HEBERBIOVAC HB

Atualizado em 28/03/2008
OBS: Todos os medicamentos do Laboratório Enila tiveram sua produção suspensa segundo Resolução - RE nº 892, de 29 de maio de 2003 da Anvisa.
 

- Composição
cada frasco de 10 mcg/0,5 ml/dose ou de 20mcg/1,0 ml contém respectivamente: antígeno1 de superfície (HbsAg) 10 mcg e 20 mcg; cloreto de sódio 4 mg e 8 mg; fosfato de sódio dibásico anidro 0,560 mg e 1,120 mg; fosfato de sódio monobásico monoidratado 0,550 mg e 1,100 mg; hidróxido de alumínio gel 0,250 mg e 0,500 mg; timerosal 0,025 mg e 0,050 mg; água para preparações injetáveis q.s.p. 0,5 ml e 1,0 ml.

- Posologia e Administração
adultos e crianças maiores de 10 anos: 1 dose de 20 mcg de proteína antigênica em 1 ml de suspensão. Recém-nascidos e crianças menores de 10 anos: 1 dose de 10 mcg de proteína antigênica em 0,5 ml de suspensão, embora 1 dose de 20 mcg possa ser utilizada quando a apresentação pediátrica não estiver disponível. Agitar bem a vacina2 antes da administração e inspecionar visualmente a fim de se verificar a ausência de mudança de coloração e de impurezas. Uma vez agitada, a vacina2 é ligeiramente opaca. Usando frascos de multidoses, cada dose deve ser aplicada com agulha e seringa3 estéreis. Heberbiovac HB deve ser aplicada somente por via intramuscular. Em adultos a injeção4 deve ser aplicada na região deltóide, mas pode ser preferível aplicar Heberbiovac HB na parte anterolateral da coxa em neonatos5 e infantes, por causa da pequena massa muscular na região do músculo deltóide. Excepcionalmente a vacina2 pode ser administrada por via subcutânea6 em pacientes com tendência a sangramentos graves (por exemplo, hemofílicos). A vacina2 não pode ser aplicada pela via intravenosa. Vacinação primária: consiste em 3 doses intramusculares de vacinas com um dos dois diferentes esquemas a seguir: nos casos onde o risco imediato de infecção7 é pequeno: 1ª dose: na data escolhida; 2ª dose: 1 mês depois; 3ª dose: 6 meses após a primeira dose. Nos casos onde há risco imediato de infecção7: 1ª dose: na data escolhida; 2ª dose: 1 mês depois; 3ª dose: 2 meses após a primeira dose. O esquema de vacinação mais rápido para a vacinação primária confere proteção mais imediata, mas determina níveis máximos de anticorpos8 mais baixos. Dose de reforço: não se sabe se as pessoas que responderam à vacina2 necessitam de doses de reforço para garantir uma proteção por mais tempo, ou se ocorrerá um reforço natural sem sintomas9 e infecção7 crônica quando os vacinados com títulos anti-HBs abaixo do nível de proteção de 10 UI/l são expostos ao vírus10. Até então, como não existe evidência suficiente para esclarecer a situação, recomenda-se uma dose de reforço quando o nível de anti-HBs cai abaixo de 10 UI/l. O tempo para administração da dose de reforço dependerá dos níveis de anti-HBs alcançados após a fase de vacinação primária. Dos dados disponíveis, as seguintes recomendações gerais para a dose de reforço podem ser feitas: após o esquema de vacinação primária de 0, 1 e 6 meses: uma dose de reforço após esta fase de vacinação primária não será necessária, normalmente antes de 5 anos. Após o esquema de vacinação primária de 0, 1 e 2 meses: como os níveis de concentração de anticorpos8 alcançados após este esquema de vacinação primária são menores, recomenda-se que uma dose de reforço seja dada 12 meses após a primeira dose da vacina2. O próximo reforço não será necessário antes de 8 anos. Nas circunstâncias em que a exposição ao vírus10 da hepatite11 B tenha ocorrido recentemente (p. ex.: acidente por picada com agulha contaminada), a primeira dose de Heberbiovac HB pode ser ministrada simultaneamente com imunoglobulina12 de hepatite11 B; contudo esta deve ser injetada em outro lugar. Pacientes imunocomprometidos: para pacientes13 hemodialisados crônicos e outras pessoas que tenham deficiência do seu sistema imunológico14, a série básica de vacinação recomendada é de 4 doses de 40 mcg de acordo com o seguinte esquema: 1ª dose: na data escolhida; 2ª dose: 1 mês mais tarde; 3ª dose: 2 meses depois da primeira dose; 4ª dose: 6 meses depois da primeira dose. O título de anti-HBs desses pacientes deve ser verificado regularmente e quando estiver próximo da faixa de proteção de 10 UI/l, recomenda-se uma dose de reforço. Heberbiovac HB tem sido administrado concomitantemente com as vacinas do Programa Expandido de Imunização15 (DTP injetável e BCG16). Contudo, tais vacinas devem ser aplicadas em locais diferentes. A vacina2 oral da pólio também pode ser ministrada simultaneamente. Condições recomendadas de armazenagem e embarque: a vacina2 deve ser despachada sob refrigeração e conservada nas temperaturas de +2ºC a +8ºC. Não devendo ser congelada. O congelamento inutiliza a vacina2, precipitando o antígeno1 na solução vacinal.

