 3. Em informática, é a repetição continuada da mesma operação ou grupo de operações. 4. Em psicologia, é a volta à memória.
3 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
4 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
5 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
6 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
7 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
8 Angina: Inflamação dos elementos linfáticos da garganta (amígdalas, úvula). Também é um termo utilizado para se referir à sensação opressiva que decorre da isquemia (falta de oxigênio) do músculo cardíaco (angina do peito).
9 Insuficiência Cardíaca Congestiva: É uma incapacidade do coração para efetuar as suas funções de forma adequada como conseqüência de enfermidades do próprio coração ou de outros órgãos. O músculo cardíaco vai diminuindo sua força para bombear o sangue para todo o organismo.
10 Arritmia: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
11 Trombótica: Relativo à trombose, ou seja, à formação ou desenvolvimento de um trombo (coágulo).
12 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
13 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.
14 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
15 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
16 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
17 Paresia: Diminuição da força em um ou mais grupos musculares. É um grau menor de paralisia.
18 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
19 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
20 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
21 Transfusão: Introdução na corrente sangüínea de sangue ou algum de seus componentes. Podem ser transfundidos separadamente glóbulos vermelhos, plaquetas, plasma, fatores de coagulação, etc.
22 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
23 Síndrome nefrótica: Doença que afeta os rins. Caracteriza-se pela eliminação de proteínas através da urina, com diminuição nos níveis de albumina do plasma. As pessoas com síndrome nefrótica apresentam edema, eliminação de urina espumosa, aumento dos lipídeos do sangue, etc.
24 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
25 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
26 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
27 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
28 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
29 Células Sanguíneas: Células encontradas no líquido corpóreo circulando por toda parte do SISTEMA CARDIOVASCULAR.
30 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
31 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
32 Lactentes: Que ou aqueles que mamam, bebês. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
33 Tonturas: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
34 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
35 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
36 Epilepsia: Alteração temporária e reversível do funcionamento cerebral, que não tenha sido causada por febre, drogas ou distúrbios metabólicos. Durante alguns segundos ou minutos, uma parte do cérebro emite sinais incorretos, que podem ficar restritos a esse local ou espalhar-se. Quando restritos, a crise será chamada crise epiléptica parcial; quando envolverem os dois hemisférios cerebrais, será uma crise epiléptica generalizada. O paciente pode ter distorções de percepção, movimentos descontrolados de uma parte do corpo, medo repentino, desconforto no estômago, ver ou ouvir de maneira diferente e até perder a consciência - neste caso é chamada de crise complexa. Depois do episódio, enquanto se recupera, a pessoa pode sentir-se confusa e ter déficits de memória. Existem outros tipos de crises epilépticas.
37 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
38 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
39 Hematomas: Acúmulo de sangue em um órgão ou tecido após uma hemorragia.
40 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
41 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
42 Seringa: Dispositivo usado para injetar medicações ou outros líquidos nos tecidos do corpo. A seringa de insulina é formada por um tubo plástico com um êmbolo e uma agulha pequena na ponta.
43 Injeção intramuscular: Injetar medicamento em forma líquida no músculo através do uso de uma agulha e seringa.
44 Coxa: É a região situada abaixo da virilha e acima do joelho, onde está localizado o maior osso do corpo humano, o fêmur.
45 Nádegas:
46 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
47 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
48 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
49 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
50 Gripe: Doença viral adquirida através do contágio interpessoal que se caracteriza por faringite, febre, dores musculares generalizadas, náuseas, etc. Sua duração é de aproximadamente cinco a sete dias e tem uma maior incidência nos meses frios. Em geral desaparece naturalmente sem tratamento, apenas com medidas de controle geral (repouso relativo, ingestão de líquidos, etc.). Os antibióticos não funcionam na gripe e não devem ser utilizados de rotina.
51 Analgésico: Medicamento usado para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
52 Antipirético: Medicamento que reduz a febre, diminuindo a temperatura corporal que está acima do normal. Entretanto, ele não vai afetar a temperatura normal do corpo se uma pessoa que não tiver febre o ingerir. Os antipiréticos fazem com que o hipotálamo “ignore“ um aumento de temperatura induzido por interleucina. O corpo então irá trabalhar para baixar a temperatura e o resultado é a redução da febre.
