MICORAL COMPRIMIDO

ELOFAR

Atualizado em 09/12/2014

Composição de Micoral Comprimido

cada comprimido contém: cetoconazol 200 mg.Excipiente: lactose1, dióxido de silício coloidal, amido de milho, estearato de magnésio, fosfato tricálcico.

Posologia e Administração de Micoral Comprimido

o Micoral deve ser tomado junto com uma das refeições. Adulto: candidíase2 vaginal: 2 comprimidos (400 mg) tomados de uma vez diariamente durante cinco dias. Outras

Precauções de Micoral Comprimido

os pacientes sob tratamento com cetoconazol, em especial aqueles com antecedentes de idiossincrasia a outras drogas ou de hepatopatias devem ser submetidos periodicamente a provas de função hepática3. Os pacientes devem ser alertados para se comunicarem com seu médico caso surjam sintomas4 e sinais5 sugestivos de alteração hepática3, tais como: astenia6 pronunciada, icterícia7, prurido8 intenso, náuseas9 e vômitos10 persistentes, urina11 de coloração marrom ou fezes esbranquiçadas. Nestes casos suspeitos aconselha-se a suspensão imediata do tratamento e o respectivo diagnóstico12. Foi constatado que doses iguais ou superiores a 400 mg de cetoconazol foram capazes de reduzir a resposta de cortisol à estimulação por ACTH, portanto, deve ser monitorada a função supra-renal13 em pacientes com insuficiência14 adrenal ou que tenham a função destas glândulas15 no limite da normalidade. Recomenda-se que nos pacientes tratados com griseofulvina, seja mantido um período de um mês após a interrupção do tratamento com aquela droga, antes de iniciar o tratamento com cetoconazol. Toxicidade16 hepática3 tem sido associada ao uso de cetoconazol oral, incluindo casos fatais. Casos graves de hepatite17 têm ocorrido em crianças. Há casos raros de anafilaxia18 após a dose de cetoconazol. Gravidez19: não se conhece nenhum efeito adverso sobre o feto20, não há suficientes e bem controlados estudos em mulheres grávidas. O médico deve avaliar o risco/benefício do cetoconazol. Lactação21: não há dados disponíveis. Como Micoral é provavelmente excretado no leite materno, as mães devem ser aconselhadas a não amamentarem durante o tratamento com cetoconazol. - Atenção: Micoral não penetra bem no SNC22. Portanto meningites23 fúngicas24 não devem ser tratadas com cetoconazol oral.

Reações Adversas de Micoral Comprimido

gastrintestinal: náuseas9, vômitos10, dor abdominal, diarréia25, e hepatotoxidade. SNC22: cefaléia26, vertigem27, sonolência, fotofobia28. Psiquiátrica: tendências suicidas, depressão grave (raro). Outros: prurido8, alopecia29, febre30, calafrio31, impotência32, ginecomastia33, oligospermia, trombocitopenia34, leucopenia35, anemia hemolítica36. - Interações medicamentosas: álcool ou medicamentos hepatotóxicos: uso concomitante com cetoconazol pode resultar num aumento da incidência37 de hepatotoxidade. Pacientes, especialmente aqueles em tratamento prolongado ou com insuficiência hepática38, devem ser monitorados. Warfarina: pode ocorrer elevação do efeito anticoagulante39, resultando num aumento no tempo de protrombina40. Portanto, pacientes que recebem warfarina e cetoconazol devem ter cuidadosamente monitorado seu tempo de protrombina40. Astemizol ou terfenadina, cisaprida: o uso concomitante é contra-indicado, pois pode resultar na elevação da concentração plasmática de cisaprida, astemizol ou terfenadina pela inibição da via metabólica do P450, levando a arritmias41 cardíacas incluindo taquicardia42 ventricular torsades de pointes e morte. Hipoglicemiantes43: uso concomitante pode causar hipoglicemia44 grave. Ciclosporina: cetoconazol inibe o metabolismo45 da ciclosporina podendo com isso aumentar sua concentração plasmática a níveis potencialmente tóxicos. Antiácidos46, anticolinérgicos e bloqueadores de receptores H2 (como a cimetidina e outros), aumentam o pH gastrintestinal, que pode resultar numa redução da absorção do cetoconazol. Quando estas drogas forem absolutamente necessárias, deverão ser administradas pelo menos duas horas após a administração do cetoconazol. O uso da griseofulvina concomitante como o cetoconazol é absolutamente contra-indicado. Isoniazida ou rifampicina: o uso concomitante de rifampicina pode elevar o metabolismo45 do cetoconazol diminuindo a sua concentração plasmática.

Contra-Indicações de Micoral Comprimido

contra-indicado em pacientes com história de hipersensibilidade ao Micoral ou a qualquer um dos componentes da fórmula, portadores de hepatopatias e pacientes com antecedentes de doenças hepáticas47. Gravidez19 e lactação21: a administração concomitante com astemizol e terfenadina é contra-indicada.

