BENZILPENICILINA BENZATINA

NEO QUIMICA

Atualizado em 03/06/2015

Composição da Benzilpenicilina Benzatina

cada frasco-ampola contém: benzilpenicilinamolhável 600.000 U ou 1.200.000 UI. Recomendamos o uso de nosso diluente (água para injeção1 3,0 ml).

Posologia e Administração da Benzilpenicilina Benzatina

a critério médico pode ser adotada a seguinte posologia: profilaxia da glomerulonefrite2 e febre reumática3: 1.200.000 UI a cada 30 dias ou 600.000 UI de 15 em 15 dias. Infecções4 estreptocócicas do trato respiratório superior e pele5: adultos: dose única de 1.200.000 UI. Crianças acima de 27 kg/peso: dose única de 900.000 UI. Crianças abaixo de 27 kg/peso: de 300.000 a 600.000 UI em dose única. Infecções4 venéreas: sífilis6 congênita7: crianças até 2 anos: 50.000 UI/kg/peso corpóreo. Crianças de 2 a 12 anos: a critério médico. Sífilis6 tardia e neurossífilis: 3 doses de 2.400.000 UI com intervalos de 7 dias entre as doses. Sífilis6 primária e secundária: dose única de 2.400.000 UI. Sífilis6 endêmica, pinta e bouba: dose única de 1.200.000 UI. Para as demais infecções4, posologia a critério médico.

Precauções da Benzilpenicilina Benzatina

o uso prolongado deste produto favorece a proliferação de microorganismos resistentes, incluindo fungos. Antes de se iniciar o tratamento, deve-se fazer uma investigação minuciosa sobre a ocorrência de casos anteriores de hipersensibilidade às penicilinas, cefalosporinas e outros alérgenos8. Se durante a injeção1 de Benzilpenicilina Benzatina aparecerem sintomas9 de reação anafilática10, deve-se interromper a injeção1 e iniciar o tratamento imediato com epinefrina e corticosteróides endovenosos, com controle respiratório através de oxigênio e se necessário intubação. Recomenda-se máxima cautela na administração do medicamento, evitando-se injeção1 intra-arterial, intravenosa ou nas proximidades de troncos nervosos, o que poderá causar sérias lesões11 neurovasculares (mielite12, gangrena13, cianose14, fibrose15 e atrofia16 do quadríceps femoral) especialmente em crianças menores. Apesar de não serem conhecidos efeitos tóxicos em fetos ou lactentes17, Benzilpenicilina Benzatina atravessa a barreira placentária e aparece no leite materno, devendo seu uso, em pacientes grávidas ou em fase de lactação18, ser estritamente a critério médico. Pacientes em uso do medicamento podem apresentar falsos resultados nos testes de glicosúria19 realizados pelo método do sulfato de cobre. O uso em idosos (acima de 65 anos) requer rigoroso acompanhamento médico. - Interações medicamentosas: a administração de Benzilpenicilina Benzatina com tetraciclinas deve ser evitada, pois as tetraciclinas antagonizam o efeito bactericida das penicilinas. A probenecida prolonga e aumenta os níveis séricos das penicilinas, pois diminui a sua taxa de excreção.

Reações Adversas da Benzilpenicilina Benzatina

as reações mais comuns são de hipersensibilidade incluindo: erupções cutâneas20, edema21 de laringe22, febre23, urticária24, eosinofilia25; alguns pacientes apresentam calafrios26, artralgia27 e prostração28. Raramente podem ocorrer efeitos hematológicos (anemia hemolítica29, leucopenia30, trombocitopenia31), neuropatias e nefropatias32.

Contra-Indicações da Benzilpenicilina Benzatina

a pacientes que tenham apresentado sintomas9 de hipersensibilidade a qualquer outra penicilina. A injeção1 não deve ser administrada nas proximidades de nervos e artérias33.

Indicações da Benzilpenicilina Benzatina

tratamento e profilaxia de doenças reumáticas, incluindo recorrências34 da febre reumática3 e da glomerulonefrite2 aguda; no tratamento de infecções4 venéreas, tais como: sífilis6, sífilis6 endêmica, bouba e pinta; nas infecções4 do trato respiratório superior e da pele5, provocado por estreptococus susceptíveis (grupo A). É também indicada para o tratamento de outras infecções4 causadas por germes sensíveis à penicilina G.

Apresentação da Benzilpenicilina Benzatina

caixa com 1 frasco-ampola de 600.000 UI. Caixa com 50 frascos-ampola de 600.000 UI. Caixa com 1 frasco-ampola de 1.200.000 UI. Caixa com 50 frascos-ampola de 1.200.000 UI.


