Preço de SAPHRIS em Ann Arbor/SP: R$ 224,85

SAPHRIS

Schering Plough

Atualizado em 09/12/2014

SAPHRIS

(maleato de asenapina)

Schering‐Plough Indústria Farmacêutica Ltda.

Comprimidos sublinguais

5 mg

10 mg

Identificação de Saphris

SAPHRIS

maleato de asenapina

Apresentações de Saphris


Comprimidos sublinguais de:

 - 5 mg em embalagem com 20 ou 60 comprimidos sublinguais.

 - 10 mg em embalagem com 20 ou 60 comprimidos sublinguais.

USO SUBLINGUAL

USO ADULTO

Composição de Saphris

SAPHRIS 5 mg:

Cada comprimido sublingual contém 5 mg de asenapina, correspondente a 7,03 mg de maleato de asenapina.

Excipientes: gelatina e manitol.

SAPHRIS 10 mg:

Cada comprimido sublingual contém 10 mg de asenapina, correspondente a 14,06 mg de maleato de asenapina.

Excipientes: gelatina e manitol.

Informações ao Paciente de Saphris


Recomenda-se a leitura cuidadosa desta bula antes de iniciar o tratamento com esse medicamento.

- Guarde esta bula. Você pode precisar ler as informações novamente em outra ocasião.

- Se você tiver alguma dúvida, peça auxílio ao seu médico ou farmacêutico.

- Esse medicamento foi receitado para você e não deve ser fornecido a outras pessoas, pois pode ser prejudicial a elas, mesmo que os sintomas1 que elas apresentem sejam iguais aos seus.

- Se algum dos efeitos colaterais2 se tornar grave ou se você apresentar algum efeito colateral3 que não esteja mencionado nesta bula, informe ao seu médico ou farmacêutico.

1. PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

O SAPHRIS pertence a um grupo de medicamentos chamados antipsicóticos. O SAPHRIS está indicado no tratamento da esquizofrenia4 e dos episódios de mania ou mistos associados ao transtorno bipolar do tipo I.

A esquizofrenia4 é uma doença com sintomas1 tais como ouvir, ver ou sentir coisas que não estão presentes, ter crenças erradas, desconfianças incomuns, se tornar voltado para si mesmo, apresentar comportamento ou fala incoerentes e redução da amplitude das respostas emocionais.

As pessoas com essa doença podem também se sentir deprimidas, ansiosas, culpadas ou tensas.

Os episódios de mania associados com o transtorno bipolar do tipo I são uma condição com sintomas1 tais como sensação de "elevação" do animo, de ter energia em excesso, necessitar de muito menos sono do que o habitual, falar rapidamente, com muitas ideias ao mesmo tempo e algumas vezes com irritabilidade intensa.

2. COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

O SAPHRIS é um medicamento antipsicótico que age no sistema nervoso central5 e cuja ação se inicia dentro de meia até uma hora e meia após a colocação do comprimido embaixo da língua6.

3. QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Não use o SAPHRIS se for alérgico (hipersensível) à asenapina ou a quaisquer dos componentes da fórmula do produto.

4. O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Recomenda-se cuidado especial com o SAPHRIS nas seguintes condições:

- O SAPHRIS não foi estudado em pacientes idosos com demência7. Entretanto, esses pacientes, quando tratados com outros medicamentos semelhantes, podem apresentar um aumento do risco de derrame8 ou morte. O SAPHRIS não é aprovado para o tratamento de pacientes idosos com demência7 e não é recomendado para uso por este grupo particular de pacientes.

- Nas fases iniciais do tratamento algumas pessoas podem desmaiar, especialmente ao levantar quando estão sentadas ou deitadas. Isso é mais provável de acontecer se você for idoso. Isso geralmente desaparece espontaneamente, mas se persistir consulte o seu médico.

Converse com seu médico imediatamente se você tiver:

- Movimentos rítmicos involuntários da língua6, boca9 ou face10. A interrupção do SAPHRIS pode ser necessária.

- Febre11, rigidez muscular grave, sudorese12 ou um nível de consciência diminuído (sintomas1 de uma condição chamada “síndrome neuroléptica maligna”). Pode ser necessário um tratamento médico imediato.

Confira com o seu médico ou com o farmacêutico antes de tomar o SAPHRIS:

- Se foi diagnosticado com uma condição cujos sintomas1 incluem alta temperatura corporal e rigidez dos músculos13 (também conhecida como síndrome14 neuroléptica maligna).

- Se apresentou movimentos anormais da língua6 ou da face10 (discinesia tardia15).