Indicações de Micoral Comprimido

1 comprimido (200 mg) ao dia, até pelo menos uma semana após o desaparecimento dos sintomas4 ou negativação dos exames micológicos. Em infecções48 muito graves ou quando a resposta clínica for insuficiente, dentro do prazo previsto, a dose de cetoconazol pode ser aumentada para 2 comprimidos (400 mg), sempre uma vez ao dia. No tratamento profilático de pacientes imunodeprimidos recomenda-se 2 comprimidos (400 mg), uma vez ao dia. A duração do tratamento com o cetoconazol, em média, tem-se revelado a seguinte: candidíase2 oral: mínimo 1 a 2 semanas; dermatomicoses49: mínimo de 4 semanas; micoses do couro cabeludo: 4 a 8 semanas; ptiríase versicolor50: 2 a 4 semanas. Candidíase2 sistêmica: 4 a 8 semanas. Paracoccidioidomicose e histoplasmose: mínimo 6 meses. Onicomicose51 e candidíase2 mucocutânea crônica: 6 a 12 meses. Dose pediátrica: crianças abaixo de 2 anos: doses não estabelecidas. Crianças acima de 2 anos: 3,3 até 6,6 mg/kg uma vez ao dia. Candidíase2 vulvovaginal: 5 até 10 mg/kg uma vez ao dia por 5 dias. Paroníquia52, pneumonia53 ou septicemia54 por fungo55: 5 até 10 mg/kg uma vez ao dia. - Superdosagem: em casos de superdosagem acidental, medidas de suporte incluindo lavagem gástrica56 com bicarbonato de sódio, deverá ser procedida.

Apresentação de Micoral Comprimido

caixa com 10 e 30 comprimidos.


MICORAL COMPRIMIDO - Laboratório

ELOFAR
RUA TEREZA CRISTINA, 67
FLORIANOPOLIS/SC - CEP: 88070790
Tel: (048 )248-1344
Fax: (048 )244-1099

Antes de consumir qualquer medicamento, consulte seu médico (http://www.catalogo.med.br).

