CETOCONAZOL Comprimido

Lab. Honorterápica Ltda.

Atualizado em 08/12/2014

Composição de Cetoconazol Comprimido

cada comprimido contém: cetoconazol 200 mg;excipientes q.s.p. 1 comprimido.

Posologia e Administração de Cetoconazol Comprimido

adultos: candidíase1 vaginal: dois comprimidos (400 mg) em uma só tomada diária, durante 5 dias Todas as demais

Precauções de Cetoconazol Comprimido

é importante alertar o paciente sob tratamento prolongado com Cetoconazol para observar eventuais queixas de patologia2 hepática3, tais como, astenia4 pronunciada com febre5, urina6 escura, fezes esbranquiçadas ou icterícia7. Estar atento para os fatores que podem aumentar o risco de hepatite8: mulheres acima de 50 anos, tratamento anterior com griseofulvina, história pregressa de doença hepática3, intolerância conhecida à droga, tratamento prolongado e uso concomitante de medicação que pode comprometer a função do fígado9. Os testes de avaliação da função hepática3 devem acompanhar os tratamentos com Cetoconazol, com duração superior a duas semanas (antes do tratamento, duas semanas após o início e depois a cada mês). Quando houver confirmação de doença hepática3, a terapia deve ser interrompida. Deve-se notar, entretanto, que em pacientes com infecções10 micóticas tratados com Cetoconazol ou não, um aumento assintomático leve e transitório das transaminases ou da fosfatase alcalina11 pode ocorrer. Algumas vezes esta reação assintomática é inofensiva e não requer a descontinuação da terapia. Após um tratamento com griseofulvina, é aconselhável esperar um mês antes de iniciar uma terapia com Cetoconazol. A administração concomitante de terfenadina e astemizol com Cetoconazol é contra-indicada. Em voluntários tratados com doses diárias iguais ou superiores a 400 mg, Cetoconazol foi capaz de reduzir a resposta de cortisol à estimulação por ACTH, sendo assim, dever-se-á monitorizar a função supra-renal12 em pacientes no limite da normalidade, além dos pacientes em períodos prolongados de estresse (grande cirurgia, tratamento intensivo). Emprego na gravidez13 e lactação14: não se dispõe de dados clínicos seguros que recomendem a utilização em mulheres grávidas; portanto, Cetoconazol está contra-indicado na gravidez13, a menos que os benefícios no tratamento justifiquem os riscos para o feto15. Como Cetoconazol é, provavelmente, excretado no leite, mulheres que estão sob tratamento não deverão amamentar. - Interações medicamentosas: Cetoconazol deve ser administrado durante uma das refeições diárias para absorção máxima. Cetoconazol necessita de meio ácido no estômago16 para que se obtenha um grau de absorção satisfatório. Deve-se, portanto, evitar a administração concomitante de drogas que diminuem a secreção gástrica (antiácidos17, anticolinérgicos e bloqueadores de receptores H2). Quando estas drogas forem absolutamente necessárias, deverão ser administradas, pelo menos, duas horas depois da tomada de Cetoconazol. A administração concomitante de rifampicina ou isoniazida com Cetoconazol reduz os níveis sangüíneos deste último, ambas as drogas não deverão ser administradas concomitantemente. O Cetoconazol inibe certas enzimas hepáticas18, podendo reduzir a eliminação de medicamentos administrados simultaneamente e cujo metabolismo19 dependa destas enzimas. Exemplos conhecidos de tais interações graves incluem: terfenadina, astemizol, cisaprida, midazolan orais e triazolan. Estes medicamentos não devem ser usados por pacientes tratados com Cetoconazol se midazolan for administrado por via I.V. É necessário que se tomem precauções especiais já que o efeito sedativo pode se prolongar. Ciclosporina, anticoagulantes20, metilpredinisolona e, possivelmente, bussulfano e tracolimus: suas doses devem ser reduzidas se necessário. Reações tipo dissulfiram, caracterizadas por rubor, rash21, edema22 periférico, náusea23, cefaléia24, foram descritas após uso de álcool, de forma excepcional. Todos os sintomas25 se resolveram completamente dentro de poucas horas.

