METILDOPA

DUCTO

Atualizado em 09/12/2014

Composição da Metildopa

cada comprimido contém: metildopa 250 ou 500mg. Excipiente q.s.p. 1 comprimido. Excipientes: álcool etílico, cloreto de metileno, celulose microcristalizada, amido de milho, polivinilpirrolidona, talco, opadry clear Ys-70006.

Posologia e Administração da Metildopa

adultos: recomenda-se 1 comprimido de 250 mg a cada 8 horas (3 doses diárias) durante os dois primeiros dias de tratamento; a seguir, a dose pode ser ajustada, se necessário, com intervalos de 2 dias, não excedendo a 2 g diários. Apesar de alguns pacientes responderem bem até 65 mg/kg diários, recomenda-se caso 2 g sejam insuficientes, o emprego de outro agente anti-hipertensor e não aumento da dose. Crianças: a dose inicial é de 10 mg/kg peso/dia, fracionados em 2 ou 4 tomadas com intervalos de 8 horas; se necessário, fazer ajuste da dose com intervalos de 2 a 4 dias; a dose máxima recomendada é 65 mg/kg peso/dia. - Superdosagem: investigações revelaram que doses de 2,5 g produzem coma1, hipotermia2, hipertensão3, bradicardia4 e boca5 seca em um homem de 19 anos de idade. Pacientes recobram funções normais com tratamento intravenoso de fluidos.

Precauções da Metildopa

antes da administração de Metildopa em agentes e mulheres em fase de amamentação6 deve ser feita uma avaliação entre benefícios e riscos. Se administrada em tratamento contínuo prolongado, Metildopa pode desenvolver testes de Coombs direto positivo. A diálise7 remove a Metildopa, portanto, após este processo deve ser administrada nova dose para evitar retorno da hipertensão3. Metildopa deve ser administrado concomitantemente com um diurético8, para evitar a formação de edemas9. Em pacientes com função renal10 comprometida, pode ocorrer acúmulo de Metildopa; porém há evidências da necessidade de um ajuste posológico neste caso. Pacientes portadores de disfunção hepática11 que necessitam fazer uso de Metildopa devem ser acompanhados periodicamente com provas funcionais hepáticas12 tipo: TGO, TGP, bilirrubina13, tempo de protrombina14, etc. Gravidez15 e lactação16: reduz a pressão sangüínea17 em crianças cujas mães receberam metildopa. - Interações medicamentosas: Metildopa favorece a retenção de sal e água; recomenda-se durante o uso do medicamento um rigoroso controle na dieta alimentar com diminuição do sal. Metildopa administrada juntamente com hidroclorotiazida diminui consideravelmente o grau de retenção. Ao se indicar Metildopa a pacientes que tomam outros anti-hipertensivos, a dose deve ser ajustada para promover uma transição suave.

Reações Adversas da Metildopa

as reações adversas mais comuns são sedação18 e sonolência, geralmente transitórias. Observa-se com freqüência menor, efeitos adversos ocasionados pelo bloqueio dos nervos simpáticos, tais como: vertigens19, náuseas20, fraqueza, cefaléia21, bradicardia4, congestão nasal e diarréia22. Outros efeitos mais raros: boca5 seca, diminuição da libido23 nos homens, depressão física, pesadelo, lactação16 em ambos os sexos e depressão da função hepática11, ocorrendo febre24, mal-estar e icterícia25 (anemia hemolítica26 reversível). Foram relatados alguns casos de síndrome27 semelhante ao lúpus28 eritematoso29, granulocitopenia ou trombocitopenia30.

Contra-Indicações da Metildopa

pacientes portadores de: hepatopatias ativas (hepatite31 aguda e cirrose32 ativa), anemia hemolítica26 e aqueles que apresentaram distúrbios hepáticos durante ou após tratamento com Metildopa. É também contra-indicada em pacientes com sensibilidade comprovada ao medicamento.

Indicações da Metildopa

agente anti-hipertensor no tratamento da hipertensão3 essencial moderada a severa, incluindo a hipertensão3 maligna.

Apresentação da Metildopa

caixa com 30 comprimidos de 250 mg e caixa com 20 comprimidos de 500 mg.