Complementos

1 Lactose: Tipo de glicídio que possui ligação glicosídica. É o açúcar encontrado no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose, sendo, portanto, um dissacarídeo.
2 Candidíase: É o nome da infecção produzida pela Candida albicans, um fungo que produz doença em mucosas, na pele ou em órgãos profundos (candidíase sistêmica).As infecções profundas podem ser mais freqüentes em pessoas com deficiência no sistema imunológico (pacientes com câncer, SIDA, etc.).
3 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
4 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
5 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
6 Astenia: Sensação de fraqueza, sem perda real da capacidade muscular.
7 Icterícia: Coloração amarelada da pele e mucosas devido a uma acumulação de bilirrubina no organismo. Existem dois tipos de icterícia que têm etiologias e sintomas distintos: icterícia por acumulação de bilirrubina conjugada ou direta e icterícia por acumulação de bilirrubina não conjugada ou indireta.
8 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
9 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
10 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
11 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
12 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
13 Supra-renal:
14 Insuficiência: Incapacidade de um órgão ou sistema para realizar adequadamente suas funções.Manifesta-se de diferentes formas segundo o órgão comprometido. Exemplos: insuficiência renal, hepática, cardíaca, respiratória.
15 Glândulas: Grupo de células que secreta substâncias. As glândulas endócrinas secretam hormônios e as glândulas exócrinas secretam saliva, enzimas e água.
16 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
17 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
18 Anafilaxia: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
19 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
20 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
21 Lactação: Fenômeno fisiológico neuro-endócrino (hormonal) de produção de leite materno pela puérpera no pós-parto; independente dela estar ou não amamentando.Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
22 SNC: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
23 Meningites: Inflamação das meninges, aguda ou crônica, quase sempre de origem infecciosa, com ou sem reação purulenta do líquido cefalorraquidiano. As meninges são três membranas superpostas (dura-máter, aracnoide e pia-máter) que envolvem o encéfalo e a medula espinhal.
24 Fúngicas: Relativas à ou produzidas por fungo.
25 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
26 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
27 Vertigem: Alucinação de movimento. Pode ser devido à doença do sistema de equilíbrio, reação a drogas, etc.
28 Fotofobia: Dor ocular ou cefaléia produzida perante estímulos visuais. É um sintoma freqüente na meningite, hemorragia subaracnóidea, enxaqueca, etc.
29 Alopécia: Redução parcial ou total de pêlos ou cabelos em uma determinada área de pele. Ela apresenta várias causas, podendo ter evolução progressiva, resolução espontânea ou ser controlada com tratamento médico. Quando afeta todos os pêlos do corpo, é chamada de alopécia universal.
30 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
31 Calafrio: 1. Conjunto de pequenas contrações da pele e dos músculos cutâneos ao longo do corpo, muitas vezes com tremores fortes e palidez, que acompanham uma sensação de frio provocada por baixa temperatura, má condição orgânica ou ainda por medo, horror, nojo, etc. 2. Sensação de frio e tremores fortes, às vezes com bater de dentes, que precedem ou acompanham acessos de febre.
32 Impotência: Incapacidade para ter ou manter a ereção para atividades sexuais. Também chamada de disfunção erétil.
33 Ginecomastia: Aumento anormal de uma ou ambas as glândulas mamárias no homem. Associa-se a diferentes enfermidades como cirrose, tumores testiculares, etc. Em certas ocasiões ocorrem de forma idiopática.
34 Trombocitopenia: É a redução do número de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitose. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é inferior a 150.000/mm³, diz-se que o indivíduo apresenta trombocitopenia (ou plaquetopenia). As pessoas com trombocitopenia apresentam tendência de sofrer hemorragias.
35 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
36 Anemia hemolítica: Doença hereditária que faz com que os glóbulos vermelhos do sangue se desintegrem no interior dos veios sangüíneos (hemólise intravascular) ou em outro lugar do organismo (hemólise extravascular). Pode ter várias causas e ser congênita ou adquirida. O tratamento depende da causa.
37 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
38 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
39 Anticoagulante: Substância ou medicamento que evita a coagulação, especialmente do sangue.
40 Protrombina: Proteína plasmática inativa, é a precursora da trombina e essencial para a coagulação sanguínea.
41 Arritmias: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
42 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
43 Hipoglicemiantes: Medicamentos que contribuem para manter a glicose sangüínea dentro dos limites normais, sendo capazes de diminuir níveis de glicose previamente elevados.
44 Hipoglicemia: Condição que ocorre quando há uma queda excessiva nos níveis de glicose, freqüentemente abaixo de 70 mg/dL, com aparecimento rápido de sintomas. Os sinais de hipoglicemia são: fome, fadiga, tremores, tontura, taquicardia, sudorese, palidez, pele fria e úmida, visão turva e confusão mental. Se não for tratada, pode levar ao coma. É tratada com o consumo de alimentos ricos em carboidratos como pastilhas ou sucos com glicose. Pode também ser tratada com uma injeção de glucagon caso a pessoa esteja inconsciente ou incapaz de engolir. Também chamada de reação à insulina.
45 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
46 Antiácidos: É uma substância que neutraliza o excesso de ácido, contrariando o seu efeito. É uma base que aumenta os valores de pH de uma solução ácida.
47 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
48 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
49 Dermatomicoses: Doença de pele com dermatite localizada, infectocontagiosa, de caráter crônico, causada pela invasão da pele e pelos por fungos, conhecidos como dermatófitos. Ela é caracterizada por descamação e perda de pelos. Também conhecida por “tinha“, dermatofitose ou tricofitose.
50 Ptiríase versicolor: Conhecida como “micose de praia”, caracteriza-se por manchas claras recobertas por fina camada de descamação, facilmente demonstrável pelo esticamento da pele. Atinge principalmente áreas com maior produção de oleosidade como o tronco, a face, o pescoço e o couro cabeludo.
51 Onicomicose: Micose de unha. Apresenta-se com descolamento da borda livre da unha, espessamento, manchas brancas na superfície ou deformação da unha. Quando a micose atinge a pele ao redor da unha, causa a paroníquia (“unheiro“). O contorno ungueal fica inflamado, dolorido, inchado e avermelhado e, por consequência, altera a formação da unha, que cresce ondulada.
52 Paroníquia: Unheiro. O contorno ungueal fica inflamado, dolorido, inchado e avermelhado e, por consequência, altera a formação da unha, que cresce ondulada. É uma micose.
53 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
54 Septicemia: Septicemia ou sepse é uma infecção generalizada grave que ocorre devido à presença de micro-organismos patogênicos e suas toxinas na corrente sanguínea. Geralmente ela ocorre a partir de outra infecção já existente.
55 Fungo: Microorganismo muito simples de distribuição universal que pode colonizar uma superfície corporal e, em certas ocasiões, produzir doenças no ser humano. Como exemplos de fungos temos a Candida albicans, que pode produzir infecções superficiais e profundas, os fungos do grupo dos dermatófitos que causam lesões de pele e unhas, o Aspergillus flavus, que coloniza em alimentos como o amendoim e secreta uma toxina cancerígena, entre outros.
56 Lavagem gástrica: É a introdução, através de sonda nasogástrica, de líquido na cavidade gástrica, seguida de sua remoção.

Tem alguma dúvida sobre MICORAL COMPRIMIDO?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.