Reações Adversas de Cetoconazol Comprimido

Cetoconazol é muito bem tolerado, em raras circunstâncias podem aparecer queixas de natureza gastrintestinal, náuseas26, cefaléia24, tontura27, fotofobia28, parestesia29, trombocitopenia30, exantema31 ou prurido32. Outros efeitos secundários de incidência33 extremamente baixa são: alopecia34, urticária35, rash21, fontanela36 protuberante (em bebês37) e, em poucos pacientes, reações alérgicas com posologia mais alta que a dose terapêutica38 recomendada de 200 ou 400 mg/dia. Tem sido observado, em casos raros, um quadro reversível de ginecomastia39 e oligospermia em doses terapêuticas de 200 mg/dia. Pode ser observada uma diminuição transitória dos níveis plasmáticos de testosterona, que se normalizam dentro de 24 horas após a administração de Cetoconazol em terapias de longa duração e neste nível de posologia, os níveis de testosterona não diferem significativamente dos controles. Durante o tratamento com Cetoconazol uma hepatite8 muito provavelmente idiossincrática pode se desenvolver raramente (observado em 1/12.000 pacientes). Tal tipo de efeito secundário ocorre mais freqüentemente em pacientes com história pregressa de doença hepática3 ou alergia40 pela droga, mas é sempre reversível quando o tratamento é interrompido a tempo.

Contra-Indicações de Cetoconazol Comprimido

não deve ser administrado a pacientes com patologia2 hepática3 aguda ou crônica e nem a pacientes com hipersensibilidade conhecida à droga.

Indicações de Cetoconazol Comprimido

um comprimido (200 mg) ao dia, até pelo menos uma semana após o desaparecimento dos sintomas25 ou até negativação dos exames micológicos. Em infecções10 muito graves, ou quando a resposta clínica for insuficiente, dentro do prazo previsto, a dose de Cetoconazol pode ser aumentada para 2 comprimidos (400 mg), sempre uma vez ao dia. No tratamento profilático de pacientes imunodeprimidos recomenda-se 2 comprimidos (400 mg), uma vez ao dia. Duração do tratamento, em média: candidíase1 vaginal: 5 dias consecutivos; dermatofitoses e candidíase1 cutânea41: aproximadamente 4 semanas; micoses do couro cabeludo: 4 a 6 semanas; pitiríase versicolor: 10 dias; paracoccidoidomicose, histoplasmose e coccidioidomicose: mínimo de 6 meses; onicomicose42 e candidíase1 mucocutânea crônica: 6 a 12 meses; candidíase1 oral ou cutânea41: 2 a 3 semanas; candidíase1 sistêmica: 4 a 8 semanas. Crianças: as doses foram calculadas de acordo com o peso corpóreo: até 20 kg: 1/2 comprimido (100 mg) uma vez ao dia. De 20 a 40 kg: 1/2 a 1 1/2 (100 a 300 mg) uma vez ao dia. Acima de 40 kg: 2 comprimidos (400 mg) uma vez ao dia. - Superdosagem: no caso de ingestão acidental excessiva, devem ser adotados os procedimentos de rotina, incluindo lavagem gástrica43 com bicarbonato de sódio. Se considerado apropriado pode ser ministrado carvão ativado.

Apresentação de Cetoconazol Comprimido

embalagem contendo 10 e 30 comprimidos.


CETOCONAZOL Comprimido - Laboratório

Lab. Honorterápica Ltda.
Av. Engenheiro Prudente, 119
São Paulo/SP - CEP: 01550-000
Tel: (11 )274-2365
Fax: (11 )215-0576

Ver outros medicamentos do laboratório "Lab. Honorterápica Ltda."

