Preço de AMPICILINA em Fairfield/SP: R$ 16,60

AMPICILINA

NEO QUIMICA

Atualizado em 03/06/2015

Composição da Ampicilina

cada cápsula contém 250 mg e 500 mg deampicilina, respectivamente; excipientes: PVP K-30, álcool etílico, estearato de magnésio e aerosil. Cada frasco-ampola contém, respectivamente, 500 mg e 1,0 g de ampicilina sódica injetável estéril. Pó para suspensão: cada 5 ml contém 250 mg de ampicilina sódica. Excipiente: benzoato de sódio, corante, essência, açúcar1, citrato de sódio, parabenos, aerosil.

Posologia e Administração da Ampicilina

a dosagem de Ampicilina depende da intensidade da infecção2, da idade e da função renal3 do paciente; a dose deve ser reduzida em complicação renal3 severa. Ampicilina usualmente é administrada via oral, mas caso haja algum impedimento, recomenda-se a via injetável (intramuscular profunda ou endovenosa). Ampicilina, a critério médico, deve obedecer a posologia seguinte: infecções4: geniturinárias: adultos: 500 mg de 6 em 6 horas; crianças: 50 a 100 mg/kg/dia a cada 6-8 horas. Respiratórias: adultos: 250 a 500 mg de 6 em 6 horas; crianças: 25 a 50 mg/kg/dia a cada 6-8 horas. Gastrintestinais: adultos: 500 mg de 6 em 6 horas; crianças: 50 a 100 mg/kg/dia a cada 6-8 horas. Meningite5/bacteriana: adultos 8 a 14 g diárias; crianças 100 a 200 mg/kg/dia. Atenção: se o cálculo6 da dose para crianças de alto peso ultrapassar a dose para adultos, administrar a dose para adultos. Recomenda-se aos pacientes, dar continuidade ao tratamento por 48 a 72 horas após desaparecimento dos sintomas7 ou resultados negativos dos exames laboratoriais. Para o tratamento das infecções4 cervicais, uretrais, retais ou faringianas provocadas pela Neisseria gonorrheae recomenda-se uma dose única, via oral, da associação: 3,5 g de ampicilina com 1,0 g de probenecida. Deve-se fazer acompanhamento (culturas) de 4 a 7 dias para homens e 7 a 14 dias para mulheres. A administração endovenosa direta deve ser feita após a diluição do frasco (1,0 g) com 3 ml de água estéril para injeção8, de forma lenta, demorando no mínimo de 10 a 15 minutos. Também é admitida a administração endovenosa contínua, adicionando o conteúdo do frasco, já diluído em 3 ml de água estéril para injeção8, em soluções próprias para infusão de forma a obter uma concentração entre 2 a 30 mg/ml. Ampicilina não deve ser associada com solução de aminoglicosídeos, pois pode ocorrer inativação da droga. - Superdosagem: Ampicilina é removida por hemodiálise9.

Precauções da Ampicilina

recomenda-se o uso de antibiogramas para definição da sensibilidade do(s) microorganismo(s) em qualquer tratamento com antimicrobiano. A eleição de injetáveis deve ocorrer para infecções4 mais sérias onde se requeira maiores níveis plasmáticos de ampicilina ou para pacientes10 onde não é aplicável ou recomendado o uso oral. Antes do tratamento de pacientes com Ampicilina deve ser realizado anamnese completa para buscar histórico alérgico do mesmo tanto a penicilinas como cefalosporinas e outros agentes alergênicos. Reações anafiláticas11 intensas requerem tratamento de emergência12 com adrenalina13, oxigênio, corticosteróides e controle respiratório, se necessário, intubação. O uso em idosos (acima de 65 anos) requer prescrição e rigoroso acompanhamento médico. Interações medicamentosas: uso concomitante de alopurinol pode levar ao surgimento de erupções cutâneas14. Redução na excreção urinária de estrógenos em pacientes grávidas e casos isolados de irregularidade menstrual e gravidez15 não planejada em pacientes usando anticoncepcionais orais. O clearance renal3 é retardado concomitantemente pela administração de probenecida. Pode diminuir a absorção de outras drogas devido ao efeito sobre a flora gastrintestinal. Pode existir antagonismo entre Ampicilina, um agente bactericida e agentes bacteriostáticos, tal como, cloranfenicol.

Reações Adversas da Ampicilina

erupções cutâneas14 é o efeito adverso mais comum, podendo aparecer após 7 dias do início do tratamento, regride com a suspensão do uso e normalmente reage bem a anti-histamínicos. Efeitos gastrintestinais particularmente diarréia16, podendo ocorrer também náuseas17 e vômitos18 usualmente pela administração oral.

Contra-Indicações da Ampicilina

é contra-indicado para pessoas sensíveis às penicilinas. Pode levar a choques ocasionalmente fatais. Contra microorganismos cuja variação geográfica acusa resistência.