- Precauções
efeito do antígeno1 no desenvolvimento fetal ainda é desconhecido e por isso não se pode recomendar vacinação geral de mulheres grávidas. No entanto, pode-se considerar a vacinação de uma mulher grávida a fim de evitar hepatite11 B em situações de alto risco. Como é recomendável para todos os produtos biológicos, uma solução de adrenalina17 de 1 em 1.000 deve estar sempre à mão18, e disponível para uso imediato, em caso de rara reação anafilática19. Heberbiovac HB tem sido administrada concomitantemente a vacinas do Programa Expandido de Imunização15 (vacina2 oral da pólio, DTP injetável, sarampo20 e BCG16) devendo esta última ser administrada em local diferente. Atenção: devido ao longo período de incubação21 da hepatite11 B, é possível a presença de uma infecção7 não conhecida no momento da vacinação. Nesses casos, a vacina2 poderá não evitar a hepatite11 B. Heberbiovac HB não deve ser aplicada na região glútea22 nem de forma subcutânea6, já que por esses meios de aplicação pode não resultar uma reação ótima de imunização15. A vacina2 nunca deve ser ministrada de forma intravenosa. Nos pacientes de diálise23 e pessoas que tenham qualquer problema no sistema de imunização15, podem não ser obtidas concentrações adequadas de anticorpos8 após a vacinação habitual primária, devendo precisar, tais pacientes, de repetidas doses de vacina2. Eficácia e segurança: os anticorpos8 humorais específicos contra o antígeno1 de superfície do vírus10 de hepatite11 B (anti-HBs) aparecem em aproximadamente 98% das pessoas normais que tenham recebido três doses de Heberbiovac HB. Ficou estabelecido que a proteção contra a hepatite11 B é concedida por este tipo de anticorpo24 e que níveis de anticorpos8 acima de 10 UI/l estão correlacionados com a imunidade25 para a infecção7. Estudos de proteção eficaz em grupos de alto risco têm mostrado que o índice de proteção está em torno de 90% contra o estado de portador em neonatos5 de mulheres HB e Ag+, mesmo sem a administração concomitante de HBIg, e essencialmente 100% contra a infecção7 em homens homossexuais e pacientes mentalmente retardados institucionalizados, após completado o curso da administração da imunização15 primária. A tecnologia do DNA recombinante e os processos de purificação utilizados para sua fabricação asseguram a alta pureza de Heberbiovac HB: isto excede o determinado pela OMS. Ela é destituída de qualquer contaminante de origem sangüínea.