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Candidíase: É o nome da infecção produzida pela Candida albicans, um fungo que produz doença em mucosas, na pele ou em órgãos profundos (candidíase sistêmica).As infecções profundas podem ser mais freqüentes em pessoas com deficiência no sistema imunológico (pacientes com câncer, SIDA, etc.).
2 Patologia: 1. Especialidade médica que estuda as doenças e as alterações que estas provocam no organismo. 2. Qualquer desvio anatômico e/ou fisiológico, em relação à normalidade, que constitua uma doença ou caracterize determinada doença. 3. Por extensão de sentido, é o desvio em relação ao que é próprio ou adequado ou em relação ao que é considerado como o estado normal de uma coisa inanimada ou imaterial.
3 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
4 Astenia: Sensação de fraqueza, sem perda real da capacidade muscular.
5 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
6 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
7 Icterícia: Coloração amarelada da pele e mucosas devido a uma acumulação de bilirrubina no organismo. Existem dois tipos de icterícia que têm etiologias e sintomas distintos: icterícia por acumulação de bilirrubina conjugada ou direta e icterícia por acumulação de bilirrubina não conjugada ou indireta.
8 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
9 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
10 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
11 Fosfatase alcalina: É uma hidrolase, ou seja, uma enzima que possui capacidade de retirar grupos de fosfato de uma distinta gama de moléculas, tais como nucleotídeos, proteínas e alcaloides. Ela é sintetizada por diferentes órgãos e tecidos, como, por exemplo, os ossos, fígado e placenta.
12 Supra-renal:
13 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
14 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
15 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
16 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
17 Antiácidos: É uma substância que neutraliza o excesso de ácido, contrariando o seu efeito. É uma base que aumenta os valores de pH de uma solução ácida.
18 Enzimas hepáticas: São duas categorias principais de enzimas hepáticas. A primeira inclui as enzimas transaminasas alaninoaminotransferase (ALT ou TGP) e a aspartato aminotransferase (AST ou TOG). Estas são enzimas indicadoras do dano às células hepáticas. A segunda categoria inclui certas enzimas hepáticas como a fosfatase alcalina (FA) e a gamaglutamiltranspeptidase (GGT) as quais indicam obstrução do sistema biliar, quer seja no fígado ou nos canais maiores da bile que se encontram fora deste órgão.
19 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
20 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
21 Rash: Coloração avermelhada da pele como conseqüência de uma reação alérgica ou infecção.
22 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
23 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
24 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
25 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
26 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
27 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
28 Fotofobia: Dor ocular ou cefaléia produzida perante estímulos visuais. É um sintoma freqüente na meningite, hemorragia subaracnóidea, enxaqueca, etc.
29 Parestesia: Sensação cutânea subjetiva (ex.: frio, calor, formigamento, pressão, etc.) vivenciada espontaneamente na ausência de estimulação.
30 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
31 Exantema: Alteração difusa da coloração cutânea, caracterizada por eritema, com elevação das camadas mais superficiais da pele (pápulas), vesículas, etc. Pode ser produzido por uma infecção geralmente viral (rubéola, varicela, sarampo), por alergias a medicamentos, etc.
32 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
33 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
34 Alopécia: Redução parcial ou total de pêlos ou cabelos em uma determinada área de pele. Ela apresenta várias causas, podendo ter evolução progressiva, resolução espontânea ou ser controlada com tratamento médico. Quando afeta todos os pêlos do corpo, é chamada de alopécia universal.
35 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
36 Fontanela: Na anatomia geral, é um espaço membranoso entre os ossos do crânio que ainda não se encontra ossificado quando do nascimento do bebê; fontículo ou moleira. Na anatomia zoológica, é uma depressão rasa e pálida da cabeça de certos cupins; fenestra.
37 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
38 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
39 Ginecomastia: Aumento anormal de uma ou ambas as glândulas mamárias no homem. Associa-se a diferentes enfermidades como cirrose, tumores testiculares, etc. Em certas ocasiões ocorrem de forma idiopática.
40 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
41 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
42 Onicomicose: Micose de unha. Apresenta-se com descolamento da borda livre da unha, espessamento, manchas brancas na superfície ou deformação da unha. Quando a micose atinge a pele ao redor da unha, causa a paroníquia (“unheiro“). O contorno ungueal fica inflamado, dolorido, inchado e avermelhado e, por consequência, altera a formação da unha, que cresce ondulada.
43 Lavagem gástrica: É a introdução, através de sonda nasogástrica, de líquido na cavidade gástrica, seguida de sua remoção.

Tem alguma dúvida sobre CETOCONAZOL Comprimido?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.