Indicações da Ampicilina

Ampicilina é usada no tratamento de uma variedade de infecções4 por microorganismos a ela sensíveis, podendo-se citar, Streptococus pneumoniae, Enterococus faecalis, Listeria monocitogenes, como Gram-Positivos e Moraxella catarrhalis, Neisseria gonorrhoeae, N. meningitidis, Haemophilus influenzae e Enterobactérias como Escherichia coli, Proteus mirabilis, Salmonella e Shigella, como Gram-Negativos. É inativa contra Pseudomonas aeruginosa. Desde modo pode abranger tratamento de infecções4 do trato biliar19, bronquites, endocardites, epiglotites, gonorréia20, listeriose, meningites21, otites22 médias, peritonites, pneumonia23, septicemia24, febre tifóide25 e paratifóide e infecções4 do trato urinário26.

Apresentação da Ampicilina

caixa com 6 cápsulas de 250 mg; caixa com 6 e 10 cápsulas de 500 mg; caixa com 50 frascos-ampola com 500 mg e 1,0 g; caixa com 1 frasco de pó para suspensão.


AMPICILINA - Laboratório

NEO QUIMICA
Rua VPR 1, Quadra 2-A, Mód. 4
Anápolis/GO - CEP: 75133600
Tel: (62 )316-1055
Fax: (62 )316-1022

Ver outros medicamentos do laboratório "NEO QUIMICA"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
2 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
3 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
4 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
5 Meningite: Inflamação das meninges, aguda ou crônica, quase sempre de origem infecciosa, com ou sem reação purulenta do líquido cefalorraquidiano. As meninges são três membranas superpostas (dura-máter, aracnoide e pia-máter) que envolvem o encéfalo e a medula espinhal.
6 Cálculo: Formação sólida, produto da precipitação de diferentes substâncias dissolvidas nos líquidos corporais, podendo variar em sua composição segundo diferentes condições biológicas. Podem ser produzidos no sistema biliar (cálculos biliares) e nos rins (cálculos renais) e serem formados de colesterol, ácido úrico, oxalato de cálcio, pigmentos biliares, etc.
7 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
8 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
9 Hemodiálise: Tipo de diálise que vai promover a retirada das substâncias tóxicas, água e sais minerais do organismo através da passagem do sangue por um filtro. A hemodiálise, em geral, é realizada 3 vezes por semana, em sessões com duração média de 3 a 4 horas, com o auxílio de uma máquina, dentro de clínicas especializadas neste tratamento. Para que o sangue passe pela máquina, é necessária a colocação de um catéter ou a confecção de uma fístula, que é um procedimento realizado mais comumente nas veias do braço, para permitir que estas fiquem mais calibrosas e, desta forma, forneçam o fluxo de sangue adequado para ser filtrado.
10 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
11 Reações anafiláticas: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
12 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
13 Adrenalina: 1. Hormônio secretado pela medula das glândulas suprarrenais. Atua no mecanismo da elevação da pressão sanguínea, é importante na produção de respostas fisiológicas rápidas do organismo aos estímulos externos. Usualmente utilizado como estimulante cardíaco, como vasoconstritor nas hemorragias da pele, para prolongar os efeitos de anestésicos locais e como relaxante muscular na asma brônquica. 2. No sentido informal significa disposição física, emocional e mental na realização de tarefas, projetos, etc. Energia, força, vigor.
14 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
15 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
16 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
17 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
18 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
19 Trato Biliar: Os DUCTOS BILIARES e a VESÍCULA BILIAR.
20 Gonorreia: Infecção bacteriana que compromete o trato genital, produzida por uma bactéria chamada Neisseria gonorrhoeae. Produz uma secreção branca amarelada que sai pela uretra juntamente com ardor ao urinar. É uma causa de infertilidade masculina.Em mulheres, a infecção pode não ser aparente. Se passar despercebida, pode se tornar crônica e ascender, atingindo os anexos uterinos (trompas, útero, ovários) e causar Doença Inflamatória Pélvica e mesmo infertilidade feminina.
21 Meningites: Inflamação das meninges, aguda ou crônica, quase sempre de origem infecciosa, com ou sem reação purulenta do líquido cefalorraquidiano. As meninges são três membranas superpostas (dura-máter, aracnoide e pia-máter) que envolvem o encéfalo e a medula espinhal.
22 Otites: Toda infecção do ouvido é chamada de otite.
23 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
24 Septicemia: Septicemia ou sepse é uma infecção generalizada grave que ocorre devido à presença de micro-organismos patogênicos e suas toxinas na corrente sanguínea. Geralmente ela ocorre a partir de outra infecção já existente.
25 Febre tifóide: Infecção produzida por uma bactéria chamada Salmonella tiphy, adquirida através de alimentos contaminados e caracterizada por febre persistente, aumento do tamanho dos tecidos linfáticos (baço, gânglios linfáticos, etc.) e erupções cutâneas. Sem tratamento adequado pode ser muito grave.
26 Trato Urinário:

Tem alguma dúvida sobre AMPICILINA?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.