- Reações adversas
quando ocorrem reações adversas, estas são usualmente leves e nos primeiros dias após a injeção4. Reações no local da injeção4 são as mais comuns. Estas reações locais são caracterizadas por irritação, eritema26 e induração transitórias. Têm sido relatadas reações sistêmicas que se iniciam precocemente e incluem prurido27, angioedema28, urticária29 e sintomas9 de broncospasmo. A anafilaxia30 é extremamente rara. Os possíveis eventos adversos sistêmicos31 relacionados à vacinação incluem: fadiga32, síncope33, hipotensão34, artrite35, artralgia36, linfadenopatia, rash37 e urticária29. Sintomas9 de estado gripal, tais como: febre38 baixa, mal-estar, cefaléia39, mialgia40. Sintomas9 gastrintestinais, como: dor abdominal, diarréia41, vômitos42, náuseas43 e testes de função hepática44 anormais. Manifestações neurológicas incluem parestesias45 (muito raramente) e paralisias (extremamente raro), neuropatias e neurites46 (incluindo síndrome47 de Guillain-Barré). Lesões48 graves de pele49, como o eritema multiforme50, podem ocorrer excepcionalmente.

- Contra-Indicações
hipersensibilidade a qualquer componente da vacina2. Como aplicável a qualquer vacina2, Heberbiovac HB não deve ser administrado em pessoas com graves infecções51 febris. Contudo, a presença de uma pequena infecção7 não contra-indica a vacinação.

- Indicações
imunização15 ativa contra a infecção7 pelo vírus10 da hepatite11 B. A vacina2 não protege contra infecções51 causadas pelos vírus10 das hepatites52 A e não A e não B. Como a hepatite11 D (causada pelo agente delta) não ocorre na ausência da infecção7 da hepatite11 B, pode-se esperar que a hepatite11 D também possa ser prevenida pela vacinação com Heberbiovac HB. A vacina2 pode ser ministrada em qualquer idade, desde o nascimento. Pode ser usada para iniciar a vacinação, como dose de reforço ou para completar o curso de uma vacinação iniciada com vacinas derivadas de plasma53 ou, ainda como dose de reforço para pessoas que já receberam, previamente, a dose inicial com vacina2 derivada de plasma53 ou com outras vacinas obtidas por engenharia genética. Nas áreas de baixa incidência54 de hepatite11 B, recomenda-se a vacinação especialmente nas pessoas que estiverem em maior risco de infecção7 e que incluem: encarregados de saúde55: cirurgiões-dentistas, dentistas, médicos e cirurgiões, enfermeiras de dentistas, pessoal paramédico em íntimo contato com pacientes, pessoal das unidades de hemodiálise56, hematologia e oncologia, pessoal de laboratório que lida com sangue57 e outros espécimes clínicos, agentes funerários e embalsamadores, funcionários de banco de sangue57 e fracionamento de plasma53, quiropodistas, funcionários de limpeza nos hospitais que manuseiem resíduos e lixos, funcionários de emergência58 e primeiros socorros, pessoal de ambulâncias. Pacientes: pacientes que recebam, freqüentemente, transfusões de sangue57 ou de concentrados de fator coagulante, tais como, pacientes nas unidades de hemodiálise56 e oncologia, talassêmicos, anêmicos falciformes, cirróticos, hemofílicos, etc. Pessoal e residentes de instituições: pessoas com contatos freqüentes e/ou íntimo com grupos de alto risco, presos e funcionários de prisão, residentes e pessoal de instituições para doentes mentais. Pessoas com maior risco devido à pratica sexuais: pessoas com múltiplos parceiros, pacientes com doenças sexualmente transmissíveis, pessoas que tenham repetidamente contato com doenças transmitidas, homens homossexuais ativos e prostitutas. Consumidores ilícitos59 de drogas injetáveis que viciem. Viajantes para áreas de alta endemicidade e seus contatos íntimos. Recém-nascidos de mães que são portadoras. Outros: policiais, bombeiros, militares e qualquer pessoa que, por seu trabalho ou estilo de vida, possam estar expostas ao vírus10 da hepatite11 B. Contatos do lar de qualquer dos grupos acima e de pacientes com infecção7 aguda ou crônica de hepatite11 B. Nos locais de alta ou intermediária incidência54, todas as crianças e recém-nascidos devem ser vacinados, bem como os adultos dos grupos de alto risco porque a maioria da população está arriscada a contrair a hepatite11 B. A vacinação contra hepatite11 B deverá reduzir, em longo prazo, não somente a incidência54 geral da hepatite11 B, como também complicações crônicas, tais como, a cirrose60 e hepatite11 crônica ativa. Também poderá diminuir a incidência54 de carcinoma61 hepatocelular primário.