METILDOPA - Laboratório

DUCTO
Rua VPR 3, Quadra 2-A, Mód. 20/21
Anápolis/GO - CEP: 75133-600
Tel: (62 )310-2500
Fax: (62 )800-2122

Ver outros medicamentos do laboratório "DUCTO"

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Coma: 1. Alteração do estado normal de consciência caracterizado pela falta de abertura ocular e diminuição ou ausência de resposta a estímulos externos. Pode ser reversível ou evoluir para a morte. 2. Presente do subjuntivo ou imperativo do verbo “comer.“
2 Hipotermia: Diminuição da temperatura corporal abaixo de 35ºC.Pode ser produzida por choque, infecção grave ou em estados de congelamento.
3 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
4 Bradicardia: Diminuição da freqüência cardíaca a menos de 60 batimentos por minuto. Pode estar associada a distúrbios da condução cardíaca, ao efeito de alguns medicamentos ou a causas fisiológicas (bradicardia do desportista).
5 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
6 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
7 Diálise: Quando os rins estão muito doentes, eles deixam de realizar suas funções, o que pode levar a risco de vida. Nesta situação, é preciso substituir as funções dos rins de alguma maneira, o que pode ser feito realizando-se um transplante renal, ou através da diálise. A diálise é um tipo de tratamento que visa repor as funções dos rins, retirando as substâncias tóxicas e o excesso de água e sais minerais do organismo, estabelecendo assim uma nova situação de equilíbrio. Existem dois tipos de diálise: a hemodiálise e a diálise peritoneal.
8 Diurético: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
9 Edemas: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
10 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
11 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
12 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
13 Bilirrubina: Pigmento amarelo que é produto da degradação da hemoglobina. Quando aumenta no sangue, acima de seus valores normais, pode produzir uma coloração amarelada da pele e mucosas, denominada icterícia. Pode estar aumentado no sangue devido a aumento da produção do mesmo (excesso de degradação de hemoglobina) ou por dificuldade de escoamento normal (por exemplo, cálculos biliares, hepatite).
14 Protrombina: Proteína plasmática inativa, é a precursora da trombina e essencial para a coagulação sanguínea.
15 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
16 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
17 Pressão sangüínea: Força exercida pelo sangue arterial por unidade de área da parede arterial. É expressa como uma razão (Exemplo: 120/80, lê-se 120 por 80). O primeiro número é a pressão sistólica ou pressão máxima. E o segundo número é a presão diastólica ou mínima.
18 Sedação: 1. Ato ou efeito de sedar. 2. Aplicação de sedativo visando aliviar sensação física, por exemplo, de dor. 3. Diminuição de irritabilidade, de nervosismo, como efeito de sedativo. 4. Moderação de hiperatividade orgânica.
19 Vertigens: O termo vem do latim “vertere” e quer dizer rodar. A definição clássica de vertigem é alucinação do movimento. O indivíduo vê os objetos do ambiente rodarem ao seu redor ou seu corpo rodar em relação ao ambiente.
20 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
21 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
22 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
23 Libido: Desejo. Procura instintiva do prazer sexual.
24 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
25 Icterícia: Coloração amarelada da pele e mucosas devido a uma acumulação de bilirrubina no organismo. Existem dois tipos de icterícia que têm etiologias e sintomas distintos: icterícia por acumulação de bilirrubina conjugada ou direta e icterícia por acumulação de bilirrubina não conjugada ou indireta.
26 Anemia hemolítica: Doença hereditária que faz com que os glóbulos vermelhos do sangue se desintegrem no interior dos veios sangüíneos (hemólise intravascular) ou em outro lugar do organismo (hemólise extravascular). Pode ter várias causas e ser congênita ou adquirida. O tratamento depende da causa.
27 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
28 Lúpus: 1. É uma inflamação crônica da pele, caracterizada por ulcerações ou manchas, conforme o tipo específico. 2. Doença autoimune rara, mais frequente nas mulheres, provocada por um desequilíbrio do sistema imunológico. Nesta patologia, a defesa imunológica do indivíduo se vira contra os tecidos do próprio organismo como pele, articulações, fígado, coração, pulmão, rins e cérebro. Essas múltiplas formas de manifestação clínica, às vezes, podem confundir e retardar o diagnóstico. Lúpus exige tratamento cuidadoso por médicos especializados no assunto.
29 Eritematoso: Relativo a ou próprio de eritema. Que apresenta eritema. Eritema é uma vermelhidão da pele, devido à vasodilatação dos capilares cutâneos.
30 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
31 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
32 Cirrose: Substituição do tecido normal de um órgão (freqüentemente do fígado) por um tecido cicatricial fibroso. Deve-se a uma agressão persistente, infecciosa, tóxica ou metabólica, que produz perda progressiva das células funcionalmente ativas. Leva progressivamente à perda funcional do órgão.
Artigos relacionados

Tem alguma dúvida sobre METILDOPA?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.