LORANIL-D

LIBBS

Atualizado em 09/12/2014

LORANIL-D
Anti-Histamínico

Nome Genérico de Loranil-D

: Loratadina + Pseudoefedrina

Composição de Loranil-D

Comprimido: cada comprimido contém 5 mg de Loratadina e 120 mg de Pseudoefedrina.

Apresentações de Loranil-D

Cartuchos contendo 1 blister com 6 comprimidos ou 1 frasco com 60 ml.

Xarope: cada mL contém 1 mg de Loratadina e 12 mg de Pseudoefedrina.

Informações Técnicas de Loranil-D

Loranil D associa a loratadina, anti-histamínico tricíclico com atividade antagônica dos receptores H1 periféricos de ação prolongada, com a pseudoefedrina, que é um agente vasoconstritor que exerce efeito descongestionante das vias aéreas superiores.

Indicações de Loranil-D

Loranil-D é indicado para alívio sintomático1 dos processos congestivos de vias aéreas superiores, observados nos casos de refriado comum e rinite2 alérgica.

Contra-Indicações:   de Loranil-D

Loranil-D é contra indicado em pacientes que apresentam hipersensibilidade à loratadina, à pseudoefedrina ou a qualquer componente da fórmula.

Precauções de Loranil-D

Os simpaticomiméticos podem estimulat o SNC3 e causar colapso4 cardiovascular e hipotensão5. Os simpaticomiméticos devem ser administrados com cuidado nos portadores de úlcera péptica6, obstrução piloroduodenal, obstrução do colo7 da bexiga8, doença cardiovascular ou aumento da pressão intraocular9.Os agentes simpaticomiméticos podem causar reações adversas em pacientes com mais de 60 anos, tais como: depressão do SNC3, confusão e parada cárdio-respiratória. Deve-se ter cautela quando administrar simpaticomiméticos em fórmula de ação prolongada a estes pacientes. Não foi estabelecido se o uso combinado de loratadina e pseudoefedrina pode trazer riscos quando administrado durante a gravidez10 e lactação11. Nesses casos, sua utilização deverá ser feita após avaliação médica do risco-benefício potencial.

Reações Adversas de Loranil-D

A maioria dos estudos demonstrou baixa incidência12 de efeitos adversos. Os mais freqüentes relatados foram boca13 seca (9%), insônia (6%) e agitação (4%), mais tais efeitos foram leves e não determinaram suspensão do tratamento.

Posologia de Loranil-D

Loranil-D comprimidosAdultos e crianças acima de 12 anos: 1 comprimido a cada 12 horas.

Loranil-D xarope
Crianças de 6 a 12 anos de idade com mais de 30 kg de peso: 5 mL a cada 12 horas.

Crianças de 6 a 12 anos de idade com menos de 30 kg de peso: 2,5 mL a cada 12 horas.

Superdosagem de Loranil-D

Os sintomas14 da superdosagem podem variar da depressão do SNC3 (sedação15, diminuição da capacidade mental, apnéia16, cianose17, coma18) até o estímulo do SNC3 (insônia, alucinação19, tremores e convulsão20). A possibilidade de estímulo é mais provável em crianças (como boca13 seca, pupilas dilatadas, rubor e hipertermia).
Outros sintomas14 de superdosagem de simpaticomiméticos são: náusea21, dor de cabeça22, sudorese23, sede, vômitos24, taquicardia25, palpitação26, ansiedade, nervosismo, insônia e dificuldade de urinar.
Caso ocorra a superdosagem o tratamenro sintomático1 deve ser instituído imediatamente. Deve-se induzir ao vômito27 caso o paciente esteja consciente. Caso seja necessário pode-se utilizar o xarope de ipecacuanha. Após a emese28 deve-se administrar carvão ativo suspenso em água para absorver o restante da droga. Se não for possível a indução ao vômito27, deve-se realizar a lavagem gástrica29 com solução fisiológica30.
Não se deve usar estimulantes.
Pode-se usar diazepam para controlar as convulões.
Caso haja necessidade, pode-se controlar a hiperpirexia com banhos de água morna.
Em caso de apnéia16, deve-se auxiliar a ventilação31.
Manter o paciente sob vigilância médica após o tratamento de urgência32.