BENZILPENICILINA BENZATINA - Laboratório

NEO QUIMICA
Rua VPR 1, Quadra 2-A, Mód. 4
Anápolis/GO - CEP: 75133600
Tel: (62 )316-1055
Fax: (62 )316-1022

Ver outros medicamentos do laboratório "NEO QUIMICA"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
2 Glomerulonefrite: Inflamação do glomérulo renal, produzida por diferentes mecanismos imunológicos. Pode produzir uma lesão irreversível do funcionamento renal, causando insuficiência renal crônica.
3 Febre reumática: Doença inflamatória produzida como efeito inflamatório anormal secundário a infecções repetidas por uma bactéria chamada estreptococo beta-hemolítico do grupo A. Caracteriza-se por inflamação das articulações, febre, inflamação de uma ou mais de uma estrutura cardíaca, alterações neurológicas, eritema cutâneo. Com o tratamento mais intensivo da faringite estreptocócica, a freqüência desta doença foi consideravelmente reduzida.
4 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
5 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
6 Sífilis: Doença transmitida pelo contato sexual, causada por uma bactéria de forma espiralada chamada Treponema pallidum. Produz diferentes sintomas de acordo com a etapa da doença. Primeiro surge uma úlcera na zona de contato com inflamação dos gânglios linfáticos regionais. Após um período a lesão inicial cura-se espontaneamente e aparecem lesões secundárias (rash cutâneo, goma sifilítica, etc.). Em suas fases tardias pode causar transtorno neurológico sério e irreversível, que felizmente após o advento do tratamento com antibióticos tem se tornado de ocorrência rara. Pode ser causa de infertilidade e abortos espontâneos repetidos.
7 Congênita: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
8 Alérgenos: Substância capaz de provocar reação alérgica em certos indivíduos.
9 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
10 Reação anafilática: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
11 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
12 Mielite: Doença caracterizada pela inflamação infecciosa ou imunológica da medula espinhal, que se caracteriza pelo surgimento de déficits de força ou sensibilidade de diferentes territórios do corpo dependendo da região da medula que está comprometida.
13 Gangrena: Morte de um tecido do organismo. Na maioria dos casos é causada por ausência de fluxo sangüíneo ou infecção. Pode levar à amputação do local acometido.
14 Cianose: Coloração azulada da pele e mucosas. Pode significar uma falta de oxigenação nos tecidos.
15 Fibrose: 1. Aumento das fibras de um tecido. 2. Formação ou desenvolvimento de tecido conjuntivo em determinado órgão ou tecido como parte de um processo de cicatrização ou de degenerescência fibroide.
16 Atrofia: 1. Em biologia, é a falta de desenvolvimento de corpo, órgão, tecido ou membro. 2. Em patologia, é a diminuição de peso e volume de órgão, tecido ou membro por nutrição insuficiente das células ou imobilização. 3. No sentido figurado, é uma debilitação ou perda de alguma faculdade mental ou de um dos sentidos, por exemplo, da memória em idosos.
17 Lactentes: Que ou aqueles que mamam, bebês. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
18 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
19 Glicosúria: Presença de glicose na urina.
20 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
21 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
22 Laringe: É um órgão fibromuscular, situado entre a traqueia e a base da língua que permite a passagem de ar para a traquéia. Consiste em uma série de cartilagens, como a tiroide, a cricóide e a epiglote e três pares de cartilagens: aritnoide, corniculada e cuneiforme, todas elas revestidas de membrana mucosa que são movidas pelos músculos da laringe. As dobras da membrana mucosa dão origem às pregas vocais.
23 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
24 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
25 Eosinofilia: Propriedade de se corar facilmente pela eosina. Em patologia, é o aumento anormal de eosinófilos no sangue, característico de alergias e infestações por parasitas. Em patologia, é o acúmulo de eosinófilos em um tecido ou exsudato.
26 Calafrios: 1. Conjunto de pequenas contrações da pele e dos músculos cutâneos ao longo do corpo, muitas vezes com tremores fortes e palidez, que acompanham uma sensação de frio provocada por baixa temperatura, má condição orgânica ou ainda por medo, horror, nojo, etc. 2. Sensação de frio e tremores fortes, às vezes com bater de dentes, que precedem ou acompanham acessos de febre.
27 Artralgia: Dor em uma articulação.
28 Prostração: 1. Ato ou efeito de prostrar(-se); prosternação 2. Debilidade física; fraqueza, abatimento, moleza. 3. Abatimento psíquico ou moral; depressão.
29 Anemia hemolítica: Doença hereditária que faz com que os glóbulos vermelhos do sangue se desintegrem no interior dos veios sangüíneos (hemólise intravascular) ou em outro lugar do organismo (hemólise extravascular). Pode ter várias causas e ser congênita ou adquirida. O tratamento depende da causa.
30 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
31 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
32 Nefropatias: Lesões ou doenças dos rins.
33 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
34 Recorrências: 1. Retornos, repetições. 2. Em medicina, é o reaparecimento dos sintomas característicos de uma doença, após a sua completa remissão. 3. Em informática, é a repetição continuada da mesma operação ou grupo de operações. 4. Em psicologia, é a volta à memória.

Tem alguma dúvida sobre BENZILPENICILINA BENZATINA?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.