Você deve estar ciente de que as duas condições citadas anteriormente podem ser causadas por esse tipo de medicamento.

- Se tem uma doença do coração16 ou faz tratamento para doença do coração16 que o torna propenso a apresentar pressão sanguínea baixa.

- Se é diabético ou apresenta tendência a ser diabético.

- Se tem epilepsia17 (convulsões).

- Se apresenta qualquer dificuldade para engolir (disfagia18).

- Se tem problemas graves da função do fígado19. Se você tiver estes problemas, você não deve tomar o SAPHRIS.

- Se apresenta dificuldade para controlar a temperatura central do corpo.

- Se tem pensamentos suicidas.

- Se apresenta nível aumentado do hormônio20 prolactina21 no sangue22 (hiperprolactinemia).

- Se tem reações alérgicas como inchaço23 do rosto, lábios, língua6 ou garganta24, dificuldade para respirar, sensação de tontura25 e erupção26 cutânea27.

Informe ao seu médico se você apresentar alguma dessas condições, pois ele poderá ajustar a dose do SAPHRIS ou monitorar o seu estado clínico por algum tempo. Também contate o seu médico se alguma dessas condições aparecer ou piorar enquanto estiver tomando o SAPHRIS.

Gravidez28 e lactação29

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Peça orientação ao seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento.

Não tome o SAPHRIS se estiver grávida, a menos que o seu médico tenha recomendado o uso desse medicamento. Se você estiver tomando o SAPHRIS e ficar grávida, ou se pretender engravidar, pergunte imediatamente ao seu médico se você pode continuar o tratamento com o SAPHRIS.

Os seguintes sintomas1 podem ocorrer em bebês30 recém-nascidos, de mães que usaram antipsicóticos no último trimestre (últimos três meses de gravidez28): tremor, rigidez muscular e/ou fraqueza, sonolência, agitação, problemas de respiração e dificuldade de alimentação. Se seu bebê desenvolver qualquer um destes sintomas1 você pode precisar contatar o seu médico.

Não amamente durante o tratamento com o SAPHRIS.

Crianças e adolescentes

O uso do SAPHRIS por indivíduos com idade abaixo de 18 anos não é recomendado pela falta de informações sobre sua segurança e eficácia neste grupo de idade.

Efeitos sobre a habilidade de dirigir e operar máquinas

O SAPHRIS pode afetar o seu estado de alerta ou a sua concentração. Certifique-se que estas habilidades não estão afetadas antes de dirigir ou operar máquinas.

Uso concomitante com outros medicamentos

Informe ao seu médico ou farmacêutico se estiver tomando ou tomou recentemente qualquer outro medicamento, inclusive aqueles obtidos sem receita médica.

Se estiver tomando outros medicamentos, o SAPHRIS deve ser tomado por último.

Informe ao seu médico se está tomando antidepressivos (especificamente fluvoxamina, paroxetina ou fluoxetina), pois poderá ser necessário modificar a dose do SAPHRIS ou do antidepressivo.

Uma vez que o SAPHRIS age principalmente sobre o cérebro31, pode ocorrer interferência com outros medicamentos (ou com bebidas alcoólicas) que agem sobre o cérebro31, devido a um efeito aditivo sobre a função cerebral.

Uma vez que o SAPHRIS pode reduzir a pressão sanguínea, recomenda-se cautela quando for administrado juntamente com outros medicamentos redutores da pressão sanguínea.

Uso concomitante do SAPHRIS com alimentos e bebidas

Não coma32 nem beba, depois de usar o comprimido sublingual, durante 10 minutos.

Não beba bebidas alcoólicas durante o tratamento com o SAPHRIS.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde33.

5. ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Conservar em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C). Proteger da luz e umidade.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Os comprimidos sublinguais do SAPHRIS são redondos, de cor branca ou esbranquiçada, marcados em um dos lados com “5” para SAPHRIS 5 mg e com “10” para SAPHRIS 10 mg.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

6. COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

O SAPHRIS deve ser sempre tomado conforme as instruções de seu médico ou farmacêutico.

Contate o seu médico ou farmacêutico em caso de dúvidas. A dose usual do SAPHRIS é de 1 comprimido de 5 ou 10 mg duas vezes ao dia.

Retire o comprimido do blíster apenas imediatamente antes do uso. Manuseie com as mãos34 secas. Não aperte o comprimido contra o blíster. Não corte ou rasgue a embalagem. Puxe para trás a aba colorida (Figura 1). Retire cuidadosamente o comprimido da embalagem (Figura 2).

Não quebre o comprimido.

