Dorical Kids

LEGRAND PHARMA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA LTDA

Atualizado em 20/08/2019

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Dorical® Kids
polivitamínico com minerais
Suspensão oral

APRESENTAÇÕES

Suspensão oral
Embalagem contendo frasco de 120 mL, acompanhado de 1 copo dosador

USO ORAL
USO PEDIÁTRICO

COMPOSIÇÃO

Cada 5 mL da suspensão oral contém:

acetato de racealfatocoferol (vitamina1 E) 2,25 mg
colecalciferol (vitamina1 D3) 500 UI
cloridrato de tiamina (vitamina1 B1) 4 mg
ferro (na forma de feredetato de sódio tri-hidratado, equivalente a 2,541 mg de fosfato sódico de riboflavina) 25 mg
riboflavina (vitamina1 B2)
(na forma de fosfato sódico de riboflavia, equivalente a 2,541 mg de fosfato sódico de riboflavina
2 mg
nicotinamida (vitamina1 B3) 15 mg
palmitato de retino (vitamina1 A) 5.000 UI
pantotenato de cálcio (vitamina1 B5) 2 mg
veículo q.s.p. 5 mL

Veículo: sorbitol2, sacarose, sorbato de potássio, benzoato de sódio, essência de damasco, óleo de rícino hidrogenado etoxilado, álcool etílico, água purificada.

Outros componentes: fluoreto de sódio e cálcio (na forma de citrato de cálcio tetraidratado).

Porcentagem da Ingestão Diária Recomendada (IDR) na posologia máxima diária (5 mL):

Componente 1 - 3
anos
4 - 6
anos
7 - 10
anos
acetato de racealfatocoferol (vitamina1 E) 45% 45% 32,143%
colecalciferol (vitamina1 D3) 250% 250% 250%
cloridrato de tiamina (vitamina1 B1) 800% 666,66% 444,44%
ferro 416,66% 416,66% 277,77%
riboflavina (vitamina1 B2) 400% 333,33% 222,22%
nicotinamida (vitamina1 B3) 250% 187,5% 125%
palmitato de retinol (vitamina1 A) 375% 333,33% 300%
pantotenato de cálcio (vitamina1 B5) 92% 61% 46%

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Dorical® Kids suspensão oral é indicado na anemia ferropriva3 da infância (anemia4 por falta de ferro). Anemia4 das verminoses. Como suplemento de minerais e de vitaminas nas fases de crescimento, nos desvios alimentares e nos estados carenciais.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Dorical® Kids reúne em sua fórmula a associação de vitaminas e minerais. Estes são fundamentalmente envolvidos nos processos metabólicos vitais. São utilizados como agentes antioxidantes, redutores e como fatores de vários processos enzimáticos.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Este medicamento é contraindicado nas hipervitaminoses A e D (excesso de vitaminas A e D no organismo) e nos casos de insuficiência renal5. Também é contraindicado em pacientes cujo hemograma apresenta hemocromatose6 (depósito de ferro devido à excesso do mesmo nos tecidos) e hemossiderose7 (aumento generalizado nos estoques de ferro nos tecidos, causando pigmento anormal acastanhado).

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Dorical® Kids deve ser administrado com cautela em mulheres grávidas, pois o excesso de vitamina1 A traz um risco para a saúde8 do feto9 e o aparecimento de malformações10, devido à teratogenicidade (capacidade de causar anomalias ao feto9) potencial dessa vitamina1. Só deve ser utilizado por mulheres grávidas com indicação específica e sempre sob controle do médico, especialmente no 1º trimestre da gravidez11.

Informe ao médico a ocorrência de gravidez11 na vigência do tratamento ou após o seu término. Informar ao médico se estiver amamentando.

Dorical® Kids deve ser administrado com cuidado a pacientes portadores de cálculos renais devido à presença de cálcio na formulação, aumentando o risco de formação de cálculos renais (pedras nos rins12). Também não deve ser usado por pacientes com insuficiência renal5.

Formulações contendo nicotinamida devem ser prescritas com cautela a portadores de gastrite13, úlcera péptica14 e asma15.

Recomenda-se determinar e tratar a causa da anemia4 sempre que possível e fazer exames hematológicos de controle.

Não constam na literatura relatos sobre advertências ou recomendações especiais do uso adequado de Dorical® Kids por pacientes idosos.

Dorical® Kids não deve ser administrado por período prolongado em doses superiores às recomendadas.

Atenção: Dorical® Kids suspensão oral contém açúcar16, portanto, deve ser usado com cautela por pacientes diabéticos.