- Apresentação
frasco de 10 mcg contendo 0,5 ml e frasco de 20 mcg contendo 1,0 ml.
Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Antígeno: 1. Partícula ou molécula capaz de deflagrar a produção de anticorpo específico. 2. Substância que, introduzida no organismo, provoca a formação de anticorpo.
2 Vacina: Tratamento à base de bactérias, vírus vivos atenuados ou seus produtos celulares, que têm o objetivo de produzir uma imunização ativa no organismo para uma determinada infecção.
3 Seringa: Dispositivo usado para injetar medicações ou outros líquidos nos tecidos do corpo. A seringa de insulina é formada por um tubo plástico com um êmbolo e uma agulha pequena na ponta.
4 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
5 Neonatos: Refere-se a bebês nos seus primeiros 28 dias (mês) de vida. O termo “recentemente-nascido“ refere-se especificamente aos primeiros minutos ou horas que se seguem ao nascimento. Esse termo é utilizado para enfocar os conhecimentos e treinamento da ressuscitação imediatamente após o nascimento e durante as primeiras horas de vida.
6 Subcutânea: Feita ou situada sob a pele; hipodérmica.
7 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
8 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
9 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
10 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
11 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
12 Imunoglobulina: Proteína do soro sanguíneo, sintetizada pelos plasmócitos provenientes dos linfócitos B como reação à entrada de uma substância estranha (antígeno) no organismo; anticorpo.
13 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
14 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
15 Imunização: Processo mediante o qual se adquire, de forma natural ou artificial, a capacidade de defender-se perante uma determinada agressão bacteriana, viral ou parasitária. O exemplo mais comum de imunização é a vacinação contra diversas doenças (sarampo, coqueluche, gripe, etc.).
16 BCG: Vacina utilizada para prevenir a tuberculose. Esta é composta por bacilos vivos e atenuados, que não produzem doença em pessoas com imunidade normal.
17 Adrenalina: 1. Hormônio secretado pela medula das glândulas suprarrenais. Atua no mecanismo da elevação da pressão sanguínea, é importante na produção de respostas fisiológicas rápidas do organismo aos estímulos externos. Usualmente utilizado como estimulante cardíaco, como vasoconstritor nas hemorragias da pele, para prolongar os efeitos de anestésicos locais e como relaxante muscular na asma brônquica. 2. No sentido informal significa disposição física, emocional e mental na realização de tarefas, projetos, etc. Energia, força, vigor.
18 Mão: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
19 Reação anafilática: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
20 Sarampo: Doença infecciosa imunoprevenível, altamente transmissível por via respiratória, causada pelo vírus do sarampo e de imunidade permanente. Geralmente ocorre na infância, mas pode afetar adultos susceptíveis (não imunes). As manifestações clínicas são febre alta, tosse seca persistente, coriza, conjuntivite, aumento dos linfonodos do pescoço e manchas avermelhadas na pele. Em cerca de 30% das pessoas com sarampo podem ocorrer complicações como diarréia, otite, pneumonia e encefalite.
21 Incubação: 1. Ato ou processo de chocar ovos, natural ou artificialmente. 2. Processo de laboratório, por meio do qual se cultivam microrganismos com o fim de estudar ou facilitar o seu desenvolvimento. 3. Em infectologia, é o período que vai da penetração do agente infeccioso no organismo até o aparecimento dos primeiros sinais da doença.
22 Região Glútea:
23 Diálise: Quando os rins estão muito doentes, eles deixam de realizar suas funções, o que pode levar a risco de vida. Nesta situação, é preciso substituir as funções dos rins de alguma maneira, o que pode ser feito realizando-se um transplante renal, ou através da diálise. A diálise é um tipo de tratamento que visa repor as funções dos rins, retirando as substâncias tóxicas e o excesso de água e sais minerais do organismo, estabelecendo assim uma nova situação de equilíbrio. Existem dois tipos de diálise: a hemodiálise e a diálise peritoneal.
24 Anticorpo: Proteína circulante liberada pelos linfócitos em reação à presença no organismo de uma substância estranha (antígeno).
25 Imunidade: Capacidade que um indivíduo tem de defender-se perante uma agressão bacteriana, viral ou perante qualquer tecido anormal (tumores, enxertos, etc.).
26 Eritema: Vermelhidão da pele, difusa ou salpicada, que desaparece à pressão.
27 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