Coloque-o embaixo da língua6 para garantir uma melhor absorção e espere até que o comprimido dissolva completamente (Figura 3). O comprimido dissolve na saliva dentro de segundos. Não engula ou mastigue o comprimido. Não beba nem coma32 durante 10 minutos após usar o comprimido.

Se você interromper o tratamento com o SAPHRIS, os efeitos do medicamento serão perdidos.

Não interrompa o tratamento com o SAPHRIS, a menos que essa seja a orientação do seu médico, pois os seus sintomas1 podem reaparecer.

Se você tiver qualquer dúvida sobre o uso desse medicamento contate o seu médico ou o farmacêutico.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

7. O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Se você esquecer de tomar o SAPHRIS não tome uma dose dobrada para compensar a dose esquecida. Se perder uma dose, tome a próxima no horário habitual. Se você esquecer de tomar duas ou mais doses, contate o seu médico.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião dentista.

8. QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Assim como qualquer medicamento, o SAPHRIS pode causar reações adversas, embora nem todas as pessoas as apresentem.

Reação adversa muito comum (ocorre em mais de 1 usuário em cada 10)

- sonolência

Reações adversas comuns (ocorrem em 1 a 10 usuários em cada 100)

- ganho de peso

- aumento do apetite

- “preguiça”

- inquietação

- movimentos lentos e tremores

- contrações musculares lentas ou mantidas

- tontura25

- alteração no paladar35

- contrações musculares involuntárias

- sensação de dormência36 na língua6 ou boca9

- fadiga37

- aumento no nível de proteínas38 do fígado19

Reações adversas incomuns (ocorrem em 1 a 10 usuários em cada 1.000)

- episódios de fadiga37

- convulsão39

- movimentos musculares anormais (uma coleção de sintomas1 conhecidos como sintomas1 extrapiramidais [SEP] que podem incluir um ou mais dos seguintes: movimentos musculares anormais da língua6 ou mandíbula40, contrações musculares lentas ou sustentadas, espasmos41 musculares, tremores, movimentos anormais dos olhos42, contrações musculares involuntárias, movimentos lentos ou inquietação)

- problemas de fala

- batimentos rápidos ou anormalmente lentos do coração16

- bloqueio cardíaco43 médio

- pressão sanguínea baixa ao se levantar

- formigamento da língua6 ou na boca9

- língua6 inchada ou dolorida

- dificuldade para engolir

Reações adversas raras (ocorrem em 1 a 10 usuários em cada 10.000)

- síndrome14 neuroléptica maligna (confusão, perda ou redução da consciência, febre11 alta e rigidez muscular grave)

- dificuldade de focar com os olhos42

Reações adversas com frequência desconhecida

- reações alérgicas como inchaço23 do rosto, lábios, língua6 ou garganta24 e dificuldade para respirar

- úlceras44 na boca9 e dor na boca9

- aumento da saliva (baba)

- ansiedade

Se alguma dessas reações adversas se tornar grave, ou se você notar qualquer efeito indesejável que não esteja mencionado nesta bula, informe ao seu médico ou farmacêutico.

Atenção: este produto é um medicamento novo e, embora as pesquisas tenham indicado eficácia e segurança aceitáveis, mesmo que indicado e utilizado corretamente, podem ocorrer eventos adversos imprevisíveis ou desconhecidos. Nesse caso, informe seu médico ou cirurgião-dentista.

9. O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Se você tomar um número excessivo de comprimidos do SAPHRIS contate um médico imediatamente, pois pode ocorrer agitação e confusão mental.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Dizeres Legais de Saphris


MS 1.0171.0188

Farm. Resp.: Cristina Matushima - CRF-SP nº 35.496

Registrado e importado por: Schering-Plough Indústria Farmacêutica Ltda.

Rua João Alfredo, 353 – São Paulo – SP

CNPJ 03.560.974/0001-18 – Brasil

Fabricado por: Catalent UK Swindon Zydis Limited, Swindon, Reino Unido

Embalado por: Organon (Ireland) Ltd., Swords, Irlanda

Comercializado por: Lundbeck Brasil Ltda.

Central de Relacionamento

0800 2824445

Venda sob prescrição médica.

Só Pode ser Vendido com Retenção da Receita.