Interações Medicamento – Medicamento:

Os seguintes medicamentos têm seus efeitos diminuídos quando administrados concomitantemente com Dorical® Kids: quinolonas via oral, levodopa, tetraciclinas, bifosfonatos via oral, penicilina via oral, preparações para tireóide, cefdinir.

Dorical® Kids contém vitamina1 B6 e seu uso deve ser evitado em pacientes parkinsonianos em tratamento com levodopa pura. A associação de levodopa com benserazida ou carbidopa não sofre interferência desta vitamina1. Além da levodopa, a vitamina1 B6 (piridoxina) reduz os efeitos da cisplatina e altretamina.

Deve-se evitar o uso concomitante de derivados do ácido retinóico, (etretinato, isotretinoína), com produtos que contenham vitamina1 A devido à possibilidade de aparecimento de hipervitaminose A (excesso de vitamina1 A no organismo).

A administração concomitante com rifampicina, fenitoína ou barbitúricos pode acelerar o metabolismo17 e desta forma reduzir os efeitos da vitamina1 D3.

A administração simultânea de glicocorticóides pode reduzir os efeitos da vitamima D3. Já se este medicamento for utilizado concomitantemente ao orlistat, há possibilidade de redução da ação de Dorical® Kids.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Cuidados de conservação

Manter a temperatura ambiente (15º a 30º). Proteger da luz e manter em lugar seco.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.
Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características físicas e organolépticas

Suspensão homogênea, na cor amarela, com odor e sabor de damasco, isento de partículas e material estranho.
Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Tomar 5 mL por via oral, 1 vez ao dia. Esta posologia poderá ser alterada de acordo com o critério médico.

Agite bem antes de usar.

Dorical® Kids não deve ser administrado por período prolongado em doses superiores às recomendadas.

Siga corretamente o modo de usar. Em caso de dúvidas sobre este medicamento, procure orientação do farmacêutico. Não desaparecendo os sintomas18, procure orientação de seu médico ou cirurgião-dentista.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Tome a dose assim que se lembrar dela. Entretanto, se estiver próximo o horário da dose seguinte, salte a dose esquecida e continue o tratamento conforme prescrito. Não utilize o dobro da dose para compensar uma dose esquecida.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Dorical® Kids é bem tolerado, mas em alguns casos pode causar reações adversas:

Reações muito comuns (ocorrem em mais de 10% dos pacientes que utilizam este medicamento): dor abdominal aguda e com cólicas19, fezes pretas (devido ao ferro, não é uma reação prejudicial), constipação20 (prisão de ventre), diarreia21, náuseas22 (enjoos) e vômitos23.

Reações comuns (ocorrem entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento): descoloração da urina24, prurido25 (coceira) da pele26, transtorno de condução do coração27, tontura28, olhos29 secos, pele26 seca, agravamento de úlcera péptica14, desmaios, hiperglicemia30 (aumento da concentração de glicose31 no sangue32), hiperuricemia (aumento da concentração de ácido úrico no sangue32), mialgia33 (dor muscular), descoloração dentária (podem aparecer manchas nos dentes, isto pode ser resultado de excesso de flúor).

Reações raras (ocorrem entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento): reações alérgicas, doença pulmonar broncoespástica, eritema34 (coloração avermelhada na pele26), erupção35 cutânea36 (lesão37 ou bolha38 avermelhada na pele26), estomatite39 aftosa (aftas).

Reação com frequência desconhecida: sensação de calor.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

A administração de vitamina1 A em doses excessivas pode provocar a hipervitaminose (excesso de vitamina1 A no organismo), caracterizada por irritabilidade, anorexia40, perda de peso, coceira, fadiga41 (cansaço), insônia e outros.

Em pacientes que receberam altas doses de vitamina1 D podem apresentar reações gastrintestinais e sinais42 e sintomas18 de hipercalcemia: diminuição do apetite, náusea43, vômito44, constipação20, dor abdominal, fraqueza muscular, poliúria45 (aumento do volume de urina24), sede, sonolência e confusão; em casos severos, coma46 ou arritmia47 cardíaca.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS


Siga corretamente o modo de usar, não desaparecendo os sintomas18 procure orientação médica.
 