28 Angioedema: Caracteriza-se por áreas circunscritas de edema indolor e não-pruriginoso decorrente de aumento da permeabilidade vascular. Os locais mais acometidos são a cabeça e o pescoço, incluindo os lábios, assoalho da boca, língua e laringe, mas o edema pode acometer qualquer parte do corpo. Nos casos mais avançados, o angioedema pode causar obstrução das vias aéreas. A complicação mais grave é o inchaço na garganta (edema de glote).
29 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
30 Anafilaxia: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
31 Sistêmicos: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
32 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
33 Síncope: Perda breve e repentina da consciência, geralmente com rápida recuperação. Comum em pessoas idosas. Suas causas são múltiplas: doença cerebrovascular, convulsões, arritmias, doença cardíaca, embolia pulmonar, hipertensão pulmonar, hipoglicemia, intoxicações, hipotensão postural, síncope situacional ou vasopressora, infecções, causas psicogênicas e desconhecidas.
34 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
35 Artrite: Inflamação de uma articulação, caracterizada por dor, aumento da temperatura, dificuldade de movimentação, inchaço e vermelhidão da área afetada.
36 Artralgia: Dor em uma articulação.
37 Rash: Coloração avermelhada da pele como conseqüência de uma reação alérgica ou infecção.
38 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
39 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
40 Mialgia: Dor que se origina nos músculos. Pode acompanhar outros sintomas como queda no estado geral, febre e dor de cabeça nas doenças infecciosas. Também pode estar associada a diferentes doenças imunológicas.
41 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
42 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
43 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
44 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
45 Parestesias: São sensações cutâneas subjetivas (ex.: frio, calor, formigamento, pressão, etc.) que são vivenciadas espontaneamente na ausência de estimulação.
46 Neurites: Inflamação de um nervo. Pode manifestar-se por neuralgia, déficit sensitivo, formigamentos e/ou diminuição da força muscular, dependendo das características do nervo afetado (sensitivo ou motor). Esta inflamação pode ter causas infecciosas, traumáticas ou metabólicas.
47 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
48 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
49 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
50 Eritema multiforme: Condição aguda, auto-limitada, caracterizada pelo início abrupto de pápulas vermelhas fixas simétricas, algumas evoluindo em lesões em forma de “alvo”. A lesão alvo são zonas concêntricas de alterações de coloração com a área central púrpura ou escura e a externa vermelha. Elas irão desenvolver vesícula ou crosta na zona central após vários dias. Vinte porcento de todos os casos ocorrem na infância.O eritema multiforme geralmente é precipitado pelo vírus do herpes simples, Mycoplasma pneumoniae ou histoplasmose.
51 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
52 Hepatites: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
53 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
54 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
55 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
56 Hemodiálise: Tipo de diálise que vai promover a retirada das substâncias tóxicas, água e sais minerais do organismo através da passagem do sangue por um filtro. A hemodiálise, em geral, é realizada 3 vezes por semana, em sessões com duração média de 3 a 4 horas, com o auxílio de uma máquina, dentro de clínicas especializadas neste tratamento. Para que o sangue passe pela máquina, é necessária a colocação de um catéter ou a confecção de uma fístula, que é um procedimento realizado mais comumente nas veias do braço, para permitir que estas fiquem mais calibrosas e, desta forma, forneçam o fluxo de sangue adequado para ser filtrado.
57 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
58 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
59 Ilícitos: 1. Condenados pela lei e/ou pela moral; proibidos, ilegais. 2. Qualidade dos que não são legais ou moralmente aceitáveis; ilicitude.
60 Cirrose: Substituição do tecido normal de um órgão (freqüentemente do fígado) por um tecido cicatricial fibroso. Deve-se a uma agressão persistente, infecciosa, tóxica ou metabólica, que produz perda progressiva das células funcionalmente ativas. Leva progressivamente à perda funcional do órgão.
61 Carcinoma: Tumor maligno ou câncer, derivado do tecido epitelial.

Tem alguma dúvida sobre HEBERBIOVAC HB?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.