Venda Sob Prescrição Médica

LORANIL-D - Laboratório

LIBBS
Rua Raul Pompéia, 1103
São Paulo/SP - CEP: 05025-011
Tel: (11 3)676-0655
Fax: (11 )864-6150
Email: libbs@libbs.com.br
Site: http://www.libbs.com.br/
08000-135044

Ver outros medicamentos do laboratório "LIBBS"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Sintomático: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
2 Rinite: Inflamação da mucosa nasal, produzida por uma infecção viral ou reação alérgica. Manifesta-se por secreção aquosa e obstrução das fossas nasais.
3 SNC: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
4 Colapso: 1. Em patologia, é um estado semelhante ao choque, caracterizado por prostração extrema, grande perda de líquido, acompanhado geralmente de insuficiência cardíaca. 2. Em medicina, é o achatamento conjunto das paredes de uma estrutura. 3. No sentido figurado, é uma diminuição súbita de eficiência, de poder. Derrocada, desmoronamento, ruína. 4. Em botânica, é a perda da turgescência de tecido vegetal.
5 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
6 Úlcera péptica: Lesão na mucosa do esôfago, estômago ou duodeno. Também chamada de úlcera gástrica ou duodenal. Pode ser provocada por excesso de ácido clorídrico produzido pelo próprio estômago ou por medicamentos como antiinflamatórios ou aspirina. É uma doença infecciosa, causada pela bactéria Helicobacter pylori em quase 100% dos casos. Os principais sintomas são: dor, má digestão, enjôo, queimação (azia), sensação de estômago vazio.
7 Colo: O segmento do INTESTINO GROSSO entre o CECO e o RETO. Inclui o COLO ASCENDENTE; o COLO TRANSVERSO; o COLO DESCENDENTE e o COLO SIGMÓIDE.
8 Bexiga: Órgão cavitário, situado na cavidade pélvica, no qual é armazenada a urina, que é produzida pelos rins. É uma víscera oca caracterizada por sua distensibilidade. Tem a forma de pêra quando está vazia e a forma de bola quando está cheia.
9 Pressão intraocular: É a medida da pressão dos olhos. É a pressão do líquido dentro do olho.
10 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
11 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
12 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
13 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
14 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
15 Sedação: 1. Ato ou efeito de sedar. 2. Aplicação de sedativo visando aliviar sensação física, por exemplo, de dor. 3. Diminuição de irritabilidade, de nervosismo, como efeito de sedativo. 4. Moderação de hiperatividade orgânica.
16 Apnéia: É uma parada respiratória provocada pelo colabamento total das paredes da faringe que ocorre principalmente enquanto a pessoa está dormindo e roncando. No adulto, considera-se apnéia após 10 segundos de parada respiratória. Como a criança tem uma reserva menor, às vezes, depois de dois ou três segundos, o sangue já se empobrece de oxigênio.
17 Cianose: Coloração azulada da pele e mucosas. Pode significar uma falta de oxigenação nos tecidos.
18 Coma: 1. Alteração do estado normal de consciência caracterizado pela falta de abertura ocular e diminuição ou ausência de resposta a estímulos externos. Pode ser reversível ou evoluir para a morte. 2. Presente do subjuntivo ou imperativo do verbo “comer.“
19 Alucinação: Perturbação mental que se caracteriza pelo aparecimento de sensações (visuais, auditivas, etc.) atribuídas a causas objetivas que, na realidade, inexistem; sensação sem objeto. Impressão ou noção falsa, sem fundamento na realidade; devaneio, delírio, engano, ilusão.
20 Convulsão: Episódio agudo caracterizado pela presença de contrações musculares espasmódicas permanentes e/ou repetitivas (tônicas, clônicas ou tônico-clônicas). Em geral está associada à perda de consciência e relaxamento dos esfíncteres. Pode ser devida a medicamentos ou doenças.
21 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
22 Cabeça:
23 Sudorese: Suor excessivo
24 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
25 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
26 Palpitação: Designa a sensação de consciência do batimento do coração, que habitualmente não se sente. As palpitações são detectadas usualmente após um exercício violento, em situações de tensão ou depois de um grande susto, quando o coração bate com mais força e/ou mais rapidez que o normal.
27 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
28 Êmese: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Sinônimo de vômito. Pode ser classificada como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
29 Lavagem gástrica: É a introdução, através de sonda nasogástrica, de líquido na cavidade gástrica, seguida de sua remoção.
30 Fisiológica: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
31 Ventilação: 1. Ação ou efeito de ventilar, passagem contínua de ar fresco e renovado, num espaço ou recinto. 2. Agitação ou movimentação do ar, natural ou provocada para estabelecer sua circulação dentro de um ambiente. 3. Em fisiologia, é o movimento de ar nos pulmões. Perfusão Em medicina, é a introdução de substância líquida nos tecidos por meio de injeção em vasos sanguíneos.
32 Urgência: 1. Necessidade que requer solução imediata; pressa. 2. Situação crítica ou muito grave que tem prioridade sobre outras; emergência.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre LORANIL-D?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.