Registro MS nº. 1.6773.0229.
Farm.Resp.: Dra. Maria Betânia Pereira CRF - SP nº 37.788

Registrado por:
LEGRAND PHARMA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA LTDA
Rodovia Jornalista Francisco Aguirre Proença, Km 08
Bairro Chácara Assay
CEP 13.186-901 - Hortolândia / SP
CNPJ nº . 05.044.984/0001-26
Indústria Brasileira

Fabricado por:
EMS S/A
Hortolândia - SP


SAC 0800 500600

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
2 Sorbitol: Adoçante com quatro calorias por grama. Substância produzida pelo organismo em pessoas com diabetes e que pode causar danos aos olhos e nervos.
3 Anemia Ferropriva: Anemia por deficiência de ferro. É o tipo mais comum de anemia. Há redução da quantidade total de ferro corporal até a exaustão das reservas de ferro. O fornecimento de ferro é insuficiente para atingir as necessidades de diferentes tecidos, incluindo as necessidades para a formação de hemoglobina e dos glóbulos vermelhos.
4 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
5 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
6 Hemocromatose: Distúrbio metabólico caracterizado pela deposição de ferro nos tecidos em virtude de seu excesso no organismo. Os locais em que o ferro mais se deposite são fígado, pâncreas, coração e hipófise.
7 Hemossiderose: Acúmulo de hemossiderina nos tecidos. A hemossiderina é um pigmento ferroso, amarelo-escuro, encontrado em fagócitos e excretado pela urina, especialmente na hemocromatose e na hemossiderose.
8 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
9 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
10 Malformações: 1. Defeito na forma ou na formação; anomalia, aberração, deformação. 2. Em patologia, é vício de conformação de uma parte do corpo, de origem congênita ou hereditária, geralmente curável por cirurgia. Ela é diferente da deformação (que é adquirida) e da monstruosidade (que é incurável).
11 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
12 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
13 Gastrite: Inflamação aguda ou crônica da mucosa do estômago. Manifesta-se por dor na região superior do abdome, acidez, ardor, náuseas, vômitos, etc. Pode ser produzida por infecções, consumo de medicamentos (aspirina), estresse, etc.
14 Úlcera péptica: Lesão na mucosa do esôfago, estômago ou duodeno. Também chamada de úlcera gástrica ou duodenal. Pode ser provocada por excesso de ácido clorídrico produzido pelo próprio estômago ou por medicamentos como antiinflamatórios ou aspirina. É uma doença infecciosa, causada pela bactéria Helicobacter pylori em quase 100% dos casos. Os principais sintomas são: dor, má digestão, enjôo, queimação (azia), sensação de estômago vazio.
15 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
16 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
17 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
18 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
19 Cólicas: Dor aguda, produzida pela dilatação ou contração de uma víscera oca (intestino, vesícula biliar, ureter, etc.). Pode ser de início súbito, com exacerbações e períodos de melhora parcial ou total, nos quais o paciente pode estar sentindo-se bem ou apresentar dor leve.
20 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
21 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
22 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
23 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
24 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
25 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
26 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
27 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
28 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
29 Olhos:
30 Hiperglicemia: Excesso de glicose no sangue. Hiperglicemia de jejum é o nível de glicose acima dos níveis considerados normais após jejum de 8 horas. Hiperglicemia pós-prandial acima de níveis considerados normais após 1 ou 2 horas após alimentação.
31 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
32 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
33 Mialgia: Dor que se origina nos músculos. Pode acompanhar outros sintomas como queda no estado geral, febre e dor de cabeça nas doenças infecciosas. Também pode estar associada a diferentes doenças imunológicas.
34 Eritema: Vermelhidão da pele, difusa ou salpicada, que desaparece à pressão.
35 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
36 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
37 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
38 Bolha: 1. Erupção cutânea globosa entre as camadas superficiais da epiderme, cheia de serosidade, líquido claro, pus ou sangue, causada por inflamação, queimadura, atrito, efeito de certas enfermidades, etc. Deve ter mais de 0,5 cm. Quando tem um tamanho menor devem ser chamadas de “vesículas”. 2. Bola ou glóbulo cheio de gás, ar ou vapor que se forma (ou se formou) em alguma substância líquida ou pastosa, especialmente ao ser agitada ou por ebulição ou fermentação. 3. Saliência oca em uma superfície.
39 Estomatite: Inflamação da mucosa oral produzida por infecção viral, bacteriana, micótica ou por doença auto-imune. É caracterizada por dor, ardor e vermelhidão da mucosa, podendo depositar-se sobre a mesma uma membrana brancacenta (leucoplasia), ou ser acompanhada de bolhas e vesículas.
40 Anorexia: Perda do apetite ou do desejo de ingerir alimentos.
41 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
42 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
43 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
44 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
45 Poliúria: Diurese excessiva, pode ser um sinal de diabetes.
46 Coma: 1. Alteração do estado normal de consciência caracterizado pela falta de abertura ocular e diminuição ou ausência de resposta a estímulos externos. Pode ser reversível ou evoluir para a morte. 2. Presente do subjuntivo ou imperativo do verbo “comer.“
47 Arritmia: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.

Tem alguma dúvida sobre Dorical Kids?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.