53 Inchaço: Inchação, edema.
54 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
55 Língua:
56 Rash: Coloração avermelhada da pele como conseqüência de uma reação alérgica ou infecção.
57 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
58 Olhos:
59 Icterícia: Coloração amarelada da pele e mucosas devido a uma acumulação de bilirrubina no organismo. Existem dois tipos de icterícia que têm etiologias e sintomas distintos: icterícia por acumulação de bilirrubina conjugada ou direta e icterícia por acumulação de bilirrubina não conjugada ou indireta.
60 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
61 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
62 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
63 Cabeça:
64 Calafrios: 1. Conjunto de pequenas contrações da pele e dos músculos cutâneos ao longo do corpo, muitas vezes com tremores fortes e palidez, que acompanham uma sensação de frio provocada por baixa temperatura, má condição orgânica ou ainda por medo, horror, nojo, etc. 2. Sensação de frio e tremores fortes, às vezes com bater de dentes, que precedem ou acompanham acessos de febre.
65 Coriza: Inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo.
66 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
67 Dormência: 1. Estado ou característica de quem ou do que dorme. 2. No sentido figurado, inércia com relação a se fazer alguma coisa, a se tomar uma atitude, etc., resultando numa abulia ou falta de ação; entorpecimento, estagnação, marasmo. 3. Situação de total repouso; quietação. 4. No sentido figurado, insensibilidade espiritual de um ser diante do mundo. Sensação desagradável caracterizada por perda da sensibilidade e sensação de formigamento, e que geralmente ocorre nas extremidades dos membros. 5. Em biologia, é um período longo de inatividade, com metabolismo reduzido ou suspenso, geralmente associado a condições ambientais desfavoráveis; estivação.
68 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
69 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
70 Hematoma: Acúmulo de sangue em um órgão ou tecido após uma hemorragia.
71 Sudorese: Suor excessivo
72 Articulações:
73 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
74 Cabelo: Estrutura filamentosa formada por uma haste que se projeta para a superfície da PELE a partir de uma raiz (mais macia que a haste) e se aloja na cavidade de um FOLÍCULO PILOSO. É encontrado em muitas áreas do corpo.
75 Ardor: 1. Calor forte, intenso. 2. Mesmo que ardência. 3. Qualidade daquilo que fulge, que brilha. 4. Amor intenso, desejo concupiscente, paixão.
76 Cicatrizes: Formação de um novo tecido durante o processo de cicatrização de um ferimento.
77 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
78 Pálpebras:
79 Púrpura: Lesão hemorrágica de cor vinhosa, que não desaparece à pressão, com diâmetro superior a um centímetro.
80 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
81 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
82 Vertigens: O termo vem do latim “vertere” e quer dizer rodar. A definição clássica de vertigem é alucinação do movimento. O indivíduo vê os objetos do ambiente rodarem ao seu redor ou seu corpo rodar em relação ao ambiente.
83 Hipotireoidismo: Distúrbio caracterizado por uma diminuição da atividade ou concentração dos hormônios tireoidianos. Manifesta-se por engrossamento da voz, aumento de peso, diminuição da atividade, depressão.
84 Alucinações: Perturbações mentais que se caracterizam pelo aparecimento de sensações (visuais, auditivas, etc.) atribuídas a causas objetivas que, na realidade, inexistem; sensações sem objeto. Impressões ou noções falsas, sem fundamento na realidade; devaneios, delírios, enganos, ilusões.
85 Enxaqueca: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
86 Palpitações: Designa a sensação de consciência do batimento do coração, que habitualmente não se sente. As palpitações são detectadas usualmente após um exercício violento, em situações de tensão ou depois de um grande susto, quando o coração bate com mais força e/ou mais rapidez que o normal.
87 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
88 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
89 Psoríase: Doença imunológica caracterizada por lesões avermelhadas com descamação aumentada da pele dos cotovelos, joelhos, couro cabeludo e costas juntamente com alterações das unhas (unhas em dedal). Evolui através do tempo com melhoras e pioras, podendo afetar também diferentes articulações.
90 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
91 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
92 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
93 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
94 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.

Tem alguma dúvida sobre Avonex?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.