SAPHRIS - Laboratório

Schering Plough
Rua Alexandre Dumas, 2220 - 7°
São Paulo/SP - CEP: 04717004
Tel: (11 5)181-7505
Fax: (11 5)181-2769

Ver outros medicamentos do laboratório "Schering Plough"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
2 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
3 Efeito colateral: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
4 Esquizofrenia: Doença mental do grupo das Psicoses, caracterizada por alterações emocionais, de conduta e intelectuais, caracterizadas por uma relação pobre com o meio social, desorganização do pensamento, alucinações auditivas, etc.
5 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
6 Língua:
7 Demência: Deterioração irreversível e crônica das funções intelectuais de uma pessoa.
8 Derrame: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
9 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
10 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
11 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
12 Sudorese: Suor excessivo
13 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
14 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
15 Discinesia tardia: Síndrome potencialmente irreversível, caracterizada por movimentos repetitivos, involuntários e não intencionais dos músculos da língua, boca, face, pescoço e (mais raramente) das extremidades. Ela se caracteriza por movimentos discinéticos involuntários e irreversíveis e pode se desenvolver com o uso de medicamentos tais como antipsicóticos e neurolépticos.
16 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
17 Epilepsia: Alteração temporária e reversível do funcionamento cerebral, que não tenha sido causada por febre, drogas ou distúrbios metabólicos. Durante alguns segundos ou minutos, uma parte do cérebro emite sinais incorretos, que podem ficar restritos a esse local ou espalhar-se. Quando restritos, a crise será chamada crise epiléptica parcial; quando envolverem os dois hemisférios cerebrais, será uma crise epiléptica generalizada. O paciente pode ter distorções de percepção, movimentos descontrolados de uma parte do corpo, medo repentino, desconforto no estômago, ver ou ouvir de maneira diferente e até perder a consciência - neste caso é chamada de crise complexa. Depois do episódio, enquanto se recupera, a pessoa pode sentir-se confusa e ter déficits de memória. Existem outros tipos de crises epilépticas.
18 Disfagia: Sensação consciente da passagem dos alimentos através do esôfago. Pode estar associado a doenças motoras, inflamatórias ou tumorais deste órgão.
19 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
20 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
21 Prolactina: Hormônio secretado pela adeno-hipófise. Estimula a produção de leite pelas glândulas mamárias. O aumento de produção da prolactina provoca a hiperprolactinemia, podendo causar alteração menstrual e infertilidade nas mulheres. No homem, gera impotência sexual (por prejudicar a produção de testosterona) e ginecomastia (aumento das mamas).
22 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
23 Inchaço: Inchação, edema.
24 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
25 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
26 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
27 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
28 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
29 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
30 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
31 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
32 Coma: 1. Alteração do estado normal de consciência caracterizado pela falta de abertura ocular e diminuição ou ausência de resposta a estímulos externos. Pode ser reversível ou evoluir para a morte. 2. Presente do subjuntivo ou imperativo do verbo “comer.“
33 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
34 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
35 Paladar: Paladar ou sabor. Em fisiologia, é a função sensorial que permite a percepção dos sabores pela língua e sua transmissão, através do nervo gustativo ao cérebro, onde são recebidos e analisados.
36 Dormência: 1. Estado ou característica de quem ou do que dorme. 2. No sentido figurado, inércia com relação a se fazer alguma coisa, a se tomar uma atitude, etc., resultando numa abulia ou falta de ação; entorpecimento, estagnação, marasmo. 3. Situação de total repouso; quietação. 4. No sentido figurado, insensibilidade espiritual de um ser diante do mundo. Sensação desagradável caracterizada por perda da sensibilidade e sensação de formigamento, e que geralmente ocorre nas extremidades dos membros. 5. Em biologia, é um período longo de inatividade, com metabolismo reduzido ou suspenso, geralmente associado a condições ambientais desfavoráveis; estivação.
37 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
38 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
39 Convulsão: Episódio agudo caracterizado pela presença de contrações musculares espasmódicas permanentes e/ou repetitivas (tônicas, clônicas ou tônico-clônicas). Em geral está associada à perda de consciência e relaxamento dos esfíncteres. Pode ser devida a medicamentos ou doenças.
40 Mandíbula: O maior (e o mais forte) osso da FACE; constitui o maxilar inferior, que sustenta os dentes inferiores. Sinônimos: Forame Mandibular; Forame Mentoniano; Sulco Miloióideo; Maxilar Inferior
41 Espasmos: 1. Contrações involuntárias, não ritmadas, de um ou vários músculos, podendo ocorrer isolada ou continuamente, sendo dolorosas ou não. 2. Qualquer contração muscular anormal. 3. Sentido figurado: arrebatamento, exaltação, espanto.
42 Olhos:
43 Bloqueio cardíaco: Transtorno da condução do impulso elétrico no tecido cardíaco especializado, manifestado por uma diminuição variável da freqüência dos batimentos cardíacos.
44 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.

Tem alguma dúvida sobre SAPHRIS?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.